A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONSOLIDAÇÃO das DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: NBC T8 e Instrução CVM 247

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONSOLIDAÇÃO das DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: NBC T8 e Instrução CVM 247"— Transcrição da apresentação:

1 CONSOLIDAÇÃO das DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: NBC T8 e Instrução CVM 247
CONCEITO: PROCEDIMENTO QUE CONSISTE NA REUNIÃO DOS SALDOS PATRIMONIAIS DE NATUREZA SEMELHANTE, DE TODAS AS EMPRESAS QUE PERTENCEM A UM GRUPO EMPRESARIAL. OBJETIVOS: APRESENTAR À ACIONISTAS E CREDORES, OS RESULTADOS DAS OPERAÇÕES E A ATUAL POSIÇÃO FINANCEIRA DA CONTROLADORA E SUAS CONTROLADAS, COMO SE O GRUPO FOSSE UMA ÚNICA EMPRESA. APLICAÇÃO OBRIGATÓRIA: a) Para todas as S/A de Capital Aberto; b) Se a Con troladora tiver mais de 50% do Capital da Investida.

2 OBRIGATORIEDADE DA PUBLICAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONSOLIDADAS
*JUNTO COM A DEMONSTRAÇÃO DA CONTROLADORA: NBC T-6 RELATÓRIO DA DIRETORIA: informações aos acionistas sobre o desempenho anual, a conjuntura econômica e as perspectivas futuras de resultados, expansão, ótica social. NOTAS EXPLICATIVAS: dados que complementam as demonstrações (avaliação de estoques, depreciação, garantias, empréstimos, garantias, investimentos, eventos subsequentes.) PARECER DOS AUDITORES: obrigatório para a S/A de capital aberto e atestam que o resultado do exercício social reflete a posição econômica-financeira consolidada do grupo.

3 TÉCNICAS DE CONSOLIDAÇÃO
Adoção de diversos procedimentos relativos ao agrupamento dos elementos contábeis entre si e aos ajustes dos saldos (eliminações) de transações entre empresas do mesmo grupo: APLICAÇÕES NO BALANÇO PATRIMONIAL: a) Na consolidação, são eliminados os saldos de contas entre a controladora e as controladas. Exº: A conta Duplicatas a Receber constante no balanço da Cia.A (venda a prazo à Cia. B), elimina o saldo da conta Fornecedores no balanço da Cia.B b) Eliminação das participações recíprocas entre as empresas incluídas na consolidação. Exº: O saldo que a Cia. A tem na conta Investimentos na controlada Cia.B, deve ser eliminado contra o valor do Patrimônio Líquido da controlada Cia. B.

4 TÉCNICAS DE CONSOLIDAÇÃO
Aplicações na DEMONSTRAÇÃO do RESULTADO *DRE Todas as receitas e despesas decorrentes de negócios ocorridos entre a controladora e as controladas incluídas na consolidação, devem ser eliminadas a fim de que o resultado consolidado represente apenas o lucro ou prejuízo obtido nas operações com terceiros (estranhos ao grupo empresarial). Aplicações nas PARTICIPAÇÕES MINORITÁRIAS No balanço consolidado, se a controladora não tiver a totalidade das ações da controlada, o valor da participação dos minoritários será eliminado do Patrimônio Líquido consolidado, para que este reflita realmente a parte que pertence à controladora. A Participação Minoritária deverá ser destacada em um grupo separado do Patrimônio Líquido.

5 Consolidação das Demonstrações Contábeis I
C O N T A S CIA A CIA B CIA A *consolidado Disponível + Estoques 560 Duplicatas a Receber 460 Contas a Receber Cia B Investimentos na Cia B Imobilizado 700 TOTAL DO ATIVO 1.720 Dp.a Pagar+Empréstimo 840 Contas a Pagar à Cia A Patrimônio Líquido 880 TOTAL DO PASSIVO

6 Consolidação das Demonstrações Contábeis II
C O N T A S CIA A CIA B CIA A *consolidado Caixa e Bancos c/movtº 150 Duplicatas a Receber 280 Estoques de mercadorias 230 Investimentos na Cia B Imobilizado 410 TOTAL DO ATIVO 1.070 Fornecedores +Empréstimos 740 Participação de Minoritários (100 – 70) 30 Patrimônio Líquido 300 TOTAL DO PASSIVO

7 DEMONSTRAÇÃO das MUTAÇÕES do PATRIMÔNIO LÍQUIDO: DMPL
Obrigatória para as S/A de capital aberto. Mostra as variações ocorridas nas contas do Patrimônio Líquido da empresa. Exº: MUTAÇÕES CAPITAL SOCIAL RESERVAS Lucros / Prej. ACUMULADOS T O T A L Saldo Inicial ,00 - 21.234,00 ,00 + Lucro DRE 33.432,40 10% p/ Reservas 3.343,24 3.343,24- 0,00 30% dividendos 10.029,72- SALDOS FINAIS 41.293,44 ,68

8 Demonstração Consolidada dos Fluxos de Caixa
DEMONSTRAÇÃO OBRIGATÓRIA (S/A DE CAPITAL ABERTO), QUE DETALHA A MOVIMENTAÇÃO DE ENTRADAS E SAÍDAS DOS RECURSOS DISPONÍVEIS NUM CERTO PERÍODO. FINALIDADE BÁSICA  REVELAR A CAPACIDADE DA EMPRESA EM GERAR RECURSOS PARA FINANCIAR SUAS ATIVIDADES OPERACIONAIS; SUA CAPACIDADE EM HONRAR SUAS DÍVIDAS DE CURTO E DE LONGO PRAZO; SE SOBRAM RECURSOS PARA INVESTIMENTOS. ELABORAÇÃO DO DFC  MÉTODOS DIRETO E INDIRETO * A DIFERENÇA EXISTENTE NO MÉTODO INDIRETO C/ O DIRETO ESTÁ NA APRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS **QUALQUER QUE SEJA O MÉTODO ADOTADO, ESSAS INFOR MAÇÕES SERÃO DIVULGADAS NAS NOTAS EXPLICATIVAS.

9 DFC: ESTRUTURA DAS ATIVIDADES
OPERACIONAIS INVESTIMENTOS FINANCIAMENTOS E N T R A D A S E N T R A D A S E N T R A D A S Recebido de vendas Recebimento de em Recebimento de ven de produtos/serviços préstimo concedido -da de ações emitidas Recebimento de juros Recebimento de apli Recebimento de de aplicações cações em renda fixa empréstimos obtidos Dividendos recebidos Vendeu ações de 3ºs Recebido de doações Outros recebimentos Recebeu da venda de Recebido de integra menos Invest/Financ Ativo Imobilizado lizações de capital S A Í D A S S A Í D A S S A Í D A S Pagou aos fornecedores Pago compra de ações Pg imobilizado a prazo Pg serviços de terceiros Pg compra imobilizado Pg empréstimo obtido Recolhimento de tributos Pago compra de títulos Pg dividendos a sócios Pagamento de juros de de investimento Pago outras distribui- financiamentos obtidos Desembolso dos em ções aos sócios -préstimos concedidos

10 DFC da PETROBRÁS, em 31/12/2006 * R$ mil
1. ATIVIDADES OPERACIONAIS: Lucro Líquido do Exercício Depreciação, Participação de Minoritários, = Recursos líquidos gerados na atividade: 2. ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS: Dividendos pagos aos acionistas ( ) Financiamentos e Operações de mútuo, líq = Recursos líquidos gerados na atividade: ( ) 3. ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS: Investimentos na exploração e produção ( ) Idem no refino/transporte/outros ( ) = Recursos líquidos gerados na atividade: ( ) 4. VARIAÇÃO LÍQUIDA NO EXERCÍCIO (1-2-3): Disponibilidades no início do exercício Disponibilidades no fim do exercício 

11 DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO
BALANÇO SOCIAL: mesmo não sendo obrigatório, várias empresas já o publicam, em complemento ao seu desem penho socioeconômico, prestando contas à comunidade das suas ações e do seu relacionamento com a sociedade, quanto à evolução dos empregos, formação e treinamento do pessoal, condições de higiene e segurança, utilização e proteção dos recursos ambientais, sob a ÓTICA SOCIAL. DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Obrigatória para as S/A (capital aberto). A DVA tem a função de integrar informações econômicas, financeiras e sociais, evidenciando o Valor Adicionado total, ou seja, qual foi a riqueza gerada em dado período pela empresa e como ela foi distribuída aos beneficiários (salários e encargos sociais, impostos e taxas, juros pagos, dividendos e lucros retidos).

12 DVA da PETROBRÁS, em 31/12/2006 * R$ mil
I. GERAÇÃO DO VALOR ADICIONADO: Receita de Venda de produtos e serviços – Insumos de 3ºs: materiais,custos,energia ( ) = Valor Adicionado Bruto: – Depreciação e + Receitas Financeiras líq ( ) = VALOR ADICIONADO A DISTRIBUIR II. DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO: Pessoal: salários, encargos e participações Tributos: impostos, taxas, particip.governam Financiadores: juros, var.cambiais, afretamtº Acionistas: juros s/PL, dividendos, lucros ret = VALOR ADICIONADO DISTRIBUÍDO 


Carregar ppt "CONSOLIDAÇÃO das DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: NBC T8 e Instrução CVM 247"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google