A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. Nossa História Sumário Executivo Cenários Impacto Econômico Desafios Impostos Custos Operacionais Conclusão Agenda.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. Nossa História Sumário Executivo Cenários Impacto Econômico Desafios Impostos Custos Operacionais Conclusão Agenda."— Transcrição da apresentação:

1 1

2 Nossa História Sumário Executivo Cenários Impacto Econômico Desafios Impostos Custos Operacionais Conclusão Agenda

3 A Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos – CLIA ABREMAR BRASIL, foi fundada em 2006 com o intuito de representar as armadoras e operadoras de turismo marítimo no país. Em 2013 tornou-se parte da CLIA (Cruise Lines International Association), associação mundial do setor, passando a se chamar CLIA ABREMAR BRASIL, por meio da qual promoverá, junto a outras nove associações internacionais, uma voz globalmente unificada desta atividade, que gera um impacto econômico de US$ 100 bilhões e emprega mais de 753 mil pessoas em todo o mundo. Nossa história Atua na interlocução com órgãos públicos e instituições privadas na defesa e promoção de um ambiente favorável para o setor (Ministério do Turismo, Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Justiça, Secretaria de Portos, ANTAQ, ANVISA), sempre comprometida com a divulgação do país enquanto destino turístico. É formada por grupos técnicos para debates, encaminhamentos de projetos e discussões sobre assuntos pertinentes ao setor.

4 A indústria de cruzeiros no Brasil tem passado por um declínio acelerado nos últimos anos. De aproximadamente hóspedes e 20 navios na temporada 2010/11, este número agora passará a hóspedes, com a metade da frota (10 navios), prevista para operação em 2014/15. Uma redução de 28,5% em 4 anos. A análise mais detalhada a seguir buscará explicar os principais motivos para o contínuo declínio das operações no Brasil. 4 Sumário Executivo

5 -17% -15% 2% 3% 31% 12% 13 NAVIOS 14 NAVIOS 18 NAVIOS 20 NAVIOS 17 NAVIOS 15 NAVIOS 11 NAVIOS 5 Cenários

6 DIVISÃO % DE ROTEIROS EM PORTOS DO BRASIL Vs. ARGENTINA/URUGUAI Cenários

7 ALASCA CARIBE EUROPA BRASIL DUBAI ASIA AUSTRÁLIA/NZ Cenários

8 Impacto Econômico DADOS COMPARATIVOS

9 Fonte: FGV/CLIA Abremar Brasil Impacto Econômico Comparativo Impacto Econômico Temporada 2013/14

10 R$ 693 Milhões (-22,4%) Armadores R$ 455 Milhões (-12,9%) Cruzeiristas e Tripulantes R$ 1,1 bilhão Cruzeiristas e Tripulantes Armadores R$ 893,5 Milhões Armadores R$ 522,5 Milhões Cruzeiristas e Tripulantes R$ 1,4 bilhão Cruzeiristas e Tripulantes Armadores 2010/ /2014 Fonte: FGV/CLIA Abremar Brasil Impacto Econômico Comparativo (2010/11 e 2013/14)

11 Fonte: FGV/CLIA Abremar Brasil (-7,5%) Transporte antes e/ou após a viagem Passeios Turísticos (-9,7%) Alimentos e bebidas (-14,2%) (-13,4%) Transporte durante a viagem (-16,5%) Hospedagem antes ou após o cruzeiro Comércio Varejista (-14,9%) R$ 172 milhões R$ 80 milhões R$ 30 milhões R$ 155 milhões R$ 67 milhões R$ 16 milhões 2010/ /2014 Variação R$ 147 milhões R$ 74 milhões R$ 26 milhões R$ 133 milhões R$ 61 milhões R$ 14 milhões Impacto Econômico Comparativo (2010/11 e 2013/14)

12 Fonte: FGV/CLIA Abremar Brasil Uma redução de postos de trabalho, quando comparado com a temporada de 2010/2011, onde o setor gerou postos diretos e indiretos. Impacto Econômico Comparativo (2010/11 e 2013/14)

13 Desafios Carga tributária Legislação Infraestrutura / Custos

14 3 PRINCIPAIS IMPOSTOS PRINCIPAIS IMPOSTOS Sobre Charter Sobre Venda do Cruzeiro Sobre Receita a Bordo Estes itens se aplicam somente aos cruzeiros de Cabotagem e são detalhados nos slides a seguir 14

15 A Companhia de Cruzeiros com sede no Brasil freta o navio de sua Matriz para itinerários de Cabotagem, enquanto nos cruzeiros Internacionais é considerada uma Operação Internacional. A remessa do pagamento desse fretamento tem incidência de PIS, COFINS e IOF (9.63% - aprox. 3% da Receita Bruta de Venda do Cruzeiro). 15 Impostos sobre Charter

16 Os impostos aplicados ao Faturamento decorrente da Venda dos Cruzeiros de Cabotagem são PIS, COFINS e ISS (total 5.15%), enquanto em cruzeiros Internacionais o valor remetido para o exterior tem 0,38% de IOF de impacto. 16 Impostos sobre receita de venda de cruzeiros

17 Declaração de Importação Toda vez que o navio entra no Brasil, advindo de um porto estrangeiro, a Companhia de Cruzeiros abre uma Declaração de Importação (DSI) de todo o seu inventário a bordo, com impostos que variam de 35 a 58% (II, IPI, PIS e COFINS) sobre o custo dos itens. Faturamento e Imposto de Renda Uma vez que o produto ou serviço é vendido a bordo durante um cruzeiro de Cabotagem, os impostos acima incidem sobre o custo dos itens (aprox. 6% da receita bruta) além de um adicional de PIS/COFINS e IRPJ/CSLL (aprox. 9% sobre a receita bruta). 17 Impostos sobre receita a bordo

18 Premissas para os itinerários a seguir: Assumindo R$4 milhões de Receita de Venda do Cruzeiro R$1,2 milhões de Receita de Vendas a Bordo ITINERÁRIO 2 Cruzeiro de 7 Dias por portos Argentinos/Uruguaios ITINERÁRIO 1 Cruzeiro de 7 Dias por portos Brasileiros Santos Navegando Punta Del Este Buenos Aires Montevidéu Navegando Santos Rio de Janeiro Navegando Salvador Ilhéus Navegando Búzios Santos 18 Itinerários para comparação de impostos

19 Imposto sobre Charter Receita de Venda do Cruzeiro R$4 milhões Receita de Vendas a Bordo R$1.2 milhões Imposto sobre Receita de Venda do Cruzeiro Declaração de Importação Faturamento e Imposto de Renda Impacto Total de Impostos na Receita de Venda do Cruzeiro R$ Impacto Total de Impostos na Receita de Vendas a bordo $ IOF Impacto Total de Impostos na Receita de Venda do Cruzeiro R$ NÃO HÁ Impacto de Impostos na Receita de Vendas a bordo ITINERÁRIO 1 portos Brasileiros ITINERÁRIO 2 portos Argentinos/Uruguaios R$ R$ R$ R$ R$ R$ Receita de Venda do Cruzeiro R$4 milhões Receita de Vendas a Bordo R$1.2 milhões COMPARAÇÃO DE IMPOSTOS POR ITINERÁRIO 19 x

20 IMPOSTOS ITINERÁRIO 1 CABOTAGEM % ITINERÁRIO 2 INTERNACIONAL SOBRE CHARTERR$ % N/A SOBRE A RECEITA DE VENDA DO CRUZEIRO R$ % R$ SOBRE A RECEITA A BORDO R$ % N/A TOTAISR$ % R$ VARIAÇÃO DE IMPOSTOS CABOTAGEM VS. INTERNACIONAL R$ COMPARAÇÃO DE IMPOSTOS POR ITINERÁRIO 20

21 PRINCIPAIS CUSTOS OPERACIONAIS Principais Custos Operacionais Combustível Praticagem Estes 2 itens representam custos consideravelmente mais altos em itinerários Brasileiros vs. Internacionais 21

22 Para cruzeiros de Cabotagem, os impostos brasileiros PIS, COFINS e ICMS estão inclusos no preço, o que representa aproximadamente um custo 28% maior vs. um cruzeiro Internacional. 22 Combustível

23 R$118 mil ou 28% PIS/COFINS 0,00... portos Argentinos/Uruguaios... portos Brasileiros Abastecer para um cruzeiro de 7 dias partindo de um porto Brasileiro com destino a PIS/COFINS ,65 Combustível (cont.)

24 24 Preços no Brasil não são regulados e estão entre os mais altos do mundo *Média Vs. Pequim Vs. Barcelona 144% 1.045% Vs. Pequim Vs. Barcelona 110% 885% Vs. Pequim Vs. Barcelona 3% 381% Vs. Pequim Vs. Barcelona 86% 770% Praticagem

25 Ainda assim, um país de Oportunidades!

26 Obrigado!


Carregar ppt "1. Nossa História Sumário Executivo Cenários Impacto Econômico Desafios Impostos Custos Operacionais Conclusão Agenda."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google