A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 1 de 16 Quem é o Servo Sofredor em “Isaías 53”? Parte I – A Interpretação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 1 de 16 Quem é o Servo Sofredor em “Isaías 53”? Parte I – A Interpretação."— Transcrição da apresentação:

1 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 1 de 16 Quem é o Servo Sofredor em “Isaías 53”? Parte I – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Lição Anti-Missionária Por Uri Yosef, Ph.D., Director of Education Virtual Yeshiva of the Messiah Truth Project, Inc. [O artigo discutido nesta apresentação - ]http://thejewishhome.org/counter-pt/Isaias53PrtI.pdf Copyright © Uri Yosef 2011 for the Messiah Truth Project, Inc. Tradução: Renato Santos Grun Todos os direitos reservados Educação Anti-Missionária

2 Introdução O teste de nossa hipótese continua na Fase de Validação do Método Científico com a análise versículo por versículo do Segmento 4 - Isaías 53:9-12. A cena nos segmentos 2 e 3 está definido no futuro, na era messiânica, momento em que os líderes das nações percebem que o que estão testemunhando é muito diferente do que esperavam. O povo que eles perseguiram e imaginavam ser uma nação que não sobreviveria, sobrevivee alcança o “alto da montanha". Israel se torna uma nação bem sucedida e influente, exaltada e reverenciada por todas as outras nações. Uma diferença de opiniões existe entre os sábios judeus sobre o "eu lírico" à medida que começamos o segmento final. Alguns sustentam que Isaías 53:9 é uma continuação da confissão das nações e, em seguida, o “eu lírico" muda no versículo 10. Outros dizem que o " eu lírico " é do narrador Isaías, que resume o impacto que as iniqüidades das nações tiveram no servo, e em seguida, muda para o " eu lírico" de D’us no versículo 10. Outros ainda sustentam que é o "eu lírico" de D’us quando Ele começa a responder às nações, descrevendo o que aconteceu com Israel por causa de seus pecados, deixando-os saber o que está reservado para o servo no futuro. Este "eu lírico", em seguida, continua até o fim do capítulo. Vamos acompanhar o último ponto de vista na análise. Hipótese: Israel é o servo no Quarto Cântico do Servo. (“Isaías 53”) 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 2 de 16

3 Segmento 3 – Isaías 53:5-8 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 3 de 16

4 Segmento 3 – Isaías 53:5-8 Referências cruzadas de passagens para a tabela no Slide 3 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 4 de 16

5 Testando a Hipótese: Segmento 4 Fase de Verificação Quem está falando? O “eu lírico” é de D’us Qual é a mensagem? O registro histórico demonstra que muitos judeus optaram por morrer como criminosos comus, em vez de renunciar à sua fé, e muitos judeus ricos foram brutalmente assassinados, não por causa de quaisquer crimes ou atos violentos que cometeram, mas por nenhuma outra razão senão permitir que seus assassinos lhes roubassem. Na maioria dos casos, judeus nem sequer impuseram qualquer resistência ao serem assassinados. A maioria morreu recitando o Sh'ma, e não com qualquer tipo de engano ao aceitar doutrinas, crenças e deuses que seus antepassados ​​ não tinham conhecido. 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 5 de 16

6 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) A disparidade entre as duas traduções do termo hebraico em destaque בְּמֹתָיו (b e mo TAV ) tem um impacto significativo no contexto do versículo e como ele se encaixa no resto da passagem. Esse problema deve, portanto, ser resolvido. 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 6 de 16

7 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) Como as informações na tabela demonstraram, a tradução correta da frase hebraica בְּמֹתָיו é em suas mortes, com a tradução judaica tem, e não na sua morte, como trazidas nas traduções cristãs. O fato de tanto termos singular e plural serem usados ​​, indiferentemente, em referências ao servo aqui e, como vimos, em Isaías 53:8 não cria um problema para a perspectiva judaica. Na verdade, esta a melhora porque mostra que o servo não pode ser um indivíduo, mas sim, o servo deve ser um entidade composta, uma pluralidade, que é inteiramente consistente com Israel como o servo.  Pergunta: Israel (como servo de D’us) se encaixa em Isaías 53:9?  Resposta : SIM! 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 7 de 16

8 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) Como as frases destacadas indicam, existe uma diferença significativa na forma com que as duas traduções trazem a primeira porção. Isso deve ser resolvido a fim de entender o correto contexto do versículo. Quem está falando? O “eu lírico” é de D’us Qual é a mensagem? D’us continua sua resposta às nações e afirma que alguns dos sofrimentos de Israel era, de fato, uma punição para seus pecados. No entanto, quando Israel, como nação, reconhecer a sua iniqüidade, e arrepender-se, o povo judeu será redimido e recompensado com o crescimento, vida longa, e sucesso em sua missão como luz de D’us para as nações. 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 8 de 16

9 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) Um olhar mais atento a estrutura deste versículo ajuda na compreensão de seu contexto. A parte do versículo que se segue à declaração inicial sobre D’us punir Israel é construído como uma instrução condicional, ou seja, SE (A) ENTÃO (B). Em outras palavras, se a Condição A for satisfeita, então o Resultado B irá ocorrer, uma construção que não é incomum para a Bíblia Hebraica, como demonstrado pelos exemplos que se seguem: Eis o caso a considerar: É evidente que as duas traduções de "A" são incompatíveis. A tradução cristã continua aqui promovendo sua mensagem de uma expiação vicária, ao passo que a tradução judaica do hebraico baseia-se no significado do termo aplicável em destaque אָשָׁם (a SHAM ), que é usada de duas maneiras na Bíblia Hebraica: אָשָׁם Como oferta pela culpa trazida por um pecador para a expiação de qualquer um de uma série de pecados específicos cometidos intencionalmente (por exemplo, Lev 5:15, Num 6:12) Como uma transgressão cometida intencionalmente (por exemplo, Jer 51:5; Prov 14:9) 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 9 de 16

10 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) A versão cristã de "A" é um erro. Em primeiro lugar, uma vez que na correta aplicação gramatical e contextual da palavra hebraica אָשָׁם, e mantendo-se fiel ao que a Bíblia Hebraica ensina, é impossível para o sujeito trazer a si mesmo (ou ela mesma) uma oferta pela culpa. Em segundo lugar, há também a questão da recompensa prometida para o sujeito aqui se ele/ela admitir sua culpa e se arrepender. Qual seria a utilidade da recompensa se o destinatário fosse submeter-se a um auto sacrifício? Ter descendentes (filhos) e viver uma vida longa, uma vez que ele (ou ela) estivesse morto não teria sentido! Quanto ao que diz respeito à terminologia utilizada em afirmar a recompensa, duas coisas são dignas de nota:  Pergunta: Israel (como servo de D’us) se encaixa em Isaías 53:10?  Resposta : SIM! A palavra hebraica זֶרַע ( ZE ra) é um substantivo com sentido composto que indica descendência, ou seja, descendentes físicos (não espirituais) A frase hebraica יַאֲרִיךְ יָמִים (ya’a RICH ya MIM ) é uma expressão idiomática que indica uma vida longa (e não eterna) 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 10 de 16

11 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) As duas traduções que correspondem a frase em hebraico destacadas são incompatíveis e devem ser resolvidas a fim de entender o contexto correto desse versículo. Quem está falando? O “eu lírico” é de D’us Qual é a mensagem?Israel acabará por descobrir e compreender que D’us tinha um propósito especial em permitir que tal perversidade das nações, e não contestará as ações de D’us. No final, Israel reivindicará a humanidade através do conhecimento de D’us e da Torá, tema esse frequentemente encontrado na Bíblia Hebraica quando Israel é chamado uma luz para as nações a fim de ensi´ná-los (por exemplo, Êxodo 19:5-6, Isaías 42: 6, 60:3, 61:6-9, Zacarias 8:13, 23). 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 11 de 16

12 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) A frase hebraica é יַצְדִּיק צַדִּיק עַבְדִּי לָרַבִּים (yats DIQ tsa DIQ av DI lara BIM ). A primeira palavra, יַצְדִּיק, está na 3ª pessoa, masculino, singular, futuro conjugação do tronco hif’ IL da raíz verbal צדק. Neste tronco particular, que é a forma causal ativo do verbo hebraico, este verbo é usado na Bíblia Hebraica no contexto de vindicar, declarar inocente, (por exemplo, Êxodo 23:7, Jó 27:5). A próxima palavra, צַדִּיק, significa justo, que aparece na Bíblia Hebraica tanto como substantivo quanto como um adjetivo. A próxima palavra, עַבְדִּי, significa meu servo. A última palavra, לָרַבִּים, é uma combinação de uma preposição - לְ (l e -), significando para, por, o artigo definido - הַ (ha-), e o substantivo plural רַבִּים (ra BIM ), significando muitos, multidões. Uma tradução quase literal da frase é "ele, meu servo, justificará o(s) justo(s) para muitos", o que é consistente com a tradução judaica. Não é o servo que está descrito aqui como justo. A frase transmite a idéia de que o servo irá reivindicar os justos aos olhos das multidões. Consequentemente, como a sintaxe gramatical da frase em hebraico indica, o termo justo está fora de lugar e mal empregado na versão cristã "meu servo, o justo." A interpretação judaica da frase é a correta.  Pergunta: Israel (como servo de D’us) se encaixa em Isaías 53:11?  Resposta : SIM! 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 12 de 16

13 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) A primeira das duas frases destacadas é explicada em detalhes no artigo que corresponde desta lição, e as duas traduções são razoavelmente semelhantes. Na segunda frase destacada, a diferença de tempos deve ser revista. Quem está falando?O “eu lírico” é de D’us Qual é a mensagem?O povo judeu, Israel, como servo de D’us, será recompensado por ter carregado sobre si os males que ao longo dos tempos, mas ainda intercedendo e rezou por aqueles que os dominavam, e eles serão recompensados ​​ por ter escolhido este destino em vez de abandonar a fé judaica e seguir outros deuses, deuses que seus antepassados ​​ não tinham conhecido. 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 13 de 16

14 Testando a Hipótese: Segmento 4 (continuação) A última frase hebraica no verso é וְלַפֹּשְׁעִים יַפְגִּיעַ (v e laposh’ IM yaf GI ’a), onde o verbo é יַפְגִּיעַ (yaf GI ’a), cuja raíz é פגע. Como foi referido na análise de Isaías 53:6, esta raíz verbal é usada no hebraico em dois contextos diferentes. Ambas as traduções concordam sobre a sua aplicação aqui, em Isaías 53:12, mas diferem sobre nos tempos. O verbo usado aqui, יַפְגּיעַ (yaf GI 'a), está conjugado na terceira pessoa do singular, masculino, futuro, conjugação do raíz verbal פגע do tronco hif' IL (a forma ativa causal do verbo hebraico). A significância do tempo correto aqui é que, em sua resposta à nações, D’us espera que Israel continue no seu papel de intercessor por eles. Portanto, a interpretação judaica da frase está correta. Este é o caso, de fato, ainda hoje quando a maioria das congregações judaicas ao redor do mundo recitam uma oração para o governo do país em que estão vivendo.  Pergunta: Israel (como servo de D’us) se encaixa em Isaías 53:12?  Resposta : SIM! 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 14 de 16

15 Sumário – Segmento 4: Isaías 53:9-12 Nossa hipótese: Resultados dos testes verso-a-verso: Hipótese: Israel é o servo no Quarto Cântico do Servo. (“Isaías 53”) 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 15 de 16

16 Sumário Final & Conclusão Os resultados obtidos a partir do teste da hipótese confirma a validade da perspectiva judaica sobre o Quarto Cântico do Servo de Isaías, "Isaías 53". Conclusão: Israel é o servo no Quarto Cântico do Servo (“Isaías 53”) IsaíasDe quem é a “voz”?Israel é o Servo? 52:13De D’us 52:14De D’us 52:15De D’us 53:1Das Nações 53:2Das Nações 53:3Das Nações 53:4Das Nações 53:5Das Nações 53:6Das Nações 53:7Das Nações 53:8Das Nações 53:9De D’us 53:10De D’us 53:11De D’us 53:12De D’us 7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 16 de 16


Carregar ppt "7 de Abril de 2011Isaías 53 – A Interpretação Judaica: Válida ou Não? Página 1 de 16 Quem é o Servo Sofredor em “Isaías 53”? Parte I – A Interpretação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google