A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

É um período artístico que surgiu na segunda metade do século XX e se prolonga até aos dias de hoje. As formas dos objectos tornam-se, quase subitamente,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "É um período artístico que surgiu na segunda metade do século XX e se prolonga até aos dias de hoje. As formas dos objectos tornam-se, quase subitamente,"— Transcrição da apresentação:

1 É um período artístico que surgiu na segunda metade do século XX e se prolonga até aos dias de hoje. As formas dos objectos tornam-se, quase subitamente, aerodinâmicas, alusivas ao espaço, com forte recorrência ao brilho do vinil. Na década de 70 a arte contemporânea é um conceito a ter em conta. Surge, enfim a Op Art, baseada na «geometria» da arte e a Pop Art, baseada nos ícones da época, no mundo festivo dos setentas, uma arte comercial, que mais tarde se tornaria uma arte erudita. Quando se fala em arte contemporânea não é para designar tudo o que é produzido no momento, mas sim aquilo que nos propõe um pensamento sobre a própria arte ou uma análise crítica da prática visual. Como dispositivo de pensamento, a arte interroga e atribui novos significados ao apropriar-se de imagens, não só as que fazem parte da história da arte, mas também as que habitam o quotidiano. Entre os movimentos mais célebres estão a Op Art, Pop Art, Expressionismo Abstracto, Arte Povera, Arte Conceptual, Minimalismo, Body Art, Fotorrealismo, Internet Art e a Street Art, a arte das ruas, baseada na cultura do Graffiti e inspirada ficcionalmente na geração Hip-Hop, tido muitas vezes como vandalismo. Arte contemporânea

2 Sugeriu-se que trabalhos de Victor Vasarely, dos anos 30, tais como Zebra (1938), que é inteiramente composto por listas diagonais a preto e branco, curvadas de tal modo que dão a impressão tridimensional de uma Zebra sentada, devem ser consideradas as primeiras obras de op art. Op Art A expressão Op-Art vem do inglês (Optical Art) e significa “arte óptica” – uso de ilusões ópticas. Defendia para arte "menos expressão e mais visualização". Apesar do rigor com que é construída, simboliza um mundo mutável e instável, que não se mantém nunca o mesmo. Os trabalhos de Op Art são em geral abstractos, e muitas das peças mais conhecidas usam apenas o preto e o branco. Quando são observados, dão a impressão de movimento, clarões ou vibração, ou por vezes parecem inchar ou deformar-se. O termo surgiu pela primeira vez na Time Magazine em Outubro de 1964, embora já se produzissem há alguns anos trabalhos que hoje podem ser descritos como "Op Art". Victor Vasarely

3 Algumas obras de Victor Vasarely: Op Art

4 Pop Art A Pop Art surge com o objectivo da crítica irónica ao bombardeamento da sociedade capitalista pelos objectos de consumo da época, ela era representada com signos estéticos de cores inusitadas massificados pela publicidade e pelo consumo, usando como materiais principais: gesso, tinta acrílica, poliéster, látex, produtos com cores intensas, fluorescentes, brilhantes e vibrantes, reproduzindo objectos do quotidiano em tamanho consideravelmente grande, como de uma escala de cinquenta para um, transformando o real em hiper-real. Principais artistas: Andy WarholRoy Liechenstein

5 Pop Art Andy Warhol Como muitos outros artistas da Pop Art, Andy Warhol criou obras em cima de mitos. Mas ele foi muito além disso: ele realmente criou mitos. Como o exemplo de que Warhol talvez tenha contribuído mais para o mito de Marilyn Monroe do que Hollywood e as revistas populares juntos. Ao retratar ídolos da música popular e do cinema, como Elvis Presley, Liz Taylor, Marlon Brando e, sua favorita, Marilyn Monroe, Warhol mostrava o quanto personalidades públicas são figuras impessoais e vazias; mostrava isso associando a técnica com que reproduzia estes retratos, numa produção mecânica ao invés do trabalho manual.

6 Roy Lichtenstein Nasceu em Nova Iorque a 27 de Outubro de 1923 foi um pintor identificado com a Pop Art. O seu interesse pelas histórias em quadradinhos (banda desenhada), como tema artístico, começou provavelmente com uma pintura do rato Mickey, que realizou em 1960 para os filhos. Nos seus quadros a óleo e tinta acrílica, ampliou as características da banda desenhada e dos anúncios comerciais, e reproduziu à mão, com fidelidade, os procedimentos gráficos. Empregou uma técnica pontilhista conhecida como Pontos Ben-Day para simular os pontos reticulados das histórias. Cores brilhantes, planas e limitadas, delineadas por um traço negro, contribuíam para o intenso impacto visual. Pop Art

7 Foi um movimento artístico com origem nos EUA, muito popular no pós-guerra, foi o primeiro movimento especificamente americano a atingir influência mundial e também o que colocou Nova Iorque no centro do mundo artístico. Pintores mais conhecidos: Arshile Gorky, Jackson Pollock, Philip Guston, Willem de Kooning, Clyford Still e Wassily Kandinsky. Arshile Gorky Jackson Pollock Expressionismo abstracto Philip Guston Willem de KooningClyford Still Wassily Kandinsky.

8 Foi um movimento artístico italiano que se desenvolveu na segunda metade da década de 60. Os adeptos deste movimento usavam materiais de pintura não convencionais, como por exemplo a areia, madeira, sacos, jornais, cordas, terra, e trapos) com o intuito de empobrecer a pintura e eliminar quaisquer barreiras entre a arte e o dia-a-dia das pessoas. Esta corrente num momento, nos anos 70, em que os artistas voltam para a natureza ou derivados, rompendo com os processos industriais, mostrando o empobrecimento de uma sociedade guiada pelo acumular de riquezas materiais. Arte Povera (arte pobre) Michelangelo Pistoletto Jannis Kounellis

9 Esta define-se como o movimento artístico moderno ou contemporâneo que defende a superioridade das ideias veiculadas pela obra de arte, deixando os meios usados para a criar em lugar secundário. O artista Sol LeWitt definiu-a como: Em arte conceptual, a ideia ou conceito é o aspecto mais importante da obra. Significa que todo o planeamento e decisões são tomadas antecipadamente, sendo a execução um assunto secundário. A ideia torna-se na máquina que origina a arte. Arte conceptual (ou arte conceitual Alguns exemplos:

10 O minimalismo nas artes plásticas surge após o ápice do expressionismo abstracto nos Estados Unidos, movimento esse que marcou a mudança do eixo artístico mundial da Europa para os Estados Unidos. Contrapondo-se a esse movimento, o minimalismo procurava através da redução formal e da produção de objectos em série, que se transmitisse ao observador uma percepção fenomenológica nova do ambiente onde se inseriam. Minimalismo Dan Flavin Frank Stella

11 A está associada à arte conceitual e ao minimalismo. É uma manifestação das artes visuais onde o corpo do artista é utilizado como suporte ou meio de expressão. O espectador pode actuar não apenas de forma passiva mas também como voyeur ou agente interactivo. Por norma, as obras de body art, como criações conceituais, são um convite à reflexão. Foi na década de 1960 que essa forma de arte se popularizou e se espalhou pelo mundo. Body Art (arte do corpo)

12 É um género dentro da pintura que se baseia em fazer um quadro a partir de uma fotografia, considerada uma variante do hiperrealismo. O fotorrealismo evoluiu a partir da Pop Art e como contrapeso ao Expressionismo Abstracto e ao Minimalismo, no final dos anos 60 e princípios dos 70 nos EUA. É um género cultivado sobretudo por pintores. É um tipo de pintura que não pode existir sem a fotografia. O pintor tem habilidade técnica suficiente para fazer com que o resultado final pareça fotográfico. Fotorrealismo Richard EstesChuck Close

13 Internet art Grosso modo, podemos dizer que um site de Web Arte disponibiliza um canal de experiências visuais, sonoras ou temporais com o visitante. Ao criar um trabalho de arte para a rede, parte-se do princípio de estabelecer relações com a sensibilidade do internauta, tornando a navegação, uma experiência insólita, cómica, hermética, repetitiva, labiríntica, estética etc. Aqui existe uma busca de resultados subjectivos, intimamente ligados com a experiência do visitante vivenciada no trabalho, que por sua vez, se presta a um grande número de leituras particulares que serão resultado directo da acção do repertório visual do observador.

14 É a expressão que se refere a manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público, distinguindo-se da manifestações de carácter institucional ou empresarial, bem como do mero vandalismo. Da necessidade de flexibilidade no desenhar da cidade surgiu a figura dos planos de gestão. Este facto fez cair em desuso o termo Arte Urbana, ficando a relação entre arte e cidade confinada durante anos à expressão Arte Pública. Dada a dificuldade de enquadramento das inscrições murais feitas à revelia das autoridades e proprietários no conceito de arte pública, assiste-se a um ressurgimento da designação de "Arte Urbana" que passou a incluir todo o tipo de expressões criativas no espaço colectivo. Esta designação adquiriu assim um novo significado e pretende identificar a Arte que se faz no contexto Urbano à margem das instituições públicas. Arte Urbana ou Street Art

15 Trabalho criado pelos alunos do 9ºano de escolaridade, na disciplina de Educação Visual no âmbito do Projecto Pasta do Conhecimento. Ano lectivo


Carregar ppt "É um período artístico que surgiu na segunda metade do século XX e se prolonga até aos dias de hoje. As formas dos objectos tornam-se, quase subitamente,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google