A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema Circulatório Fabrício (URSO). Circulação: caracterização Os elementos da circulação são produzidos pelo tecido conjuntivo hemocitopoético. - Plasma:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema Circulatório Fabrício (URSO). Circulação: caracterização Os elementos da circulação são produzidos pelo tecido conjuntivo hemocitopoético. - Plasma:"— Transcrição da apresentação:

1 Sistema Circulatório Fabrício (URSO)

2 Circulação: caracterização Os elementos da circulação são produzidos pelo tecido conjuntivo hemocitopoético. - Plasma: - Plasma: parte líquida do sangue; - Elementos Figurados: - Elementos Figurados: glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas Funções: - enviar nutrientes aos tecidos corporais; - eliminar os produtos do metabolismo; - distribuir hormônios pelo corpo; - manter o ambiente apropriado em todos os líquidos teciduais do organismo para que as células sobrevivam e funcionem de maneira ótima.

3 Elementos Figurados Tecido Linfóide - Produção: baço, timo, gânglios linfáticos. - Composição: linfoblastos. Linfoblastos Linfoblastos - Linfócitos: células menores, cromatina frouxa e núcleo arredondado. - Monócitos: células grandes, cromatina densa e núcleo em ferradura.

4 Elementos Figurados

5 Tecido Mielóide - Produção: medula óssea vermelha. - Composição: megacariócitos, eritroblastos e mielócitos. Megacariócitos: plaquetas (trombócitos) Eritroblastos: eritrócitos (hemácias) Mielócitos * Basófilos: grânulos desenvolvidos e em grande quantidade * Eosinófilos: núcleo bilobulado e grânulos grosseiros * Neutrófilos: núcleo em ferradura, segmentado em 3 partes

6

7 imunoglobulinas (Ig), IMUNOLOGIA I 1. IMUNIZAÇÃO - Antígeno: substância estranha qualquer que, penetrando no organismo de um animal, promove a sensibilização deste, estimulando a síntese de certas moléculas (anticorpos) neutralizantes dos prováveis efeitos maléficos que possam ser provocados pelos mesmos. * Tipos de Antígenos: natural (proteínas – peçonha de cobra & carboidratos – parede celular bacteriana); artificiais (substâncias + radicais) - Anticorpo: São as proteínas denominadas imunoglobulinas (Ig), produzidas pelo estímulo dos antígenos, tendo como função neutralizá-los. IgG – presente nos fluídos internos; combate microrganismos e suas toxinas. IgA – presente nas mucosas; defesa externa do corpo (lágrima, saliva). IgM – alta capacidade de aglutinação, sendo produzida no início da resposta imune. Atua na defesa de infecções bacterianas. IgD – presente na superfície dos linfócitos dos recém-nascidos. IgE – atua nas infecções parasitárias, responsáveis pelos sintomas de alergia atópica.

8 VACINAS SOROS IMUNOLOGIA II 2. Tipos de Imunização 2.1. Imunização Passiva: o indivíduo recebe os anticorpos prontos. * Natural: gestação. * Artificial: soroterapia Imunização Ativa: o próprio indivíduo fabrica os anticorpos específicos ao antígeno. * Natural: adquirindo a própria doença. Ex.: caxumba, rubéola. * Artificial: vacinação. VACINAS - São constituídas de micro-organismos mortos (febre tifóide), ou vivos atenuados (varíola, BCG), sendo sempre um antígeno (profilaxia). SOROS - Processo de obtenção: inocula-se num animal um determinado antígeno (inativo). Após certo tempo faz-se a sangria, separando o soro no qual estão presentes os anticorpos, conferindo imunidade imediata ao indivíduo.

9 * Resposta primária: * Resposta secundária: IMUNOLOGIA 3. Emprego de Soro e Vacina - Soro: composto por anticorpos (método passivo), confere uma imunidade temporária de efeito curativo, agindo num curto espaço de tempo. - Vacina: composta por antígenos (método ativo), confere uma imunidade duradoura de efeito preventivo, não agindo a curto prazo. 4. Respostas Imunológicas * Resposta primária: primeiro contato dos antígenos com o organismo; os anticorpos são detectáveis entre 1 a 30 dias após a inoculação do antígeno, podendo decrescer num curto espaço de tempo; menos protetora, exigindo doses maiores de antígeno para a obtenção de resultados satisfatórios. * Resposta secundária: novo contato com antígeno, com resposta mais acentuada. É caracterizada por: - exigir necessidade de doses menores de antígeno; - apresentar maior velocidade na síntese de anticorpos; - mais protetora, devido as células de memória.

10 IMUNOLOGIA As duas curvas (A e B) do gráfico mostram a concentração de anticorpos produzidos por um camundongo, durante oito semanas, em resposta a duas injeções de um determinado antígeno. Essas injeções foram realizadas com intervalo de seis meses. a) Identifique as curvas que correspondem à primeira e à segunda injeção de antígenos. b) Quais são as características das duas curvas que permitem distinguir a curva correspondente à primeira injeção de antígenos daquela que representa a segunda injeção? c) Por que as respostas a essas duas injeções de antígenos são diferentes?

11 IMUNOLOGIA Resposta: a) B e A, respectivamente. b) A curva B indica a resposta imunológica primária, com as seguintes características: a produção inicial dos anticorpos é menos intensa e mais demorada, declinando mais rapidamente. A curva A indica a resposta imunológica secundária, na qual a produção de anticorpos é imediata, mais intensa e, consequentemente, mais duradoura. c) A resposta secundária é mais eficiente devido à ação de células de memória específicas em relação ao antígeno aplicado.

12 Circulação Comparada O metabolismo celular Consome Oxigênio Nutrientes Produz Gás carbônico Outros resíduos ( uréia, amônia, etc ) O Sistema Circulatório recolhe e distribui tais substâncias.

13 Circulação Comparada Princípios básicos Pequenos animais -> D ifusão. Grandes animais -> S ist. Circulatório Aberto Fechado Pelo meio líquido ocorre transporte das substâncias citadas anteriormente, bem como de hormônios, anti- corpos, fatores de coagulação etc.

14 Circulação no Reino Metazoa Poríferos, celenterados, platelmintos e nematelmintos Sistema circulatório ausente Artrópodes e moluscos (exceto no cefalópode) Sistema circulatório aberto Sangue circula por cavidades(hemoceles ou lacunas) Pressão é baixa e o fluxo é lento. Poucas células dispersas Nítido predomínio de sua parte líquida (Hemolinfa)

15 Circulação no Reino Metazoa Anelídeos, moluscos cefalópodes e vertebrados. Sistema circulatório fechado alta pressão e fluxo rápido. sangue flui exclusivamente dentro de vasos. Veremos outras características na sequência Equinodermos Sist. Circulatório ausente Papel desenvolvido pelo líquido celomático

16 Componentes da Circulação Fechada O sistema circulatório é constituído por três componentes Sangue Coração Vasos sanguíneos

17 Componentes da Circulação Fechada Sangue: constitui o meio líquido circulante.

18 Componentes da Circulação Fechada Coração: órgão muscular que, contraindo-se, impulsiona o sangue pelo sistema de tubos pode ser único, como o humano, ou múltiplo, como os dos anelídeos.

19 Componentes da Circulação Fechada Vasos sangüíneos: tubos nos quais o sangue flui. São de três tipos: Artérias Veias Capilares

20 Componentes da Circulação Fechada I. Artérias Vasos que conduzem o sangue do coração para os diversos órgãos. Possuem parede espessa, rica em fibras musculares lisas e fibras elásticas. Por elas, o sangue flui sob alta pressão.

21 II. Veias Por esses vasos, o sangue retorna ao coração. Possuem parede menos espessa que as artérias em seu interior, existem válvulas que impedem o refluxo do sangue. Componentes da Circulação Fechada

22 II. Veias (cont) Pressão baixa Fatores que auxiliam o retorno venoso presença de válvulas contração dos músculos das pernas, "coração periférico".

23 Componentes da Circulação Fechada Capilares Ligam artérias e as veias. Possuem parede muito delgada com uma única camada de células, e por isso, é onde ocorre a troca entre o sistema circulatório e os tecidos.

24 Circulação nos Vertebrados Peixes A circulação dos peixes possui apenas um circuito – simples (coração → brânquias → tecidos do corpo → coração) nenhum local ocorre mistura de sangue arterial e venoso (completa) circulação simples e completa.

25 Circulação nos Vertebrados Anfíbios Na circulação dos anfíbios existem dois circuitos (coração → pulmão → coração → tecidos do corpo → coração) circulação dupla e incompleta.

26 Circulação nos Vertebrados Répteis Circulação é dupla e incompleta. Ventrículo é parcialmente dividido pelo Septo de Sabatier. exceção: répteis crocodilianos coração é dividido em quatro câmaras: mistura de sangue (comunicação existente entre as artérias aorta e pulmonar: o forame de Panizza.) dois átrios e dois ventrículos

27 Circulação nos Vertebrados Aves e Mamíferos Dois átrios e dois ventrículos. “Coração direito", formado pelo átrio e pelo ventrículo direitos, Recebe o sangue venoso vindo dos tecidos corporais e o bombeia para os pulmões. Dos pulmões, o sangue arterial retorna para o coração

28 Circulação nos Vertebrados Aves e Mamíferos (cont ) “Coração esquerdo", formado pelo átrio e ventrículo esquerdos, O sangue é bombeado a plena pressão em direção da circulação sistêmica. Classificamos como uma circulação dupla e completa. Obs: No coração dos mamíferos a artéria aorta está voltada para a esquerda e nas aves está voltada para a direita.

29 Circulação nos Vertebrados Mostramos agora o trajeto desta circulação dupla O esquema a seguir representa a pequena circulação ou circulação pulmonar.

30 Circulação nos Vertebrados Já este esquema, representa a grande circulação ou circulação sistêmica.

31 Coração Humano Responsável pela pressão necessária de circulação do sangue nos vasos e tecidos. Dividido em quatro cavidades e portando não permitindo a mistura de sangue arterial e venoso: Favorece Rico suprimento de oxigênio, Homeotermia Grau elevado de atividade física e mental.

32 Coração Humano Oxigenação do músculo cardíaco artérias coronárias ramificações da artéria aorta

33 Coração Humano * Entre as câmaras cardíacas, existem válvulas que permitem a passagem do sangue apenas em um sentido. - Mitral (bicúspide): entre átrio e ventrículo esquerdo. - Tricúspide : entre átrio e ventrículo direito.

34 Coração Humano Localização

35 Coração Humano – FUVEST 2004 A figura a seguir esquematiza o coração de um mamífero. a) Em qual das câmaras do coração, identificadas por A, B, C e D, chega o sangue rico em gás oxigênio? b) Em qual dessas câmaras chega o sangue rico em gás carbônico? c) Qual dos vasos, identificados por I, II, III e IV, leva sangue do coração para os pulmões? d) Qual desses vasos traz sangue dos pulmões?

36 Coração Humano – FUVEST 2004 Resposta: a) B - átrio esquerdo b) A - átrio direito c) III - artéria pulmonar d) IV - veia pulmonar

37 Coração Humano Controle do batimento O estímulo origina-se no próprio coração (auto-excitável). Nódulo sinoatrial (NSA) gera impulsos elétricos periódicos, provocando a contração do miocárdio.

38 Coração Humano Controle do batimento Impulso (NSA) → contração dos átrios NSA → impulsos elétricos → NAV (nódulo atrioventricular) → feixe de Hiss (ramificação pelas paredes dos ventrículos – fibras de Purkinje) → estímulo e contração ventricular * Controle do Ritmo cardíaco: nervo vago (diminuição) e nervo cardíaco (aceleração)

39 Coração Humano Controle do batimento (cont ) Freqüência de geração é aumentada pelo sistema nervoso simpático e pela adrenalina, diminuída pelo sistema parassimpático. Chamamos de: Sístole: contração do miocárdio Diástole: relaxamento do miocárdio

40 Sistema Linfático I Órgãos Linfáticos timo, baço, amídalas e adenóide Funções drenagem do excesso de líquido intersticial transporte de vitaminas lipossolúveis e os lipídeos absorvido na digestão realização de respostas imunes – destruição dos micro-organismos nos linfonodos

41 Sistema Linfático II Linfonodos: pequenos órgãos perfurados por canais – rede de ductos – em diversos pontos da rede linfática, atuando na defesa do organismo humano e produzindo anticorpos Capilares sanguíneos: ocorre entrada e saída de substâncias Capilares linfáticos: ocorre apenas a entrada de substâncias.

42 Sistema Linfático III O ducto torácico recolhe a linfa drenada de todo o corpo e envia para a veia cava superior.

43 Sistema Linfático IV Trajeto realizado pela linfa líquido intersticial → capilares linfáticos → linfonodos (filtração) → ducto linfático direito e ducto torácico → veia cava superior → eliminação de toxinas (fezes e urina)


Carregar ppt "Sistema Circulatório Fabrício (URSO). Circulação: caracterização Os elementos da circulação são produzidos pelo tecido conjuntivo hemocitopoético. - Plasma:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google