A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Infecção por micoplasmas do trato urogenital e micoplasmas emergentes em indivíduos com HIV/AIDS Caio M. M. de Cordova Universidade Regional de Blumenau.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Infecção por micoplasmas do trato urogenital e micoplasmas emergentes em indivíduos com HIV/AIDS Caio M. M. de Cordova Universidade Regional de Blumenau."— Transcrição da apresentação:

1 Infecção por micoplasmas do trato urogenital e micoplasmas emergentes em indivíduos com HIV/AIDS Caio M. M. de Cordova Universidade Regional de Blumenau - FURB

2 Histórico 1967: –Classe Mollicutes –Ordem Mycoplasmatales –Denominação genérica Molicutes Hoje –4 ordens, 5 famílias –8 gêneros –> 200 espécies conhecidas Mais recente: M. amorphiforme (2003)

3 Características Os microrganismos auto-replicativos com o menor genoma Habilidades biosintéticas limitadas Ausência de parede celular Pleomorfismo celular Requerem esteróides nos meios de cultura

4 Possíveis co-fatores do HIV Micoplasmas Micobactérias Salmonela Leishmania Toxoplasma Citomegalovírus Herpesvírus Epstein-Barr vírus HTLV-1  2 outros retrovírus Montagnier e Blanchard. Clin Infect Dis 17:S309-15, 1993.

5 Objetivos Objetivo Geral Investigar a infecção por espécies de micoplasmas do trato urogenital e espécies emergentes de micoplasmas em indivíduos com HIV/AIDS, assim como a incidência da resistência aos antibióticos comumente utilizados no tratamento, e implantar estes testes no Laboratório de Análises Clínicas de nossa universidade, para o atendimento a população no âmbito do SUS.

6 Objetivos Objetivos Específicos Investigar a incidência de infecção por Mycoplasma hominis, Ureaplasma urealyticum e U. parvum no trato urogenital de indivíduos com HIV/AIDS; Investigar a incidência de infecção por Mycoplasma genitalium, M. fermentans e M. penetrans no trato urogenital de indivíduos com HIV/AIDS; Avaliar a eficiência da detecção da infecção por micoplasmas por métodos moleculares (PCR) em relação a cultura; Avaliar a resistência dos micoplasmas aos principais antibióticos utilizados no tratamento; Investigar uma eventual correlação entre infecção por micoplasmas e o desenvolvimento da imunossupressão durante a infecção pelo HIV; Implantar o teste para a determinação da resistência dos micoplasmas aos antibióticos no Laboratório de Análises Clínicas de nossa instituição, no âmbito do SUS; Implantar os testes de PCR para a detecção de espécies emergentes de micoplasmas no Laboratório de Análises Clínicas de nossa instituição, no âmbito do SUS.

7 Metodologia Aplicada Pacientes e Amostras: amostras de primeiro jato de urina (cerca de 20 mL) de homens infectados pelo HIV, após consentimento livre e esclarecido. Serão coletadas amostras de cerca de 100 indivíduos, nos diferentes estágios da infecção pelo HIV. Serão avaliados também os dados sobre os níveis de imunodepressão (linfócitos CD4 e CD8), carga viral do HIV, e cinética de progressão da doença.

8 Metodologia Aplicada Cultura de micoplasmas: As amostras obtidas são cultivadas em meio sólido A7, meio líquido de uréia (U10), meio SP4 liquido e sólido e o meio líquido de Arginina (MLA), com incubação em condições de 2-3% de CO2 por no mínimo 48 horas a 37 ºC. As amostras são quantificadas pelo método de microtitulação, em seus respectivos meios líquidos. As culturas que não apresentarem crescimento em após 7 dias de cultivo são consideradas negativas

9 Cultura para M. hominis e U. urealyticum / U. parvum Meio de transporte (A3Xb) Meio de Arginina Meio uréia (U10) Meio sólido (A7) M. hominis U. urealyticum / U. parvum titulação

10 Cultura para M. penetrans, M. genitalium e M. fermentas Meio de transporte (A3Xb) Meio de glicose (SP4) Meio sólido (SP4) ?

11 Metodologia Aplicada Resistência dos micoplasmas aos antimicrobianos: as cepas isoladas das amostras clínicas serão testadas pelo método de Concentração Inibitória Mínima (MIC) por microdiluição em caldo, para os antibióticos mais utilizados no tratamento: azitromicina, claritromicina, doxiciclina, eritromicina, levofloxacin e ofloxacin

12 diluição

13 Metodologia Aplicada Detecção de micoplasmas por PCR: alíquotas de 10 mL das amostras de urina serão centrifugadas, e o DNA do sedimento será extraído com fenol/clorofórmio/álcool isoamílico, após lise com proteinase K em tampão contendo Triton X-100. O DNA das amostras será amplificado com oligonucleotídeos específicos para M. hominis, U. urealyticum e U. parvum, e também com oligonucleotídeos específicos para M. genitalium, M. fermentans e M. penetrans. Os produtos de PCR serão analisados por eletroforese em gel de agarose a 1%.

14 PCR para M. genitalium PCR para M. penetrans PCR para M. fermentans 410 bp 100 bp 1 2 3 4 5 6 Detecção dos produtos da PCR para Mycoplasma penetrans nas amostras clínicas em gel de agarose a 0,8%, corado com brometo de etídio, sob luz U.V. Marcador de peso molecular: 100 bp DNA Ladder, Linhas 1: controle positivo; 2: controle de reação; 3 e 4: amostras positivas; 5 e 6: amostras negativas.

15 Resultados e Comentários Pacientes e Amostras: em andamento, cerca de 25 amostras coletadas com consentimento. Cultura de micoplasmas:

16 Resultados e Comentários Instalação do laboratório:

17 Impactos do Projeto Esperamos poder determinar a incidência da resistência dos micoplasmas aos antibióticos utilizados no tratamento em nossa população. Esperamos também determinar qual o melhor método para a pesquisa das diferentes espécies de micoplasmas na população de indivíduos infectados pelo HIV, alem de determinar uma eventual relação entre a infecção por espécies emergentes de micoplasmas e a progressão da AIDS.

18 Aplicabilidade para o SUS Comprovada a utilidade da implantação dos testes de resistência dos micoplasmas aos antibióticos, no âmbito do SUS, possibilita-se promover o uso racional destes medicamentos. A implantação das metodologias de pesquisa de micoplasmas, no âmbito do SUS, através de nosso laboratório universitário, pode de grande contribuição na compreensão da infecção pelo HIV e suas infecções relacionadas, reduzindo a morbidade, e promovendo uma melhora na qualidade de vida destes indivíduos

19 Equipe: Prof. Dr. Caio M. M. de Cordova – cmcordova@furb.br Prof. MSc. Eduardo M. Dalmarco Prof. Alessandro Conrado Silveira Nayara Kelly Benenuti Camila Simões Benfatti Samuel M. de Cordova Laynara K. Grutzmacher Gabriele Zateli


Carregar ppt "Infecção por micoplasmas do trato urogenital e micoplasmas emergentes em indivíduos com HIV/AIDS Caio M. M. de Cordova Universidade Regional de Blumenau."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google