A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Número de Programas Avaliação CAPES (conceito) Programas de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Número de Programas Avaliação CAPES (conceito) Programas de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado."— Transcrição da apresentação:

1

2 Número de Programas Avaliação CAPES (conceito) Programas de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado

3 Estratégias para a obtenção da excelência na Pós-graduação Impacto do descredenciamento de Programas nota 3.

4 Estudantes/Projetos/Linhas de Pesauisa 2008 Iniciação Científica3.272 Pós Graduandos Mestado1.014 Doutorado1.007 Post-doc156 Programas M.D./Ph.D.10 Residência Médica647 Outras Residências Programas de Especialização Projetos2.989 Linhas de Pesquisa462

5 Publicações ( ) Artigos em Periódicos Internacionais (completo) Resumos (periódicos internationais Resumos (anais de congresso) Livros (completo) 156 Livros (capítulos)2.583

6 Etapa1 Discussão no Conselho de Pós-Graduação sobre: resultados da avaliação trienal dos programas realizada pela CAPES critérios utilizados na avaliação Identificação dos problemas relacionados à proposta dos programas Principal: vários programas com caráter de especialidade (sem distinção suficiente entre estrito senso, residência, especialização)

7 PROPOSTA DE REALINHAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIFESP AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS NOTAS 3 E 4 COMISSÃO AVALIOU DESEMPENHO NOS TRIÊNIOS + COLETA ENTREVISTA COM COORDENADORES PROPOSTA PARA FORTALECIMENTO DOS PROGRAMAS REALINHAMENTO VISANDO QUE TODOS OS PROGRAMAS POSSUAM NO MÍNIMO DEZ DOCENTES PERMANENTES EXCLUSIVOS DO PROGRAMA, QUE ATINJAM CRITÉRIO NOTA 5 Os programas que aderirem à proposta terão prioridade na distribuição de recursos institucionais (incentivo) AS PROPOSTAS DE FUSÃO OU CRIAÇÃO DE NOVOS PROGRAMAS SERÃO DISCUTIDAS ATÉ O FINAL DE OUTUBRO PARA SEREM APRESENTADAS À CAPES NO PERÍODO DE SUBMISSÃO DE APCNs (NOVEMBRO MARÇO2009) PARA INÍCIO DE ATIVIDADE EM PERÍODO DE TRANSIÇÃO – AUTORIZAÇÃO PARA MATRÍCULA DE ALUNOS DE MESTRADO EM PROGRAMAS COM NOTA 3 OU 4 SOMENTE PARA AQUELES QUE ATINJAM CRITÉRIO NOTA 4 OU 5 DEPENDENDO DA ÁREA. PROGRAMA DE SAÚDE COLETIVA QUE SOFREU RECENTE REEESTRUTURAÇÃO E CUJA AVALIAÇÃO NÃO COMPLETOU 2 TRIÊNIOS FUNCIONARÁ NORMALMENTE NO PERÍODO DE TRANSIÇÃO. INFORMÁTICA EM SAÚDE – SUGESTÃO PARA MUDANÇA DE ÁREA (INTERDISCIPLINAR?) E ABSORÇÃO DE DOCENTES QUALIFICADOS DOS CAMPUS S. JOSÉ DOS CAMPOS (CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO) E GUARULHOS (NA LINHA DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA) Credenciamento de orientador e co-orientador será realizado em fluxo contínuo, sendo os pedidos julgados mensalmente

8 Etapa 2 Pacto sobre objetivos comuns: atingir no mínimo nota 5, descontinuar os programas com nota 3 ou 4, realinhamento geral dos programas com base em afinidades temáticas Formulação de estratégias para atingir este objetivo: Mudanças nos critérios de credenciamento para orientador e co-orientador Recredenciamento de todos os orientadores atuais com novos critérios Reformulação das propostas de programas com criação de novos programas formados a partir dos já existentes para os quais haveria migração dos orientadores nível 5 dos programas notas 3 e 4

9 Etapa 3 Formação de uma comissão para realinhamento dos programas - discussões com os coordenadores de programas para fazer diagnóstico dos diferentes problemas e propor possíveis alianças visando realinhamento em novos programas (maiores e mais coerentes quanto à proposta senso estrito)

10 AVALIAÇÃO CAPES 2007 Universidade Federal de São Paulo UNIFESP/EPM

11 Fonte: Capes. Situação em 19/10/2007 Os pedidos de reconsideração do conceito 04/05/06 ainda não foram avaliados pela capes Comparação dos últimos triênios - Mestrado Acadêmico e Doutorado Programas com conceito >=3

12 Fonte: Capes. Situação em 19/10/2007 Os pedidos de reconsideração do conceito 04/05/06 ainda não foram avaliados pela capes Comparação dos últimos triênios - Mestrado Acadêmico e Doutorado Programas com conceito >=3

13 Fonte: Capes. Situação em 19/10/2007 Os pedidos de reconsideração do conceito 04/05/06 ainda não foram avaliados pela capes Programas desativados ou que obtiveram conceito < 3 no último triênio de Avaliação Programas Avaliação 04/05/06 ME/DOMP MEDICINA (NEUROCIRURGIA)2 EPIDEMIOLOGIAdesativado MEDICINA (NEUROLOGIA) desativado MÉTODOS GRÁFICOS EM CARDIOLOGIA desativado MORFOLOGIA 1 ENFERMAGEM desativado NUTRIÇÃO desativado Legenda: ME: Mestrado DO: Doutorado MP: Mestrado Profissional

14 Fonte: Capes. Situação em 19/10/2007 Os pedidos de reconsideração do conceito 04/05/06 ainda não foram avaliados pela capes ProgramasN í veis Avalia ç ão 01/02/03 Avalia ç ão 04/05/06 FARMACOLOGIAME/DO65/6 PATOLOGIAME/DO54 MEDICINA (OBSTETR Í CIA)ME/DO54 ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIAME/DO43 FISIOLOGIA DO EXERCICIOMP43 Programas cujo conceito diminuiu Legenda: ME: Mestrado DO: Doutorado MP: Mestrado Profissional

15 ProgramasNíveis Avaliação 01/02/03 Avaliação 04/05/06 MEDICINA (GASTROENTEROLOGIA CIRÚRGICA)ME/DO34 CIRURGIA E EXPERIMENTAÇÃOME/DO34 MEDICINA (OTORRINOLARINGOLOGIA)ME/DO45 DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO HUMANA (FONOAUDIOLOGIA) ME/DO45 MEDICINA (OFTALMOLOGIA)ME/DO57 PSICOBIOLOGIAME/DO56 CIRURGIA PLÁSTICAME/DO56 INFECTOLOGIAME/DO67 Fonte: Capes. Situação em 19/10/2007 Os pedidos de reconsideração do conceito 04/05/06 ainda não foram avaliados pela capes Programas cujo conceito aumentou Legenda: ME: Mestrado DO: Doutorado MP: Mestrado Profissional

16 Fonte: Capes. Situação em 19/10/2007 Os pedidos de reconsideração do conceito 04/05/06 ainda não foram avaliados pela capes ProgramasNíveisAvaliação 01/02/03 e 04/05/06 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BIOLOGIA MOLECULAR)ME/DO7 MEDICINA (ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA)ME/DO6 MEDICINA (HEMATOLOGIA)ME/DO6 MEDICINA (NEUROLOGIA)ME/DO6 MEDICINA (GINECOLOGIA)ME/DO5 PEDIATRIA E CIÊNCIAS APLICADAS À PEDIATRIAME/DO5 MEDICINA (UROLOGIA)ME/DO5 MEDICINA (RADIOLOGIA CLÍNICA)ME/DO5 REUMATOLOGIAME/DO5 PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICAME/DO5 ENFERMAGEMME/DO5 NUTRIÇÃOME/DO5 MEDICINA (CARDIOLOGIA)ME/DO4 MEDICINA (CIRURGIA CARDIOVASCULAR)ME/DO4 GASTROENTEROLOGIAME/DO4 MEDICINA (PNEUMOLOGIA)ME/DO4 MORFOLOGIAME/DO4 MEDICINA INTERNA E TERAPÊUTICAME/DO4 MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA ME/DO 7 CIÊNCIAS DA SAÚDE * ME/DO4 CIÊNCIAS APLICADAS AO APARELHO LOCOMOTORMP4 MEDICINA INTERNA E TERAPÊUTICAMP4 MEDICINA (DERMATOLOGIA CLÍNICA E CIRÚRGICA)ME/DO3 ENSINO EM CIÊNCIAS DA SAÚDEME3 CLÍNICA MÉDICAME/DO3 REABILITAÇÃOME/DO3 ENSINO EM CIÊNCIAS DA SAÚDEMP3 Programas que mantiveram o conceito * Este Programa foi credenciado em reunião do CTC de 13 a 15 de setembro de 2005 obtendo conceito 4. Entrou em funcionamento em 2006 obtendo conceito 4 na última avaliação

17 PROPOSTA: SÓ CREDENCIAR DOCENTES COM PERFIL NOTA 5 orientamos os solicitantes a credenciamento como ORIENTADORES, recomendando que os coordenadores enviem a todos os atuais orientadores, assim como aos que estão solicitando credenciamento, os documentos específicos de sua área disponíveis (formato pdf) na home-page da CAPES: Critérios de avaliação html html podem ser encontrados TODOS os critérios Serão credenciados como orientadores apenas os docentes ou pesquisadores que preencherem os critérios mínimos exigidos PELA ÁREA QUE AVALIA O PROGRAMA para qualificar um programa com nota 5, com ênfase na produção científica, por ser este o item mais valorizado pelos avaliadores..

18 INFORMAÇÕES ADICIONAIS DE ACORDO COM AS DIRETRIZES PARA CREDENCIAMENTO DE PROFESSOR ORIENTADOR Preencha no espaço abaixo de cada item que deseja complementar 1. Ter título de Doutor em programa credenciado pelo Ministério da Educação. 2. Justificar, de maneira concisa, a existência de linha de pesquisa desenvolvida no país e o domínio de metodologia científica, bem como documentá-la por trabalhos originais publicados em revistas indexadas ISI ou Medline. 3. Publicação de pelo menos 2 trabalhos originais nos últimos 3 anos ou 6 nos últimos 6 anos (ISI ou Medline). Pede-se, enviar a cópia dos principais artigos publicados nos últimos 6 anos 4. Embora não essencial, é relevante que tenha experiência comprovada como Co-orientador. 5. Capítulos de livros - destacar repercussões. 6. Apresentação de Financiamento obtido extra-muros (projetos aprovados com financiamento). Patentes. 7. Atividades de consultoria científica como participação do corpo editorial de revistas científicas e assessoria a agências de fomento. 8. Intercâmbio com grupos de pesquisa (nacional e/ou internacional).

19 Proposta de critérios para credenciamento de co-orientador Credenciamento pontual, mediante carta de indicação do orientador titular do pós-graduando, justificando o papel que será desempenhado pelo co-orientador no caso específico, em função de sua experiência anterior na área; Doutor há pelo menos 2 anos; Atuação prévia na linha na qual se insere o projeto; Experiência em co-orientação de IC (comprovada por declaração do orientador oficial) Publicação nos últimos 4 anos: 2 Qualis Nac A da área ou superior, compatível com exigido para programa nota 4 da área; Solicitação formal, após aprovação da CEPG do programa, por meio de formulário a ser disponibilizado na página da pós- graduação, acrescido de resumo do projeto de pesquisa, com link para o CV Lattes.

20 A título de exemplo: na ÁREA DA SAÚDE os critérios de produção são: Referencial para análise quantitativa: · O NÚMERO TOTAL de publicações do programa no triênio (cada produção deve ser contabilizada apenas uma vez no programa, mesmo que tenha a autoria de mais de um docente) deve corresponder aos mínimos abaixo explicitados, considerando-se 80% dos docentes permanentes: · - CONCEITO EXCELENTE(7): 06 ou mais artigos em Qualis Internacional A ou B, sendo que pelo menos 03 o sejam em Qualis Internacional A. · CONCEITO EXCELENTE(6): 04 ou mais artigos em Qualis Internacional A ou B, sendo que pelo menos 02 o sejam em Qualis Internacional A. · CONCEITO: MUITO BOM (5): 3 ou mais artigos em periódicos classificados como Qualis Internacional C ou superior, sendo que pelo menos 1 seja em Qualis Internacional A ou B. · CONCEITO BOM (4): 03 ou mais artigos em Qualis Nacional A ou superior, sendo que pelo menos 1 seja em Qualis Internacional C ou superior. · CONCEITO REGULAR (3): 3 ou mais artigos em Qualis Nacional B ou superior, sendo pelo menos 0,5 em Qualis Internacional C ou superior. · CONCEITO FRACO (2): 02 ou mais artigos em Qualis Nacional B ou superior. · CONCEITO DEFICIENTE (1): as demais situações.

21 Desta forma, para credenciar um orientador na pró-reitoria da UNIFESP, além da indicação do programa (que se espera tenha conferido se o candidato preenche os critérios) é necessário que o docente tenha publicado no triênio anterior ao menos 3 ou mais artigos em periódicos classificados como Qualis Internacional C ou superior, sendo que pelo menos 1 seja em Qualis Internacional A ou B. Este critério consta do documento em pdf denominado: Ciências da Saúde/Grande Área (Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Medicina I, Medicina II, Medicina III, Odontologia e Saúde Coletiva), disponível em : Ciências da Saúde/Grande Área (Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Medicina I, Medicina II, Medicina III, Odontologia e Saúde Coletiva) html


Carregar ppt "Número de Programas Avaliação CAPES (conceito) Programas de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google