A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS"— Transcrição da apresentação:

1 DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS
DST DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Colégio Sophia Marchetti Profª Luciene Inácio Venâncio

2 DST Problema mais comum em saúde pública;
OMS – Estimativa de 340 milhões de caos novos de doenças curáveis por ano em pessoas de 15 a 49 anos, sendo que 10 a 12 milhões somente no Brasil.

3 HIV Síndrome (uma variedade de sintomas e manifestações) causada pela infecção do organismo humano pelo HIV (vírus da imunodeficiência adquirida, traduzido do inglês Human Immunodeficiency Virus).

4 ANATOMIA DO VÍRUS

5 HIV – INFECÇÃO AGUDA Fase as infecção primária, fase em que o HIV dissemina-se pelo organismo, atingindo o SNC e os linfonodos. (2 - 4 semanas) MANIFESTAÇÕES: febre, aumento de linfonodos,faringite, mialgia, artralgia, tosse seca, fadiga, perda de peso e diarréia.

6 HIV Compromete o funcionamento do sistema imunológico humano, impedindo-o de executar adequadamente sua função de proteger o organismo contra as agressões externas, tais como: bactérias, outros vírus, parasitas e células cancerígenas.

7 HIV Mesmo apresentando resultado positivo para a infecção pelo HIV, um indivíduo pode não estar com a AIDS. A AIDS representa o estágio mais avançado da infecção pelo HIV, quando o sistema imunológico já se encontra bastante comprometido e surgem determinadas infecções, conhecidas como doenças oportunistas.

8 TUBERCULOSE, PNEUMONIA, DIARRÉIA CRÔNICA.
SINTOMAS O tempo entre a exposição ao HIV e o início dos sinais e sintomas, em geral, varia de cinco dias a três meses. As manifestações podem resultar em gripe persistente, perda de peso progressiva, diminuição da força física, febre intermitente, dores musculares, suores noturnos, diarréia, entre outras reações. Quando a infecção pelo HIV já está avançada, começam a aparecer doenças oportunistas, tais como: TUBERCULOSE, PNEUMONIA, DIARRÉIA CRÔNICA.

9 HIV - DIAGNÓSTICO JANELA IMUNOLÓGICA OU BIOLÓGICA: tempo compreendido entre a aquisição da infecção e a detecção da soroconversão (positivação da sorologia para o HIV). CONFIRMADO A INFECÇÃO: realizar exames de contagem de linfócitos e carga viral.

10 FORMAS DE CONTÁGIO Contato sexual desprotegido com pessoa soropositiva; Contato direto com sangue contaminado (que inclui compartilhamento de agulhas para injeção de drogas; transfusões de sangue e/ou hemoderivados;

11 FORMAS DE CONTÁGIO Acidentes com materiais biológicos, ocupacionais ou não, que gerem contato direto destes com mucosas, com pele lesionada ou ferida e com tecidos profundos do corpo, permitindo o acesso à corrente sangüínea); Mãe portadora do HIV para o filho, durante a gestação, o parto ou pelo aleitamento.

12 HIV: PREVENÇÃO Sexo seguro (uso de preservativo em todas as relações sexuais). cuidado no manejo de sangue (uso de seringas descartáveis, exigir que todo sangue a ser transfundido seja previamente testado para a presença do HIV, uso de luvas quando estiver manipulando feridas ou líquidos potencialmente contaminados). Não há, no momento, vacina efetiva para a prevenção da infecção pelo HIV.

13 PARA O TRATAMENTO É NECESSÁRIO CONSIDERAR
HIV: TRATAMENTO PARA O TRATAMENTO É NECESSÁRIO CONSIDERAR Replicação viral; Quanto maior a viremia maior será a replicação viral e mais rápido será a destruição de linfócitos CD4; Quanto maior for a perca de linfócitos CD4, maior será a dificuldade de reconstiuição do sistema imunológico; Terapia anti-retroviral deve ser potente

14 São medicações que inibem, a reprodução
HIV: TRATAMENTO ANTI-RETROVIRAIS São medicações que inibem, a reprodução do HIV no sangue OBJETIVO: retardar a progressão da imunodeficiência, restaurar a imunidade de acordo com as possibilidades, aumentar o tempo e a qualidade de vida da pessoa infectada.

15 HIV: DROGAS UTILIZADAS
INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA ANÁLOGO DE NUCLEOSÍDEO: Atuam na enzima transcriptase reversa, incorpora-se ao DNA que o vírus cria tornando-o defeituoso impedindo a replicação do vírus Zidovudina (AZT) Didanozina (ddI) Estavudina (d4T) Lamivudina (3TC) Abacavir (ABC) Tenofovir (TDF)

16 HIV: DROGAS UTILIZADAS
INIBIDORES DA TRANSCRIPTASE REVERSA NÃO -ANÁLOGO DE NUCLEOSÍDEO: Atuam na enzima transcriptase reversa, em sítio diferente impedindo a multiplicação do vírus e o desenvolvimento da infecção no organismo. Efavirenz (EFV) Nevirapina (NVP)

17 HIV: DROGAS UTILIZADAS
Ritonavir (RTV) Indivavir (IDV) Nelfinavir (NFV) Saquinavir (SQV) Lopinavir (LPV) Darunavir (DRV) Fosamprenavir(FPV) Atazanavir (ATZ) INIBIDORES DA PROTEASE: Impedem a produção de novas cópias de células infectadas com HIV.

18 HIV: DROGAS UTILIZADAS
Enfuvirtida (T20) INIBIDORES DE FUSÃO: Impedem a entrada do vírus nos linfócitos.

19 CANCRO MOLE BIOAGENTE: Haemophilus ducrey (BACTÉRIA)
TRANSMISSÃO: Exclusivamente sexual. Também denominada cancróide, cancro venéreo e cancro de Ducrey. INCUBAÇÃO: 3 à5 dias, e até 14 dias. Mais frequente no sexo masculino, mas a mulher também pode desenvolver.

20 CANCRO MOLE: MULHER HOMEM

21 CANDIDÍASE SINÔNIMOS: conhecida como monilíase ou micose por cândida.
Causa mais frequente de infecção genital principalmente na vulva e na vagina. BIOAGENTE: Fungo que habita as mucosas vaginal e digestiva,e cresce quando o meio fica favorável para o seu desenvolvimento. Cândida albicans (80 a 90%); Cândida tripocalis; Cândida globrata; Cândida Krusei e Cândida parapsilosis.

22 CANDIDÍASE MULHER: Caracteriza-se por prurido (coceira), fissuras, ardor, dispareunia (dor na relação sexual) e pela eliminação de um corrimento vaginal de aspecto branco e com grumos, semelhante à nata do leite. Com frequência, a vulva e a vagina encontram-se edemaciadas (inchadas) e hiperemiadas (avermelhadas). HOMEM: balanoposite (inflamação glande e prepúcio).

23 CANDIDÍASE Relacionada com a diminuição da resistência do organismo da pessoa acometida. Existem fatores que predispõe ao aparecimento da infecção : Diabetes Melitus, gravidez, uso de contraceptivos (anticoncepcionais) orais, uso de antibióticos e medicamentos imunosupressivos (que diminuem as defesas imunitárias do organismo).

24 CANDIDÍASE - MULHER

25 CANDIDÍASE – HOMEM

26 HPV BIOAGENTE: Papilomavirus Humano.
CONHECIDA COMO: Condiloma Acuminado, crista de galo, figueira ou cavalo de crista.

27 HPV – ASPETOS CLÍNICOS Podem ser encontrados na pele e mucosa dos genitais feminino (vulva, vagina, colo do útero e períneo) e masculino (pênis, escroto e períneo), na uretra e na região anal. Outros locais: orofaringe, esôfago e a pele. PROFª ESP. MARILUCIA MOREIRA

28 HPV - PREVENÇÃO: Não existe forma de prevenção 100% segura, já que o HPV pode ser transmitido até mesmo por meio de uma toalha ou outro objeto. A vacina do HPV não protege contra todos os subtipos do HPV, 3 doses custo de cada uma R$ 364,00.

29 CONDILOMA ACUMINADO

30 GONORRÉIA E CLAMÍDIA Provoca a Cervicite Mucopurulenta, uma inflamação da mucosa endocervical. BIOAGENTE: Neisseria gonorrhoeae e Chalamydia trachomatis Também é conhecida pelo nome de blenorragia, pingadeira, esquentamento.

31 GONORRÉIA

32 CLAMÍDIA

33 HERPES SIMPLES GENITAL
BIOAGENTE: Herpes simples vírus (HSV); 2 tipos: HSV 1 (face e tronco) e HSV 2 (genitália e de transmissão sexual) TRANSMISSÂO: Contato sexual direto com lesões e objetos sexuais contaminados, onde é necessária a solução de continuidade, pois o vírus não penetra pele e mucosas íntegras.

34 HERPES LABIAL HERPES GENITAL

35 LINFOGRANULOMA VENÉREO
BIOAGENTE: Bactéria Chlamydia trachomatis, tipos L1, 2 e 3.

36 LINFOGRANULOMA VENÉREO
DIAGNÓSTICO: suspeita de casos de adenite inguinal, elefantíase genital, estenose uretral ou retal.

37 BIOAGENTE: bactéria Treponema pallidum.
SÍFILIS BIOAGENTE: bactéria Treponema pallidum.

38                                                                                       

39 TRICOMONÍASE BIOAGENTE: Protozoário Trichomonas vaginalis.


Carregar ppt "DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google