A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETO URBANIZAÇÃO DISPERSA E MUDANÇAS NO TECIDO URBANO Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Informações Demográficas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETO URBANIZAÇÃO DISPERSA E MUDANÇAS NO TECIDO URBANO Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Informações Demográficas."— Transcrição da apresentação:

1 PROJETO URBANIZAÇÃO DISPERSA E MUDANÇAS NO TECIDO URBANO Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Informações Demográficas

2 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade OBJETIVO Identificar a dispersão urbana no Estado de São Paulo com base nas informações sobre pendularidade fornecidas pelo Censo Demográfico de DEFINIÇÃO Os deslocamentos pendulares são definidos, segundo o Censo, como o trajeto dos indivíduos que trabalham ou estudam em um município diferente daquele em que residem.

3 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Recorte Analítico Optou-se por considerar os indivíduos com 15 anos ou mais. O Estado de São Paulo foi desagregado nas seguintes áreas: 3 Regiões Metropolitanas (São Paulo, Baixada Santista e Campinas), que totalizam 67 municípios; 11 Aglomerações Urbanas, compostas por 60 municípios; 518 municípios restantes, que integram o Estado de São Paulo.

4 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Deslocamentos Pendulares no Estado de São Paulo

5 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade

6 O Estado de São Paulo possuía, segundo o Censo Demográfico 2000, 27 milhões de pessoas de 15 anos ou mais, das quais 1,9 milhão realizavam desloca- mentos pendulares (7% da população). Deslocamentos intra-estaduais: representam 97% dos deslocamentos pendulares do Estado de São Paulo. Deslocamentos interestaduais: envolvem 62 mil pessoas (3% dos deslocamentos pendulares ocorridos no Estado).

7 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade De um total de 1,9 milhão de pessoas de 15 anos ou mais que realizavam deslocamentos pendulares no Estado, 1,4 milhão movimentavam-se entre os municípios das regiões ( 75% dos deslocamentos constituem movimentos intra-regionais). Praticamente 500 mil pessoas de 15 anos ou mais deslocavam-se entre as regiões paulistas (inter- regionais). RMSP: grande receptora dos fluxos pendulares inter- regionais – recebe em torno de 99 mil pessoas de 15 anos ou mais, principalmente da RMC, RMBS e AUs de Jundiaí, Sorocaba e São José dos Campos.

8 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Região Metropolitana de São Paulo – RMSP

9 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade

10 De um total de 13 milhões de pessoas com 15 anos ou mais, 1 milhão realizava deslocamentos pendulares (8% da população da RMSP nesta faixa etária). Porta de entrada de 1,1 milhão de pessoas de 15 anos ou mais que se deslocavam dos demais municípios do Estado (55% dos deslocamentos pendulares em São Paulo). Região do Estado com maior participação dos deslocamentos pendulares intra-regionais (96,5%). Município de São Paulo (MSP): principal receptor da pendularidade metropolitana – 673 mil pessoas se deslocavam de outros municípios do Estado para o MSP (61% dos movimentos da RMSP).

11 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Região Metropolitana da Baixada Santista – RMBS

12 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade

13 Praticamente 122 mil pessoas de 15 anos ou mais realizavam deslocamentos pendulares entre os nove municípios que integram a RMBS. Entre as áreas metropolitanas do Estado, é a região que apresenta a maior participação dos deslocamentos pendulares, em torno de 11,2%. A maior parcela dos deslocamentos (84%) ocorre dentro da própria RMBS, envolvendo mais de 100 mil pessoas nestes movimentos. Município de Santos: recebe 71 mil pessoas de 15 anos ou mais nas trocas pendulares.

14 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Região Metropolitana de Campinas – RMC

15 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade

16 De um total de 1,7 milhão de pessoas de 15 anos ou mais, 164 mil realizavam deslocamentos pendulares na RMC (9,5% do contingente populacional nesta faixa etária). A maior parcela destes deslocamentos (82%) ocorre dentro da própria região envolvendo em torno de 134 mil pessoas. Município de Campinas: é o que mais recebe população, aproximadamente 85 mil pessoas de 15 anos ou mais (50% dos movimentos ocorridos nesta metrópole).

17 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Deslocamentos Pendulares nas Aglomerações Urbanas

18 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade

19 De um total de 4,6 milhões de pessoas com 15 anos ou mais que residem nas AUs do Estado de São Paulo, 250 mil realizavam deslocamentos pendulares (5,4%). Predomínio dos movimentos pendulares intra- regionais. Maior participação dos movimentos intra- regionais: AUs de Ribeirão Preto, São José dos Campos, Sorocaba e Jundiaí, em torno de 70%. Apenas as AUs de Limeira/Rio Claro e Araçatuba exibem participações pequenas dos deslocamentos intra-regionais, de 30%.

20 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Principais Tendências Conclusão

21 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Existe, na dinâmica dos deslocamentos diários no Estado de São Paulo, uma tendência centrípeta que direciona a população para o município-sede regional e, em menor escala, para alguns municípios mais dinâmicos das regiões. Grande parte dos deslocamentos pendulares no Estado de São Paulo ocorre em distâncias inferiores a 100 quilômetros, entre origem e destino, ficando concentrados no âmbito intra-regional.

22 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Em 2000, 80,4% dos deslocamentos pendulares no Estado de São Paulo (1,5 milhão de pessoas de 15 anos ou mais) estão nas três RMs e nas AUs de Sorocaba, São José dos Campos e Jundiaí. Nas áreas metropolitanas, mais de 80% dos deslocamentos ocorrem dentro das próprias regiões, chegando a alcançar 96,5% na RMSP. Somente 12,6% envolvem os 518 municípios não integrantes das RMs ou AUs.

23 Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Se as tendências de pendularidade apontadas pelo Censo de 2000 se mantiverem, o Estado de São Paulo contará, em 2010, com uma população de 33 milhões de pessoas de 15 anos ou mais, das quais 2,3 milhões realizarão deslocamentos para trabalho ou estudo.


Carregar ppt "PROJETO URBANIZAÇÃO DISPERSA E MUDANÇAS NO TECIDO URBANO Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade Informações Demográficas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google