A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Enfermagem no Gerenciamento e Administração Hospitalar Alessandra Lyrio Barbosa

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Enfermagem no Gerenciamento e Administração Hospitalar Alessandra Lyrio Barbosa"— Transcrição da apresentação:

1 Enfermagem no Gerenciamento e Administração Hospitalar Alessandra Lyrio Barbosa

2 Trabalho constitui mediação entre o homem e a natureza, caracterizando-se como processo de transformação requerido por necessidades humanas que, na área da enfermagem, são necessidades de saúde. O trabalho de enfermagem produz serviços que são consumidos no ato de sua produção.

3 3 Direções do Trabalho de Enfermagem  Organização do cuidar;  Organização do ambiente terapêutico;  Organização dos agentes de enfermagem; Baseado nestas direções, surge o Gerenciamento de enfermagem, pois assume-se tanto a organização do ambiente quanto a organização e treinamento dos agentes de enfermagem. Lady nurse e Nurse

4 Planejamento Estratégico “Método voltado para resolução de problemas” * Valores: * Valores: características, virtudes, qualidades da organização; * Missão: * Missão: para que serve ou servirá a empresa; * Visão de Futuro: * Visão de Futuro: o que é ou será empresa;

5 Comunicação no Processo Administrativo das Organizações Comunicação é, antes de tudo, interação, diálogo, tornar comum. Tradicionalmente, a comunicação organizacional foi sendo definida resumidamente como: aquela que serve para criar, fazer funcionar e manter atuantes as organizações.

6 A Ética no Gerenciamento em Enfermagem A questão ética é a necessidade de convicção pessoal e da adesão institucional a valores e princípios, traduzidos em medidas administrativas para que os direitos dos usuários de saúde sejam respeitados. A reflexão ética na prática profissional é um processo de aprendizagem permanente.

7 “Atitude de influenciar pessoas, fazendo-as empenhar-se voluntariamente em objetivos de grupo” A liderança surgiu na enfermagem com as Ladies-nurses que difundiram o sistema Nightingale pela Inglaterra e pelo mundo.

8  Liderar implica na definição e no planejamento da assistência de enfermagem em um cenário interativo.  Liderar é influenciar pessoas a mudar e, na enfermagem, a mudança deve ser encarada como algum grau de melhoria da prática de enfermagem.  Em síntese, liderança tem um sentido muito amplo na administração, pois o gerente pode ser líder, mas o líder nem sempre é o gerente.

9 No processo gerencial, os objetos de trabalho do enfermeiro são a organização do trabalho e os recursos humanos de enfermagem.  Planejamento  Dimensionamento do papel;  Recrutamento e seleção;  Educação continuada;  Supervisão;  Avaliação de desempenho, etc.

10 A gerência pode ser apreendida por dois modelos: * Modelo racional: baseado na Teoria Geral da Administração, em que a principal tarefa é interpretar os objetivos propostos pela organização, para transformá-los em ação afim de alcançar tais objetivos de maneira satisfatória à situação. * Modelo histórico-social: neste caso, a gerência não está apenas voltada para a organização e controle dos processos, mas considera a satisfação das necessidades de saúde da população.

11 A administração de materiais envolve a totalidade dos fluxos de materiais de uma organização, compreendendo:  Programação;  Compra;  Recepção;  Armazenamento no almoxarifado;  Movimentação de materiais;  Transporte interno;  E armazenamento no depósito. *Um aspecto essencial no papel do enfermeiro está em conhecer e acompanhar o perfil de consumo de sua unidade, não só o de consumo e medicamentos, como também, os esterilizados, encaminhados pela CME.

12 O “Dimensionamento de pessoal de enfermagem” tem se constituído, ao longo dos anos, foco de atenção dos enfermeiros, bem como dos administradores dos serviços de saúde, pois interfere na eficácia, qualidade e custo da assistência à saúde. *** maior custo com pessoal na organização***

13 Novo Contexto Empresarial Procura-se colaborador competente...

14 ????

15

16 Gestão de Conflitos e Negociação Conflito: freqüentemente é associado a dificuldades, desavenças, injúrias, ameaças, competição, incompatibilidade, entre outros;Conflito: freqüentemente é associado a dificuldades, desavenças, injúrias, ameaças, competição, incompatibilidade, entre outros; As organizações passam a ser vistas como redes de negociação: planejamento normativo  planejamento estratégico planejamento normativo  planejamento estratégico O enfoque gerencial e contemporâneo ilustra: * O conflito é inerente às organizações e que, portanto, não é patológico. As organizações saudáveis são aquelas que explicitam e discutem os conflitos de modo transparente, à medida que estes surgem e não aquelas que não possuem conflitos.

17 Negociação: “processo de comunicação com o propósito de atingir um acordo agradável sobre diferentes idéias e necessidades”. Habilidades básicas na negociação: Ser proativo; Não aceitar as coisas como elas são; Trabalhar o medo da perda e do ataque; Quebrar resistências e acreditar que e possível aprender a negociar. Passos importantes na negociação: Separar as pessoas do problema; Concentrar-se nos interesses básicos de ambas as partes; Buscar alternativas de ganhos mútuos; Encontrar critérios justos;

18 Inteligência Emocional Inteligência Emocional Inteligência emocional é a capacidade de monitorar seus próprios sentimentos e os dos outros, fazendo a distinção entre eles e usando esta informação para orientar o pensamento e a ação de uma pessoa. Benefícios da IE para os gestores de pessoas: Bom relacionamento com stakeholders; Liderança e gerenciamento de conflitos; Comunicação eficaz; Manutenção de ambiente de trabalho positivo e alto moral na equipe;

19 Avaliação e Custos Custos, custos e custos...afinal, o que é isto?

20 $ Custos são medidas monetárias dos sacrifícios com os quais uma organização tem que arcar a fim de atingir seus objetivos; $ A avaliação dos custos permite a obtenção de informações sobre a rentabilidade e desempenho de diversas atividades da entidade, auxilia no planejamento, controle e desenvolvimento das operações e fornece dados para a tomada de decisões.

21 Custos Diretos e Indiretos Os custos diretos são aqueles que podem ser diretamente apropriados aos produtos, sendo necessário haver uma medida de consumo, por exemplo,unidade de medida de material utilizado, horas de mão- de-obra, quantidade de força consumida, entre outros. Quando não há condição de uma unidade de medida objetiva e a alocação tem que ser feita de maneira estimada e muitas vezes arbitrária, como, por exemplo, aluguel, supervisão, etc, temos os custos indiretos

22 Auditoria em Enfermagem Auditoria é um exame cuidadoso, sistemático e independente das atividades desenvolvidas em determinada empresa ou setor, cujo objetivo é averiguar se elas estão de acordo com as disposições planejadas ou estabelecidas previamente, se foram implementadas com eficácia e se estão em conformidade à consecução dos objetivos.

23 Qualidade no Serviço Hospitalar Qualidade é:  “Fazer a coisa certa já da primeira vez”.  “Conformidade com os requisitos”.  “Zero defeitos”.  “Adequação ao uso”, “conformidade e satisfação do cliente”. “Qualidade é uma propriedade (ou um conjunto de propriedades) de um produto ou serviço que o torna adequado à missão de uma organização comprometida com o pleno atendimento das necessidades de seus clientes”. J. MESOMO, 2003

24 Trilogia de Juran  Projeto da Qualidade: plano estratégico, missão da organização, estabelece padrões para a prestação de serviços.  Controle da Qualidade: monitoramento, supervisão para assegurar os padrões pré- estabelecidos.  Melhoria da Qualidade: elevar a qualidade, através de soluções e a melhoria dos processos.

25 7 Atributos Básicos à Qualidade  Aceitabilidade – é a adequação dos cuidados de saúde aos desejos e expectativas dos pacientes e de seus responsáveis.  Legitimidade – é a conformidade dos serviços com as preferências sociais expressas nos princípios éticos, nos valores, nas normas, nas leis e nos costumes.  Eqüidade – é a conformidade com o princípio da justiça e da honestidade da distribuição dos cuidados e dos benefícios da saúde entre os membros de uma população.

26  Eficácia – habilidade em oferecer melhorias na saúde e no bem-estar; quanto mais melhor: mais moderno, mais tecnológico, excelência médica...  Efetividade – é a relação entre o benefício real oferecido pelo sistema de saúde ou assistência e o potencial esperado.  Eficiência – é a habilidade em reduzir os custos dos cuidados sem diminuir a efetividade deles.  Otimização – é o equilíbrio ideal entre a melhoria da saúde e seu custo.

27 P D C A FASEOBJETIVO P Identificação do Problema Definir claramente o problema e reconhecer sua importância. Observação Investigar as características específicas do problema com uma visão ampla e sob vários pontos de vista. Análise Descobrir as causas fundamentais. Plano de Ação Conceber um plano para bloquear as causas fundamentais. D Ação Bloquear as causas fundamentais. C Verificação Verificar se o bloqueio foi efetivo. A Padronização Prevenir contra o reaparecimento do problema. Conclusão Recapitular todo o processo de solução do problema para trabalho futuro.

28 Clima organizacional (positivo); A redução dos custos e do desperdício; O aumento da produtividade; O aumenta da eficiência e da eficácia; Uma maior adequação as normas internas; Uma maior atenção às expectativas dos clientes; Aumento da credibilidade e confiabilidade; Aumento da satisfação do cliente; Aumento do retorno (lucro); Melhor serviço à sociedade (missão da organização).

29 “ A Acreditação é um método de avaliação dos recursos institucionais, voluntário, periódico e reservado, que busca garantir a qualidade da assistência por meio de padrões previamente definidos”. ONA 2006  SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO ONA – Organização Nacional de Acreditação – 1999 Objetivo Geral: promoção, desenvolvimento, Auto- avaliação do processo de Acreditação no Brasil. Maio 2002, reconhecida pelo Ministério da Saúde. Janeiro 2004, pela ANVISA.

30 Por que aderir à acreditação?  A instituição, revela responsabilidade e comprometimento com a segurança, com a ética profissional, com os procedimentos que realiza e com a garantia da qualidade do atendimento à população.  A instituição, evidencia ao mesmo tempo para clientes externos e internos e a comunidade em geral, que alcançou um padrão de gestão do negócio e da assistência externamente reconhecido.

31 Níveis de Acreditação CertificaçãoPrincípioRequisitos Nível 1 Acreditado Validade 2 anos Segurança (estrutura) Habilitação do corpo funcional Atendimento aos requisitos fundamentais de segurança para o cliente nas ações assistenciais e procedimentos médico- sanitários. Nível 2 Acreditado Pleno Validade 2 anos Organização (processos) Existência de normas, rotinas e procedimentos documentados, atualizados e disponíveis e aplicados. Evidência da introdução e utilização de uma lógica de melhoria de processos nas ações assistenciais e nos procedimentos médico- sanitários. Evidências de atuação focalizada no cliente/paciente. Nível 3 Acreditado Com Excelência Validade 3 anos Prática de Excelência (resultados) Evidências de vários ciclos de melhoria em todas as áreas, atingindo a organização de modo global e sistêmico. Utilização de sistema de informação institucional consistente, baseado em taxas e indicadores, que permitam análises comparativas com referenciais adequados e a obtenção de informação estatística e sustentação de resultados. Utilização de sistema da aferição da satisfação dos clientes (internos e externos) e existência de um programa institucional da qualidade e produtividade implantado, com evidências de impacto sistêmico.

32 Obrigada! Alessandra Lyrio Barbosa Dúvidas?


Carregar ppt "Enfermagem no Gerenciamento e Administração Hospitalar Alessandra Lyrio Barbosa"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google