A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Quantos somos e onde vivemos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Quantos somos e onde vivemos."— Transcrição da apresentação:

1 1 Quantos somos e onde vivemos

2 População brasileira 1 Colheita de tabaco (RS) 2 Família caiçara (RN)
DELFIM MARTINS/PULSAR Colheita de tabaco (RS) 2 Professor: convide os alunos à leitura das imagens para avaliar o grau de conhecimento da classe sobre os assuntos que serão tratados nesta unidade. Essas fotos complementam a atividade do slide 4. JUCA MARTINS/OLHAR IMAGEM Família caiçara (RN) O que você já sabe

3 População brasileira 3 Rua comercial, Itajaí (SC)
PAULO LIEBERT/AE Rua comercial, Itajaí (SC) Membros de família do quilombo Cafundó, Salto do Pirapora (SP) 4 MARCELO SOKAL/FERRO FOTOS Professor: a imagem 3, que não se encontra no caderno impresso, mostra a família do quilombo Cafundó dançando jongo. Essas fotos complementam a atividade do slide 4. O que você já sabe

4 População brasileira 5 6 Fábrica de plástico, Igaratiba (SP)
JUCA MARTINS/PULSAR LUIZ ABREU/NEXTFOTO Professor: com base nas imagens deste e dos slides 2 e 3, peça aos alunos que respondam às questões de 1 a 3. 1. Forme grupo de imagens utilizando seus números para representar: a) população rural 1, 2 e 3 b) população urbana 4, 5 e 6 c) diferentes atividades 1 – agricultura; 2 – pesca; 4 – comércio; 5 – indústria 2. Em quais regiões do Brasil essas pessoas vivem? 1, 4 e 6 – região Sul; 2 – região Nordeste; 3 e 5 – região Sudeste 3. Toda a população brasileira tem a mesma condição de vida? Não Fábrica de plástico, Igaratiba (SP) Moradores de rua, Porto Alegre (RS) O que você já sabe

5 Países mais populosos do mundo
Professor: o censo demográfico brasileiro de 2000 registrou cerca de 170 milhões de habitantes. Esse número faz do Brasil o quinto país mais populoso do mundo. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 1. Quantos somos e onde vivemos

6 Pesquisas sobre população
Para calcularmos a densidade demográfica de uma localidade, dividimos o número da população pela extensão territorial. Professor: apesar de ter uma população bastante numerosa, o Brasil não está entre os países mais povoados. Isso ocorre porque a grande extensão territorial brasileira resulta numa baixa densidade demográfica, isto é, um baixo número de habitantes por km2. 1. Quantos somos e onde vivemos

7 Crescimento da população brasileira
Professor: no Brasil, o órgão responsável pelo censo demográfico é o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1. Quantos somos e onde vivemos

8 Distribuição da população pelo território
Professor: observando o mapa, mostre aos alunos a distribuição irregular da população pelo território brasileiro. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 1. Quantos somos e onde vivemos

9 Brasil: população, área e densidade demográfica por região
A atual distribuição da população brasileira reflete a desigualdade econômica entre as regiões. 1. Quantos somos e onde vivemos

10 Distribuição da população por estado
Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. Dados de 2000 1. Quantos somos e onde vivemos

11 Desenvolvimento demográfico brasileiro
Até o século XIX: baixo crescimento populacional devido à elevada taxa de mortalidade Fim do século XIX até meados do XX: o crescimento populacional intensificou-se por causa dos fluxos migratórios e das altas taxas de natalidade. Fim do século XX até os dias atuais: diminuição no ritmo de crescimento populacional, principalmente pelo uso de métodos contraceptivos e pelas mudanças socioeconômicas. Taxa de crescimento da população brasileira, de 1970 a 2000 1. Quantos somos e onde vivemos

12 Pirâmide etária A pirâmide etária é um tipo de gráfico que representa os dados do crescimento da população masculina e feminina por idades. 1. Quantos somos e onde vivemos

13 Leia o mapa 1. Quantos somos e onde vivemos
Professor: peça aos alunos que observem a imagem e respondam às questões 1 e 2. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 1. Onde está concentrada a maior parte da população brasileira? No litoral do país 2. Quais são os fatores responsáveis por essa concentração? Explique sua resposta, lembrando os conteúdos trabalhados na unidade 1. Os principais fatores são históricos, já que a colonização do Brasil foi feita a partir do litoral. Nessa faixa do território concentram-se as principais cidades e atividades econômicas do país. 1. Quantos somos e onde vivemos

14 Leia o gráfico A taxa de crescimento vegetativo de uma região ou país é a diferença entre as taxas de natalidade e de mortalidade. Ela é considerada um dos fatores de medição do desenvolvimento Professor: peça aos alunos que observem o gráfico e respondam às questões 1 e 2. (A resposta será aproximada, pois o gráfico não permite uma visualização precisa de valores.) 1. Calcule o crescimento vegetativo das regiões brasileiras. Região Norte: 19%; região Nordeste: 13,5%; região Sudeste: 10%; região Sul: 9%; região Centro-Oeste: 13%. 2. Quais regiões brasileiras apresentam uma situação socioeconômica melhor? Explique sua resposta. As regiões Sudeste e Sul. Os índices de mortalidade baixos e os de natalidade não muito elevados indicam maior acesso aos serviços de saúde e à educação. 1. Quantos somos e onde vivemos

15 2 Diversidade da população brasileira

16 Mistura étnica Canta Brasil As selvas te deram nas noites teus ritmos bárbaros Os negros trouxeram de longe reservas de pranto Os brancos falavam de amores em suas canções E dessa mistura de vozes nasceu o teu canto Alcir Pires Vermelho/David Nasser. Canta Brasil. In: Meu nome é Gal. Universal Music, 1989. Professor: a influência de povos vindos de muitos lugares diferentes faz com que a população brasileira seja bastante diversificada. Essa multiplicidade aparece em características culturais, como língua, religião, música, hábitos alimentares e também nas características físicas das pessoas, como cor da pele e cabelos, estatura etc. 2. Diversidade da população brasileira

17 Indígenas Parte da população indígena brasileira vive em áreas protegidas demarcadas pela União. HAROLDO PALO JR. Professor: por União entende-se o conjunto das unidades federativas (estados e Distrito Federal). Quem age em nome da federação representa a União. TUCA VIEIRA/FOLHA IMAGEM Há indígenas que vivem aculturados nas cidades, muitos em precárias condições de vida. 2. Diversidade da população brasileira

18 Africanos Capoeira: arte marcial brasileira de raízes africanas
STEFAN KOLUMBAN/PULSAR IMAGENS Professor: aproximadamente 4 milhões de africanos foram trazidos para trabalhar como escravos no Brasil entre os séculos XVI e XIX. Essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra uma das influências dos africanos na cultura brasileira. Capoeira: arte marcial brasileira de raízes africanas 2. Diversidade da população brasileira

19 Comunidades remanescentes de quilombos
Professor: hoje, cerca de 2 milhões de descendentes de negros escravizados vivem nas comunidades remanescentes de quilombos – oficialmente foram identificadas cerca de mil comunidades. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 2. Diversidade da população brasileira

20 Imigração para o Brasil
COLEÇÃO GAENSLY & UNDEMANN Professor: entre meados dos séculos XIX e XX, muitos imigrantes europeus (em especial portugueses, italianos, espanhóis e alemães) e asiáticos (sírios, libaneses, japoneses, entre outros) contribuíram para o povoamento do Brasil. O navio San Gottardo chega a Santos trazendo imigrantes italianos no final do século XIX. 2. Diversidade da população brasileira

21 Portugueses DELFIM MARTINS/PULSAR IMAGENS Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra uma das mais significativas cavalhadas do país. Essa manifestação folclórica, trazida pelos jesuítas com autorização da Coroa, é uma representação simbólica da luta dos cristãos, liderados por Carlos Magno, contra os mouros, que invadiram a Península Ibérica. Cavalhada na Festa do Divino, Pirenópolis (GO): tradição portuguesa no Brasil 2. Diversidade da população brasileira

22 Italianos FERNANDO MORAES/EDITORA ABRIL Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra uma das mais tradicionais festas italianas no bairro do Bixiga, em São Paulo. No início do século XX, os imigrantes italianos devotos de Nossa Senhora Achiropita organizaram a festa para angariar fundos destinados à construção de uma igreja. O evento ocorre todos os anos, nos finais de semana de agosto. Festa de Nossa Senhora Achiropita: tradição italiana em São Paulo desde 1926 2. Diversidade da população brasileira

23 Alemães Pomerode (SC):‏ influência arquitetônica dos imigrantes alemães ROSICLER RIEGER/FERRO FOTOS 2. Diversidade da população brasileira

24 Japoneses JUCA MARTINS/OLHAR IMAGEM Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra o Festival das Estrelas, ou Tanabata Matsuri, no bairro da Liberdade, em São Paulo. Trazida pelos imigrantes japoneses, essa festa é uma homenagem ao amor lendário entre a princesa Orihime e o pastor Kengyu. Bairro da Liberdade, núcleo da colônia japonesa na capital paulista 2. Diversidade da população brasileira

25 Eslavos Dança típica polonesa, Guarani das Missões (RS)
LEONID STRAELIAEV/NEXTFOTO Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra os preparativos de uma festa típica polonesa na cidade de Guarani das Missões, também conhecida como a capital polonesa dos gaúchos. Dança típica polonesa, Guarani das Missões (RS) 2. Diversidade da população brasileira

26 Mesquita árabe na cidade de São Paulo (SP)
Árabes GUSTAVO ROTH/FOLHA IMAGEM Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra a tradição religiosa preservada pelos imigrantes árabes e seus descendentes. Cerca de 40% dos árabes que vieram para o Brasil se fixaram em São Paulo. Mesquita árabe na cidade de São Paulo (SP) 2. Diversidade da população brasileira

27 Vista geral do departamento de imigração e colonização em 1911
Outras correntes migratórias MEMORIAL DO IMIGRANTE Professor: o Brasil também recebeu imigrantes espanhóis, russos, austríacos, turcos, franceses, húngaros, iugoslavos, norte-americanos, holandeses, chineses, coreanos, paraguaios, uruguaios, chilenos, argentinos, bolivianos, entre outros. Essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra a Hospedaria de Imigrantes, conjunto de prédios destinado a abrigar os imigrantes nos seus primeiros dias em São Paulo, de 1887 até Atualmente, funciona no local o Memorial do Imigrante. Vista geral do departamento de imigração e colonização em 1911 2. Diversidade da população brasileira

28 Distribuição da população segundo a cor
Professor: um dos aspectos levantados pelos censos demográficos no Brasil é a distribuição da população segundo “cor ou raça”. Para realizar esse levantamento, o IBGE apresenta cinco grupos definidos, de modo geral, pela cor da pele, para que as pessoas se autoclassifiquem. Peça aos alunos que analisem os dados do gráfico e da tabela e proponha o debate com o seguinte tema: “Brasil: uma democracia racial?”. 2. Diversidade da população brasileira

29 3 Os movimentos migratórios no Brasil

30 O que é migração e por que as pessoas migram
O meu pai era paulista Meu avô, pernambucano O meu bisavô, mineiro Meu tataravô, baiano… Chico Buarque. Paratodos. BMG Ariola, 1993. NETFALLS/SHUTTERSTOCK Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, ilustra o trecho de “Paratodos”. Os versos da canção de Chico Buarque podem caracterizar muitos brasileiros, pois mostram que as sucessivas gerações não permaneceram no estado em que nasceram. Pergunte aos alunos se isso aconteceu na família deles, isto é, se os pais, avós, bisavós e tataravós nasceram na mesma localidade (município, estado ou país) onde vivem atualmente. Em seguida, explique os seguintes conceitos: Migração: movimento populacional de uma localidade para outra, dentro de um país ou entre países. Emigração: deixar uma determinada área, região ou país. Imigração: chegar a uma determinada área, região ou país. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

31 Migrações 3. Os movimentos migratórios no Brasil
NOREBBO/SHUTTERSTOCK Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, ilustra que os movimentos migratórios podem ser externos ou internos. A migração externa ou migração internacional ocorre quando a população se desloca de um país para outro. Na migração interna a população se desloca dentro de um mesmo país, como de um estado para outro, ou de um município para outro dentro de um mesmo estado. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

32 Migração externa: imigração no Brasil
LULUDI/ÉPOCA/EDITORA GLOBO Professor: nos séculos XIX e XX, o Brasil recebeu um grande número de imigrantes europeus e asiáticos. Nos últimos anos, muitos estrangeiros se refugiaram no Brasil para escapar de conflitos em seus países, como os angolanos que se fixaram no Rio de Janeiro. Essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra bolivianos, peruanos e colombianos que, em sua maioria, moram na cidade de São Paulo. A feira dominical na praça Kantuta, na capital paulista, reúne muitos bolivianos. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

33 Migração externa: emigração brasileira
Professor: entre 1975 e 1979 muitos camponeses brasileiros dirigiram-se para o Paraguai em busca de terras produtivas a um menor custo. Já a emigração de brasileiros para os Estados Unidos e o Japão teve início em meados da década de 1980. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

34 Migração interna (1950-1970) 3. Os movimentos migratórios no Brasil
Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

35 Migração interna ( ) Tabela de estados com o maior número de migrantes em 2004 Professor: embora São Paulo continue sendo uma área de atração populacional, houve significativas saídas de pessoas desse local. Elas se referem à volta de migrantes a sua terra natal (migração de retorno) e à ida de paulistas para outros estados por causa, principalmente, da mudança de empresas de São Paulo para outras localidades. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

36 Migração interna: êxodo rural
O principal movimento migratório interno no Brasil, ao longo de várias décadas, se deu do campo para a cidade. Esse movimento é denominado êxodo rural. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

37 Migrações temporária e pendular
Migração temporária é o deslocamento populacional que ocorre em certos períodos do ano para lugares onde há trabalhos temporários. Migração pendular é o movimento diário de vaivém da população que se desloca da periferia para o centro de uma cidade, e vice-versa. CLAUS MEYER/TYBA Muitos projetos agrícolas fracassaram na tentativa de ocupar a Amazônia. Isso aconteceu porque o solo, após o desmatamento, tornou-se improdutivo. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

38 Aplique seu conhecimento
Professor: as setas no mapa indicam os diferentes movimentos da população. Peça aos alunos que escrevam o nome de cada movimento. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 1 – Imigração externa, de bolivianos para a Amazônia e para São Paulo 2 – Emigração externa, de brasileiros para o Paraguai 3 – Migração interna, de nordestinos para o Sudeste (inter-regional) 3. Os movimentos migratórios no Brasil

39 Leia as fotos 3. Os movimentos migratórios no Brasil
MAURICIO SIMONETTI/PULSAR ALAOR FILHO/AE Professor: peça aos alunos que observem as imagens e respondam às questões 1 e 2. 1. Descreva as imagens. Resposta pessoal 2. Quais foram as mudanças na condição de vida desses migrantes? Explique sua resposta. Eles se adaptaram ao novo lugar e trouxeram consigo hábitos culturais que passaram a integrar a paisagem do lugar onde vivem atualmente. 3. Os movimentos migratórios no Brasil

40 4 A população e o trabalho no Brasil

41 População Economicamente Ativa (PEA)
Segundo o IBGE, fazem parte da PEA as pessoas que possuem entre 10 e 65 anos de idade e que estão trabalhando ou procurando emprego. Na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2005, os dados revelaram que o Brasil tinha 96 milhões de pessoas compondo a PEA (54,3 milhões de homens e 41,7 de mulheres). Professor: ao considerar pessoas em idade ativa, aquelas com 10 anos de idade ou mais, a metodologia do IBGE entra em desacordo com as disposições do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que proíbe qualquer trabalho de menores aos 16 anos de idade, exceto na condição de aprendiz a partir dos 14. 4. A população e o trabalho no Brasil

42 A mulher no mercado de trabalho
ZE ZUPPANI/PULSAR IMAGENS Professor: a participação feminina no mercado de trabalho cresce a cada ano, fazendo com que o número de mulheres na PEA esteja próximo ao de homens. A situação de trabalho, no entanto, é bastante desigual entre os sexos. Essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra uma das atividades do trabalho doméstico no Brasil. As mulheres que o desempenham são classificadas como “economicamente inativas”. Cerca de 20% das mulheres brasileiras encontram-se fora da PEA, fazendo trabalhos domésticos. 4. A população e o trabalho no Brasil

43 A PEA e a distribuição de renda
Professor: a renda per capita brasileira em 2004 foi de cerca de dólares. Isso, no entanto, não reflete a distribuição real de toda a riqueza produzida no Brasil. A maior parte dela se concentra nas mãos de uma parcela reduzida da população. 4. A população e o trabalho no Brasil

44 O desemprego e seus fatores
Os fatores conjunturais estão ligados às crises econômicas. Nos períodos recessivos, há queda na produção e perda de vários postos de trabalho. IRMO CELSO/EDITORA ABRIL Os fatores estruturais correspondem aos avanços tecnológicos que substituem a mão de obra humana por máquinas e robôs. Professor: a imagem à esquerda, que não se encontra no caderno impresso, mostra o detalhe da placa de “Não há vagas” da empresa Wheaton do Brasil S/A. Na imagem à direita, estão os robôs em uma fábrica de automóveis em São José dos Pinhais (PR). RICARDO AZOURY/OLHAR IMAGEM 4. A população e o trabalho no Brasil

45 Novas profissões OPÇÃO BRASIL Professor: ferramenteiros, fresadores e tipógrafos estão sendo substituídos por operadores de equipamentos computadorizados. Web designers, por exemplo, representam uma nova profissão que envolve a criação de páginas de internet atrativas e de fácil navegação. A mecanização e a automação dos processos produtivos fazem desaparecer algumas profissões e dão origem a outras. 4. A população e o trabalho no Brasil

46 Trabalho na economia informal
JUCA MARTINS/OLHAR IMAGES Professor: essa imagem, que não se encontra no caderno impresso, mostra o comércio praticado pelos camelôs na capital paulista. A economia informal tornou-se uma “saída” para o desemprego e para a pouca qualificação profissional e baixo grau de instrução de boa parte dos trabalhadores brasileiros. Camelô expondo diversos produtos na calçada, São Paulo (SP) 4. A população e o trabalho no Brasil

47 Trabalho infantil: região Norte
Total de crianças (5 a 17 anos) ocupadas: ANTONIO GALDÉRIO/FOLHA IMAGEM Meninos garimpeiros (RO) 4. A população e o trabalho no Brasil

48 Trabalho infantil: região Nordeste
Total de crianças (5 a 17 anos) ocupadas: PATRÍCIA SANTOS/FOLHA IMAGEM Criança quebrando coco de babaçu (MA). 4. A população e o trabalho no Brasil

49 Trabalho infantil: região Centro-Oeste
Total de crianças (5 a 17 anos) ocupadas: SALOMON CYTRYNOWICZ/OLHAR IMAGEM Menino trabalhando em carvoaria (GO). 4. A população e o trabalho no Brasil

50 Trabalho infantil: região Sudeste
Total de crianças (5 a 17) ocupadas: TUCA VIEIRA/FOLHA IMAGEM Menina vendendo bala (SP). 4. A população e o trabalho no Brasil

51 Trabalho infantil: região Sul
Total de crianças (5 a 17 anos) ocupadas: ORMUZD ALVES/FOLHA IMAGEM Criança em colheita de algodão (PR) 4. A população e o trabalho no Brasil

52 Comércio de rua em Recife (PE)
Leia a foto DELFIM MARTINS/PULSAR DELFIM MARTINS/PULSAR Professor: peça aos alunos que observem a imagem e respondam às questões de 1 a 3. 1. Descreva os elementos que compõem a foto. Resposta pessoal 2. Que tipo de trabalho é predominante na fotografia? Na foto, predomina o trabalho informal. 3. Quais são os principais motivos que levam os trabalhadores a buscar o mercado de trabalho informal no Brasil, em especial nos grandes centros urbanos? Explique sua resposta. Baixa qualificação profissional, baixa escolaridade e falta de vagas no mercado de trabalho são as principais causas do trabalho informal. A falta de qualificação dessas pessoas e a recessão no mercado de trabalho dificultam o acesso a empregos formais. Comércio de rua em Recife (PE) 4. A população e o trabalho no Brasil

53 Debate na geografia Muro pichado por integrantes de movimento racista
NIELS ANDREAS/FOLHA IMAGEM Professor: com base na imagem, discuta temas relacionados ao racismo e intolerância à diferença. Proponha o debate com o seguinte título “Você concorda com os dizeres dessa pichação? Por quê?” Muro pichado por integrantes de movimento racista Atividades integradas

54 Introdução à análise de mapa temático
O mapa qualitativo mostra uma característica especial que ocorre na superfície terrestre, como os mapas de vegetação e os climáticos. Professor: no mapa temático, temas como população, geologia, vegetação, uso do solo etc. são representados por cores e símbolos em uma base topográfica, política e hidrográfica. Esse tipo de mapa pode ser qualitativo ou quantitativo. Mapas qualitativos mostram uma característica especial que ocorre na superfície terrestre, por exemplo, os de vegetação e os climáticos. Já os mapas quantitativos, conforme mostrado no slide a seguir, representam a distribuição espacial de um determinado fenômeno. Obs.: as escalas indicadas se referem aos mapas impressos no caderno e podem variar em função das configurações do computador. Alfabetização cartográfica

55 Introdução à análise de mapa temático
O mapa quantitativo mostra uma característica especial que ocorre na superfície terrestre, como o mapa de fluxo migratório. Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. As transformações ou movimentos são representados em mapas por setas. A espessura delas varia conforme a quantidade ou o volume dos fenômenos representados. Alfabetização cartográfica

56 Leia o mapa Alfabetização cartográfica
Professor: peça aos alunos que observem a imagem e respondam às questões de 1 a 3. Obs.: a escala indicada se refere ao mapa impresso no caderno e pode variar em função das configurações do computador. 1. Que tipo de mapa é esse? Explique sua resposta. É um mapa temático quantitativo. Ele representa um tema, que é a densidade demográfica do Brasil, volume da população distribuído em uma área. Esse tema é representado numa base política. 2. De que maneira as informações do mapa foram representadas? As informações foram definidas pela determinação de faixas de valores da densidade da população e representadas por uma escala de cores, utilizando a diversidade de tons. Os tons mais escuros representam maior densidade, e os mais claros, menor densidade. 3. Faça uma análise da densidade da população por regiões. A região Centro-Sul do país é a que apresenta maior densidade demográfica, e sua população é mais bem distribuída. A região Nordeste possui maior densidade ao longo do litoral, escasseando em direção ao interior. Já a região Norte apresenta maior densidade somente nas capitais dos estados e seu interior tem densidade bastante baixa. Alfabetização cartográfica

57 Leia os mapas Alfabetização cartográfica
Professor: peça aos alunos que observem as imagens e respondam à questão 1. Obs.: as escalas indicadas se referem aos mapas impressos no caderno e podem variar em função das configurações do computador. 1. Há relação entre esses mapas e o de densidade demográfica, no slide anterior? Observando os três mapas percebemos que eles possuem algumas relações. A área de Mata Atlântica, que se estende do Nordeste ao extremo sul do país, possui maior densidade demográfica e maior e mais complexa rede de transportes. Isso revela a história da formação territorial do Brasil, que, desde o início de sua colonização, explorou essa área com diversas atividades econômicas, do pau-brasil ao café. Já a região Norte do país, possuidora da vasta Floresta Amazônica, levou mais tempo para ser ocupada. Isso pode ser demonstrado pela fraca densidade demográfica e pela pequena complexidade da rede de transportes. Alfabetização cartográfica

58 Território e população
Professor: com base na imagem, proponha aos alunos as questões de 1 a 8. 1. Reveja a tabela de crescimento da população brasileira e retome o conceito de país povoado e populoso. 2. Recorde os conceitos de densidade demográfica e reveja a distribuição da população nas regiões brasileiras. 3. Recorde os conceitos de taxa de natalidade e de mortalidade. 4. Reveja a composição da população brasileira segundo sexo, idade e expectativa de vida. 5. Retome a composição étnica da população brasileira. 6. Recorde os conceitos de imigração, emigração e migração. 7. Recorde o conceito de êxodo rural e relacione-o com o crescimento da população urbana no Brasil. 8. Reveja o conceito de PEA e relacione-o com o crescimento do trabalho informal. Inforresumo


Carregar ppt "1 Quantos somos e onde vivemos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google