A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Www.viriatosoromenho- marques.com 1 ÉTICA, CRISE DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Curso de Versão, ISEG-UTL Lisboa, 10 e 11 de Julho de 2008 Viriato.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Www.viriatosoromenho- marques.com 1 ÉTICA, CRISE DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Curso de Versão, ISEG-UTL Lisboa, 10 e 11 de Julho de 2008 Viriato."— Transcrição da apresentação:

1 marques.com 1 ÉTICA, CRISE DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Curso de Versão, ISEG-UTL Lisboa, 10 e 11 de Julho de 2008 Viriato Soromenho-Marques (Universidade de Lisboa)

2 marques.com2 ÍNDICE DAS MATÉRIAS 1. De onde partimos. 1. De onde partimos. 2. O que é o domínio ético? 2. O que é o domínio ético? 3. O que é a crise ambiental? 3. O que é a crise ambiental? 4. O desenvolvimento sustentável: interrogações em torno de um projecto. 4. O desenvolvimento sustentável: interrogações em torno de um projecto. 5. Que obstáculos éticos ao desenvolvimento sustentável? 5. Que obstáculos éticos ao desenvolvimento sustentável? 6. O princípios para a sustentabilidade. 6. O princípios para a sustentabilidade.

3 marques.com3 De onde partimos? (1) >A sombra da falha de engenho (ingenuity gap). Declínio do prometeísmo. >Uma Era Palimpsesto? Sobreposição, simultânea e contraditória, de representações. >Fragmentação dos grandes modelos éticos: A valsa das éticas (C. Beckert).

4 marques.com4 De onde partimos? (2) >Niilismo experimentado como neutralização de valores e normas. >Declínio políticas públicas: governar para o mercado (M. Foucault). >Anarquia madura sistema internacional (A. Moreira).

5 marques.com5 O axioma do prometeísmo… (…) A humanidade só se coloca tarefas que está em condições de solucionar… (…) stellt sich die Menschheit nur Aufgaben, die sie lösen kann…), K. Marx, Zur Kritik der politischen Ökonomie, 1859

6 marques.com6 …ou uma tarefa excessiva? Nós estamos, de facto, a disputar uma corrida entre o mais tenaz pensamento imaginativo – ou aquilo que eu chamo engenho – e as crescentemente expansivas complicações do nosso mundo. E em demasiado sítios e assuntos críticos nós estamos a perder a corrida., Thomas Homer- Dixon, Ingenuity Theory: Can Humankind create a Sustainable Civilization?, 2003 Nós estamos, de facto, a disputar uma corrida entre o mais tenaz pensamento imaginativo – ou aquilo que eu chamo engenho – e as crescentemente expansivas complicações do nosso mundo. E em demasiado sítios e assuntos críticos nós estamos a perder a corrida., Thomas Homer- Dixon, Ingenuity Theory: Can Humankind create a Sustainable Civilization?, 2003

7 marques.com7 O que é o domínio ético? (1) A ética no quadro da racionalidade prática. Relações com Direito e Política. Gesinnungsethik versus Verantwortungsethik (Weber, 1919). A ética no quadro da racionalidade prática. Relações com Direito e Política. Gesinnungsethik versus Verantwortungsethik (Weber, 1919). A ética como poder mundano. A eficácia invisível. A ética como poder mundano. A eficácia invisível.

8 marques.com8 O que é o domínio ético? (2) "A ética, enquanto doutrina do homem, torna-se no centro da filosofia" (Die Ethik, als die Lehre vom Menschen, wird das Zentrum der Philosophie) (H. Cohen, 1904: 1). "A ética, enquanto doutrina do homem, torna-se no centro da filosofia" (Die Ethik, als die Lehre vom Menschen, wird das Zentrum der Philosophie) (H. Cohen, 1904: 1). "A unidade do homem consiste e realiza-se na unidade da acção" (In der Einheit der Handlung vollzieht sich und besteht die Einheit des Menschen) (H. Cohen, 1904: 80). "A unidade do homem consiste e realiza-se na unidade da acção" (In der Einheit der Handlung vollzieht sich und besteht die Einheit des Menschen) (H. Cohen, 1904: 80).

9 marques.com9 Caracterização do domínio ético (1) Ética como deliberação racional. Ética como deliberação racional. Ética como problematização do agir. Ética como problematização do agir. Ética visa Grund, forma geral do agir. Ética visa Grund, forma geral do agir.

10 marques.com10 Caracterização do domínio ético (2) Ética, decisões difíceis, conflitos internos. Ética, decisões difíceis, conflitos internos. Ética: dever-ser<>lógica do consenso. Ética: dever-ser<>lógica do consenso. Ética: inclusão em comunidade universal. Ética: inclusão em comunidade universal.

11 marques.com11 Exemplos de princípios éticos A maximização dos bens para o maior número, J. Bentham. A maximização dos bens para o maior número, J. Bentham. Age apenas segundo uma máxima tal que possas ao mesmo tempo querer que ela se torne lei universal, Kant GzMS, Ak.IV, 421. Age apenas segundo uma máxima tal que possas ao mesmo tempo querer que ela se torne lei universal, Kant GzMS, Ak.IV, 421. Verantwortungsprinzip, Hans Jonas (1979) Verantwortungsprinzip, Hans Jonas (1979)

12 marques.com12 Ética e liberdade Estas leis da liberdade designam-se, para distinção relativamente às leis da Natureza, como morais. Na media em que elas não vão além das acções meramente exteriores e da sua conformidade à lei, elas chamam-se jurídicas; mas se exigem também que elas próprias (as leis) devam ser o princípio de determinação das acções, então elas são éticas (….) Kant, MS-RL, VI, 214. Estas leis da liberdade designam-se, para distinção relativamente às leis da Natureza, como morais. Na media em que elas não vão além das acções meramente exteriores e da sua conformidade à lei, elas chamam-se jurídicas; mas se exigem também que elas próprias (as leis) devam ser o princípio de determinação das acções, então elas são éticas (….) Kant, MS-RL, VI, 214.

13 marques.com13 A ética como poder invisível no mundo A ética como proposta de mundo (Sein/Sollen). A ética como proposta de mundo (Sein/Sollen). A ética como alargamento de uma comunidade de agentes. A ética como alargamento de uma comunidade de agentes. A ética como construção da identidade pessoal. A ética como construção da identidade pessoal. A ética como demanda da habitação humana, Heimat, Chez-soi. A ética como demanda da habitação humana, Heimat, Chez-soi.

14 marques.com14 Ética e Natureza "Ela [a filosofia] sempre se preocupou com a acção humana enquanto ela foi uma acção do homem para com o homem, mas muito pouco com o homem como uma força actuante na Natureza" (Sie hat sich seit je mit dem menschlichen Handeln befasst, soweit es ein Handeln von Mensch zu Mensch war, aber kaum je mit dem Menschen als einer handelnden Kraft in der Natur) (Jonas, 1993: 36). "Ela [a filosofia] sempre se preocupou com a acção humana enquanto ela foi uma acção do homem para com o homem, mas muito pouco com o homem como uma força actuante na Natureza" (Sie hat sich seit je mit dem menschlichen Handeln befasst, soweit es ein Handeln von Mensch zu Mensch war, aber kaum je mit dem Menschen als einer handelnden Kraft in der Natur) (Jonas, 1993: 36).

15 marques.com15 Ética da Terra (1) "A ética da terra alarga simplesmente as fronteiras da comunidade [onde as relações éticas têm lugar] para [nela] incluir solos, águas, plantas e animais, ou colectivamente: a terra." (The land ethic simply enlarges the boundaries of the community to include soils, waters, plants, and animals, or collectively: the land) (Leopold, 1949: ). "A ética da terra alarga simplesmente as fronteiras da comunidade [onde as relações éticas têm lugar] para [nela] incluir solos, águas, plantas e animais, ou colectivamente: a terra." (The land ethic simply enlarges the boundaries of the community to include soils, waters, plants, and animals, or collectively: the land) (Leopold, 1949: ).

16 marques.com16 Ética da Terra (2) "Em resumo, a ética da terra modifica o papel do homo sapiens, de conquistador da comunidade-da-terra para simples membro e cidadão da mesma. Isso implica respeito pelos seus co-membros, e igualmente respeito pela comunidade como tal."(In short, a land ethic changes the role of homo sapiens from conqueror of the land-community to plain member and citizen of it. It implies respect for his fellow-members, and also respect for the community as such) (Leopold, 1949: 240). "Em resumo, a ética da terra modifica o papel do homo sapiens, de conquistador da comunidade-da-terra para simples membro e cidadão da mesma. Isso implica respeito pelos seus co-membros, e igualmente respeito pela comunidade como tal."(In short, a land ethic changes the role of homo sapiens from conqueror of the land-community to plain member and citizen of it. It implies respect for his fellow-members, and also respect for the community as such) (Leopold, 1949: 240).

17 marques.com17 Ética da Terra (3) A ética envolve uma noção de limite, voltada para a necessidade de cooperação e simbioseA ética envolve uma noção de limite, voltada para a necessidade de cooperação e simbiose O paradigma de Ulisses: Privilégios, sem obrigaçõesO paradigma de Ulisses: Privilégios, sem obrigações A comunidade como premissa e projecto da éticaA comunidade como premissa e projecto da ética A land ethic como alargamento e democratização da comunidade éticaA land ethic como alargamento e democratização da comunidade ética Valor ecológico e valor económico. As imagens da 'casa'Valor ecológico e valor económico. As imagens da 'casa'

18 marques.com18 Uma ética biocêntrica "[...] biocêntrico e não simplesmente antropocêntrico; A ética no Ocidente moderno consistiu quase inteiramente numa ética interhumana [...] e ignorou como os seres humanos se integram no mundo natural [...]. Nós necessitamos de uma ética ambiental, uma ética que possa encontrar uma integração satisfatória dos humanos nas mais largas comunidades da fauna e da flora" ([...] biocentric and not simply anthropocentric: Ethics in the modern West has consisted almost entirely of interhuman ethics [...] and has ignored how humans fit into the natural world. [...] We need an environmental ethics, one that can find a satisfactory fit for humans in the larger communities of fauna and flora) (Rolston, III, 1993: 252). "[...] biocêntrico e não simplesmente antropocêntrico; A ética no Ocidente moderno consistiu quase inteiramente numa ética interhumana [...] e ignorou como os seres humanos se integram no mundo natural [...]. Nós necessitamos de uma ética ambiental, uma ética que possa encontrar uma integração satisfatória dos humanos nas mais largas comunidades da fauna e da flora" ([...] biocentric and not simply anthropocentric: Ethics in the modern West has consisted almost entirely of interhuman ethics [...] and has ignored how humans fit into the natural world. [...] We need an environmental ethics, one that can find a satisfactory fit for humans in the larger communities of fauna and flora) (Rolston, III, 1993: 252).

19 marques.com19 Contra o primado da espécie (1) "O especieismo, por analogia com o racismo, deve ser igualmente condenado [...] é um preconceito ou uma inclinação para os interesses da sua própria espécie, contra os interesses dos membros de outras espécies" (Speciesism, by analogy with racism, must also be condemned [...] is a prejudice or attitude of bias toward the interests of members of one's own species and against those of members of other species) (Singer, 1975: 7). "O especieismo, por analogia com o racismo, deve ser igualmente condenado [...] é um preconceito ou uma inclinação para os interesses da sua própria espécie, contra os interesses dos membros de outras espécies" (Speciesism, by analogy with racism, must also be condemned [...] is a prejudice or attitude of bias toward the interests of members of one's own species and against those of members of other species) (Singer, 1975: 7).

20 marques.com20 Contra o primado da espécie (2) "Assim o limite da [qualidade de] "sentiente" (usando o termo como uma conveniente embora não estritamente precisa estenografia para a capacidade de sofrer ou experimentar prazer) é a única fronteira defensável relativamente à preocupação pelos interesses dos outros. Marcar essa fronteira através de algumas outras características, tais como inteligência ou racionalidade, seria traçá-la de um modo arbitrário" (So the limit of sentience (using the term as a convenient if not strictly accurate shorthand for the capacity to suffer and/or experience enjoyment) is the only defensible boundary of concern for the interests of others. To mark this boundary by some other characteristics like intelligence or rationality would be to mark it in an arbitrary manner) (Singer, 1975: 8-9). "Assim o limite da [qualidade de] "sentiente" (usando o termo como uma conveniente embora não estritamente precisa estenografia para a capacidade de sofrer ou experimentar prazer) é a única fronteira defensável relativamente à preocupação pelos interesses dos outros. Marcar essa fronteira através de algumas outras características, tais como inteligência ou racionalidade, seria traçá-la de um modo arbitrário" (So the limit of sentience (using the term as a convenient if not strictly accurate shorthand for the capacity to suffer and/or experience enjoyment) is the only defensible boundary of concern for the interests of others. To mark this boundary by some other characteristics like intelligence or rationality would be to mark it in an arbitrary manner) (Singer, 1975: 8-9).

21 marques.com21 Para uma viragem da ética O pressuposto indiscutido de que a ética era um assunto entre humanos, ou entre seres racionais parece não resistir à emergêcia da destruição da Natureza pela acção humana.O pressuposto indiscutido de que a ética era um assunto entre humanos, ou entre seres racionais parece não resistir à emergêcia da destruição da Natureza pela acção humana. Os paradigmas, ou para-paradigmas ecocêntrico, zoocêntrico e biocêntrico colocam a questão: será que teremos de alargar os titulares da categoria de agente ético, os quais, até agora, se confundiam com a condição humana e racional?Os paradigmas, ou para-paradigmas ecocêntrico, zoocêntrico e biocêntrico colocam a questão: será que teremos de alargar os titulares da categoria de agente ético, os quais, até agora, se confundiam com a condição humana e racional? Nas nossas relações com o mundo natural -- no mundo natural de que fazemos parte -- existe uma assimetria entre o saber e o poder, entre o défice de sabedoria e o excesso de poder.Nas nossas relações com o mundo natural -- no mundo natural de que fazemos parte -- existe uma assimetria entre o saber e o poder, entre o défice de sabedoria e o excesso de poder.

22 marques.com22 O que é a crise ambiental? Dimensão planetária Dimensão planetária Irreversibilidade Irreversibilidade Aceleração acumulativa Aceleração acumulativa Descontrolo crescente Descontrolo crescente Entre a entropia e a complexidade. Entre a entropia e a complexidade. Natureza ontológica e estrutural Natureza ontológica e estrutural

23 marques.com23 O que torna a crise ambiental invisível? Valores para além da ética: querer que assim seja… Esfera antepredicativa. Valores para além da ética: querer que assim seja… Esfera antepredicativa. Concepções e valores de Natureza: Lynn White, Jr., Concepções e valores de Natureza: Lynn White, Jr., Ciência como ideologia: o debate em torno do princípio da precaução (The Atlantic divide). Ciência como ideologia: o debate em torno do princípio da precaução (The Atlantic divide). Entre cost-benefit e prudência face à lack of full scientific certainty (Decl. Rio, 1992) Entre cost-benefit e prudência face à lack of full scientific certainty (Decl. Rio, 1992) Não há factos, só interpretações… (Nietzsche). Não há factos, só interpretações… (Nietzsche).

24 marques.com24 Exemplos recentes do choque de valores… O debate sobre OGM na UE e nos EUA O debate sobre OGM na UE e nos EUA Crise das cheias na Alemanha, Agosto/Setembro Crise das cheias na Alemanha, Agosto/Setembro Crise do Katrina, EUA, Crise do Katrina, EUA, Agosto/Setembro 2005.

25 marques.com25 Conflito de Valores e Crise ambiental? O debate incompleto: O debate incompleto: O princípio da esperança, Ernst Bloch (1959). Versus O princípio da responsabilidade, Hans Jonas (1979).

26 marques.com26 As raízes da crise ambiental em H. Arendt (1) A acção sobre a natureza substitui a fabricação: The moment we started natural processes of our own – and splitting the atom is precisely such a man-made natural process – we not only incresead our power over nature (..) but for the first time have taken into the human world as such and obliterated the defensive boundaries between natural elements and the human artifice by which all previous civilizations were hedged in. (Co.Hi., 60).

27 marques.com27 As raízes da crise ambiental em H. Arendt (2) A acção (num marco humano) transporta a irreversibilidade – que se corrige pelo perdão – e a imprevisibilidade, que se suaviza pela promessa. A acção (num marco humano) transporta a irreversibilidade – que se corrige pelo perdão – e a imprevisibilidade, que se suaviza pela promessa. A acção num marco natural não tem rede protectora: To act into nature, to carry human unpredictability into a realm where we are confronted with elemental forces which we shall perhaps never be able to control reliably, is dangerous enough. Even more dangerous would it be to ignore that for the first time in our history the human capacity for action has begun to dominate all others. (Co.Hi., 62). A acção num marco natural não tem rede protectora: To act into nature, to carry human unpredictability into a realm where we are confronted with elemental forces which we shall perhaps never be able to control reliably, is dangerous enough. Even more dangerous would it be to ignore that for the first time in our history the human capacity for action has begun to dominate all others. (Co.Hi., 62).

28 marques.com28 Défice ético da tecnociência O triângulo da tecnociência: O triângulo da tecnociência: Parcelização dos saberes. Parcelização dos saberes. Fragmentação das competências. Fragmentação das competências. Irresponsabilidade nas decisões. Irresponsabilidade nas decisões. O sindroma da Liga Hanseática: navegar é preciso, viver não é preciso… O sindroma da Liga Hanseática: navegar é preciso, viver não é preciso…

29 marques.com29 Crise ambiental e sociedade de risco Para além do risco como cálculo, passamos para a: MANUFACTURED UNCERTAINTY. Here the production of risks is the consequence of scientific and political efforts to control or minimize them., U. Beck, Para além do risco como cálculo, passamos para a: MANUFACTURED UNCERTAINTY. Here the production of risks is the consequence of scientific and political efforts to control or minimize them., U. Beck, Ninguém ao comando: bureaucracies are suddently unmasked and the alarmed public becomes aware of what they really are: FORMS OF ORGANIZED IRRESPONSIBILITY. U. Beck, Ninguém ao comando: bureaucracies are suddently unmasked and the alarmed public becomes aware of what they really are: FORMS OF ORGANIZED IRRESPONSIBILITY. U. Beck, 1998.

30 marques.com30 Entre o risco e a incerteza >O risco comensurável: conhecimento da distribuição das probabilidades (ex: acidentes de viação). Risco incomensurável ou incerteza (ex: OGM; alterações climáticas; resíduos e instalações nucleares). Risco incomensurável ou incerteza (ex: OGM; alterações climáticas; resíduos e instalações nucleares). Risco exógeno (catástrofes naturais como sismos, vulcões, tsunamis…). Risco exógeno (catástrofes naturais como sismos, vulcões, tsunamis…). Risco endógeno (catástrofes tecnológicas). Risco endógeno (catástrofes tecnológicas). Riscos visíveis e invisíveis: as cortinas ideológicas… Riscos visíveis e invisíveis: as cortinas ideológicas…

31 marques.com31 Pensar o impensável… O experimentum mundi tecnológico que conduziu à Crise global do Ambiente. O experimentum mundi tecnológico que conduziu à Crise global do Ambiente. O experimentum humanum: a pós-humanidade (convergência: biotecnologias, nanotecnologias, robótica, ciberciências…). Trans-humanismo (Nick Bolstrom), O experimentum humanum: a pós-humanidade (convergência: biotecnologias, nanotecnologias, robótica, ciberciências…). Trans-humanismo (Nick Bolstrom), A vitória do princípio da plenitude tecnológica sobre a plenitude da vida. A vitória do princípio da plenitude tecnológica sobre a plenitude da vida. H. Martins, Genetic Jacobinism…(2003).

32 marques.com32 Valores do desenvolvimento sustentável Risco de ser buzz word. Risco de ser buzz word. Tensão dialéctica, ou contradição nos termos? Tensão dialéctica, ou contradição nos termos? Disciplinar o progresso? Diferente do estado estacionário (J.S. Mill) ou zero growth. Disciplinar o progresso? Diferente do estado estacionário (J.S. Mill) ou zero growth. Justiça entre gerações. Justiça entre gerações. Necessidades, limites e mercado. Necessidades, limites e mercado.

33 marques.com33 O desenvolvimento sustentável como projecto Social: causa final Social: causa final Ambiente: causa formal Ambiente: causa formal Economia: causa material Economia: causa material Política e institucional: causa eficiente. Política e institucional: causa eficiente. Aristóteles, Metafísica, I, 3, 983a

34 marques.com34 Que obstáculos éticos ao desenvolvimento sustentável? Egoísmo (lenho retorcido). Egoísmo (lenho retorcido). O império dos bens transaccionáveis. Será possível um natural capitalism? O império dos bens transaccionáveis. Será possível um natural capitalism? Hedonismo reactivo: a grande descompressão. A liberdade dos modernos. Hedonismo reactivo: a grande descompressão. A liberdade dos modernos. Antropocentrismo predatório: o silêncio dos inocentes. Antropocentrismo predatório: o silêncio dos inocentes.

35 marques.com35 O Princípio da comunidade inclusiva (1). A universalidade como construção está no centro da ética: exemplo de Kant. A universalidade como construção está no centro da ética: exemplo de Kant. A ética da Terra: Victor Hugo e Aldo Leopold. O sindroma de Ulisses. A ética da Terra: Victor Hugo e Aldo Leopold. O sindroma de Ulisses.

36 marques.com36 O Princípio da comunidade inclusiva (2). "Na relação dos seres humanos com os animais, com as flores, com os objectos da criação existe um grande vazio ético, mas que eventualmente romperá, surgindo como um complemento da ética humana [...] Sem dúvida foi primeiro necessário civilizar os homens nas suas relações com os outros homens. Deve-se começar por aqui e os vários legisladores do espírito humano tiveram razão em sacrificar a esta todas as outras preocupações [...] Mas é igualmente necessário civilizar as relações dos seres humanos com a Natureza. Neste domínio está tudo por fazer." "Na relação dos seres humanos com os animais, com as flores, com os objectos da criação existe um grande vazio ético, mas que eventualmente romperá, surgindo como um complemento da ética humana [...] Sem dúvida foi primeiro necessário civilizar os homens nas suas relações com os outros homens. Deve-se começar por aqui e os vários legisladores do espírito humano tiveram razão em sacrificar a esta todas as outras preocupações [...] Mas é igualmente necessário civilizar as relações dos seres humanos com a Natureza. Neste domínio está tudo por fazer." Victor Hugo, En Voyage. Alpes et Pyrénées, Paris, J. Hetzel, 1890, pp (entrada de 11 de Agosto de 1843).

37 marques.com37 O princípio da solidariedade entre gerações. O tema de justiça entre gerações: Burke (o ideal clássico), Jefferson e Madison. O tema de justiça entre gerações: Burke (o ideal clássico), Jefferson e Madison. Da dívida pública à dívida ontológica. Da dívida pública à dívida ontológica. A externalização temporal: a guerra contra o futuro. A externalização temporal: a guerra contra o futuro.

38 marques.com38 Princípio da responsabilidade Ao princípio da esperança opomos nós o princípio da responsabilidade, não o princípio do medo." [Dem Prinzip Hoffnung stellen wir das Prinzip Verantwortung gegenüber, nicht das Prinzip Furcht] (Hans Jonas, 390). Ao princípio da esperança opomos nós o princípio da responsabilidade, não o princípio do medo." [Dem Prinzip Hoffnung stellen wir das Prinzip Verantwortung gegenüber, nicht das Prinzip Furcht] (Hans Jonas, 390). Consciência da vulnerabilidade [Verletzlichkeit] da condição humana. Consciência da vulnerabilidade [Verletzlichkeit] da condição humana.

39 marques.com39 O princípio da natalidade (…) the new beginning inherent in birth can make itself felt in the world only because the newcomers possess the capacity of beginning something anew, that is, of acting.In this sense of initiative, an element of action, and therefore of natality, is inherent in all human activities. Moreover, since action is the political activity par excellence, natality, and not mortality, may be the central category of political, as distinguished from metaphysical thought. (H. Arendt, HC, ). (…) the new beginning inherent in birth can make itself felt in the world only because the newcomers possess the capacity of beginning something anew, that is, of acting.In this sense of initiative, an element of action, and therefore of natality, is inherent in all human activities. Moreover, since action is the political activity par excellence, natality, and not mortality, may be the central category of political, as distinguished from metaphysical thought. (H. Arendt, HC, ).

40 marques.com40 Valores para a sustentabilidade Recusa da ideologia do progresso. Recusa da ideologia do progresso. Crítica do technological fix. Crítica do technological fix. Reconstrução da esfera pública: do Estado e da Cidadania. Reconstrução da esfera pública: do Estado e da Cidadania. Cultura da cooperação compulsiva. Cultura da cooperação compulsiva.

41 marques.com41 Sugestões bibliográficas Algumas obras de V. Soromenho-Marques: Regressar à Terra, Lx, Fim de Século, Regressar à Terra, Lx, Fim de Século, O Futuro Frágil, M.Martins, Pub. Europa- América, O Futuro Frágil, M.Martins, Pub. Europa- América, Metamorfoses. Entre o Colapso e o Desenvolvimento Sustentável, M.Martins, Pub. Europa-América, Metamorfoses. Entre o Colapso e o Desenvolvimento Sustentável, M.Martins, Pub. Europa-América, Mais info: Mais info:


Carregar ppt "Www.viriatosoromenho- marques.com 1 ÉTICA, CRISE DO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Curso de Versão, ISEG-UTL Lisboa, 10 e 11 de Julho de 2008 Viriato."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google