A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Investigação Qualitativa em Educação Uma introdução à Teoria e aos Métodos Cap. IV: Dados Qualitativos Apresentação: Lara Elisa Latância Thaís Nogueira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Investigação Qualitativa em Educação Uma introdução à Teoria e aos Métodos Cap. IV: Dados Qualitativos Apresentação: Lara Elisa Latância Thaís Nogueira."— Transcrição da apresentação:

1 Investigação Qualitativa em Educação Uma introdução à Teoria e aos Métodos Cap. IV: Dados Qualitativos Apresentação: Lara Elisa Latância Thaís Nogueira Penido Mestrandas em Educação Autores: Robert Bogdan Sari Biklen

2 Um modo de olhar a Pesquisa... Sempre é uma coisa delicada intrometer-se, tentar interpretar a interioridade de que vivem os outros, e trabalhar sobre o avesso das suas representações conscientes, sem ter ao mesmo tempo a certeza de uma verificação possível das afirmações que se fazem. Creio, no entanto, ser conveniente submeter esse jogo ao olhar da pesquisa à maneira do mergulhador que põe no rosto uma máscara transparente para contemplar aquilo que a superfície da água lhe esconde. Esse auxiliar basta para lhe revelar de um só golpe a suntuosidade das profundezas marinhas. (Mayol, 2001, p. 146)

3 O que iremos discutir? Pontos do Capítulo IV – Dados Qualitativos Relatos de dados e exemplos de uma professora que se inicia como pesquisadora - O que são dados? - Quais são as fontes de dados utilizadas em uma investigação qualitativa ? - Notas de campo - Fotografias - Estatísticas oficiais e outros dados quantitativos - Comentários finais - Textos escritos pelos sujeitos

4 [...] Os acontecimentos vulgares tornam-se dados quando vistos de um ponto de vista particular – o do investigador ( pág. 149); O que são Dados? Dados são bases de análises, ou seja, materiais brutos que os investigadores recolhem de onde estão estudando [...] Dão fundamentação a escrita [...] Servem para pensar de forma adequada e profunda aquilo que pretende-se investigar [...] Identificam informações importantes dentro do material encontrado durante o processo de investigação [...] Os dados são as provas e as pistas. (BOGDAN E BIKLEN, 1994)

5 Impressões de um professora iniciando-se como pesquisadora [...] Nessa experiência como pesquisadora, percebemos as dificuldades de, principalmente, tornar o familiar em exótico. Começar a olhar o processo de ensino e aprendizagem, bem como as interações entre professora e aluno com um olhar, agora não só de professora como também de pesquisadora é, sem dúvida, um grande desafio. Para tanto, é preciso estar atenta aos detalhes, às conversas, às falas de cada um sobre determinado assunto e às ações, voltando os dados para o desenvolvimento da pesquisa. Percebemos, de forma bem clara, que nossos valores e princípios pessoais influenciam tanto no agir como no observar de qualquer pesquisador e, também, na análise de todo o processo. (MORAES, 2008, pg. 16)

6 Quais são as fontes de dados? - Transcrições de entrevistas - Notas de campo de observações Dados que o pesquisador cria -Diários -Fotografias -Documentos Oficiais - Artigos de Jornais Dados que os outros criam e que o investigador encontra e se apropria Os estudos qualitativos geralmente utilizam-se de uma variedade de fontes de dados.

7 A coleta de dados realizada por MORAES, 1998: A coleta de dados foi realizada através: do diário de campo, das sondagens completas contendo todos os conteúdos trabalhados durante o programa de alfabetização, da sondagem simplificada – feita bimestralmente – e, por último, do questionário dirigido aos pais dos alunos.(p.20)

8 Notas de campo... - É considerada a fonte de dados mais importante na pesquisa qualitativa; - Consiste na observação e anotação por parte do investigador de tudo o que se vê, ouve, experiencia e pensa, durante a visita de campo; Idéias Estratégias Reflexões Palpites - Consiste no registro de

9 Notas de Campo ( Cont.)... - Auxiliam o investigador a acompanhar o desenvolvimento do projeto e visualizar como a investigação foi afetada pelos dados recolhidos; -Servem ainda como complemento a outros métodos de recolha de dados. Ex. Só com as entrevistas gravadas, não é possível registrar as impressões causadas pelo ambiente. - Sua análise mais complexa, permite ao pesquisador refletir como caminha sua pesquisa e os próximos passos a serem realizados para a obtenção dos objetivos.

10 Registro das Notas de Campo por MORAES, 1998: Após os registros feitos no diário, estes eram transcritos no computador e enviados ao orientador. Após todo o diário ser lido, fizemos (orientanda e orientador) a avaliação das atividades - o que foi produtivo? O que não deu certo? – para, a partir daí, planejar novas situações de ensino e aprendizagem. (p. 20)

11 Os conteúdos das Notas de Campo podem ser... - DESCRITIVOS Análise através de locais, Pessoas ações e conversas. Captação de uma fatia de vida -Relatos dos sujeitos; -Reconstruções de diálogos; -Descrição do espaço físico; - Relatos de acontecimentos particulares; - Descrição de atividades; - Comportamento do observador. - REFLEXIVOS Análise partindo mais do ponto de vista do investigador, suas ideias e preocupações -Reflexões sobre análises; -Reflexões sobre o método; -Reflexões sobre conflitos étnicos; -Reflexões sobre os próprios pontos de vista - Pontos de clarificação. ;

12 Sobre as Notas de Campo Reflexivas... É importante compreender que os investigadores qualitativos não são ingênuos. Eles sabem que nunca podem atingir um nível de compreensão e reflexão que possa resultar notas puras, isto é, notas que não reflitam a influência do observador. (BOGDAN E BIKLEN, 1994, pg. 167) ;

13 Segundo MORAES, 1998, p. 16: A observação é chamada de participante porque se admite que o pesquisador tem sempre um grau de interação com a situação estudada, afetando-a e sendo por ela afetado. Isso implica uma atitude de constante vigilância, por parte do pesquisador, para não impor seus pontos de vista, crenças e preconceitos. Antes, vai exigir um esforço deliberado para colocar-se no lugar de outro, e tentar ver e sentir, segundo a ótica, as categorias de pensamento e a lógica do outro. (MORAES, 1998 apud ANDRÈ, 2005, p )

14 Exemplo de registro de uma nota de campo... Recomenda-se que na 1ª pagina de cada conjunto de anotações haja um cabeçalho, contendo título, data, hora, local, nome do observador e o número do conjunto. DE CAMPO NOTAS DE CAMPO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Data: ____/____/_____ Data: ____/____/_____ Hora início: ____________ Hora término: ____________ Hora início: ____________ Hora término: ____________ Local: __________________________________________________ Local: __________________________________________________ Atividade/Situações vivenciada (identificação):__________________

15 Textos escritos pelos sujeitos Documentos Pessoais - Notas Íntimas - Cartas pessoais - Autobiografias Objetivo: Obter provas detalhadas de como as situações sociais são vistas pelos seus atores e quais os significados que vários fatores têm para os participantes. (BOGDAN E BIKLEN, apud ANGEL, 1945, p.178)

16 Textos escritos pelos sujeitos Documentos Oficiais São documentos de acesso à perspectiva oficial. Produção de escritas, ficheiros, memorandos, artigos e minutas. Podem ser divididos em - Documentos Internos Informações da cadeia hierárquica das instituições, seus estilos de liderança e de gestão. - Comunicação Externa Documentos externos são reveladores sobre seu lugar de produção e seus objetivos, podendo fornecer importantes pistas investigativas. -Registros sobre os Estudantes e Ficheiros Pessoais Além da análise desses documentos, o pesquisador deve estar atento ao que eles revelam acerca das pessoas que o produziram.

17 Fotografias Fornecem fortes dados descritivos [...] Dão pistas do que as pessoas valorizam, de suas visões de mundo [...] Fornecem uma visão histórica do meio e do observado [...] Não provam nada de forma conclusiva, mas juntamente com outras fontes de dados podem ser uma pilha crescente de provas. (BOGDAN E BIKLEN, 1994)

18 As Fotografias utilizadas na investigação podem ser separadas em duas categorias: Fotografias Encontradas Feitas por outras pessoas Fotografias Produzidas Feitas pelo próprio investigador - Coleções fotográficas feitas por escolas, agências, estudantes, jornais ou departamento de planejamento municipais -Recolher informações factuais -Conhecer detalhes do local observado - Perceber como as pessoas utilizam os espaços, inclusive fornecendo a câmera para fotografarem livremente

19 Fotografias encontradas

20

21 Fotografia Questões controversas em sua utilização na pesquisa Excelente fonte para recolher pistas e informações factuais que podem ser utilizadas em conjunto com outras fontes; e estabelecer relações e discussões entre observador e observado Pode causar distanciamento e influenciar na empatia e na relação de confiança entre observador e observado. Adeptos Não Adeptos

22 Fotografia: Questões controversas em sua utilização na pesquisa É quase inútil como meio de conhecimento objetivo porque distorce aquilo que se diz iluminar. (BOGDAN E BIKLEN, 1994, p. 183) Outro ponto de vista acredita que seja um significativo avanço por permitir alcançar determinados aspectos que não seriam atingidos de outra forma. (BOGDAN E BIKLEN, 1994, p. 183 e 184) Embora as fotos forneçam informações factuais, é importante compreender que [...] foram tiradas com um objetivo ou ponto de vista particular. (BOGDAN E BIKLEN, 1994, p. 185) Para compreendê-las é fundamental conhecer e tentar entender o contexto histórico em que foram produzidas. As fotografias não são respostas, mas ferramentas para chegar às respostas. (p. 191)

23 Fotografia: Questões controversas em sua utilização na pesquisa Se a imagem é lugar de articulações, ela é também lugar de conflitos: nela se cruzam autores, uma sociedade, um momento histórico, uma técnica, o objeto da representação e tantos outros olhares dedicados a ela ao longo do tempo e, assim, outras sociedades etc., coisas que não são necessariamente solidárias entre si na produção de sentido comum. (ENTLHER, 2012, p.133)

24 Estatísticas Oficiais e outros dados quantitativos Os dados quantitativos também podem auxiliar os pesquisadores qualitativos em suas investigações.

25 Estatísticas Oficiais e outros dados quantitativos (Cont.) O que o investigador qualitativo pensa e faz com os dados quantitativos? - Fornecem informações descritivas; - Análises e comparações entre as estatísticas oficiais e os relatos dos sujeitos; - Sugerem tendências e novos caminhos a explorar; - Não devem ser utilizados para provar, mas para explorar as implicações da pesquisa.

26 Comentários Finais... Os Dados numa pesquisa podem tomar várias formas... [...] Dados não são apenas aquilo que se recolhe no discurso de um estudo, mas a maneira como as coisas aparecem quando abordadas com um espírito de investigação[...] Os detalhes específicos são pistas úteis para a compreensão do mundo dos sujeitos. (BOGDAN E BIKLEN, 1994) Chega-se a um ponto em que se tem dados suficientes para realizar aquilo que nos propusemos e a explicação do porquê permanece vazia. É essa a altura de dizer adeus e de passar para a análise dos dados (BOGDAN E BIKLEN, 1994, p. 201)

27 Referências BOGDAN, R.C.; BIKLEN, S.K. Dados Qualitativos. In BOGDAN, R.C.; BIKLEN, S.K. Investigação qualitativa em educação - uma introdução à teorias e aos métodos. Porto: Porto Editora, P CERTEAU, Michel; GIARD, Luce e MAYOL, Pierre. A invenção do cotidiano 2. Morar, cozinhar. Petrópolis – RJ: Vozes, ENTHER, Ronaldo in SAMAIN, Etionne, org. Como passam as imagens – Campinas, SP: editora da UNICAMP, MORAES, P. J de. A alfabetização a partir das palavras geradoras. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade de Educação. UNICAMP, 2008.


Carregar ppt "Investigação Qualitativa em Educação Uma introdução à Teoria e aos Métodos Cap. IV: Dados Qualitativos Apresentação: Lara Elisa Latância Thaís Nogueira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google