A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

QUALIDADE NA ATENÇÃO HOSPITALAR DANNIELLA DAVIDSON CASTRO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "QUALIDADE NA ATENÇÃO HOSPITALAR DANNIELLA DAVIDSON CASTRO."— Transcrição da apresentação:

1 QUALIDADE NA ATENÇÃO HOSPITALAR DANNIELLA DAVIDSON CASTRO

2 O QUE ERAM OS HOSPITAIS

3

4 Um caminho para a qualidade….

5 OS HOSPITAIS SÃO SEGUROS?

6

7

8 ORGANIZAÇÃO DA SAÚDE NO BRASIL A constituição Federal de 1988 passou a garantir o direito à saúde Garantiu a democracia na assistência à saúde Culminou com a implantação do SUS

9 OS HOSPITAIS SÃO SEGUROS? Concentração de agentes patogênicos Quantidade de equipamentos elétricos e de suporte à vida Profissionais humanos e passíveis de erro

10 OS HOSPITAIS SÃO SEGUROS?

11 Concentração de agentes patogênicos Quantidade de equipamentos elétricos e de suporte à vida Profissionais humanos e passíveis de erro

12 Histórico da Acreditação Hospitalar Colégio americano de cirurgiões Primeira avaliação :de 692 só 89 cumpriram os padrões Programa de padronização hospitalar – 1924 Procedimentos médicos e processos de trabalho Grande procura de especialidades após a segunda guerra mundial 1951-Criada a comissão conjunta de acreditação nos hospitais 1952 – Programa de acreditação hospitalar ONA_ Organização Nacional de Acreditação

13 ORGANIZAÇÃO NACIONAL DE ACREDITAÇÃO Organização privada Sem fins lucrativos De interesse coletivo Implantar e implementar a nível nacional um processo permanente de melhoria da qualidade na assistência à saúde Estimular todos os serviços de saúde a atingirem padrões mais elevados de qualidade, dentro do Processo de Acreditação

14 INSTITUIÇÕES ACREDITADORAS São empresas de direito privado credenciadas pela ONA que tem a responsabilidade de proceder à avaliação e à certificação da qualidade dos serviços de saúde em âmbito nacional.

15 ORGANIZAÇÃO DA SAÚDE NO BRASIL A constituição Federal de 1988 passou a garantir o direito à saúde Garantiu a democracia na assistência à saúde Culminou com a implantação do SUS

16 O SUS Unificou os sistemas de saúde Integrou e descentralizou ações e serviços Democratizou o acesso da saúde à população

17 O SUS Nova forma de gestão Romper com os sistemas tradicionais Mudança na lógica do atendimento Identificar pessoas em situação de risco Ética

18 INSTRUMENTOS LEGAIS NRs Manual de acreditação Hospitalar

19 MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Instrumento de avaliação da qualidade institucional Engloba todas as unidades do hospital É voluntário É sigiloso É periódico É reservado Apresenta padrões de qualidade para cada unidade É dividido em níveis Apresenta exigências

20 MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO Nível 1: Atendimento dos requisitos básicos (Segurança, estrutura, habilitação dos profissionais) Nível 2: Planejamento da assistência (Atividades de apoio, treinamento, controle, auditoria, manuais, rotinas) Nível 3: Política institucional (Novas tecnologias, avaliação técnica dos profissionais, grau de satisfação do usuário)

21

22 NÍVEIS DE CERTIFICAÇÃO Nível 1: Acreditado (atende aos requisitos básicos) Nível 2: Acreditado Pleno (requisitos básicos mais procedimentos padronizados) Nível 3: Acreditado com excelência (requisitos básicos, procedimentos padronizados mais indicadores )

23 VANTAGENS DA ACREDITAÇÃO Critérios e objetivos concretos e consistentes Adaptada à realidade brasileira Ferramenta para motivar e disseminar a qualidade Segurança para os pacientes e profissionais Reduz os riscos Acrescenta valor à imagem da Instituição Estratégia que agrega um diferencial em relação à concorrência

24 DO LADO DOS PACIENTES....

25 O Paciente é a razão de ser do serviço de saúde? GESTÃO DO CUIDADO

26

27 Antes: Prontuário do médico Hoje: Prontuário do paciente

28 Segundo Malik e Schiesari (2011) “qualidade é atender (ou superar) as expectativas do cliente, é aquilo pelo que se está disposto a pagar,, é diminuir o risco para os pacientes, é sentir-se bem tratado. Qualidade deveria ser o resultado de um esforço para fazer a coisa correta no momento mais adequado e da maneira certa,, não ser vista como mais uma obrigação (pontual) ou o cumprimento de um requisito sem sentido.”

29 FERRAMENTAS DA ATENÇÃO E CUIDADO Acolhimento : Vínculo Humanização.

30 FERRAMENTAS DA ATENÇÃO E CUIDADO Acolhimento : Vínculo Humanização.

31 ACOLHIMENTO É uma tecnologia leve Escuta qualificada Compromisso com a resolução do problema de saúde Efeito de acolher, dar agasalho, recepcionar, dar consideração (Ferreira,

32 VÍNCULO

33 HUMANIZAÇÃO

34 11/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/2015 Morder o fruto amargo e não cuspir Mas avisar aos outros o quanto é amargo Cumprir o trato injusto e não falhar Mas avisar aos outros o quanto é injusto Sofrer o esquema falso e não ceder Mas avisar aos outros o quanto é falso Dizer também que são coisas mutáveis E quando em muitos a noção pulsar Do amargo, injusto e falso por mudar Então, confiar à gente exausta o plano De um mundo novo e muito mais humano! (Geir Campos) TAREFA

35 11/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/201511/1/2015 OBRIGADA. QUALIDADE NA ATENÇÃO HOSPITALAR

36


Carregar ppt "QUALIDADE NA ATENÇÃO HOSPITALAR DANNIELLA DAVIDSON CASTRO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google