A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Linux Prof. Fabio Santos, D.Sc

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Linux Prof. Fabio Santos, D.Sc"— Transcrição da apresentação:

1 Linux Prof. Fabio Santos, D.Sc

2 wc – é usado para contar linhas, palavras e bytes de um arquivo ou do que for escrito no terminal. Sintaxe básica – $ wc [opções] [arquivo] Opções – -c: Imprimir a contagem de bytes. – -l: Imprimir o número de linhas. – -w: Imprimir o número de palavras.

3 wc Exemplos Vamos usar, para estes exemplos, o conteúdo dos arquivos “arquivo1” e “arquivo2”, mostrados na explicação do comando cat. Para exibir o número de linhas do arquivo “arquivo1”, usaríamos: $ wc -l arquivo1 3 arquivo1 Para exibir o número de palavras e de bytes do arquivo “arquivo2”: $ wc -wc arquivo arquivo2

4 wc Exemplos Se usássemos o comando wc sem nenhuma opção para “arquivo1”, obteríamos: $ wc arquivo arquivo1 onde o primeiro número é a contagem de linhas, o segundo, de palavras, e o terceiro, o de bytes

5 Pipe e redirecionamento de entrada e saída.

6 | (Pipe) É usado para fazer encadeamento de processos, ou seja, faz com que a saída de um comando seja enviada como entrada para o próximo comando. Observe o exemplo a seguir para entender melhor: $ cat arquivo1 arquivo2 | wc –l 5 Após a execução deste comando, a saída foi redirecionada para o próximo comando, isto é, o resultado da execução de “cat arquivo1 arquivo2” não foi impressa, mas sim serviu como entrada para o próximo comando, “wc -l” que contou o número de linhas e imprimiu este resultado no terminal.

7 | (Pipe) Vamos mostrar agora um exemplo mais interessante: ls -1 | wc –l 13 O comando antes do pipe lista o conteúdo do diretório atual, exibindo um item por linha.

8 | (Pipe) Se executássemos apenas este comando, obteríamos o seguinte resultado: Mas em vez desta saída ser impressa, ela foi direcionada ao comando “wc -l”, que contou o número de linhas = 13.

9 > > – Esta é uma outra forma de direcionar a saída de um comando: diferente do |(pipe), que direcionava a saída de um comando para um outro programa ou comando. – O > direciona a saída de um comando para um arquivo ou dispositivo.

10 > Exemplos O comando a seguir redireciona a saída de “cat arquivo1” para um arquivo chamado “arquivo3”: Observe que o arquivo “arquivo3” não existia, foi criado quando da execução do comando “cat arquivo1 > arquivo3”. Se o arquivo “arquivo3” já existisse, seu conteúdo seria sobrescrito.

11 >> O >>, assim como o >, também direciona a saída de um comando para um arquivo, a diferença ´e que ele não substitui o conteúdo do arquivo, mas acrescenta ao final.

12 Exercícios Treine os redirecionamentos |, > e >>

13 Links Links, em inglês significa ligação, no nosso caso são atalhos, servem principalmente para criar alternativas de paths para arquivos e programas Imagine por exemplo um arquivo de texto localizado no diretório, /home/aluno/Documentos/ com o nome de texto.txt, para editarmos este arquivo usamos o editor Vi, então sempre que formos abrir este texto deveremos digitar no console: Vi /home/aluno/Documentos/texto.txt

14 Links É um caminho grande e de difícil memorização concorda? Agora se criarmos um link ficaria muito mais fácil pois sempre que formos abrir este texto pelo atalho basta digitar: Vi ~/texto.txt

15 Links Os links mais comuns são chamados de symbolic links, (links simbólicos). São tipos de links que se referem a arquivos pelo seu nome. A criação de links simbólicos é feita utilizando o comando ln com a opção –s ln –s /home/aluno/texto.txt ~/ Agora o arquivo de texto texto.txt tem um link na sua home, experimente agora utilizar o comando vi texto

16 Instalando programas pela linha de comando

17 apt-get Já estudamos como instalar programas usando o Synaptic, agora veremos como fazer isso através da linha de comando. Para isso, utilizaremos uma ferramenta chamada apt- get

18 apt-get Tanto o Synaptic quanto o apt-get são baseados no APT (Advanced Packaging Tool), que é um gerenciador de pacotes que permite instalar e atualizar programas de forma prática, resolvendo dependências automaticamente Com o apt-get é possível, portanto, instalar, remover e atualizar programas

19 apt-get Para usar o apt-get, o primeiro passo é rodar o comando “apt-get update”, que faz com que o apt-get baixe a lista com os pacotes disponíveis Este comando deve ser executado periodicamente. O ideal é que seja usado uma vez por semana, ou sempre que for fazer alguma instalação importante: $ sudo apt-get update Depois disso, podemos instalar os programas desejados, usando a seguinte sintaxe: $ sudo apt-get install [nome do programa] Exemplo – $ sudo apt-get install emacs

20 apt-get Para desinstalar um programa, também é muito simples: $ sudo apt-get remove [nome do programa] Existe a opção de atualizar todo o sistema, o que é feito usando os comandos: $ sudo apt-get update $ sudo apt-get upgrade $sudo apt-get update: atualiza as listas dos pacotes/softwares que estão nos repositórios. $sudo apt-get upgrade: atualiza todos os pacotes/softwares instalados na máquina com as versões mais recentes dos repositórios

21 apt-get Repositórios de Pacotes do Ubuntu –

22 Exercício Acesse o site do repositório de pacotes do Ubuntu e busque algum programa para instalar por meio do apt-get

23 Comandos de Compactação/Descompactação

24 tar – É usado para se compactar/descompactar arquivos no formato tar.gz ou tar.bz2 Sintax Básica – tar [opção] [arquivo] Opções – -c cria um arquivo do tipo tar – -x extrai um arquivo do tipo tar – -t lista um arquivo do tipo tar – -f especifica que o próximo parâmetro é o nome o do arquivo – -z compacta ou extrai um arquivo do tipo GunZip – -j compacta ou extrai um arquivo do tipo Bzip – -v exibi informações sobre os arquivos extraídos ou compactados

25 tar Exemplos tar -zcvf exemplo.tar.gz exemplo/ tar -zxvf exemplo.tar.gz

26 Exercícios Crie um arquivo no /home/aluno Em seguida compacte o diretório criado com o comando tar. Pesquise sobre o gzip outra ferramenta que pode ser usada para compactação/descompactação no Linux

27 Gerenciamento de Processos

28 top Por ter muita experiência com travamentos, o Windows desenvolveu um sistema muito eficiente de gerenciamento manual de processos para usuários No Ubuntu, quando queremos matar um processo de maneira mais efetiva recorremos ao comando top

29 top

30 – É um gerenciador de tarefas que funciona no terminal. – Existem várias opções para uso deste programa, mas a ideia aqui será apenas apresentar sua funcionalidade em matar processos – Depois de entrar no top, o usuário deve digitar a letra “k” referente ao comando “kill” e digitar o PID do processo que deseja matar.

31 top PID é uma sigla para Process Identification, é o número único que o processo recebe quando é iniciado, um PID não é exclusivo de um programa. Na imagem mostrada, caso quiséssemos matar o processo “rhythmbox” deveríamos digitar k e em seguida 3551 já que este é o PID do rhythmbox

32 ps – Lista os processos sendo executados no bash atual

33 ps Para obtermos uma listagem mais completa utilizamos a opção “ps u” veja abaixo

34 ps para listarmos todos os processos que estão sendo executados, (não os processos exclusivos do shell atual) utilizamos a opção “ps aux”.


Carregar ppt "Linux Prof. Fabio Santos, D.Sc"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google