A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Economia e Administração Rural Aulas 14 e 15. TESTE: VOCÊ É LIGADO EM CONTAS E CUSTOS? Escolha uma única alternativa que achar correta. Faça suas contas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Economia e Administração Rural Aulas 14 e 15. TESTE: VOCÊ É LIGADO EM CONTAS E CUSTOS? Escolha uma única alternativa que achar correta. Faça suas contas."— Transcrição da apresentação:

1 Economia e Administração Rural Aulas 14 e 15

2 TESTE: VOCÊ É LIGADO EM CONTAS E CUSTOS? Escolha uma única alternativa que achar correta. Faça suas contas. Quando todos estiverem prontos respondemos juntos, colocando sua resposta no topo da cabeça.

3 1. Qual das condições abaixo é mais vantajosa para a compra de uma mercadoria? A.Por 80 reais, pagando-se mais 25% de acréscimo em taxas sobre esse valor; B.Por 120 reais, conseguindo-se 20% de desconto sobre esse valor; C.Ambas as condições são iguais.

4 2. Noventa minutos equivalem a: A.1,30 horas B.1,50 horas C.1,60 horas

5 3. 18 meses equivalem a: A.1,60 anos B.1,80 anos C.1,50 anos

6 4. Juros simples de seis por cento ao ano significam juros simples ao mês de: A.0,4 % B.0,5 % C.0,6 %

7 5. Um trator, a 5 Km/h, puxando um arado de dois metros de largura, não havendo perdas, demorará quanto tempo para lavrar 1 hectare? A.1,0 hora B.2,0 horas C.0,5 hora

8 6. Indexar custo em dólares oferece: A.Total garantia contra perdas inflacionárias; B.Nenhuma garantia contra perdas inflacionárias; C.Reposição parcial, com distorções, das perdas inflacionárias.

9 7. A forma (a maneira) como bens (tratores, galpões, cercas, etc) depreciam (perdem valor por uso) depende de: A.Seu valor; B.Seu tipo; C.Sua idade.

10 8. No sentido de administração, um “caixa” é: A.Uma máquina para registrar operações de vendas; B.Um recipiente de objetos; C.Registros sobre movimentações financeiras de uma empresa.

11 9. Você se relaciona com seus impostos: A.Fazendo Planejamento Tributário; B.Pagando tudo que o seu Contador indica; C.Pagando apenas o que você entende como necessário.

12 10. O valor da terra é: A.Sagrado e imutável; B.Muito variável; C.Mais um dos valores de Produção;

13 Gabarito 1.B 2.B 3.C 4.B 5.A 6. C 7.B 8.C 9.A 10.C

14 Interpretação 0 a 3 pontos: Vamos estudar bastante! Números, decididamente, não é o seu forte. 4 a 6 pontos: Você está bem encaminhado, mas fazer bastante exercícios com números, será muito útil para você. 7 a 8 pontos: Parabéns, você está quase pronto para o intrincado diário com números necessários ao administrador rural. 9 e 10 pontos: Excelente! Para você contas e matemática certamente são um prazer.

15 Mãos a obra?!!!

16 O administrador rural O Agronegócio é a maior indústria do Brasil (em abril 50% do PIB) e o administrador é o único profissional capaz de apresentar um diagnóstico gerencial dos agentes sociais e econômicos que compõem a sua cadeia produtiva. Todas as pessoas que dirigem uma ou mais explorações agrícolas, são consideradas como administradores, no entanto, nem todas são bons administradores, por falta de conhecimento necessário à ciência administrativa (OLIVEIRA, 1969).

17 Evolução do administrador rural Chácara Pequenas produções subsistência e comércio de excedentes Sem Administração Sítio Produções organizadas com alguma escala comercial Administração familiar incipiente Fazenda Grandes produções especializadas Administração Familiar em transição Gestão Empresarial Agropec. Grandes escala em várias fazendas – Grandes Grupos Administração Centralizada e Gestão Empresarial Agroindústria Profissionalismo

18 O administrador rural O administrador tem que despertar em todos os colaboradores o sentimento que só há um crescimento individual com o crescimento da organização. Algumas empresas rurais que são administradas por profissionais observaram que com a oferta de participação nos lucros da empresa, viu-se um melhor aproveitamento de recursos produtivos, pois quanto mais o colaborador produzir mais lucro a empresa terá e com isso ele também ganhara. (SILVA, 2008)

19 Todo administrador de uma empresa rural deve estar a par dos processos da agricultura, da zootecnia e das indústrias rurais (OLIVEIRA, 1969), por isso devem procurar se munir de bons livros atualizados, revistas técnicas, boletins especializados em assuntos rurais, etc. O principal papel do administrador rural é planejar, controlar, decidir e avaliar resultado, visando à maximização dos lucros, à permanente motivação e ao bem estar de seus empregados (CALLADO, 2008). O administrador rural

20 Na administração rural é fundamental que o administrador trabalhe sempre pensando no mercado futuro, produzindo o necessário para atender a demanda do mercado interno e externo, e demonstrar que as empresas rurais dependem de outros elementos da cadeia produtiva, apresentando soluções para os problemas que venha ocorre no futuro. (SILVA, 2008) Os administradores do futuro devem zelar pela tão nobre profissão, construindo seus projetos com ousadia, sem esquecer a humildade e o espírito de liderança, pois só assim conquistaram o sucesso profissional almejado (SILVA, 2008). O administrador rural

21 O administrador rural nas tomadas de decisões Atualmente a agricultura brasileira desempenha um grande papel social, produzindo efeitos multiplicadores em toda sociedade com geração dos mais diversos produtos agrícolas e pecuários, tendo a responsabilidade do abastecimento alimentar da população do país. Para que isso ocorra é necessário que exista uma harmonia entre as atividades que acontecem dentro das propriedades rurais com aquelas existentes quando os produtos atravessam as suas porteiras com destino aos centros de consumo. O administrador de uma propriedade rural precisa conhecer profundamente esta interrelação para as suas tomadas de decisões. De acordo com Souza (1988) a administração é uma ciência e também uma arte. Ciência porque possui um referencial teórico próprio, possível de ser tratado pelo método cientifico e arte porque inclui, na resolução dos problemas que surgem na condução das organizações, habilidade, sensibilidade e intuição. A administração rural é considerada um dos ramos de ciência administrativa.

22 O administrador rural nas tomadas de decisões Conforme Lima (1982), a administração rural estuda os processos racionais das decisões e ações administrativas em organizações rurais. E de acordo com Andrade (1985), ao considerar a administração rural como um ramo da ciência administrativa, o administrador deve utiliza as suas teorias, desde a abordagem clássica de Taylor e Fayol à moderna teoria do desenvolvimento organizacional. Assim, as áreas empresariais (produção, marketing, recursos humanos e finanças) e as funções administrativas (planejamento, organização, direção e controle) deverão ser igualmente consideradas e analisadas como um todo sistêmico em uma propriedade rural.

23 O administrador rural nas tomadas de decisões Mas, o setor agrícola apresenta algumas características peculiares, que dificulta o administrador na suas tomadas de decisões, e que o distingue dos demais setores da economia: a)dependência do clima: o clima condiciona a implantação e o manejo da maioria das explorações agropecuárias. Determina épocas de plantio, tratos culturais, colheitas, escolha de espécies, vegetais e animais; b)tempo de produção maior que o tempo de trabalho: o processo produtivo agropecuário se desenvolve, em algumas de suas fases, independentemente da existência do trabalho;

24 O administrador rural nas tomadas de decisões c)produtos perecíveis: diversos produtos agrícolas e pecuários são perecíveis, o que condiciona a utilização de técnicas especificas de conservação e de planejamento da produção e da distribuição; d)dependência de condições biológicas: não se pode alterar a seqüência da produção, como por exemplo interromper uma lavoura de milho para obter soja; e)terra como participante da produção: a terra participa diretamente do ciclo produtivo, é importante conhecê-la, analisá-la em suas condições químicas, físicas, biológicas e topográficas;

25 O administrador rural nas tomadas de decisões f)estacionalidade da produção: a dependência do clima e as condições biológicas determinam a estacionalidade da oferta, ou seja, épocas em que ocorrem excesso ou falta de produtos; g)trabalho disperso e ao ar livre: as atividades estão dispersas por toda a empresa, podendo ocorrer em locais distantes um do outro; h)incidência de risco: toda e qualquer atividade econômica está sujeita a risco, mas na agropecuária os riscos são maiores, pois as explorações podem ser afetadas por problemas causados pelo clima, pragas e flutuação dos preços dos produtos (riscos climáticos, biológicos e econômicos); e i)sistema de competição econômica: existência de um grande numero de produtores e consumidores, com pequenas diferenças entre os produtores. – Evolução com commodities globalizadas.

26 Hoje a concorrência é global

27 O administrador rural nas tomadas de decisões Podemos observar que os efeitos dessas características, isoladas ou em conjunto, é mais prejudicial do que benéfico. O administrador rural deve assumir ações administrativas eficazes para diminuir esses efeitos. Para isso, é necessário conhecer claramente quais são os objetivos gerais e específicos da empresa rural. Os objetivos gerais são definidos pelo proprietário e se referem à empresa como um todo e os específicos se relacionam às diversas áreas funcionais da empresa e devem ser integrados entre si. Após conhecer claramente esses objetivos, o administrador rural precisa estabelecer estratégias, mobilizando todos seus recursos, analisando e identificando as oportunidades e ameaças do ambiente e os pontos fortes e fracos de sua propriedade rural. É necessário planejar antes de agir.

28 O administrador rural nas tomadas de decisões Planejar é decidir antecipadamente o que deve ser feito, levando-se em conta as condições da propriedade rural e do contexto da mesma. Todo planejamento deve ser bastante flexível para atender às constantes mudanças que ocorrem, não somente nas condições internas da empresa rural, como também, nos ambientes: geral e operacional. O planejamento estratégico prevê a ação da empresa em face às variáveis do ambiente e deve efetuar uma análise global que considere todas as explorações, atuais e futura, e as possíveis interrelações entre elas. O planejamento gerencial procura articular o planejamento estratégico com a sua execução. E o planejamento operacional se volta as condições internas da empresa, geralmente em curto prazo.

29 O administrador rural nas tomadas de decisões O administrador rural deve tomar decisões no sentido de fazer toda a propriedade rural funcionar, visando alcançar seus objetivos e acima de tudo sobreviver e se desenvolver. Quando ele alcança os objetivos propostos, consegue não somente visualizar os aspectos internos da propriedade rural, como também, identificar e agir, quando possível, sobre as variáveis do ambiente. Atuando dessa forma, ele consegue resolver os problemas corriqueiros e os de grandes repercussões. A solução dos problemas pode ser alcançada com a utilização das habilidades que são a transformação de conhecimentos em ações. De acordo com estudiosos sobre o assunto, essas habilidades não são necessariamente inatas às pessoas, mas podem ser desenvolvidas. São divididas em três categorias:

30

31

32

33 O administrador rural nas tomadas de decisões a)habilidade técnica – é o conhecimento técnico especializado utilizado no processo produtivo. Exemplos: preencher instrumentos de controle, colher e beneficiar produtos, efetuar inseminação artificial e regular uma plantadeira; b)habilidade humana – é a capacidade das pessoas trabalharem umas com as outras. É facilitada pela comunicação clara e bilateral e pela descrição das tarefas; e c)habilidade conceitual – é a capacidade que o administrador rural tem de visualizar a sua propriedade como um sub-sistema, composto por partes que se interrelacionam entre si, e também, com um sistema maior, os ambientes operacionais em geral. Essa habilidade se apresenta quando o administrador rural percebe a hora de vender, o que explorar e as tendências de mercado.

34 Tipos de Organogramas EmpregadoProprietárioEmpregado O proprietário ombro a ombro com os empregados.

35 Tipos de Organogramas Proprietário Empregado Organização mais simples.

36 Tipos de Organogramas Uma organização agrícola. Proprietário Assist. Técnica Assist. Contábil Encarregado Fiscal Encarregado Máquinas Fiscal Tratorista Turma

37 O administrador rural nas tomadas de decisões O administrador rural precisa colocar em prática as suas habilidades para facilitar no seu processo decisório. A primeira exigência é a identificação do problema que podem assumir várias formas. Conforme Morais (1986), se os tipos de problemas são variados, assim serão também os modos de resolve-los. Se complexos, exigem ser resolvidos por partes no processo de tomada de decisões, avança-se passo a passo.

38 O administrador rural nas tomadas de decisões Os problemas e as decisões de uma propriedade rural podem ser divididos em: a)estratégicos – são aqueles que envolvem a empresa como um todo: seus objetivos, seus recursos de produção e outros mais; b)gerenciais – são os referentes à definição da tecnologia, orçamento, locação de benfeitorias e áreas de exploração, dentre outros; e c)operacionais – são específicos, referindo-se, por exemplo, à quebra de uma maquinário, à necessidade de compra ou de realização de determinado serviço.

39 O administrador rural nas tomadas de decisões A busca de alternativas para os problemas é a fase que exige mais tempo de um administrador rural e a que mais contribuirá para uma decisão acertada. Elas devem ser mais detalhadas possíveis e sempre com informações a respeito dos custos e benefícios de cada uma. Se o problema é estratégico as alternativas serão buscadas no ambiente da própria propriedade rural, onde o administrador rural deverá identificar todas as oportunidades e ameaças que poderão interferir ou influenciar no problema. Se o problema é gerencial ou operacional as alternativas estão contidas basicamente na tecnologia e na própria estrutura e recursos da propriedade rural (físicos, humanos e materiais).

40 O administrador rural nas tomadas de decisões Tendo o administrador rural as alternativas de solução de um problema, é necessário agora analisar qual delas será a melhor tomada de decisão. É interessante escrever cada alternativa e fazer as análises econômicas, técnicas, financeiras, sociais, políticas e legais de cada uma delas. O administrador rural tem que ficar sempre atento com as variáveis ambientais que podem influenciar na sua decisão. É preciso valer de todas as técnicas de decisão, de programação e de avaliação existentes. Depois de levantadas e analisadas todas as alternativas, é necessário escolher uma delas. O processo é progressivo, passo a passo, mas chega um momento que é preciso escolher entre as alternativas levantadas. Esse é o ponto-chave na tomada de decisão.

41 O administrador rural nas tomadas de decisões Depois de escolhida a alternativa e tomado a decisão, a preocupação agora é com as medidas ou procedimentos que o administrador tem que tomar para sua execução. É necessário um plano de ação, onde devem ser programadas todas as tarefas e operações a executar, relacionando os responsáveis para cada uma, com prazo de início e término. E para concluir, é importante o administrador rural, em todo esse processo, explicar para todos os envolvidos na execução do trabalho porque foi escolhida aquela decisão e porque tal linha de ação foi adotada. Assim, facilitará o apoio e conseqüentemente a execução do trabalho. Cumprindo cada etapa aqui apresentada, o administrador rural terá maior chance de alcançar o sucesso nas suas tomadas de decisões.

42 Referências CALLADO, Antonio André Cunha. Agronegócio. São Paulo Atlas, ANTUNES, Luciano Medici. Manual de administração rural: custos de produção. Agropecuária, SOUZA, R.;GUIMARÃES, J. M. P.; VIEIRA, G. MORAIS, V. A.; ANDRADE, J. G. de. A administração da fazenda: coleção do agricultor – economia. Rio de Janeiro: Globo, ANDRADE, J. G. Administração Rural: um novo enfoque ao seu ensino. São Paulo: Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural. Anais...,1985. v. 1. BARBOSA, Jairo Silveira. Administração rural a nível de fazendeiro. Nobel, MORAIS, V. A. Marketing Rural. Belo Horizonte: Informe agropecuário, v. 12, n. 143, nov OLIVEIRA, Cantalicio de Preto de. Economia da Administração Rural. Porto Alegre: Editora Sulina, 1969

43 O produtor rural do terceiro milênio O setor Agropecuário brasileiro, há mais de duas décadas, vem enfrentando enormes problemas de desenvolvimento e mesmo de subsistência devido às grandes mudanças que a economia mundial e, particularmente, a economia de nosso país vem sofrendo. Se por um lado a diminuição nas linhas de crédito disponíveis, associada às altas taxas de juros impostas ao pouco dinheiro que existe no mercado, vem dificultando enormemente a continuidade das atividades agropecuárias, por outro lado, a globalização da economia e a abertura dos mercados (principalmente a blocos como Mercosul nos anos 2000 e BRIC a partir de 2008) vêm fazendo com que os preços dos produtos primários caiam ainda mais, diminuindo a capacidade do produtor rural de autofinanciar as suas atividades produtivas.

44

45

46

47

48

49

50 O produtor rural do terceiro milênio Por isso, o produtor rural brasileiro que se acostumou a trabalhar, por décadas, com recursos disponíveis, a juros adequados a seu tipo de atividade, encontrou-se encurralado para continuar com sua produção. Deve ser somado a isso, a falta de conhecimentos “administrativos e gerenciais" desse setor, justamente causados por esses longos anos de falta de concorrência e de exigências de profissionalização dos profissionais que nele trabalhavam. Assim sendo, para que as atividades Agropecuárias possam continuar a serem desenvolvidas e nosso país com bons resultados, é fundamental que uma mentalidade “empresarial” seja levada ao homem do campo e que o termo “viabilidade econômica das atividades desenvolvidas” passe a ser o objetivo principal a ser alcançado por todos.

51 O objetivo de uma saudável administração rural está ligado ao bem-estar, à felicidade, à qualidade de vida do produtor rural, de sua família e de seus funcionários. E isto consegue-se, primeira com viabilidade econômica das atividades, com sobre de recursos, enfim, com dinheiro no bolso. Idealismo, realização profissional, altos níveis de produtividade, produtos de ótima qualidade, tudo isto, gostemos ou não, somente nos trará satisfação e bem-estar quando associado ao retorno econômico das atividades desenvolvidas.

52 O produtor rural do terceiro milênio Para atingirmos este que seria nosso objetivo final, nosso ideal, precisamos e devemos, fundamentalmente, mudar. Alguns de nós precisam mudar um pouco, outros bastante e outros muitíssimo. Mas, todos nós, precisamos mudar se desejamos transformar a forma que vivemos e o negócio com o qual trabalhamos. Se não fosse assim, se todos estivéssemos satisfeitos, se não houvesse necessidade de mudanças, não existiriam tantos livros e trabalhos sobre o tema. Mas todos nós sabemos também que mudanças são difíceis, aliás, são muito difíceis para todos. Existem resistências. Precisa-se vencer barreiras. Precisamos reconhecer que temos falhas, que cometemos erros, que somos incapazes de realizar algo.

53 “Lembre-se que evoluir, embora pareça a parte mais nobre da natureza, não é algo que faça parte da vontade do nosso ser, do nosso organismo, de nossos genes. Somente evoluímos por erros de cópia ou de recombinação de genes. Nosso ideal, inclusive refletido na religião é gerar seres, descendência a nossa imagem e semelhança. Portanto, é normal a dificuldade e as resistências em evoluir, em mudar.”

54 O produtor rural do terceiro milênio Quando falamos em evolução, em mudanças, em resistência, muitos dizem que, hoje em dia, é muito difícil manter-se atualizado e que é difícil ser “moderno”, pois vivemos em uma época de inúmeras mudanças, aonde a velocidade do progresso é capas de engolir-nos vivos. Mas será que esta é a verdade absoluta? Será realmente esta a realidade que nos cerca? Como podemos ver, no próximo gráfico, o século vinte, não foi o mais importante em termos de mudanças nos últimos 1000 anos. A grande maioria das coisas, objetos e serviços que usamos hoje em dia, todos os dias, e que são realmente importantes para nós, advêm de séculos passados.

55

56 O produtor rural do terceiro milênio Aliás, em termos de avanços significativos para a humanidade o século 17 foi quase tão promissor como o 20. O cinema, o raio-X, o telefone, a genética, o petróleo, o aço, a imunologia, e dezenas de outros avanços têm seus princípios, todos, desenvolvidos em séculos passados. A grande e real característica do século passado, a que devemos aproveitar e nos valer, é a velocidade de como os avanços novos e, principalmente, os já existentes, foram massificados, foram barateados e, hoje, chegam a um grande universo de usuários.

57 O novo paradigma do administrador rural: “não mais buscar máxima produção a qualquer custo, mas sim buscar a máxima relação custo X benefício nas atividades desenvolvidas.” EX ALGODÃO FAZ PROGRESSO

58 O produtor rural do terceiro milênio O conceito de quem é eficiente e quem é produtivo está totalmente superado. E isso vale para todas as áreas da economia, não apenas para o setor primário. Atualmente, é realmente eficiente apenas aquele que é economicamente viável, não tendo praticamente a menos importância a quantidade absoluta produzida. E este paradigma, este modelo, deve nortear todas as atitudes que iremos tomar daqui para a frente. Deverá dirigir todos os negócios que realizamos e vamos realizar. Nossa visão deverá sempre estar voltada para o objetivo final, para o real resultado das atividades que serão desenvolvidas.

59 Nos anos 2000 evoluímos ainda mais: Ambientalmente correta, Socialmente justa e economicamente viável

60

61 O produtor rural do terceiro milênio Para que o produtor, o empresário rural, possa atingir seu novo paradigma, seu novo modelo, é necessário uma formação básica multidisciplinas, que abranja não só áreas ligadas à administração e ao conhecimento de custos de produção. Não basta mais apenas saber produzir! Hoje em dia, é necessário que o administrador seja capaz de moldar, de adaptar sua empresa rural à realidade ágil e de oportunidades que o mundo atual oferece.

62 Formação básica do administrador rural moderno Custos de Produção (avaliação econômica) Análise de Resultados (atitudes a serem tomadas) Agro-qualidade (menos desperdício, mais eficiência) Informática (ferramenta para processar o volume de informações) Contemporaneidade (o mundo que nos cerca e o reflexo em nós) Políticas Governamentais (em que cenário teremos que trabalhar) Meio Ambiente (premissas e reflexos)

63 O timming da atividade “Quando é necessário mudar?” “Antes de ser necessário” “Quando for necessário mudar...” “Poderá ser tarde demais...” Claus Moller

64 O produtor rural do terceiro milênio Esta mensagem resume bem a filosofia da QUALIDADE TOTAL. Ou seja, devemos buscar a solução antes dos problemas ocorrerem. Buscar melhorias SEMPRE! O bom administrador não é aquele que resolve todos os problemas. Bom administrador é aquele que não os deixa acontecer. E para isso precisamos de tempo, para pensar e repensar nosso negócio. Como Qualidade Total é um tema ligado à postura, à filosofia e à forma de se comportar perante o negócio, obviamente que o fator mais importante para o seu sucesso são as pessoas, são os funcionários e colaboradores que fazem com que todo o negócio aconteça, afinal, são eles, cada um em seu papel na empresa, que executam todas as tarefas do dia-a-dia e são eles os responsáveis por prestar esse serviço de elevada qualidade em cada detalhe.

65 Logo para a empresa ter sucesso precisa de trabalho COOPERATIVO DE EQUIPE DE “TEAMWORK”


Carregar ppt "Economia e Administração Rural Aulas 14 e 15. TESTE: VOCÊ É LIGADO EM CONTAS E CUSTOS? Escolha uma única alternativa que achar correta. Faça suas contas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google