A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA DIGESTIVO Aula 3 JUNHO/2004 Kelb Bousquet.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA DIGESTIVO Aula 3 JUNHO/2004 Kelb Bousquet."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA DIGESTIVO Aula 3 JUNHO/2004 Kelb Bousquet

2 Roteiro 1.Secreção salivar 2.Regulação da secreção salivar 3.Secreção esofágica 4.Secreções gástricas 5. Regulação das secreções gástricas

3 Secreções digestivas

4 Secreção Salivar Funções: Digerir (amilase salivar) Lubrificar (mastigação, deglutição, fala) Proteger (ácidos, bactérias) pH 6,0 - 7,0 Produção de 1litro/dia Intensidade máxima de secreção: 8-20 vezes

5 Secreção Salivar

6 The proportion of serous and mucous cells varies. In the parotid gland, the secreting cells are mainly serous; in the sublingual gland, mucous cells predominate.

7 Secreção primária Reabsorção de Na + e Cl - e secreção de K + e HCO 3 - Células Mioepiteliais Contração das céls mioepiteliais: saliva expelida no ácino e ductos Ducto excretor Ácino Ducto intercalado Ducto estriado

8 Enzima Muco Secreção salivar

9

10 A secreção serosa salivar: alfa-amilase (ptialina) Amilopectina (amido) de batata

11 Inervação autonômica das glândulas salivares Control of the salivary glands by the parasympathetic system. Both sympathetic and parasympathetic divisions of the autonomic nervous system control the salivary glands. Unlike their opposing actions in other parts of the gut, both promote secretion, but with different timescales.

12 Núcleos salivatórios superior e inferior Gânglio Ótico Gânglio Submandib. Gânglio Cervical Superior parótida sublingual submandibular Inervação autonômica das glândulas salivares Impulsos aferentes * Centros superiores ** + * Estímulos gustatórios, táteis procedentes da língua, faringe ** Olfato, pensar em um determinado alimento

13 Regulação da secreção salivar Estimulação parassimpática: síntese e secreção de amilase salivar e mucinas fluxo sangüíneo para as glândulas Estimulação simpática: Menos potente que a parassimpática Constrição dos vasos sanguíneos = fluxo sanguíneo para as glândulas salivares Efeito comum: contração das células mioepiteliais

14 Regulação da secreção salivar InibiçãoEstímulo Sono Sabor ácido Fadiga Olfato Desidratação Presença do alimento Reflexos gástricos e intestinais na presença de alimentos irritantes ou náusea.

15 Secreção esofágica Glândulas mucosas compostas (esôfago proximal e extremidade gástrica) Secreção de muco Lubrificação para deglutição Proteção da parede do esôfago (alimentos e refluxo gastro-esofágico)

16 Secreção Gástrica Proteção da mucosa muco bicarbonato Digestão de alimentos Controle da motilidade ácidogastrina pepsinahistamina fator intrínseco

17 Secreção Gástrica

18 GLANDULAS PILÓRICAS Muco Gastrina GLÂNDULAS OXÍNTICAS OU GÁSTRICAS Muco HCl Fator Intrínseco Pepsinogênio Secreção Gástrica

19 Glândula Oxíntica Céls epiteliais de superfície Céls mucosas do pescoço Céls parietais Céls principaisPepsinogênio HCl, fator intrínseco Muco

20 Glândula Pilórica Células G: gastrina Células mucosas do colo: muco e bicarbonato

21 Resumo das secreções gástricas

22 Auxilia na digestão de proteínas Converte pepsinogênio em pepsina Ação bactericida Insert fig Secreções gástricas – Células Parietais HCl

23 LUMEN OF GLAND Canaliculus Mitochondria Tubulovesicles Acid secretion Parietal cell - resting H+H+ Parietal cell - secreting Tubulovesicles fuse with canaliculus, increased surface area and numbers of H + K + ATPase increases acid secretion into lumen of gut.

24 Secreções gástricas - Células Parietais HCl

25 Estímulos: Distensão gástrica Ativação de quimioreceptores por peptídeos Gastrina Histamina Secreções gástricas - Células Parietais HCl

26 Deficiência do fator intrínseco causa deficiência de Vitamina B 12 (anemia perniciosa) - Glicoproteína que forma um complexo com vitamina B 12 no íleo - Complexo resistente à digestão permitindo a absorção da vitamina B 12 - Liberado em resposta aos mesmos estímulos que provocam secreção de HCl Secreções gástricas - Células Parietais Fator intrínseco

27 Secretada como proenzima inativa (pepsinogênio) Conversão a pepsina em meio altamente ácido (pH < 3.5) e quando em contato com pepsina previamente formada pepsinogênio pepsina HCl Secreções gástricas - Células Principais Pepsina

28 Capaz de digerir até 20 % da proteína de uma refeição Estímulos: Ach, presença de ácido na mucosa gástrica Secreções gástricas - Células Principais Pepsina

29 Secreção de líquido aquoso com HCO 3 - pelas céls da superfície epitelial Formação de uma barreira mucosa alcalina sobre a superfície luminal gástrica Secreção estimulada por Ach, estímulo mecânico. Secreções gástricas Muco

30 Células parietais e principais são impermeáveis ao HCl Junções fechadas entre células epiteliais adjacentes Células epiteliais danificadas são rapidamente substituídas (todo o epitélio pode ser reposto em 3 dias) Mecanismos protetores gástricos

31 Estimula: Secreção de ácido Crescimento celular motilidade GI contração do esfíncter pilórico Atua nas células enterocromafins para liberar histamina Secreções gástricas - Células G Gastrina

32 distensão gástrica Ach Secreções gástricas - Células G Gastrina pH < 3 secreção de gastrina inibida Células D estimulam secreção de somatostatina

33 Secreções gástricas Histamina Sintetizada e armazenada nas células enterocromafins (lamina própria das glândulas gástricas) Secreção estimulada por: Gastrina Acetilcolina

34 ECL cell ACh Ach m2 receptor H+H+ Gastrin gastrin receptor H+H+ Histamine Histamine H 2 receptor H+H+ H+H+ When all three stimulators are present, acid secretion is maximally stimulated Ach, gastrin & histamine act synergistically

35

36 Regulação da Secreção Gástrica Mecanismos neurais e hormonais Eventos estimulatórios e inibitórios ocorrem em 3 fases: Cefálica: anterior à ingestão do alimento Gástrica: entrada do alimento no estômago Intestinal: produtos parciais da digestão entram no duodeno

37 Fase Cefálica Eventos excitatórios: Pensar em um determinado alimento Estimulação de receptores de paladar ou olfato Eventos inibitórios: Perda de apetite ou depressão na estimulação parassimpática Totalmente dependente da inervação vagal

38 Ativação do vago: Estimula secreção de pepsinogênio. Estimula diretamente as céls G a secretar gastrina. Estimula diretamente as ECL a secretar histamina. Indiretamente estimula céls parietais a secretar HCl. Fase Cefálica

39 parasympathetic Fase Cefálica

40 Eventos excitatórios: Distensão gástrica Ativação de quimioreceptores por peptídeos, cafeína e aumento do pH Liberação de gastrina para o sangue Eventos inibitórios: pH < 2 Fase Gástrica

41 Ativação de mecanoreceptores Ativação de quimioreceptores

42 Fase Gástrica 50% volume total de secreção

43 Eventos excitatórios: pH; distensão do duodeno, presença de gordura, ácido, ou quimo hipertônico e/ou irritantes no duodeno Fase Intestinal

44 inhibition Fase Intestinal

45 Regulação da Secreção Gástrica


Carregar ppt "SISTEMA DIGESTIVO Aula 3 JUNHO/2004 Kelb Bousquet."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google