A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A c e i t a ç ã o O início da transformação A primeira impressão que temos quando pensamos em aceitar uma pessoa ou uma circunstância é de que estaremos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A c e i t a ç ã o O início da transformação A primeira impressão que temos quando pensamos em aceitar uma pessoa ou uma circunstância é de que estaremos."— Transcrição da apresentação:

1

2 A c e i t a ç ã o O início da transformação

3 A primeira impressão que temos quando pensamos em aceitar uma pessoa ou uma circunstância é de que estaremos nos submetendo, desistindo de lutar, sendo fracos.

4 Na verdade, a condição inicial do processo de transformação é a aceitação.

5 A aceitação é um poder transformador. Quem já experimentou sabe disso.

6 É difícil aceitar a nós mesmos como somos ou o outro como ele é. É difícil aceitar uma perda uma dificuldade; uma doença; uma humilhação; uma traição.

7 É fácil não aceitar, pois é uma resposta automática do ego. Já a aceitação é difícil, pois é um ato de força interior, sabedoria e humildade.

8 As pessoas são como são, dificilmente mudam. Não podemos ficar esperando por isso. A única pessoa que podemos mudar, somos nós mesmos, e mesmo isso, requer a aceitação da nossa condição.

9 Ser resistente, brigar, revoltar-se, negar, projetar, desesperar, indignar-se, culpar, culpar-se são reações emocionais carregadas de raiva. Raiva do outro, de si mesmo, da vida. E a raiva destrói, desune e desintegra.

10 Se ainda desconhecemos a aceitação é porque fomos condicionados a lutar, a julgar, a condenar e encontrar algum um sentido na punição do errado.

11 Aceitar não é desistência ou resignação. Aceitar é estar lúcido do momento presente. Se é assim que a vida se apresenta, assim deve ser: Com tudo se pode aprender no caminho do autoconhecimento.

12 Não reagimos diretamente às situação da vida. Reagimos às nossas interpretações dadas a elas. Somos responsáveis pelo que escolhemos compreender. Quando aceitamos, desfazemos nossas interpretações ilusórias e as soluções surgem intuitivamente, desde a calma que só a aceitação nos proporciona.

13 Tudo passa. Nada é permanente. Porém, se escolhermos resistir, não aceitar e combater o que nos contraria, afirmamos o sofrimento. Resistir mantém a situação desconfortável em vez de deixá-la passar.

14 Quando não aceitamos nos tornamos amargos, revoltados, frustrados, insatisfeitos, cheios de rancor e tristeza. Esses padrões mentais e emocionais criam mais dificuldades, nunca trazem solução.

15 Aceitar é expandir a consciência. É abrir-se para encontrar respostas, soluções, alívio. Aceitar é o espaço que se abre para a Fé.

16 É fundamental entender que a atitude de não aceitação, quando chega ao seu extremo, ou ataca a vida ou desiste da vida. Como amar a vida se não a aceitamos?

17 Aceitar é abrir-se ao momento presente. No instante em que você aceita, se entrega ao que a vida quer-lhe oferecer. O amor está sempre presente. A não aceitação é apenas um disfarce para o medo do amor. O amor que quer ser através de nós, agora e sempre.

18 UM CURSO EM MILAGRES A correção do erro 1. O estado de alerta do ego para os erros de outros egos não é o tipo de vigilância que o Espírito Santo quer que mantenhas. Os egos são críticos em termos do tipo de "sentido" que representam. Compreendem esse tipo de sentido porque faz sentido para eles. Para o Espírito Santo, não faz sentido algum. 2. Para o ego, é benigno, certo e bom apontar erros e "corrigi-los." Isso faz sentido perfeito para o ego, que não está ciente do que são os erros e do que é a correção. Os erros são do ego e a correção dos erros está no abandono do ego. Quando corriges um irmão, tu estás lhe dizendo que ele está errado. Ele pode não estar fazendo nenhum sentido nessa ocasião e, é certo que se estiver falando a partir do ego, não estará fazendo sentido. Ainda assim, a tua tarefa é dizer-lhe que ele está certo. Tu não lhe dizes isso verbalmente, se ele estiver falando tolices. Ele necessita de correção em outro nível, porque seu erro está em outro nível. Ainda assim, ele está certo porque é um Filho de Deus. O seu ego está sempre errado, não importa o que diga ou faça. 3. Se apontas os erros do ego do teu irmão, tens que estar vendo através dos teus, porque o Espírito Santo não percebe os seus erros. Isso não pode deixar de ser verdadeiro uma vez que não existe comunicação entre o ego e o Espírito Santo. O ego não faz nenhum sentido e o Espírito Santo não tenta compreender nada que surja dele. Uma vez que Ele não o compreende, Ele não o julga, sabendo que nada do que o ego faz significa coisa alguma.

19 4. Quando reages de qualquer modo que seja a erros, não estás escutando o Espírito Santo. Ele meramente os ignorou e se prestas atenção a eles, não O estás ouvindo. Se não O ouves, estás escutando o teu ego e estás fazendo tão pouco sentido quanto aquele irmão cujos erros tu percebes. Isso não pode ser correção. No entanto, é mais do que apenas uma falta de correção para ele. É abrir mão da correção em ti mesmo. 5. Quando um irmão se comporta de maneira insana só podes curá-lo percebendo nele a sanidade. Se percebes os seus erros e os aceitas, estás aceitando os teus próprios. Se queres entregar os teus ao Espírito Santo, tens que fazer o mesmo com os dele. A não ser que essa venha a ser a única forma de lidares com todos os erros, não poderás compreender como todos os erros são desfeitos. Há alguma diferença entre dizer-te que o que ensinas tu aprendes e isso? O teu irmão está tão certo quanto tu estás e se pensas que ele está errado, estás condenando a ti mesmo. 6. Tu não podes corrigir a ti mesmo. É possível, então, corrigires um outro? No entanto, podes vê-lo verdadeiramente porque é possível para ti ver a ti mesmo verdadeiramente. Não depende de ti mudar o teu irmão, mas meramente aceitá-lo como é. Os seus erros não vêm da verdade que está nele e só essa verdade é sua. Os seus erros não podem mudar isso e não podem ter qualquer efeito sobre a verdade em ti. Perceber erros em qualquer pessoa e reagir a eles como se fossem reais é fazer com que sejam reais para ti. Não vais escapar de pagar o preço disso, não porque estás sendo punido por isso, mas porque estás seguindo o guia errado e, portanto perderás o teu caminho.

20 7. Os erros do teu irmão não são dele, assim como os teus não são teus. Aceita os seus erros como reais e terás atacado a ti mesmo. Se queres achar o teu caminho e mantê-lo, vê só a verdade ao teu lado, pois vós caminhais juntos. O Espírito Santo em ti perdoa todas as coisas em ti e no teu irmão. Os seus erros são perdoados junto com os teus. A Expiação não é mais separada do que o amor. A Expiação não pode ser separada porque vem do amor. Qualquer tentativa que faças para corrigir um irmão significa que acreditas que a correção é possível através de ti e isso só pode ser arrogância do ego. A correção é de Deus Que não conhece arrogância. 8. O Espírito Santo tudo perdoa porque Deus tudo criou. Não assumas a Sua função, ou esquecerás a tua. Aceita só a função de curar no tempo, porque é para isso que o tempo serve. Deus te deu a função de criar na eternidade. Tu não precisas aprender isso, mas precisas aprender a querer isso. Para tal foi feito todo o aprendizado. Esse é o uso que o Espírito Santo faz de uma capacidade que não precisas, mas fizeste. Dá a Ele essa capacidade! Tu não compreendes como usá-la. Ele te ensinará como ver a ti mesmo sem condenação por aprenderes a olhar todas as coisas sem ela. A condenação, então, não será real para ti e todos os teus erros serão perdoados.


Carregar ppt "A c e i t a ç ã o O início da transformação A primeira impressão que temos quando pensamos em aceitar uma pessoa ou uma circunstância é de que estaremos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google