A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tópicos de discussão ABNT/CEET de RS 22.11.2006 Tópicos de discussão 19.09.2006 Responsabilidade Social – Ciclo de palestras.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tópicos de discussão ABNT/CEET de RS 22.11.2006 Tópicos de discussão 19.09.2006 Responsabilidade Social – Ciclo de palestras."— Transcrição da apresentação:

1 Tópicos de discussão ABNT/CEET de RS Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras

2 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópico 1 Conjunto de princípios gerais que a norma deve conter ABNT/CEET de RS

3 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Princípios da Responsabilidade Social Andréa Santini Henriques INMETRO ABNT/CEET de RS

4 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Responsabilidade DO LATIM – RESPONSUM = CAPACIDADE DE DAR RESPOSTAS EFICAZES AOS PROBLEMAS QUE NOS CHEGAM DA REALIDADE SURGE QUANDO DA CONSCIÊNCIA DA CONSEQUÊNCIA DE NOSSAS AÇÕES PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL ABNT/CEET de RS

5 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPOSTA ABNT/CEET de RS

6 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras INSUSTENTABILIDADE - FUTURO AMEAÇADO MUDANÇA DE PARADIGMA CIVILIZACIONAL PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL ABNT/CEET de RS

7 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL NECESSITAMOS DE UMA REVOLUÇÃO PARA A CONSERVAÇÃO E PRESERVAÇÃO. CRIAR UM MODO DE VIDA SUSTENTÁVEL A terra é uma só nação e os seres humanos os seus cidadãos (RIO 92) ABNT/CEET de RS

8 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL Suprir as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades ( Comissão Brundtland – Nosso Futuro Comum) SocialSocial AmbientalAmbiental EconômicaEconômica Sustentabilidade ABNT/CEET de RS

9 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL CARTA DA TERRA ``As bases da segurança global estão ameaçadas. Essas tendências são perigosas, mas não inevitáveis. A escolha é nossa: ou formar uma aliança global para cuidar da terra e um dos outros, ou arriscar a nossa destruição e da diversidade da vida.`` ABNT/CEET de RS

10 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL Relações éticas,transparentes e co-responsavéis na busca da sustentabilidade ALIANÇA 1º SETOR Estado/governo 2º SETOR Mercado/negócios 3º SETOR Sociedade Civil Organizada ABNT/CEET de RS

11 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Setor Privado Responsabilidade compatível com os seu poder Incorporação de objetivos sociais e ambientais às metas econômicas das empresas; Contrapartida: Valorização da imagem; Enriquecimento do ambiente de trabalho; Vantagem competitiva..... PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL ABNT/CEET de RS

12 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Construindo a Responsabilidade Social Diálogo com as partes interessadas Ética Meio ambiente Direitos humanos Direitos do trabalho Transparência Diversidade PRINCÍPIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL Comunidade ABNT/CEET de RS

13 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Princípios da RS Obrigada! Andréa Santini Henriques (61) Diretoria da Qualidade Inmetro ABNT/CEET de RS

14 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky Secretário Executivo do GAO Grupo de Articulação das ONGs brasileiras na ISO ONGs no Comitê Espelho Grupo de ONGs formado em maio/2006 com o objetivo de tornar mais significativa a participação dos representantes das ONGs brasileiras na construção da ISO 26000: compartilhando informações e ampliando a discussão sobre RS entre as ONGs e com sociedade em geral promovendo a participação de entidades sociais e ambientais brasileiras na construção de uma agenda conjunta contribuindo para que a ISO tenha repercussão ampla e positiva no cenário brasileiro ABNT/CEET de RS

15 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Manter uma seção de princípios Princípios serão de três tipos: Gerais: tem como foco os valores, e visam explicitar a inspiração maior da RS: p.ex: Respeito à lei; Respeito aos Direitos Humanos; Substantivos: tem como foco os resultados, e visam garantir um o quê: p.ex. Promover a diversidade, combater o trabalho infantil, preservar os recursos naturais... Operacionais: temo como foco os processos e visam garantir um como: p.ex. Participação, Accountability (responsividade), Transparência, Materialidade, entre outros. ABNT/CEET de RS

16 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Princípios na ISO ABNT/CEET de RS

17 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Exemplos do tipo Gerais – (proposta em análise) General principles include: organizations shall respect internationally recognised conventions and declarations and widely recognised instruments derived from them; organizations shall respect the rule of law organizations shall recognise the right of stakeholders to be heard and of the organization to respond. ABNT/CEET de RS

18 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Exemplo do tipo Substantivo – (proposta em análise) The Environment – Organizations should ensure that their activities respect, promote and advance internationally recognised environmental principles and commitments. For example: - organizations should support a precautionary approach to environmental challenges - organizations should undertake initiatives to promote greater environmental responsibility; - organizations should encourage the development and diffusion of environmentally friendly technologies; - organizations should accept the polluter pays principle. ABNT/CEET de RS

19 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Outros casos: tipo Substantivo – (proposta em análise) Human rights Labour practices Organizational governance Fair business practices Community involvement Consumer issues ABNT/CEET de RS

20 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Exemplos do tipo Operacional – (proposta em análise) Accountability – the organization should be held accountable to its stakeholders for its actions and omissions and should respond – whether positively or negatively – to their legitimate claims; Boundaries – the organization should identify, understand and take responsibility for its direct and indirect impacts; Management integration – the organization should integrate SR issues within its core management systems and decision-making processes; Materiality – the organization should identify and understand its material issues, and respond to these issues; ABNT/CEET de RS

21 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Exemplos do tipo Operacional – (proposta em análise) (continuação) Multi-stakeholder approach – the organization should make due provision for the interests and needs of all its stakeholders; Transparency – the organizations should be transparent about its actions and communicate progress made with regards to their social responsibility performances on a regular basis; Life cycle approach – the organization should consider the environmental and social impacts of its services and products throughout their life cycles. ABNT/CEET de RS

22 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Aron Belinky GAO / Ecopress Princípios na ISO Obrigado! ABNT/CEET de RS

23 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Conjunto de Princípios Stakeholder: Trabalhadores Regina Queiroz Instituto Observatório Social

24 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Introdução O que a ISO pode representar para os trabalhadores? Os trabalhadores e as empresas têm um longo histórico de organização e negociação; no processo de RSE os trabalhadores passaram a ser parte do multistakeholder. –É um novo papel/status? Existem várias regulamentações internacionais e nacionais na área do trabalho fruto de negociações e acordo entre empresários, trabalhadores e governos. –Como não subestimá-las?

25 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras ONU - DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Art. 3º - A preocupação com a segurança pessoal, que envolve necessariamente a segurança no loca de trabalho; Art. 4º - O repúdio ao trabalho escravo e à utilização de maus tratos; Art. 19º e 20º - A defesa da liberdade de expressão e manifestação e de associação, direito de toda pessoa de fundar com outras pessoas sindicatos e de se afiliar a sindicatos para defesa dos seus interesses; O direito de toda pessoa a ter trabalho, escolhido livremente, em condições eqüitativas e satisfatórias; Direito a receber salário igual por trabalho igual; Art. 23º - A remuneração deve garantir ao indivíduo e à sua família uma existência com dignidade e complementada, se possível, por todos os outros meios de proteção social;. Art. 24º - Direito ao repouso e ao lazer, a uma limitação da duração do trabalho e de receber férias periódicas pagas.

26 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras OIT - DECLARAÇÃO SOBRE OS PRINCÍPIOS E DIREITOS FUNDAMENTAIS DO TRABALHO E SEU SEGUIMENTO (1998) OIT – agência da ONU de estrutura tripartite: governo (50%), empresários (25%) e trabalhadores (25%). Convenções: Abolição do trabalho infantil: Convenções 138 e 182 Trabalho forçado: Convenções 29 e 105 Eliminação da discriminação: Convenções 100 e 111 Liberdade sindical: Convenções 87 e 98 Agenda Trabalho Decente que inclui Diálogo Social

27 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Princípios gerais: OCDE – DIRETRIZES PARA AS EMPRESAS MULTINACIONAIS DA OCDE Princípios gerais: Colaborar com o progresso econômico, social e ambiental, numa lógica voltada para garantir o desenvolvimento sustentável; Respeitar os direitos humanos e os compromissos internacionais assumidos pelos países onde tenham unidades; Estimular a criação de capacidades locais em cooperação com a comunidade; Criar oportunidades de empregos e estimular a formação profissional; Abster-se de procurar ou aceitar exceções não previstas no quadro legal ou regulamentar, em domínios como o meio ambiente, a saúde, a segurança, o trabalho, a tributação, os incentivos financeiros e outros; ; Desenvolver e aplicar boas práticas de gestão empresarial;

28 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras OCDE – Diretrizes para empresas Multinacionais (continuação) Estabelecer práticas que promovam uma relação de confiança mútua entre as empresas e as sociedades; Divulgar para os trabalhadores as políticas da empresa e estimular que suas ações sejam adequadas a elas; Não perseguir trabalhadores que denunciem práticas que contrariem a lei, as Diretrizes ou as políticas da empresa; Estimular fornecedores e terceirizados a ter também uma conduta empresarial adequada às Diretrizes; Evitar qualquer ingerência indevida em atividades políticas locais Estabeleceu, em 2000, o PONTO DE CONTATO NACIONAL para acompanhar a implementação da Diretrizes nos países e receber denúncias.

29 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Agenda 21 – Declaração do Rio - ONU Promover a ratificação das convenções pertinentes à OIT; Estabelecer mecanismos bipartidos e tripartites sobre segurança, saúde e desenvolvimento sustentável; Aumentar o número de acordos ambientais coletivos voltados para o desenvolvimento sustentável; Reduzir os acidentes, ferimentos e moléstias de trabalho; Aumentar a oferta de educação, treinamento e atualização para os trabalhadores, em particular na área de saúde e segurança no trabalho e do meio ambiente; Promover a liberdade de associação (liberdade sindical).

30 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Resoluções das entidades sindicais sobre RSE Resolução – Dezembro/2005 A ICFTU (ITUC) participa como organização liasion e coordena a participação do grupo sindical; Trabalha conjuntamente com a OIT e reforça o Memorando de Entendimento ISO – OIT; Deve apoiar participação dos sindicatos, principalmente, dos países em desenvolvimento. 9º Concut – junho/2006 Incorporação de das normas e diretrizes – OIT, OCDE, Global Compact; Não permitir ações superficiais e marqueteiras; Exercício efetivo dos direitos sindicais;

31 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras ISO – WD2: onde estamos? Todo o processo é do interesse e participação dos trabalhadores. Entretanto, os temas específicos estão contidos nas Diretrizes e temas principais da Responsabilidade Social – TG5: DIREITOS HUMANOS: Direitos civis e políticos, econômicos, sociais e culturais, Direitos fundamentais do Trabalho, Direitos das Comunidades. PRÁTICAS DE TRABALHO: Saúde e Segurança ocupacional, condições dignas de trabalho, desenvolvimento dos recursos humanos, o trabalhador como ser humano. GOVERNANÇA ORGANIZACIONAL: inclusividade, conduta ética, divulgação de informações, respeito à lei, accountabuility. MEIO AMBIENTE E ENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO/DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE (e seus itens). ENGAJAMENTO DOS STAKEHOLDERS. APLICAÇÃO NA CADEIA DE SUPRIMENTO (em Práticas leais de operação).

32 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras O que os trabalhadores esperam 1)Acatar o que já é definido internacionalmente; 2) Avançar onde for possível, principalmente, na criação de empregos; 3) Fortalecer a cadeia de valor; 4) Fortalecer as políticas de diversidade; 5) Fortalecer o diálogo; 6) Não substituir a legitimidade da representação sindical.

33 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Discussão do Tópico 1 Conjunto de princípios gerais que a norma deve conter ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS

34 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópico 2 Definição dos key topics que a norma deve conter ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS

35 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Key Topics Giuliana Ortega Bruno Instituto Ethos D-Liaison ABNT/CEET de RS

36 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Key Topics 1.Aplicabilidade a todos os tipos de organização / diluição de temas específicos 2.Referência a Cadeia de Valor / Esfera de Influência 3.Relação entre RS e Desenvolvimento Sustentável 4.Sustentabilidade das organizações x Sustentabilidade do planeta 5.Natureza da relação entre RS e filantropia 6.Como considerar aspectos de viabilidade financeira/econômica relativos à RS 7.Como identificar e conectar-se aos stakeholders 8.Relação da ISO com outras iniciativas 9.Envolvimento Comunitário/Desenvolvimento da Sociedade como tema ABNT/CEET de RS

37 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Discussão do Tópico 2 Definição dos key topics que a norma deve conter ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS

38 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópico 3 Filantropia versus RS: distinção do que a norma deve conter ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS

39 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópico 3 Filantropia versus RS: distinção do que a norma deve conter Ana Paula Grether Petrobras Indústria ABNT/CEET de RS

40 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria Filantropia X RS N ecessidade Assistencialismo Compensação Ajudar Efetivação de Direitos Sustentabilidade Autonomia Respeitar ABNT/CEET de RS

41 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria Filantropia X RS Incorporar valor Incorporar valor Buscar autonomia Buscar autonomia Visar multi-institucionalidade Visar multi-institucionalidade Enfocar a questão estrutural, sistêmica Enfocar a questão estrutural, sistêmica Gerar trabalho e renda Gerar trabalho e renda Conscientizar Ações pontuais e compensatórias Ações pontuais e compensatórias Apenas adiar o problema Apenas adiar o problema Ações isoladas, desconectadas Ações isoladas, desconectadas Assistencialismo Doações Somente financiar Somente financiar Ao invés de: ABNT/CEET de RS

42 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria RSA NA PETROBRAS Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços adequados às necessidades dos seus clientes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e dos países onde atua. MISSÃO VISÃO A Petrobras será uma empresa integrada de energia com forte presença internacional e líder na América Latina, atuando com foco na rentabilidade e na responsabilidade social e ambiental. ABNT/CEET de RS

43 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria RSA NA PETROBRAS CrescimentoRentabilidade Responsabilidade Social e Ambiental Estratégia Corporativa Liderar o mercado de petróleo, gás natural e derivados na América Latina, atuando como empresa integrada de energia, com expansão seletiva da petroquímica e da atividade internacional ABNT/CEET de RS

44 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria Filantropia X RS na ISO Discussão internacional sobre Filantropia X RS: Filantropia Países Desenvolvidos: marketing social Países em Desenvolvimento (especialmente países mais pobres): medo de perda de recursos via doações filantrópias ABNT/CEET de RS

45 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria Filantropia X RS na ISO Definição Provisória de Responsabilidade Social 3ª reunião do GT internacional da ISO (maio/2006, Lisboa) Responsabilidade Social caracteriza-se pelas ações de uma organização para responsabilizar-se pelos impactos de sua atividade na sociedade e no meio ambiente, sendo essas ações: -Consistentes com os interesses da sociedade e com desenvolvimento sustentável; -Baseadas em comportamento ético, cumprimento das leis e regulamentos entre governos; -Integradas nas atividade realizadas pela organização ABNT/CEET de RS

46 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria Filantropia X RS na ISO Definição Provisória de RSA da ISO Filantropia não faz parte da definição de RSA. ISO tratará do tema filantropia no capítulo 4: O contexto de Responsabilidade Social no qual as organizações operam O contexto de Responsabilidade Social no qual as organizações operam Stakeholder Indústria: Reconhece que Responsabilidade Social vai além de Filantropia ABNT/CEET de RS

47 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Indústria Diretrizes de Implementação de RS na ISO Diretrizes para todas as organizações na implementação de RS (Capítulo 7 da ISO 26000) Haverá orientação para que a organização integre a visão de RS à visão organizacional;Haverá orientação para que a organização integre a visão de RS à visão organizacional; Outro ponto vital nas diretrizes de implementação de RS para organizações: engajamento com partes interessadas;Outro ponto vital nas diretrizes de implementação de RS para organizações: engajamento com partes interessadas; Discute-se a orientação sobre a importância do envolvimento da alta administração com RS; ABNT/CEET de RS

48 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Diversidade Gênero Idade Credo Etnia Origem Social Origem Social Cultura Direito Clientes Imprensa Acionistas Valorizar diferenças Vencer a desigualdade Inclusão social Comunidades Fornecedores Trabalhadores Sociedade Governo Terceiro Setor Terceiro Setor Indústria: Relacionamento com Partes Interessadas ABNT/CEET de RS

49 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Filantropia X RS: distinção que a norma ISO deve conter Categoria Consumidores no Grupo de Trabalho da ISO em Responsabilidade Social Lisa Gunn Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor ABNT/CEET de RS

50 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras O que é responsabilidade social empresarial? A responsabilidade social empresarial é uma postura ética permanente das empresas no mercado de consumo e na sociedade. Muito mais que ações sociais e filantropia, a responsabilidade social deve ser o pressuposto e a base da atividade empresarial. ABNT/CEET de RS

51 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Uma empresa de fast-food que doa recursos à um hospital, mas não informa claramente seus consumidores sobre os aspectos nutricionais dos seus produtos pode ser considerada socialmente responsável? Ou Uma empresa de telefonia que investe em educação, mas é campeã de reclamações nos PROCONs pode ser considerada socialmente responsável? ABNT/CEET de RS

52 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras A responsabilidade social empresarial engloba a preocupação e o compromisso em minimizar os impactos causados…... aos consumidores, ou seja, são valores professados na ação prática cotidiana no mercado de consumo – refletida na publicidade e nos produtos e serviços oferecidos. ABNT/CEET de RS

53 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Uma empresa que doa recursos para uma comunidade em uma favela, mas desrespeita os direitos básicos dos seus trabalhadores pode ser considerada socialmente responsável? ABNT/CEET de RS

54 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras A responsabilidade social empresarial engloba a preocupação e o compromisso com os impactos causados…... aos trabalhadores, ou seja, são valores professados na ação prática cotidiana em relação à geração de empregos de qualidade, em boas condições de trabalho, com uma remuneração justa, respeitando os direitos dos trabalhadores. ABNT/CEET de RS

55 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Uma empresa que doa recursos para construção de postos de saúde, mas polui o meio ambiente com a sua atividade produtiva pode ser considerada socialmente responsável? ABNT/CEET de RS

56 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras A responsabilidade social empresarial engloba a preocupação e o compromisso com os impactos causados…... no meio ambiente, ou seja, são valores professados na ação prática cotidiana em relação aos impactos negativos resultantes da produção, da distribuição, do consumo e do pós-consumo dos produtos e serviços produzidos e comercializados. ABNT/CEET de RS

57 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras A responsabilidade social empresarial dever estar refletida na postura da empresa em busca de soluções para eventuais problemas; e, ainda, a transparência nas relações com os envolvidos nas suas atividades, sejam trabalhadores, consumidores, governos, etc. ABNT/CEET de RS

58 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Ações sociais, ou seja, filantropia, podem ser necessárias na solução de problemas relacionados ao próprio negócio da empresa. Alguns exemplos... ABNT/CEET de RS

59 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Uma empresa de confecção de roupa, que terceiriza a sua produção, que por sua vez, emprega mão-de-obra imigrante em situação irregular em condições degradantes de trabalho – o caso dos bolivianos no Bráz e Bom Retiro em São Paulo –, pode investir em uma ação social para ajudar a regularizar a situação de migração dos bolivianos e para criar cooperativas ou pequenas empresas, que garantam melhores condições de trabalho para essas pessoas. ABNT/CEET de RS

60 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras As empresas de produtos eletro-eletrônicos e de embalagens, que deveriam ser responsáveis pelos resíduos dos seus produtos na fase pós-consumo poderiam investir em ações sociais, ou seja, filantropia para ajudar na formação de cooperativas e melhoria das condições de trabalho dos catadores de rua. ABNT/CEET de RS

61 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Resumindo: ações sociais são bem-vindas, mas não podem substituir a responsabilidade social que as empresas devem ter em relação ao seu negócio. ABNT/CEET de RS

62 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Obrigada! Mais informações: Lisa Gunn Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor ABNT/CEET de RS

63 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Discussão do Tópico 3 Filantropia versus RS: distinção do que a norma deve conter ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS

64 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópico 4 Uso de conceitos como supply chain, cadeia de valores e esfera de influência ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS

65 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras "Supply chain (cadeia produtiva/cadeia de fornecedores), Cadeia de valor e Esfera de influência Lisa Gunn Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Especialista Consumidor do Brasil no Grupo de Trabalho da ISO em Responsabilidade Social

66 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Cadeia produtiva Existem vários conceitos de cadeia produtiva na teoria econômica. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudo Sócio-Econômicos (Dieese) e o Instituto Observatório Social (IOS) (2003: 19), a definição apresentada em Haguenauer (1984 e 1999) caracteriza a cadeia produtiva como: uma seqüência de setores econômicos unidos entre si por relações significativas de compra e venda e onde há uma divisão do trabalho entre eles, cada um realizando uma etapa do processo de transformação. A delimitação dessa seqüência envolve um certo grau de arbitrariedade na decisão, como observa a própria Haguenauer, que exclui das cadeias produtivas as relações de compra e venda de bens de capital e os setores de prestação de serviços, e interrompe o percurso para trás ao longo da cadeia ao atingir uma indústria produtora de um bem de uso difundido. Outras definições de cadeia produtiva envolvem outras exclusões.

67 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Cadeia de valor Consideramos mais apropriado o conceito de cadeia de valor formulado por McCormick e Schmitz, exposto e utilizado por OIT/ Dieese (2003), que diz que: a cadeia de valor é concebida de maneira ampla, incluindo tanto as etapas de distribuição e comercialização quanto as de suprimento de matérias-primas, bens de capital e prestações de serviços, entre outros. Ou seja, não há preocupação em colocar limites para a análise. (...) [A cadeia de valor é] um fluxo de agregação e distribuição desse valor. McCormick e Schmitz ainda sugerem que o desenho inicial dessa cadeia parta dos mercados finais dos produtos, outro ponto a favor do uso desse conceito de cadeia de valor para orientação da análise das práticas de RSE.

68 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Como as definições de responsabilidade social empresarial (RSE) que norteiam o entendimento do Idec incluem a seleção de fornecedores de bens de uso difundido, de bens de capital e de prestadores de serviços socialmente responsáveis, consideramos mais apropriado para orientar a análise das práticas de responsabilidade social empresarial o conceito de cadeia de valor.

69 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Na última reunião do Grupo de Trabalho em Lisboa, em uma discussão sobre qual conceito adotar, foi sugerido a manutenção de supply chain, não por ser o mais apropriado, mas por ser o mais conhecido. Considera-se um entendimento mais amplo: cadeia de fornecedores. Supply chain Cadeia produtiva Cadeia de fornecedores

70 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras A maioria dos problemas ambientais, com trabalhadores e de direitos humanos ocorre nos fornecedores mais do que nas empresas. A globalização e a tendência de terceirização tornam a cadeia produtiva complexa, dificultando a avaliação, inclusive pelo consumidor, dos impactos ambientais e sociais dos atuais padrões de produção e, consequentemente, dos hábitos de consumo. As diretrizes da ISO em responsabilidade social devem considerar toda a cadeia produtiva, ou melhor, toda a cadeia de valor.

71 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras As empresas que afirmam exercer sua responsabilidade social devem fazê-lo em todas as partes do seu negócio e de suas atividades. Dessa forma, as diretrizes da ISO em responsabilidade social devem ser elaboradas de uma forma em que sejam usadas em todos os níveis e locais onde a organização estiver e não apenas em determinada unidade de produção.

72 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Fases de consumo e pós-consumo Além da cadeia produtiva, as diretrizes da ISO em responsabilidade social devem considerar as fases de consumo e pós-consumo, pois as empresas dividem com os consumidores e com os governos a responsabilidade pela construção de alternativas aos atuais padrões insustentáveis de produção e consumo, que são as principais causas dos problemas socioambientais que enfrentamos hoje. Para os consumidores, não é possível considerar a responsabilidade social das organizações se não considerarmos as suas políticas e práticas em relação as fases de consumo e pós-consumo.

73 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Controle e esfera de influência Por exemplo: uma empresa não tem controle legal sobre um fornecedor, mas ela pode influenciar este fornecedor por meio de condições no contrato de fornecimento de produtos e/ou serviços. Uma empresa pode não ser legalmente responsável por seus fornecedores, mas é socialmente responsável pelos impactos sociais e ambientais envolvidos na cadeia de valor.

74 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Diretrizes do GRI para Elaboração de Relatórios de Sustentabilidade

75 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Obrigada! Mais informações: Lisa Gunn Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

76 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras ISO e a questão do engajamento com as partes interessadas ISO e a questão do engajamento com as partes interessadas. Ana Paula Grether Coordenadora do Balanço Social da Petrobras ABNT/CEET de RS

77 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PERSPECTIVA DO ENGAJAMENTO COM STAKEHOLDERS Perspectiva das Partes Interessads: organizações devem levar em conta as demanda e expectativas das diversas partes interessadas que impactam e são impactadas por suas atividades Definição de Engajamento com as partes interessadas WD2 Relação de Cooperação mútua entre a organização e partes interessadas para se chegar a resultados aceitáveis para ambos ABNT/CEET de RS

78 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras TRABALHO COM STAKEHOLDERS Identificação e seleção das partes interessadas mais relevantes Engajamento com as partes interessadas Parcerias e Colaborações Integrando o feedback do engajamento com stakeholders Métodos, abordagens e referências ABNT/CEET de RS

79 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Diversidade Gênero Idade Credo Etnia Origem Social Origem Social Cultura Direito Clientes Imprensa Acionistas Valorizar diferenças Vencer a desigualdade Inclusão social Comunidades Fornecedores Trabalhadores Sociedade Governo Terceiro Setor Terceiro Setor Indústria: Engajamento com Partes Interessadas ABNT/CEET de RS

80 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PETROBRAS: EXTENSÃO RSA A FORNECEDORES PETROBRAS: EXTENSÃO RSA A FORNECEDORES ATRIBUTOS TÉCNICOS ATRIBUTOS LEGAIS ATRIBUTOS ECONÔMICOS ATRIBUTOS SMS ATRIBUTOS GERENCIAIS / RESPONSABILIDADE SOCIAL Referências Qualidade:ISO Resp. Social:ETHOS Referências: Meio Ambiente: ISO Saúde e Seg. :OHSAS Exigência de gestão socialmente responsável aos fornecedores da Petrobras: diretriz corporativa aprovada pelo Comitê de Gestão de RSA. Atributos para cadastramento de fornecedores de bens e serviços com a inclusão de SMS e Responsabilidade Social ALGUNS SÃO REQUISITOS OBRIGATÓRIOS PARA O CADASTRO EM FUNÇÃO DO BEM OU SERVIÇO ALGUNS SÃO ATRIBUTOS CLASSIFICATÓRIOS PARA O CADASTRO EM FUNÇÃO DO BEM OU SERVIÇO ABNT/CEET de RS

81 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras PROGEFE / CADASTRO Destaques de RS nos requisitos dos fornecedores da Petrobras Responsabilidade Social e Ambiental no core business da Cia. Meio ambiente: Incentivo a padrões internacionais (ISO 14001) Segurança / Saúde: Incentivo a padrões internac. (OHSAS 18001) Proteção dos direitos dos trabalhadores (aspectos legais) Incentivo a implantação de Responsabilidade Social (ref. Ethos) - Incentivo à resposta aos Indicadores Ethos por parte dos fornecedores INICIATIVAS PETROBRAS: FORNECEDORES ABNT/CEET de RS

82 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Setor de Petróleo e Gás no Brasil – Dificuldades para MPE Exigente quanto a requisitos de desempenho dos fornecedores QSMS, TI, Responsabilidade Social MPE - inclusão nos cadastros de fornecedores das grandes empresas e ONIP Atendimento dos requisitos Outros obstáculos: desinformação, acesso ao crédito, gestão e tecnologia, escala, articulação, associação Cultura INICIATIVAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS INICIATIVAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS ABNT/CEET de RS

83 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras TEAR TEAR (Tecendo Redes Responsáveis) Implantação da RSA nas micro, pequenas e médias empresas da cadeia de valor de empresas estratégicas Parceria BID, Ethos e IBP Petrobras é empresa âncora do setor de Petróleo e Gás ABNT/CEET de RS

84 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Convênio Petrobras / Sebrae Unidades Participantes Convênios específicos assinados Em negociação Rede PETRO em funcionamento REMAN, UN-BSOL LUBNOR UN-SEAL UN-BA, RELAM, FAFEM-BA, RNNE REGAP UN-RNCE UN-ES UN-BC, REDUC, CENPES REPAR, SIX Unidades em Negociação RECAP, REPLAN, REVAP, RPBC e REFAP

85 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras TEMAS DOS PROJETOS ESTRUTURANTES Diagnóstico, elaboração e implementação de plano de desenvolvimento local para inserção de micro e pequenas empresas Formação, consolidação e interação de redes de cooperação de empresas petrolíferas e fornecedores locais, com apoio institucional Mobilização de grandes fornecedores para o engajamento de micro e pequenas empresas como subfornecedoras locais Capacitação e desenvolvimento de micro e pequenas empresas locais para qualificação como fornecedoras locais potenciais Convênio Petrobras/Sebrae ABNT/CEET de RS

86 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras FOCO MULTI-SETORIAL Manutenção Industrial Metal-mecânica (calderaria, usinagem, soldagem) Eletro eletrônico (motores, circuitos e painéis elétricos) Construção e Montagem Projetos de Engenharia Refrigeração (manutenção, projeto, montagem) Tecnologia da Informação Equipamentos de Segurança Pintura Serviços Gerais Outros Convênio Petrobras/Sebrae ABNT/CEET de RS

87 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Convênio Petrobras / Sebrae Escritórios de apoio direto ao Cadastro PETROBRAS Cursos (qualidade, SMS, ISO 9000, etc) Palestras/Seminários (técnicos e gerenciais) Consultorias Missões/Caravanas em feiras do setor Rodadas de Negócios Ações de Diagnósticos empresariais Ação Quantidades MPE assistidas Resultados MPE Participantes Empregados Envolvidos ABNT/CEET de RS

88 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras ABNT/CEET de RS Ana Paula Grether Coordenadora do Balanço Social da Petrobras OBRIGADA!!

89 ABNT/CEET de RS Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Tópicos de discussão Responsabilidade Social – Ciclo de palestras Discussão do Tópico 4 Uso de conceitos como supply chain, cadeia de valores e esfera de influência ABNT/CEET de RS ABNT/CEET de RS


Carregar ppt "Tópicos de discussão ABNT/CEET de RS 22.11.2006 Tópicos de discussão 19.09.2006 Responsabilidade Social – Ciclo de palestras."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google