A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Setúbal, 19 de Setembro de 2008 Região de Setúbal – Oportunidades de Desenvolvimento José Honório – Presidente da Comissão Executiva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Setúbal, 19 de Setembro de 2008 Região de Setúbal – Oportunidades de Desenvolvimento José Honório – Presidente da Comissão Executiva."— Transcrição da apresentação:

1 Setúbal, 19 de Setembro de 2008 Região de Setúbal – Oportunidades de Desenvolvimento José Honório – Presidente da Comissão Executiva

2 As indústrias florestais portuguesas representam 4,2 mil milhões de euros anuais de valor acrescentado Madeira e Cortiça Floresta Mobiliário Pasta e papel, edição e impressão Total 0,40%1,24%2,70%0,54% 0,14%1,33%2,29%0,49% Percentagem do PIB Valor acrescentado milhões EUR Percentagem do PIB Valor acrescentado milhões EUR ,51% 0,33% *Total para os 25 países da União Europeia, exclui Bulgária e Roménia Fonte:Eurostat; Boletim Mensal de Actividade Económica – Janeiro de 2007 EU* Portugal

3 EU* As indústrias florestais são responsáveis por cerca de 190 mil postos de trabalho em Portugal Contribuição para o emprego (excluindo proprietários florestais) Milhares 0,24%1,27%3,60%1,11% 0,24%0,91%3,09%0,62% Percentagem do total Milhares ,98% 1,32% Madeira e Cortiça Floresta Mobiliário Pasta e papel, edição e impressão Total 400 mil proprietários florestais estimados *Total para os 25 países da União Europeia, exclui Bulgária e Roménia Fonte:Eurostat; Boletim Mensal de Actividade Económica – Janeiro de 2007

4 As indústrias florestais são responsáveis por mais de nove por cento das exportações nacionais e 3% das exportações comunitárias *Total para os 27 países da União Europeia **Exportações para fora da U.E., não inclui trocas intra-comunitáriasFonte: Eurostat, dados de 2007 MadeiraCortiçaPasta e papelTotalMobiliário (Flor.) E.U.* 2,3%0,8%9,3%4,3% 0,04%0,7%3,2%1,7% Percentagem das exportações totais Milhões EUR Valor ** milhões EUR ,0% 0,8% Percentagem das exportações totais Portugal

5 Este sector é fundamental na estratégia económica nacional Fonte:Eurostat Exportações Milhões Eur Máquinas e M.Eléctrico UWF Produtos Minerais Ind. Alimentar Metais Madeira e Cortiça Ind. Química Prod. Reino Animal Prod. Reino Vegetal Óptica e Fotografia Peles e Couros Veiculos, O.M.Transporte Plásticos e Borracha Texteis Calçado Vidros e Cerâmica Pasta e Papel Mobiliário Exportações e independência face ao exterior por sector, 2007 Independência face ao exterior * * (Exportações / Importações)*100 Média

6 O Grupo Portucel Produção de Papel Produção de Pasta Volume de Negócios (2007) Exportações (2007) Capitalização Bolsista ( ) Um Produtor Líder Europeu: 1,1 milhões de toneladas 1,4 milhões de toneladas 1,1 mil milhões 1,0 mil milhões 1,6 mil milhões

7 O Grupo Portucel Gestão de 120 mil hectares de espaços florestais Responsável por 57% da floresta portuguesa certificada Maior número de árvores plantadas em Portugal Utilização e valorização de 87% de resíduos industriais produzidos Cerca de Gwh de electricidade gerada em 2007, 92% das quais a partir de biomassa Produção de 55% da energia eléctrica proveniente da biomassa, em Portugal Um Exportador de Valor Acrescentado Nacional (I):

8 O Grupo Portucel Maior exportador de contentores de Portugal e da Península Ibérica com 6,2% de carga contentorizada em 2007 (12,5 % estimada para 2012) Em 2007 representou 7,4% do volume total movimentado nos portos portugueses (10% estimado para 2012) Vendas de Pasta e de Papel para 82 países 1952 colaboradores Milhares de postos de trabalho indirectos mantidos nas áreas da Silvicultura, Logística, Manutenção Industrial, Engenharia e Consultoria Um Exportador de Valor Acrescentado Nacional (II):

9 Volume de Negócios por área ,147 Milhões EUR * Inclui actividade florestal EUR/USD = 1.541

10 Floresta Pasta Papel Canais de Distribuição Consumidores Cadeia de Valor Integração da floresta até ao papel tendo o consumidor como objectivo. R&D Energia

11 120 mil ha sob gestão (74% de Eucalyptus Globulus) Produção de madeira de Eucalyptus para fornecimento às fábricas do Grupo Silvicultura sustentável baseada nas melhores práticas e know-how Produção de cortiça e de vinho, bem como de outras produções agro-florestais, para suporte da biodiversidade Floresta: O Grupo gere 57% da Floresta Portuguesa Certificada Floresta Certificada pelo FSC FSC-Forest Stewardship Council

12 Fonte: grupo Portucel O Grupo possui 3 unidades fabris de dimensão internacional e tecnologia sofisticada Cacia Figueira Setúbal Pasta – t Pasta– t / Papel t Pasta– t / Papel t Estrutura produtiva industrial

13 Qualidade dos activos Europeus de UWF O Grupo dispõe dos activos industriais de melhor qualidade da Europa. As maiores máquinas do Grupo estão entre as mais eficientes do Mundo, na produção de papel fino de impressão e escrita. Fonte: Jaakko Pöyry Consulting Grupo Portucel vs pares

14 Fonte: Hawkins Wright, March 2008 and Companies information Bleached Eucalyptus Kraft Pulp (BEKP) – Ranking Mundial (2007) Capacidade instalada de BEKP Capacidade de pasta para mercado O Grupo Portucel é o 3º produtor mundial de BEKP e o 6º em termos de pasta para mercado O Grupo Portucel é o 1º produtor Europeu de BEKP e o 2º em termos de pasta para mercado (*) Inclui 50% da Veracel

15 Principais produtores Europeus de papel uncoated woodfree Existiu no sector consolidação significativa nos últimos 15 anos Quota top 5: 27% 2004 Quota top 5: 57% Quota top 5: 33% Kymmene MoDo Enso Stora IP Veitsiluoto PWA Neusiedler Arkhangelsk Inapa Stora Enso M-real Mondi International Paper Portucel UPM Arctic Zicunaga Exacompta Clairefontaine Burgo Kymmene MoDo IP Enso Veitsiluoto Neusiedler Stora Soporcel SCA Inapa tons - Quota top 5: 60% 2009 Portucel International Paper Stora Enso Mondi BP UPM M-real Arctic paper Zicuñaga Clairefontaine

16 Subsidiárias - Front offices Back offices U.S.A Rede de Vendas Norwalk, CT Setúbal Figueira Verona Madrid Londres Paris Amsterdão Colónia Viena Europa Pessoas por km

17 A energia gerada nos três Complexos Fabris torna o Grupo mais do que auto-sustentável para as suas actividades industriais Cerca de 92% da energia gerada é obtida a partir de biomassa florestal e derivados Em 2007, o Grupo produziu aproximadamente 55% de toda a energia gerada a partir de biomassa em Portugal, o equivalente ao consumo médio de 400 mil pessoas Energia Produção de EnergiaTotal GWh Biomassa GWh % renovável ,4% %

18 Investigação & Desenvolvimento – Instituto Raiz RAIZ, uma organização sem fins lucrativos estabelecida em 1996, constitui uma plataforma de pesquisa líder em Portugal trabalhando inserida numa rede a nível do sector e várias universidades nacionais e internacionais. A sua missão é a de melhorar a competitividade através de: Investigação Aplicada Suporte Tecnológico Formação Especializada Os seus principais objectivos são: Gestão Florestal Sustentável Protecção Ambiental Melhoramento Genético da espécie Melhoria da Qualidade da Pasta e de Papel

19 As Fábricas do Grupo cumprem as mais exigentes normas ambientais, incluindo a regulamentação IPPC, em vigor desde Outubro de Nos últimos 5 anos, mais de 150 milhões de euros de investimentos ambientais permitiram conciliar desenvolvimento com a melhoria de desempenho ambiental. Desempenho Ambiental IMPACTO AMBIENTAL Consumo de água-37% Combustíveis fosseis-49% Emissão de CO2 fóssil-40% PRODUÇÃO Papel+12% Pasta+8%

20 Responsabilidade social e ambiental Membro do World Business Council for Sustainable Development Membro fundador do BCSD Portugal - Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável Sócio fundador da RSE Portugal Integra o Global Compact das Nações Unidas Adere aos Objectivos do Milénio - carta de compromisso no âmbito da promoção de boas práticas de responsabilidade social Adesão ao Countdown 2010: Global Action for Biodiversity Assinatura do protocolo de Biodiversidade com o ICNB – Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade

21 Recursos Humanos – peça chave da performance do Grupo Distribuição dos Colaboradores pelas principais áreas (%) Qualificação de Quadros Superiores Colaboradores altamente qualificados e motivados constituem um dos factores críticos de sucesso do Grupo Distribuição dos Colaboradores por categoria (%)

22 Principal Actividade Logística > volumes totais do Grupo O Grupo prevê movimentar em 2008 um total de K tons, K tons de Madeira, 527 K tons de Pasta, K tons de Papel e 27 K tons de outros produtos.

23 As K tons em 2007 representaram um total de cargas; rodoviárias, marítimas e ferroviárias. Principal Actividade Logística > volumes totais do Grupo

24 Principal Actividade Logística > Modo de expedição (Madeira) Em 2008, prevemos a movimentação de 79% do volume de Madeira por via rodoviária, 13% por via marítima e 8% por via ferroviária. A percentagem do transporte por via marítima aumentará camiões/ano 633 Camiões/dia vagons/ano 62 vagons/dia contentores equivalente /ano 113 contentores equivalente /dia

25 Principal Actividade Logística > Volumes de pasta Em 2007 movimentámos 577 K tons e exportámos 91% deste volume.

26 Principal Actividade Logística > Modo de transporte (Pasta) Estas 577 K tons em 2007 representaram cargas. Cerca de 81 % dos volumes foram movimentados por via marítima, 16% por via rodoviária e apenas 3% por via ferroviária.

27 Principal Actividade Logística > Volumes de papel As expedições de papel têm aumentado ao longo dos anos e em 2007 atingiram as K tons. Fornecemos produtos a 81 mercados em todo o mundo num total de pontos de entrega. Com a ATF (nova Fábrica de Papel) as expedições de papel crescerão 50%.

28 Principal Actividade Logística > Mercados de Papel FRANCE ESPANHA ALEMANHA ITÁLIA REINO UNIDO PORTUGAL HOLANDA BÉLGICA SUÍÇA GRÉCIA SAN MARINO AUSTRIA DINAMARCA CROACIA REPÚBLICA CHECA LITUANIA POLÓNIA LETÓNIA NORUEGA CYPRUS ESTONIA SUÉCIA LUXEMBURGO BULGARIA IRLANDA MALTA ESLOVENIA ESLOVAQUIA FINLANDIA ROMENIA HUNGRIA ARMENIA SERVIA MACEDONIA ISLANDIA RUSSIA MARROCOS ANGOLA TUNISIA EuropaÁfrica América do Norte Outros Mercados EGIPTO TURQUIA ARABIA SAUDITA ARGELIA MEXICO SIRIA EAU COREIA COSTA RICA IRAO HONG KONG ISRAEL TRINIDAD BAHRAIN GUATEMALA REUNIAO QATAR JORDANIA KUWAIT JAPÃO GUADALOUPE INDIA CHINA MARTINICA SUDAO AUSTRALIA BRUNEI ANTILHAS HOL NIGERIA EQUADOR SINGAPURA NICARAGUA AFRICA DO SUL LIBIA BARBADOS JAMAICA HONDURAS GUIANA FRANCESA CONGO PERU Mercados regularmente servidos pela actividade Papel do Grupo em EUA

29 Principal Actividade Logística > Modo de expedição (Papel) O volume de vendas de papel em 2007, K tons, representou um total de cargas ( cargas de transporte primário e de transporte secundário). No transporte primário, cerca de 63% foi efectuado por via rodoviária, 36% por via marítima e apenas 1% por via ferroviária. No entanto, a via ferroviária é muito importante para transportar mercadorias das Fábricas para os Portos c ontentores/ano 66 contentores/dia 456 contentores/ano 2 contentores/dia Camiões/ano 115 Camiões/dia

30 Principal Actividade Logística > Plataformas (Papel) Europa Persons per square Km Figueira da Foz Rennes Le Havre Paris Livorno Basileia Limburg Nuremberga Moerdijk Felixstowe Grangemouth Valencia Fábrica Plataforma Marítima Plataforma Rodoviária Setúbal Bristol Irun Madrid Barcelona Para garantir Serviço, o Grupo utiliza 15 plataformas (9 plataformas rodoviárias e 6 plataformas marítimas) ligadas online por toda a Europa. A partir dessas plataformas, o Grupo efectuou cargas de transporte secundário por via rodoviária.

31 Principal Actividade Logística > Plataformas (Papel)..... Los Angeles Houston Savannah Baltimore Port Elizabeth O Grupo utiliza 5 plataformas nos Estados Unidos para servir tanto a costa oriental como a costa ocidental.

32 Principal Actividade Logística > Movimentos portuários O Grupo movimentou tons em Portos portugueses e prevê movimentar tons no corrente ano. Em 2007, o gPS representou 7,4% do volume total dos Portos Portugueses (carga a granel e contentores). Esta percentagem aumentará provavelmente para 10%, em 2008.

33 Principal Actividade Logística > Movimentos portuários O Grupo é o maior exportador por contentores em Portugal e muito provavelmente na Península Ibérica. Em 2007, o gPS representou 6,2% do volume total de carga contentorizada exportada pelos Portos Portugueses. Até 2012, prevê-se que esta percentagem aumente para 12,1%. 26,9% 3,7% 2,7% 5,4% 88,8% Total gPS = 6,2% Set ú bal Sines Leixões Figueira Lisboa 75,3% 9,8% 2,6% 14,8% 79,1% Total gPS = 12,1% gPS 2012gPS 2007Total 2007 Port

34 Principal Actividade Logística > Projecto Logístico ATF Vendas adicionais de tons/ano O nosso plano no transporte rodoviário é reduzir de 63% para 50%. O nosso plano no transporte marítimo é aumentar de 36% para 49%, no futuro. Aumentaremos cerca de contentores por ano A rede de plataformas será adaptada às necessidades de serviço, tanto em termos de número como de localização. O caminho de ferro será essencial para transportar mercadorias das fábricas para os portos. A utilização do caminho de ferro para entregas a clientes depende da melhoria da rede ferroviária do Sul da Europa Com a nova Máquina de Papel o Grupo terá mais 500 K tons de vendas de papel.

35 Setúbal, 19 de Setembro de 2008 Região de Setúbal – Oportunidades de Desenvolvimento José Honório – Presidente da Comissão Executiva


Carregar ppt "Setúbal, 19 de Setembro de 2008 Região de Setúbal – Oportunidades de Desenvolvimento José Honório – Presidente da Comissão Executiva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google