A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário: A Relação entre os Médicos e os Planos de Saúde Dr. Eudes de Freitas Aquino Diretor Presidente da Unimed do Brasil Operadoras Médico-hospitalares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário: A Relação entre os Médicos e os Planos de Saúde Dr. Eudes de Freitas Aquino Diretor Presidente da Unimed do Brasil Operadoras Médico-hospitalares."— Transcrição da apresentação:

1 Seminário: A Relação entre os Médicos e os Planos de Saúde Dr. Eudes de Freitas Aquino Diretor Presidente da Unimed do Brasil Operadoras Médico-hospitalares

2 Contexto: A Saúde no Brasil e no Mundo

3 O Valor da Produção é igual ao valor das vendas acrescido ao valor dos estoques e dos custos de produção, incluindo salários e despesas com bens e serviços usados no processo de produção. Fonte: IBGE Conta-Satélite de Saúde – Brasil (*) Estimativa Unimed do Brasil sobre proporção média das atividades relacionadas a saúde. PIB Brasileiro em 2009 R$ 3,143 trilhões Valor da Produção das atividades relacionadas à saúde R$ 163,4 bilhões* Representando 5,2% do PIB Brasileiro

4 Hoje o Brasil é o sexto maior mercado de Saúde Privada no Mundo. (Valores em bilhões de dólares) EUA: US$ 1.185,8 CHINA: US$ 117,4 ALEMANHA: US$ 89,3 JAPÃO: US$ 69,2 FRANÇA: US$ 64,6 BRASIL: US$ 61,5 Fonte: OMS – Organização Mundial de Saúde / Revista Exame – 18/11/2009

5 Gasto anual per capita com Saúde (Valores em dólares ¹) (1) Valores corrigidos pelo poder de compra de cada país em 2006 Fonte: OMS – Organização Mundial de Saúde / Revista Exame – 18/11/2009

6 Proporção de gastos com Saúde: Privado 55,6% 25,1% 17,8% 28,6% 56,8% Público 44,4% 74,9% 82,2% 71,4% 43,2% Fonte: OMS – Organização Mundial de Saúde / Brasil – 2007, outras Nações 2006 EUA ALEMANHA REINO UNIDO ESPANHA BRASIL Cobertura universal. Cidadãos serão obrigados a contratar seguro-saúde. O Brasil é o único país com Sistema Universal de Saúde onde o gasto privado é maior do que o público

7 Gasto com saúde em países selecionados, em % do PIB FONTE: Folha de São Paulo – 09/08/2010 E no Brasil....

8 Gasto da União na área da Saúde, em % do PIB 2,89 3,07 3,18 3,12 3,36 3,48 3,55 3,50 3,62 Soma dos Gastos da União, Estados e Municípios, em % do PIB: * Último ano para o qual há estimativa oficial do gasto público em saúde. * * Previsão orçamentária FONTE: Folha de São Paulo – 09/08/2010

9 Investimentos Estaduais em Saúde no Brasil A Constituição determina que os Estados invistam no mínimo 12% de seus recursos em saúde pública. 48% dos Estados brasileiros (13) investem menos que o obrigatório. Fonte: Folha de S. Paulo – 15/05/2010 – Ministério da Saúde

10 Investimentos Estaduais em Saúde no Brasil Proporção de investimento em saúde, por Estado – 2008: 12% ou maisInferior a 12% Fonte: Folha de S. Paulo – 15/05/2010 – Ministério da Saúde

11 Percepção da população brasileira sobre as áreas mais problemáticas do País PESQUISA IBOPE – MAIO/2010 – POPULAÇÃO BRASILEIRA – 16 ANOS OU MAIS Fonte: Pesquisa quantitativa IBOPE realizada entre os dias 13 e 18 de maio com brasileiros Perguntas: Falando agora sobre os problemas do País, na sua opinião, dessas áreas da cartela quais são as três que o Brasil tem maiores problemas? Em 1º Lugar? Em 2º Lugar? Em terceiro Lugar? Citações até 6% A Saúde é considerada a área mais problemática pela população brasileira. (1º+2 º+3º lugar)

12 Hoje o Brasil é o terceiro pior lugar para se morrer Tratamento dado a pacientes terminais só ganha da Índia e de Uganda A nota do ranking é composta pelos seguintes indicadores: Ambiente básico de cuidados paliativos Entram dados como porcentagem do PIB gasto com saúde, expectativa de vida e número de médicos por mortes não acidentais. Acesso a cuidados paliativos Entram dados como se há ou não uma política pública envolvendo esse tema e o número de serviços disponíveis Custo dos cuidados paliativos Entram dados como se há ou não financiamentos de serviços para pacientes que estão no fim da vida Qualidade dos cuidados paliativos Entram dados como acesso a analgésicos, transparência na relação médico-paciente e treinamento da mão de obra Nota do BRASIL: 3, Nota do BRASIL: 1, Nota do BRASIL: 1, Nota do BRASIL: 2,4 Fonte: Unidade de Inteligência – Revista The Economist

13 A Saúde Suplementar no Brasil

14 Beneficiários de planos médico-hospitalares Brasil – 2009 Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/ 2010

15 Evolução de Beneficiários com vínculos a planos médico-hospitalares (2000 a 2009) * 18,08% ,07% ,83% ,77% ,42% ,12% ,87% ,74% ,58% % Pop. (em mil) ,38% Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/ 2010 Mercado de baixo crescimento

16 Distribuição de planos de saúde por tipo de contratação Operadoras de Planos de Saúde vs. Unimed Unimed - Fonte: Pesquisa Datafolha (Setembro/2009) realizada com a população, em 130 municípios. Base – Total de moradores com Plano de Saúde – zero anos ou mais Operadoras - Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Setembro/ 2009 Operadoras de Planos de Saúde Sistema Unimed Pesquisa nacional Datafolha % Não responderam

17 Distribuição dos Beneficiários entre as operadoras médico-hospitalares – 2009 Distribuição % dos beneficiários das operadoras Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/ 2010

18 Distribuição dos beneficiários de planos privados de saúde entre as operadoras, segundo cobertura assistenciais do plano Operadoras Médico-Hospitalares Fonte: Caderno de Informação da Saúde Suplementar – ANS – Junho/2010 Número de operadoras com beneficiários 90% de concentração dos clientes em 34% das Operadoras (366 Operadoras)

19 Receita e despesas de planos médico-hospitalares Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010 A variação da despesa nos últimos 8 anos superou a variação da receita do setor.

20 Receita em 2009 (Reais, Milhões) Total Variação % +167% +105% +22%* +101% +186% (*) - Autogestão: Variação calculada entre 2007 a 2009 pois, a partir de 2007, passa a ser incluída a receita de empresas de autogestão patrocinada. Distribuição da receita de contra-prestações entre as operadoras médico-hospitalares Dez/ 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

21 Medicina de Grupo Seguradora Evolução anual da receita de contraprestações, por modalidade de operadora (em Reais, milhões) – 2001 a 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

22 Filantropia Autogestão Variação calculada entre 2007 e 2009 pois, a partir de 2007, passa a ser incluída a receita de empresas de autogestão patrocinada. Evolução anual da receita de contraprestações, por modalidade de operadora (em Reais, milhões) – 2001 a 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

23 Cooperativa Médica Evolução anual da receita de contraprestações, por modalidade de operadora (em Reais, milhões) – 2001 a 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

24 Despesas em 2009 (Reais, Milhões) Total Distribuição das despesas assistenciais entre as operadoras médico-hospitalares Dez/ 2009 Variação % +205% +132% +40%* +111% 198% (*) - Autogestão: Variação calculada entre 2007 a 2009 pois, a partir de 2007, passa a ser incluída a receita de empresas de autogestão patrocinada. Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

25 Medicina de Grupo Seguradora Evolução anual das despesas assistenciais, por modalidade de operadora (em Reais, milhões) – 2001 a 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

26 Filantropia Autogestão Variação calculada entre 2007 e 2009 pois, a partir de 2007, passa a ser incluída a despesa de empresas de autogestão patrocinada. Evolução anual das despesas assistenciais, por modalidade de operadora (em Reais, milhões) – 2001 a 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

27 Cooperativa Médica Evolução anual das despesas assistenciais, por modalidade de operadora (em Reais, milhões) – 2001 a 2009 Fonte: ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar – Março/ 2010

28 Evolutivo do Índice de Sinistralidade do Setor da Saúde Suplementar, 2001 – 2009 (em %) Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/ 2010 Escala reduzida A Sinistralidade do Setor atinge sua maior taxa.

29 Comparativo do índice de Sinistralidade, em pontos percentuais, por modalidade de operadora 2009 Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/ 2010

30 Distribuição de eventos e despesas assistenciais Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/ 2010 e Estimativas Unimed do Brasil Distribuição % da quantidade de eventos Distribuição % no valor total das despesas

31 O Sistema Unimed está presente em 83% dos municípios brasileiros* Fonte: Cadastro Geral de Unimeds – Unimed do Brasil (*) Total de cidades da área de abrangência das Unimed em todo o pais = municípios

32 Sistema Unimed 16 milhões de clientes 73 mil empresas contratantes 109 mil médicos cooperados 50 mil empregos diretos *

33 375 Cooperativas 4 Confederações 1 Central Nacional 34 Federações 336 Singulares Sistema Unimed Unimeds de Pequeno Porte (Até 20 mil usuários) Unimeds de Médio Porte (De 20 mil a 100 mil usuários) Unimeds de Grande Porte (Acima de 100 mil usuários) Unimeds Prestadoras Federações Unimed (Sem atuação como operadora) 46% 31% 10% 9% 4% 77% Operadoras: 324 Prestadoras: 33 Atuam apenas como Federações: 18 27% das Operadoras do Setor da Saúde Supletiva

34 Distribuição das Unimeds no Brasil, por clientes Total Unimed Brasil – Junho/ 2010 – clientes Usuários (5%) Norte 16 Unimeds 4% Norte 16 Unimeds 4% Usuários (6%) C.Oeste 35 Unimeds 9% Usuários (9%) Nordeste 73 Unimeds 19% Usuários (59%) Sudeste 177 Unimeds 47% Usuários (22%) Sul 74 Unimeds 20% Fonte: Cadastro Geral de Unimeds – Unimed do Brasil

35 Proporção de médicos no Brasil Fonte: Médicos brasileiros ativos CFM, em 23/04/2010 às 09:54 Cooperados Unimed – CGU – Abril/ Médicos ativos no Brasil Médicos Cooperados Unimed 32% dos médicos brasileiros

36 Distribuição dos Cooperados no Brasil, por Região Cooperados 33% dos médicos da regiãoNordeste Cooperados 51% dos médicos da região Sul Cooperados 37% dos médicos da região Norte Cooperados 30% dos médicos da região C.Oeste Cooperados 26% dos médicos da região Sudeste

37 Recursos Próprios 223 Sedes Próprias 101 Hospitais 23 Hospitais Dia 89 Pronto-Atendimentos 54 Laboratórios 29 Centros de Diagnósticos 166 Farmácias Fonte: Área de Recursos Próprios da Central Nacional Unimed – Jul/10

38 Índice de Desempenho da Saúde Suplementar – IDSS Operadoras Médico-hospitalares Ano Base de 2009 Divulgação: 13 de agosto de 2010

39 Dimensões avaliadas do IDSS: Pesos Atenção à Saúde 5,0 Econômico Financeiro 3,0 Estrutura e Operação 1,0 Satisfação do Cliente 1,0

40 Distribuição percentual das Notas obtidas: Total de Operadoras e Cooperativas Unimed Agosto/ 2010 – Ano base 2009 Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Lista das 988 operadoras qualificadas – caderno de qualificação da saúde suplementar. DIVULGAÇÃO AGOSTO/2010– ANO BASE 2009 (270) (263) (334) (199) TOTAL (1.073) Operadoras (ABS) Total Operadoras 2009 (7) (214) (178) (347) (227) TOTAL (988) Operadoras (ABS) Total Operadoras 2010 (22) Redução de cerca de 10% no número de Operadoras

41 Distribuição percentual das Notas obtidas: Total de Operadoras e Cooperativas Unimed Agosto/ 2010 – Ano base 2009 (10) (27) (147) (110) TOTAL (302) Unimeds (ABS) Cooperativas Unimeds 2010 (8) (15) (62) (145) (92) TOTAL (317) Unimeds (ABS) Cooperativas Unimeds 2009 (3) Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Lista das 988 operadoras qualificadas – caderno de qualificação da saúde suplementar. DIVULGAÇÃO AGOSTO/2010– ANO BASE 2009

42 Distribuição percentual das Notas obtidas Agosto/ 2010 – Ano base 2009 AUTOGESTÃO (220 operadoras) COOPERATIVAS MÉDICAS (308 operadoras) MEDICINA DE GRUPO (360 operadoras) Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Lista das 988 operadoras qualificadas – caderno de qualificação da saúde suplementar. DIVULGAÇÃO AGOSTO/2010– ANO BASE 2009 Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS

43 Distribuição percentual das Notas obtidas Agosto/ 2010 – Ano base 2009 FILANTROPIA (88 operadoras) SEGURADORAS (12 operadoras) Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Lista das 988 operadoras qualificadas – caderno de qualificação da saúde suplementar. DIVULGAÇÃO AGOSTO/2010– ANO BASE 2009 Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS

44 Operadoras com maiores notas (nota: 0,80 a 1,00) UNIMED CENTRO PAULISTAAMILFUNDAÇÃO COPEL UNIMED FED. DO PARANÁAMPARA PARAÍSOFUNDAÇÃO DE ASSIST. BNDES UNIMED LONDRINABRADESCO SAÚDEFUPRESA UNIMED CURITIBABRB SAÚDEINDÚSTRIA MEC. SIGRIST UNIMED ALTO VALECAIXA ASSIST. SANEAGOMAHLE METAL LEVE UNIMED BELO HORIZONTECAIXA DE ASSIST. BANESTESVOLVO DO BRASIL UNIMED SÃO S. DO PARAÍSOCOOPERATIVA DO SICOOB UNIMED TRÊS PONTASEVANGÉLICO SAÚDE Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Lista das 988 operadoras qualificadas – caderno de qualificação da saúde suplementar. DIVULGAÇÃO AGOSTO/2010– ANO BASE 2009 Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS 9 Operadoras de Autogestão 8 Cooperativas Unimed 4 Medicina de Grupo 1 Seguradora

45 Tendências e Perspectivas para o Setor da Saúde Suplementar

46 Hoje as operadoras vivem um cenário com... Consumidores cada vez mais informados e exigentes; Competição acirrada; Custos assistenciais e regulatórios ascendentes; Incorporação de novas tecnologias em medicina; Conflitos entre os componentes do setor; Possível retração devido à situação econômico-financeira mundial; Judicialização do setor; Ação regulatória da ANS; Concentração do setor.

47 Variação 2000 a 2009: (-) 40% Quantidade de Operadoras Médico-hospitalares Evolutivo de 2000 a 2009 Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar – Informações sobre beneficiários, operadoras e planos. Edição Março/2010

48 FONTE: ANS - DIOPE – Diretoria de Normas e Habilitação de Operadoras Estatísticas Gerais da ANS sobre resoluções do total de Direções Fiscais encerradas até Junho/2010 (Operadoras no Brasil) Apenas 16% das Operadoras que já entraram e Direção Fiscal conseguiram obter levantamento do registro.

49 Mercado de Saúde Entre 2007 e 2009 ocorreram, no setor de saúde brasileiro, 75 fusões unindo operadoras, laboratórios e indústrias farmacêuticas fusões fusões fusões Fonte: Unimed do Brasil – Inf. Estratégicas

50 Mercado de Saúde Fonte: Unimed do Brasil – Inf. Estratégicas Principais fusões na área de Saúde 2009 e 2010 superam 4 bilhões de reais Amil compra a Medial por R$ 612,5 milhões Sanofi-Aventis compra a Medley por R$ 662,2 milhões Hypermarcas compra a Neo Química por R$ 1,3 bilhão Bradesco Dental compra 43,5% da Odontoprev Carlyle compra 70% da Qualicorp por R$ 1,1 bilhão O Banco do Brasil anunciou ontem (19/08) um acordo para ter uma fatia no capital da Odontoprev

51 Pedidos de processos no Estado de São Paulo (FESP)* *As ações podem ser motivadas por mais de um pedido Judicialização da medicina ações judiciais em curso contra as Unimeds da FESP

52 Gastos com processos na área da saúde Judicialização da medicina 61% do total de processos provém de cinco estados Só em 2009 foi de R$ 83 milhões No período de 2003 a 2008 foi de R$ 76 milhões FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE – FOLHA DE S. PAULO – 24/07/2010

53 Judicialização da medicina O Poder Executivo do Mato Grosso e o Judiciário Estadual de Minas Gerais aderiram à Recomendação 31 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A Recomendação propõe a adoção de medidas para subsidiar os magistrados a fim de garantir maior eficiência na solução das demandas judiciais envolvendo a assistência à saúde.

54 Em Minas Gerais foi implantado o Fórum Permanente de Direito à Saúde, com cursos e debates sobre o tema em parceria com o Ministério Público, Secretária do Estado da Saúde e o Tribunal de Contas da União. Judicialização da medicina No Mato Grosso a Secretaria de Estado da Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá atuarão em co-gestão no gerenciamento da regulação dos serviços de urgência e emergência do SUS.

55 Perspectivas para o Setor As perspectivas para o mercado de planos de assistência médica nos próximos anos são positivas, principalmente para as operadoras de médio e grande portes e com marcas reconhecidas pelo mercado.

56 A ANS tem sido rigorosa na avaliação das condições econômicas e de operação dos planos existentes, assim como nas exigências para novos entrantes, dificultando o ingresso e a atuação no setor de empresas não-éticas. No entanto, a concorrência entre as grandes operadoras e de marcas conceituadas deve ser cada vez mais acirrada. Perspectivas para o Setor

57 Na perspectiva de trabalho para o Médico, o crescimento dos investimentos em saúde no PIB e o aumento de clientes na saúde suplementar ofertarão maior número de empregos no âmbito privado e público. A Unimed investe na relação com os Cooperados, de forma a continuar na liderança da preferência dos Médicos entre os Planos privados. Perspectivas para o Setor

58 Sempre pautamos nossas estratégias nos referenciais fundamentais dos cooperativismo: Adesão voluntária e aberta; Gestão democrática por parte dos sócios; Participação econômica; Autonomia e independência Educação, formação e informação; Cooperação entre cooperativas, Interesse pela comunidade.

59 Seminário: A Relação entre os Médicos e os Planos de Saúde Dr. Eudes de Freitas Aquino Diretor Presidente da Unimed do Brasil Operadoras Médico-hospitalares Obrigado.


Carregar ppt "Seminário: A Relação entre os Médicos e os Planos de Saúde Dr. Eudes de Freitas Aquino Diretor Presidente da Unimed do Brasil Operadoras Médico-hospitalares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google