A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Infecções da Corrente Sanguínea Profa. Cláudia de Mendonça Souza Depto Patologia - Faculdade de Medicina Universidade Federal Fluminense.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Infecções da Corrente Sanguínea Profa. Cláudia de Mendonça Souza Depto Patologia - Faculdade de Medicina Universidade Federal Fluminense."— Transcrição da apresentação:

1 Infecções da Corrente Sanguínea Profa. Cláudia de Mendonça Souza Depto Patologia - Faculdade de Medicina Universidade Federal Fluminense

2 Infecções da Corrente Sanguínea A presença de mos viáveis no sangue Infecção da Corrente Sanguínea (ICS) 30-40% (sepse) Diagnóstico precoce melhor prognóstico Terapia inicial inadequada Taxas de mortalidade HEMOCULTURA

3 Bacteremias Fungemias Infecções da Corrente Sanguínea

4 ORIGEM – Infecção relacionada à assistência a saúde (IRA): adquirida durante internação hospitalar ou outro tipo de assistência (home care, hospital-dia, clínicas de diálise). – Infecção comunitária: infecção constatada ou em incubação no ato de admissão do paciente, desde que não relacionada com internação anterior no mesmo hospital. Infecções da Corrente Sanguínea

5 ORIGEM: – Primárias: não apresentam um foco de infecção identificável ou são devidas a endocardites ou a presença de acessos vasculares (entrada direta na corrente sanguínea via agulhas, infusões contaminadas, cateter, etc.) – Secundárias: decorrentes de um foco primário de infecção conhecido, através de disseminação hematogênica ou linfática (foco urinário, pulmonar, ginecológico, abdominal, etc). Infecções da Corrente Sanguínea

6 Classificação: – Transitórias (rápidas, microbiota – manipulação dentária, procedimentos diagnósticos: ex. colonoscopia, etc.) – Intermitentes (manifesta-se em intervalos variáveis – foco de infecção primário) – Contínuas (endorcadite infecciosa; outras infecções intravasculares -- dispositivos infectados) – Escape (mesmo após antibioticoterapia: dose medicamento baixa ou difícil acesso da droga no sítio de infecção) Infecções da Corrente Sanguínea

7 Sepse É uma reação inflamatória sistêmica, complexa e grave, devida à uma infecção. Hipotensão e comprometimento de vários órgãos (choque), com altas taxas de mortalidade.

8 Agentes Mais Frequentes de Bacteremias: – S. aureus – Estafilococos Coagulase Negativos (microbiota pele -- cateter) – Enterococcus spp. – Streptococcus spp. – E. coli, Enterobacter spp., Klebsiella pneumoniae, Salmonella spp. – Pseudomonas aeruginosa, Acinetobacter spp. – Infecções por anaeróbios são muito raras. Infecções da Corrente Sanguínea

9 Agentes Mais Frequentes de Bacteremias: – Grupo HACEK: Haemophilus Actinobacillus Cardiobacterium Eikenella Kingella Bacilos ou Cocobacilos Gram negativas Microbiota da orofaringe Crescimento mais lento Fastidiosos (agar chocolate) Associados com ENDOCARDITE Infecções da Corrente Sanguínea

10 Outros Agentes de Bacteremias: – Streptococcus bovis: associado com ca de cólon – Clostridium septicum: ca de cólon – Agentes de Fungemias: Candida, Cryptococcus neoformans, Fusarium Infecções da Corrente Sanguínea

11 Hemocultura Uma hemocultura é definida como sendo uma amostra de sangue obtida de uma punção venosa que é inoculada em um ou mais frascos de hemocultura. Importante para auxiliar no diagnóstico. Pacientes com hemoculturas positivas apresentam probabilidade de óbito 12 vezes maior !

12 Número: 2-3 amostras ( diferentes sítios ) > sensibilidade (>95%) = contaminação de infecção Mais de 4 hemoculturas não aumenta a sensibilidade. Intervalo de amostras: – Coletas consecutivas ou com intervalo de 30 min- 1h, nos casos de febre de origem desconhecida. Hemocultura

13 Volume do sangue: melhor recuperação depende do volume adequado. Proporção volume de sangue/meio de cultura: depende do sistema ( automatizado permite um volume maior ). Adultos: 5-10mL/frasco Crianças: 1-5 mL/frasco Recém-nascido: 0,5-1 mL (punção única – densidade bacteriana maior)

14 Hemocultura Coleta: anti-sepsia da pele é muito importante (iodo-povedine + alcóol 70% ou clorexidina). Taxa aceitável de contaminação: < 3% Coletas inadequadas podem levar ao isolamento de microrganismos contaminantes, não relacionados com o processo infeccioso. Fazer a coleta na ascensão do pico febril e antes da antibioticoterapia. Enviar ao lab. no máximo até 12h, TA (automatizado)

15 Hemocultura Frascos de Hemocultura Método Manual: meio contendo anticoagulante (polianetossulfonato de sódio - SPS), com ação inibitória para alguns antibióticos, frações do complemento e neutrófilos e para alguns microrganismos. Incubação: 7 dias. Método Automatizado: meios com resinas ou carvão ativado com ações neutralizandes e que se ligam aos antibióticos. Incubação: 5 dias. Detecção crescimento: CO 2. Frascos de hemocultura também são utilizados para cultivo de líquidos diversos (pleural, ascítico, sinovial, etc) Incubação dos frascos semeados em até 24h.

16 Hemocultura Sistemas automatizados – Incubação em até 5 dias – Bacteremias verdadeiras geralmente apresentam positividade com um tempo < 48h – Positividade no sistema: fazer o Gram e reportar rapidamente melhor evolução Sistemas manuais Incubação em até 7dias (inspeção diária visual) Maior possibilidade de contaminação Mais laborioso (pelo menos 3 subcultivos)

17 Hemocultura Bacteremia relacionada com cateter vascular Cultura da ponta de cateter ( Método de Maki ) Semi-quantitativa > 15UFC: cateter infectado < 15 UFC: cateter contaminado Retirada do cateter normalmente é suficiente

18


Carregar ppt "Infecções da Corrente Sanguínea Profa. Cláudia de Mendonça Souza Depto Patologia - Faculdade de Medicina Universidade Federal Fluminense."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google