A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Epidemiologia: Conceito e Definições – Um Breve Histórico Prof. Dra.Thalyta Cardoso Alux Teixeira UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Epidemiologia: Conceito e Definições – Um Breve Histórico Prof. Dra.Thalyta Cardoso Alux Teixeira UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Epidemiologia: Conceito e Definições – Um Breve Histórico Prof. Dra.Thalyta Cardoso Alux Teixeira UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO

2 Introdução Qual o conceito de epidemiologia?

3 Epidemiologia EPI (Sobre) DEMO (População) LOGOS (Tratado)

4 Epidemiologia inter-relacionamento de vários fatores e condições que determinam a freqüência e a distribuição“A epidemiologia é o campo da ciência médica preocupada com o inter-relacionamento de vários fatores e condições que determinam a freqüência e a distribuição de um processo infeccioso, uma doença ou um estado fisiológico em uma comunidade humana” (1951) a distribuição e os fatores determinantes dos eventos relacionados com a saúde“Ramo das ciências da saúde que estuda, na população, a ocorrência, a distribuição e os fatores determinantes dos eventos relacionados com a saúde” (1978) estuda o processo saúde-doença em coletividades humanasdistribuição e os fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e eventos associados à saúde coletiva suporte ao planejamento, administração e avaliação das ações de saúde“Ciência que estuda o processo saúde-doença em coletividades humanas, analisando a distribuição e os fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas específicas de prevenção, controle, ou erradicação de doenças, e fornecendo indicadores que sirvam de suporte ao planejamento, administração e avaliação das ações de saúde” (Rouquayrol, 1999)

5 Epidemiologia De onde emergiu este conceito?!

6 Os Pilares da Epidemiologia Clínica (Ciências Biológicas) Estatística (Ciências Exatas) Medicina Social (Ciências Sociais)

7 Medicina Individual X Coletiva desde os primórdios do pensamento ocidental na Grécia Antiga As duas filhas do Deus Asclépios: padroeira da medicina curativa, realizada por meio de manobras, encantamentos, preces e uso de pharmakon apregoava a saúde como resultante da harmonia dos homens e dos ambientes, por ações preventivas e coletivas Panacéia e Higéia

8 Hipócrates o clima, maneira de viver, hábitos de comer e bebersempre considerar na avaliação do paciente: o clima, maneira de viver, hábitos de comer e beber doenças epidêmicas variações geográficasestudou doenças epidêmicas e as variações geográficas das endemias Seu Juramento: a ética médica e a importância do exame minuncioso para correto diagnóstico e fiel descrição da história natural da doença doença: produto da relação complexa constituição do indivíduo X ambiente que o cerca

9 Filhos de Hipócrates individualismoestabeleceram o individualismo e o senso mercadológico para garantir a hegemonia de sua prática frente a inúmeras seitas Roma: médicos eram escravos gregos valiosos, trabalhavam para a corte, exército e famílias nobres, “receitadores de muitos fármacos para poucos enfermos” Contribuição romana para Epidemiologia: sensos periódicos e registro compulsório somente os sensos periódicos e registro compulsório de nascimentos e óbitos

10 Idade Média práticas de saúde de caráter mágico-religioso.Catolicismo romano e invasões dos bárbaros  práticas de saúde de caráter mágico-religioso. prática médica para os pobres exercida por religiosos (por caridade) e por leigos, boticários, barbeiros-cirurgiões (por profissão) medicina árabe avanço tecnológico e caráter coletivoDurante este período a medicina árabe, sob os princípios hipocráticos, apresenta avanço tecnológico e caráter coletivo, com Avicena e Averroés

11 Os Hospitais hospedarias de ordens religiosas contato com “séries” de pacientes e patologiasEram originalmente hospedarias de ordens religiosas (Cavaleiros Hospitalários) destinadas a viajantes e que recebiam doentes, assim, passaram a ser o local onde os médicos deixavam sua prática privada para ter contato com “séries” de pacientes e patologias (investigação sistemática de enfermos) LutaLuta contra os físicos, leigos e religiosos, criando uma corporação médica saber técnico e instituição de práticasconstrução de um saber técnico e instituição de práticas (início de uma clínica científica)

12 Idade Moderna Estado Moderno EstatísticaAparição do Estado Moderno: necessidade de contar o povo (produção) e o exército (poder) com surgimento da Estatística (Estado=status + isticum=contar) registros anuaisPrimeiros registros anuais de mortalidade e morbidade realizados pelo estado (“SIS”) Clínica Moderna e a EstatísticaRazoável integração entre a Clínica Moderna e a Estatística – porém com a falta de algo essencial – “preocupação sociológica”.

13 Início da Medicina Social Revolução Burguesa – Diferentes SocialismosRevolução Burguesa – Diferentes Socialismos Inglaterra: Revolução Industrial Medicina da “Força de Trabalho” – Engels. Movimento hospitalário e o assistencialismo geraram a Medicina da “Força de Trabalho” – Engels. Alemanha: Polícia Médica Medicina de Estado (Policial) Medidas compulsórias de controle e vigilância das doenças: Medicina de Estado (Policial) França: Revolução Francesa Medicina Sanitarista (Urbana) Necessidade de sanear as cidades, ventilar ruas e construções isolando os miasmas: Medicina Sanitarista (Urbana)

14 Epidemiologia Científica fortalecimento da Medicina OrganicistaOs avanços da Fisiologia, patologia, bacteriologia – fortalecimento da Medicina Organicista. Epidemiologia como ciência autônomaRetardo no processo da Epidemiologia como ciência autônoma. Entretanto, esta hegemonia da “medicina científica” não representou obstáculo para o desenvolvimento científico da Epidemiologia.

15 Teoria Miasmas X Germes Miasmas: má qualidade do ar advindo da decomposição de material orgânico (Malária = Mal + ar) Germes: Louis Pasteur identifica e comprova que várias doenças são causadas por microorganismos transmissíveis (agente etiológico) comprovação laboratorial

16 Conseqüências medicina organicista em detrimento da medicina socialFortalecimento da medicina organicista em detrimento da medicina social com centralização novamente no “curativo” e não no “higiênico” Institutos de Pesquisa, clínica e patologiaCriação de Institutos de Pesquisa, clínica e patologia subordinadas ao laboratório (identificação do agente etiológico) medicina social sem grande expressãoContudo o trabalho de alguns estudiosos focados na medicina social se mantiveram, mesmo sem grande expressão neste contexto.

17 Destaques neste Processo método estatístico na investigação clínica de doenças e tratamentosPierre Louis ( ) utilizou método estatístico na investigação clínica de doenças e tratamentos, analisou a letalidade da pneumonia em relação à época que a sangria era realizada investigou a pobreza, as condições de trabalhoLouis Villermé ( ) investigou a pobreza, as condições de trabalho e suas repercussões sobre a saúde, foi um dos pioneiros nos estudos sobre a etiologia social das doenças

18 Registro Geral inglês desigualdades, regionais e sociaisWillian Farr ( ) Trabalhou no Registro Geral inglês, seus relatórios permitiram verificar as desigualdades, regionais e sociais nos perfis de saúde, fazendo com que muitos estudiosos alardeassem estes problemas, como Engels e Chadwick, advogado de cujos relatórios deram subsídios à reforma sanitária inglesa. investigação de epidemias de cóleraJohn Snow ( ) Realizou grande investigação de epidemias de cólera em Londres, elucidando com um minucioso trabalho de campo a relação da cólera com o fornecimento de água (contaminada) de uma certa companhia de abastecimento londrina Destaques neste Processo

19 A Sagração da Epidemiologia “Escola de Saúde Pública”1918 – John Hopkins School and Public Health – o programa “Escola de Saúde Pública” difundido pelo mundo. fragmentação do cuidado em saúde1929 – Crise Econômica Mundial – num momento com fragmentação do cuidado em saúde, com elevação do custos e elitização da saúde. retorno triunfal do socialCaráter social e cultural das doenças – retorno triunfal do social pelo recurso da Epidemiologia.

20 A Sagração da Epidemiologia expansão da disciplinaDécada de 20 e 30 - Caráter científico do conceito de RISCO, com expansão da disciplina para um objeto mais ampliado, além das doenças infectocontagiosa. medicina preventivaInserção da medicina preventiva, inserindo esta prática nos currículos médicos.

21 Atualidades da Epidemiologia Ênfase nas pesquisas: Pós - II Guerra Mundial - Determinação das condições de saúde da população (indicadores / inquéritos) Investigações de fatores causadores de doença –Estudos de Coorte: papel dos fatores de risco nas doenças não transmissíveis (Ex: d. cardiovasculares) –Estudos Caso-controle: conhecer a etiologia de doenças crônicas (Ex: tabagismo X CA pulmão) Avaliação de Intervenções Medicina Baseada em Evidência

22 Situação Atual: Multicausalidade Fatores Físicos, Biológicos e Psicossociais as questões de etiologia e prognóstico –Tornou-se claro que os agentes microbiológicos e físicos não explicavam totalmente as questões de etiologia e prognóstico incorporar conceitos e técnicasNecessidade de incorporar conceitos e técnicas de outras áreas, como sociologia e psicologia

23 Tendências Atuais Epidemiologia Clínica: aplicação da epidemiologia no diagnóstico clínico e no cuidado direto do paciente –MBE: aplicação da epidemiologia no diagnóstico clínico e no cuidado direto do paciente, com maior rigor científico na prática médica (“Panacéia”) Epidemiologia Social: determinação social da doença –Renascer do estudo da determinação social da doença, busca melhorar o atendimento à saúde da população, especialmente as mais subdesenvolvidas, de maneira multidisciplinar, procurando trabalhar na diminuição das desigualdades sociais e prevenção de doenças evitáveis (“Higéia”)

24 Referencias Rouquayrol MZ, Almeida Filho N. Epidemiologia e saúde. 6ª ed. Rio de Janeiro: Medsi, 2003.


Carregar ppt "Epidemiologia: Conceito e Definições – Um Breve Histórico Prof. Dra.Thalyta Cardoso Alux Teixeira UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E NUTRIÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google