A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Teontologia Curso de Formação Ministerial Teologia da Igreja de Nova Vida Prof.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Teontologia Curso de Formação Ministerial Teologia da Igreja de Nova Vida Prof."— Transcrição da apresentação:

1 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Teontologia Curso de Formação Ministerial Teologia da Igreja de Nova Vida Prof. Martinho Lutero Semblano Aula 01

2 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Sobre a abordagem básica da disciplina “Teologia” neste curso Sobre a abordagem básica da disciplina “Teologia” neste curso Sobre a impossibilidade da teologia Sobre a impossibilidade da teologia

3 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano As quatro seções da teologia: As quatro seções da teologia: Teologia Sistemática Teologia Sistemática Teologia Bíblica / Exegética Teologia Bíblica / Exegética Teologia Prática Teologia Prática Teologia Histórica Teologia Histórica

4 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Áreas de estudo da Teologia Sistemática Áreas de estudo da Teologia Sistemática Prolegômenos Prolegômenos Bibliologia Bibliologia Teontologia Teontologia Trinitarianismo Trinitarianismo Angelologia Angelologia Criacionismo Criacionismo

5 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Antropologia Teológica Antropologia Teológica Hamartiologia Hamartiologia Cristologia Cristologia Soterologia Soterologia Pneumatologia Pneumatologia Eclesiologia Eclesiologia Escatologia Escatologia

6 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano θεός (“Deus”) + ὄ ντος (“ente”), genitivo do verbo ε ἰ μί (“ser, estar”) + λóγος “palavra, estudo” θεός (“Deus”) + ὄ ντος (“ente”), genitivo do verbo ε ἰ μί (“ser, estar”) + λóγος “palavra, estudo” Teontologia

7 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Neste estudo veremos as razões pelas quais podemos crer na sua existência, e sobre tudo o que ele demonstra através de suas revelações ao homem, documentadas na bíblia que tomamos como regra única de fé e prática. É óbvio que cada ser humano teria uma visão diferente de Deus, e muitos o fazem conforme suas imagens e semelhanças, ao invés do contrário. E é por isto que hoje temos esta “bússola” chamada Bíblia. Neste estudo veremos as razões pelas quais podemos crer na sua existência, e sobre tudo o que ele demonstra através de suas revelações ao homem, documentadas na bíblia que tomamos como regra única de fé e prática. É óbvio que cada ser humano teria uma visão diferente de Deus, e muitos o fazem conforme suas imagens e semelhanças, ao invés do contrário. E é por isto que hoje temos esta “bússola” chamada Bíblia.

8 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Argumentos sobre a existência de Deus, além do Escriturístico Argumentos sobre a existência de Deus, além do Escriturístico Argumento Ontológico (da necessidade de um ser perfeito) Argumento Ontológico (da necessidade de um ser perfeito) Argumento Cosmológico Argumento Cosmológico

9 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Argumento Teleológico (necessidade de um ser inteligente para ter havido uma criação talç detalhada...) Argumento Teleológico (necessidade de um ser inteligente para ter havido uma criação talç detalhada...) Argumento Moral Argumento Moral

10 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Argumento Argumento Histórico-Antropológico Histórico-Antropológico

11 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano A cognoscibilidade de Deus A cognoscibilidade de Deus O primeiro passo para estudarmos sobre Deus é reconhecer que é impossível conhecê-lo exatamente como ele é, pois Deus é um ser i.... O primeiro passo para estudarmos sobre Deus é reconhecer que é impossível conhecê-lo exatamente como ele é, pois Deus é um ser i....

12 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Ao contrário da Teologia da Imanência (Hegel, Schleiermacher), Deus é Transcendente (Calvino). Ao contrário da Teologia da Imanência (Hegel, Schleiermacher), Deus é Transcendente (Calvino). Auto-revelação: Kuyper dizia que, ao contrário dos demais tipos de conhecimento, na teologia... Auto-revelação: Kuyper dizia que, ao contrário dos demais tipos de conhecimento, na teologia...

13 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Karl Barth: “Não podemos encontrar Deus na n..., nem na h..., nem na e... humana de qualquer espécie: somente na “revelação especial” que chegou até nós na bíblia. Karl Barth: “Não podemos encontrar Deus na n..., nem na h..., nem na e... humana de qualquer espécie: somente na “revelação especial” que chegou até nós na bíblia.

14 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Por seu imenso amor ele se revelou em uma linguagem compreensível a nós, anotada nas E... S..., sendo este o ponto elementar do c... de Deus. Por seu imenso amor ele se revelou em uma linguagem compreensível a nós, anotada nas E... S..., sendo este o ponto elementar do c... de Deus.

15 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Por exemplo, Deus fala sobre si mesmo “Eu sou Santo”, então podemos afirmar que Deus é santo. Santidade, então, é um atributo de Deus, pois é uma qualidade que podemos atribuir a ele, e assim por diante. Por exemplo, Deus fala sobre si mesmo “Eu sou Santo”, então podemos afirmar que Deus é santo. Santidade, então, é um atributo de Deus, pois é uma qualidade que podemos atribuir a ele, e assim por diante.

16 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Substância

17 “Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.24).

18 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Sendo assim, vemos que Deus não está sujeito as limitações que o corpo determina ao ser humano, como, por exemplo, a existência biológica. Sendo assim, vemos que Deus não está sujeito as limitações que o corpo determina ao ser humano, como, por exemplo, a existência biológica.

19 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Deste modo, ele não pode ser visto: Deste modo, ele não pode ser visto: “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou” (Jo 1.18)

20 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Ainda assim, ele pode se manifestar de uma maneira perceptível ao homem: Ainda assim, ele pode se manifestar de uma maneira perceptível ao homem:

21 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “E subiram Moisés, e Arão, e Nadabe, e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel. E viram o Deus de Israel, sob cujos pés havia uma como pavimentação de pedra de safira, que se parecia com o céu na sua claridade” (Ex ).

22 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Apesar de ser um espírito, Jesus falou que Deus tem forma, apesar de que ninguém ainda a viu: Apesar de ser um espírito, Jesus falou que Deus tem forma, apesar de que ninguém ainda a viu:

23 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “O Pai, que me enviou, esse mesmo é que tem dado testemunho de mim. Jamais tendes ouvido a sua voz, nem visto a sua forma” (Jo 5.37).

24 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “E acrescentou: Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá” (Ex 33.20).

25 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Por isso a bíblia se opõe contra as imagens que os homens fazem, tentando dar uma forma ao que nunca viram e ainda chegam a prestar culto: Por isso a bíblia se opõe contra as imagens que os homens fazem, tentando dar uma forma ao que nunca viram e ainda chegam a prestar culto:

26 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem” (Ex ).

27 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Por isso devemos adorar a Deus em espírito, prestando-lhe um culto racional. Por isso devemos adorar a Deus em espírito, prestando-lhe um culto racional.

28 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto” (Ex 20.4).

29 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1).

30 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Atributos incomunicáveis (absolutos, intransitivos, naturais)

31 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 1º atributo incomunicável: Onipotência 1ª parte

32 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano P OTENTIA D EI ABSOLUTA : Deus exercita todo poder desejado conforme sua exclusiva vontade. P OTENTIA D EI ABSOLUTA : Deus exercita todo poder desejado conforme sua exclusiva vontade.

33 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano P OTENTIA D EI ORDINATA : poder para realizar o que desejar, além das delimitações que se auto-ordenou (autodelimitações), à saber P OTENTIA D EI ORDINATA : poder para realizar o que desejar, além das delimitações que se auto-ordenou (autodelimitações), à saber

34 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 1ªautodelimitação

35 “Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá?” (Nm 23.19).

36 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano “Para que, mediante duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, forte alento tenhamos nós que já corremos para o refúgio, a fim de lançar mão da esperança proposta” (Hb 6.18).

37 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 2ªautodelimitação

38 “Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta” (Tg 1.13).

39 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 3ªautodelimitação

40 “Se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar- se a si mesmo” (2Tm 2.13).

41 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 4ªautodelimitação

42 “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” (Tg 1.17).

43 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 5ªautodelimitação

44 “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8.1)

45 CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano 6ªautodelimitação

46 “Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” (Jo ).


Carregar ppt "CFM - Teologia da Igreja de Nova Vida - Prof. Martinho Lutero Semblano Teontologia Curso de Formação Ministerial Teologia da Igreja de Nova Vida Prof."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google