A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

& Tecnologias M.José Loureiro 1 & Tecnologias Maria José Loureiro C.C. CRIE da Universidade de Aveiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "& Tecnologias M.José Loureiro 1 & Tecnologias Maria José Loureiro C.C. CRIE da Universidade de Aveiro."— Transcrição da apresentação:

1 & Tecnologias M.José Loureiro 1 & Tecnologias Maria José Loureiro C.C. CRIE da Universidade de Aveiro

2 & Tecnologias M.José Loureiro 2 objectivos participantes recolha dos resultados Resultados relevantes sumário Contextos diversificados resultados conclusões repercussões fundamentação teórica tecnologias aprendizagem interacção verbal

3 & Tecnologias M.José Loureiro 3 conteúdos aprendentes formadores ferramentas tarefas tecnologia aprendizagem interacção

4 & Tecnologias M.José Loureiro 4 “ Os alunos deveriam ser encaminhados para uma consciencialização das noções, reflectindo sobre elas, e verificando, em seguida, como essas noções se expressam em português. Estamos perante alunos cuja língua materna é o português, por conseguinte, o trabalho a realizar […] é o de reflexão […].” H. Ançã, 1993 aprendizagem da língua

5 & Tecnologias M.José Loureiro 5 “A língua […] apresenta-se, fundamentalmente como o lugar de debate e da confrontação de subjectividades.” O. Ducrot, 1969 “Le sens même de nos paroles doit être vu comme étant […] un moyen pour orienter le discours de l’autre, l’intention de dire ne se distinguant pas de l’intention de faire dire.” O. Ducrot, 1980 interacção verbal

6 & Tecnologias M.José Loureiro 6 Como mulheres e homens comuns, estamos envolvidos pela (e na) rede das tecnologias da informação e da comunicação que, continuadamente, nos apresentam versões e recortes de acontecimentos, que conduzem o nosso olhar e colocam na agenda do dia os assuntos sobre os quais vamos reflectir. (adaptado de P. Lopes, 2006) tecnologias

7 & Tecnologias M.José Loureiro 7 Sociedade da Informação Sociedade do Conhecimento Info alfabetização Literacia informática Literacia web Flexibilização do conhecimento Nova relação com o saber Decisão do sujeito sobre a aprendizagem

8 & Tecnologias M.José Loureiro Público: 6 alunos do 9ª ano (APAS) Software: PC Globo, Harvard Graphic, Private Tutor, processador de texto Disciplinas: Português, Francês, Inglês Objectivos: Estudos civilizacionais comparativos dos 3 países, produção de gráficos e relatórios Recolha de dados: diário de bordo, observação directa Resultados: Alta motivação dos alunos. Bons desempenhos dos alunos com maiores dificuldades alunos

9 & Tecnologias M.José Loureiro Público: 11 alunos do 12º ano francês Software: processador de texto Objectivos: leitura focalizada, contracção de texto, texto lacunar, sinon í mia, paron í mia, escrita expansiva, Recolha de dados: observação directa, videoscopia Resultados: Motivação acentuada dos alunos. Pouca dispersão no trabalho mediatizado por computador. Maior sensação de pertença ao grupo. Computador como ajuda indispensável (dicionários). Relações “afectivas” com o meio informático. alunos

10 & Tecnologias M.José Loureiro 10 Papel e lápis "C1- Não apaga! (a borracha). C2- Apaga pois. Nem que rasgue o papel. (risos) C1- Agora sujaste tudo. [...] C2- Lá vou eu apagar outra vez. Como é que é «sympathique»? É com y não é? C1- Não!... (duvida) Oh! Buuuf! (demonstra aborrecimento por ter de procurar no dicionário). C2- Isto hoje anda mesmo tudo a precisar de carvão... C1- Deve ser com y... Ah! E ainda por cima é com th... [...]” Computador "C1- «Robert compare les yeux»... não, não... 'pera aí... 'pera aí... «Robert compare le bleu des yeux de Carolina à celui de la mer»... C2- Não. devia ser «il». [...] C1- «Bleu de l'eau». Estamos sempre a repetir «mer... avec celui des yeux»...” Testemunhos

11 & Tecnologias M.José Loureiro 11 Trabalho mediatizado por computador O facto do trabalho no ecrã pertencer a todos é um factor concorrente para um acréscimo da qualidade da escrita. O texto no ecrã aglutina a atenção, reúne os alunos que se distanciam dele e mais facilmente detectam os erros cometidos.

12 & Tecnologias M.José Loureiro Público : 26 rapazes e 17 raparigas Lic. Ens. Ing/Port Plataforma : Web CT Disciplina : Tecnologia Educativa em Línguas Objectivos : Determinar a influência da utilização da metodologia blended-learning nas atitudes dos alunos em relação às TIC e na seu desempenho online Recolha de dados : observação directa, questionários, registos online, entrevistas Resultados : a maioria dos respondentes referiu ter mudado muito a sua atitude em relação às TIC e a apetência para a sua utilização depois da frequência da disciplina. A interacção assíncrona revelou-se eficaz e profícua tendo-se verificado uma boa organização das parcerias para o desenvolvimento das tarefas propostas. alunos

13 & Tecnologias M.José Loureiro 13 C10 Muito bem* "dizido"! Apoiado*! Queria aproveitar para dizer, um pouco na linha do que a Patrícia* expressa nesta mensagem, que me começa a parecer que* […] isto mesmo[…] No entanto*, […]; C11 Quanto a esta questão que o Tiago* e a Ana Maria* lançaram, e à qual a Elisa* respondeu, devo dizer que* estou mais de acordo* com a opinião dos primeiros[…]; C12 Discordo* de alguns aspectos referidos pela Sónia, nomeadamente* no que diz respeito ao facto de estarmos a […]; C 13 Elisa*, tens de te lembrar que também* […]; Os asteriscos de cores diferentes correspondem a diferentes tipos de interacções Os nomes são fictícios Testemunhos

14 & Tecnologias M.José Loureiro 14 metodologia blended-learning –desaparecimento de constrangimentos que podem inibir a participação por desconhecimento dos colegas –organização do trabalho online facilitada pelas relações presenciais existentes entre os intervenientes

15 & Tecnologias M.José Loureiro Público : 16 alunos Lic. Ens. Profs do 1º ciclo Plataforma : Blackboard e Scale Disciplina : Tecnologia Educativa Objectivos : Determinar a influência do trabalho online nas plataformas na capacidade de negociação e argumentação dos alunos e no seu desempenho escrito offline. Recolha de dados : observação directa, questionários, registos online, entrevistas Resultados : Em CHAT as interacções foram profícuas. Sucedem-se trocas em que predominam a monitorização do trabalho e o questionamento e justificação de opções e opiniões. No Fórum as contribuições são feitas numa linguagem cuidada. Os textos offline não melhoram pelo facto de se ter trabalhado online. alunos

16 & Tecnologias M.José Loureiro 16 ferramentas de interacção CHAT FORUM GRAPHER  ferramenta de mapas argumentativos ALEX  chat estruturado

17 & Tecnologias M.José Loureiro 17 qual é a tua opinião a propósito da afirmação 2 3 critico a afirmação 2 porque porque hoje em dia a ciencia fica muito cara!! será k realmente ficam baratos?? concordo com a afirmação 3 4 apoio a afirmação 3 porque até para salvar crianças muito doentes é necessário pagar baluyrdio!!ai a ciencia tb interviu? pk então ainda há este problema? (D1) "Achei muito útil a construção do gráfico, no GRAFER, pois permitiu construir um mapa de ideias bastante coerente e coeso! Esta forma de fazer um mapa de ideias é bastante aliciante, pois permite-nos organizar melhor as ideias que queremos transmitir, e assim, fazer com que os outros também percebam, correctamente, quais ideias e os argumentos contra e a favor, que queremos transmitir. Beijinhos” (A16). FORUM ALEX ( Chat estruturado ) não / tou a achar isto um cadito complicado pensa assim.. / como é que começa um texto? / não é logo c argumentos / né? é com algo introdutório / eu n acho que seja a 1 / :s eu acho q é 4 / o q achas? por um lado acho que seja / por outro acho que o 7 tb fazia sentido (D5)” CHAT Testemunhos

18 & Tecnologias M.José Loureiro 18 Plataforma SCALE Os alunos aderiram incondicionalmente à utilização da ferramenta para elaborar mapas argumentativos. Consideram que se trata de uma ferramenta essencial para a desconstrução, compreensão e estruturação de argumentos. O Chat estruturado ALEX orienta os alunos na interacção e na estruturação do pensamento, mas estes consideram que os modelos são um elemento perturbador do fluir da interacção e inibidor da espontaneidade e criatividade. Como tal, há perda notória dos ciclos de explanação e reptos, bem como clarificações e aprofundamento do tópico.

19 & Tecnologias M.José Loureiro 19 Os alunos desenvolvem a sua autonomia organizam melhor a informação de que dispõe com vista à resolução de problemas desenvolvem capacidades cognitivas mesmo que verbalizem pouco interesse, envolvem-se activamente no processo de aprendizagem o que leva a um maior rendimento e (sensação) de sucesso escolar As actividades online influenciam positivamente as atitudes dos aprendentes em relação às suas capacidades de trabalho com as TIC e à sua escrita Têm o efeito de consciencializar os alunos para a complexidade que as TIC que podem apresentar Um factor decisivo para o sucesso on-line é o grau de adesão às ferramentas e o nível de familiaridade que os alunos dizem ter com os computadores Conclusões

20 & Tecnologias M.José Loureiro Público: Grupos de cerca de professores de línguas da Zona Centro - país Software: Plataforma Trends/Prof2000 Objectivos: aprendizagem e reflexão sobre “a didáctica das l í nguas na aprendizagem a distância” Recolha de dados: observação directa, registos dos “fóruns”, “chats” Resultados: algumas reacções de receio e perda de iniciativa, mas grande partilha de informação e discussão com pares que compreendem exactamente as perspectivas apontadas pois têm o mesmo tipo de expectativas ou problemas Docentes

21 & Tecnologias M.José Loureiro 21 Plataforma Prof2000 Interacção em grande grupo Interacções simultâneas em grande grupo e em pequenos grupos

22 & Tecnologias M.José Loureiro 22 Olha já dei uma olhada à prova da “y” e à tua... não se importam que eu as comente? acho que o trabalho é mesmo isso [...] bom, e se começássemos a discussão? [...] Francisco Francisco, estás cá? [...] penso que acima de tudo temos de nos ambientar a ler na vertical e não na horizontal.... além disto, a cultura e os livros não tem que acabar só por causa da net. o que queres dizer com isso da horizontal e da vertical? [...] já reparaste que raramente lês um livo olhando em frente? eu acho que os computadores não colidem com os livros ou com a cultura EMBORA PAREÇA SER ESSA A IDEIA QUE SE ESTÁ A INSTALAR oooopsss, desculpa, não queria gritar. [...] Franciscooooo!!!!! desculpem, mas só agora é que me vou inteirar do vosso trabalho porque estive ocupado com a actividade anterior. na próxima 4ª feira digitarei o relatório. Ainda vai a tempo? Nomes fictícios Testemunhos

23 & Tecnologias M.José Loureiro da interacção formadores/ formandos 2. do Forum - discussão de ideias - elaboradas e aprofundadas 3. do feedback dos formadores 4. do contacto com uma nova tecnologia que altera perspectivas pedagógicas e didácticas 5. da formação organizada de uma forma intuitiva - baseada numa tecnologia com artefactos / utensílios variados Confusão dos debates online Incompreensão das tarefas propostas Falta de directividade da parte dos formadores Sensação de isolamento dos formandos mais distantes Falta de conhecimentos em relação aos utensílios informáticos Vantagens apontadas pelos formandos  Vantagens apontadas pelos formandos  importância Constrangimentos sentidos pelos  formandos Constrangimentos sentidos pelos  formandos os docentes os docentes consciencializam-se para a importância destes recursos, adquirem maiores competências práticas relativas ao seu manuseio e tendem a promover a aprendizagem pela autonomia e pela mudança

24 & Tecnologias M.José Loureiro 24 repercussões Trabalhos desta índole: constituem um contributo para validar estratégias de colaboração e de aprendizagem online; enriquecem o saber sobre o desenvolvimento de competências diversas em ambientes mediados por computador e/ou baseados na web e seu contributo na construção do conhecimento; constituem um ponto de partida para futuras investigações nesta área.

25 & Tecnologias M.José Loureiro 25 Novos paradigmas da aprendizagem presencial e baseada na web Colaboração Fluência tecnológica “uniqueness” Autonomia e criatividade As tecnologias provocam avanços significativos no ensino promovem processos de mudança fomentam a inovação educacional (OCDE; DAPP) oodle Conclusões gerais


Carregar ppt "& Tecnologias M.José Loureiro 1 & Tecnologias Maria José Loureiro C.C. CRIE da Universidade de Aveiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google