A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA V. SEMINÁRIO NACIONAL DE DIVULGAÇÃO DOS PROJECTOS FINANCIADOS PELO FNI Processo de construção de resultados para publicação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA V. SEMINÁRIO NACIONAL DE DIVULGAÇÃO DOS PROJECTOS FINANCIADOS PELO FNI Processo de construção de resultados para publicação."— Transcrição da apresentação:

1 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA V. SEMINÁRIO NACIONAL DE DIVULGAÇÃO DOS PROJECTOS FINANCIADOS PELO FNI Processo de construção de resultados para publicação em revistas Nacionais e Internacionais 20 A 21 DE NOVEMBRO DE 2014

2 Objectivos Reflectir sobre a pesquisa científica; Estimular a públicação das pesquisas em revistas científicas; Partilhar a experiência pessoal na pesquisa.

3 Pesquisa científica Conjunto de procedimentos sistemáticos, baseado no raciocínio lógico, que objectiva encontrar soluções para problemas propostos mediante utilização de métodos científicos (Andrade, 2003); Fruto de trabalho pelo pesquisador segundo os padrões estabelecidos pela produção científica; Actividade científica que visa responder problemas com recurso aos procedimentos científicos; Pesquisa é um dos pilares fundamentais das Universidades

4 Classificação das pesquisas - natureza Qualitativa- pesquisa descritiva que explora as particularidades dos traços subjectivos (ciências sociais e Humanas); Quantitativa – descrição dos fenómenos naturais – usa técnicas desenvolvidas em ciências Naturais e Matemática; Quali-quanti – associa as técnicas usadas em Ciências Sociais e Ciências naturais e matemática, (Andrade, 2003; Gil 1978, Pescuma, 2000).

5 Quanto aos objectivos Exploratória – primeiro passo da pesquisa científica. Pode ser bibliográfica ou de campo. Visa obter informações pré-liminares sobre um determinado assunto ou fenómeno (estudo de caso ou pesquisa bibliografica) Descritiva – fase de análise e interpretação dos dados recolhidos durante a pesquisa (entrevista, questionário ou observação); Explicativa - identificação dos factores determinantes ou causas que ocasionam os fenómenos- metódos (experimental e observacional)

6 Quanto aos procedimentos técnicos Bibliográfica - usa material escrito físico ou electrónico e gravado: livros jornais, artigos físicos e electrónicos) Documental - documentos, relatórios, leis, fotográfias; Experimental- reprodução de um facto ou fenómeno de forma controlada com objectivo de descobrir os factores que mobilizam:( amostragem); Estudo de caso – visa estudar com profundidade os diversos aspectos que característicos de um determinado objecto de pesquisa Pesquisa-acção – quando os pesquisadores e participantes se envolvem no trabalho de pesquisa com objectivo de mudar o comportamento; Observação participante – contacto directo entre o sujeito pesquisador e o objecto observado com objectivo de obter informações sobre a realidade dos actores sociais.

7 Técnicas de colecta de dados Entrevista - O sujeito pesquisador e entrevistado entram em dialogo e ambos são construtores do saber (semi-estruturada e semi-aberta); Observação – permite ao pesquisador ver o fenómeno na sua totalidade (directa ou indirecta); Questionário – o empregue do questionário é precedido de um teste piloto. Pontos negativos desta técnica são: limitação do sujeito que disponibiliza a informação, incompreensão das perguntas pode levar a não preenchimento dos espaços (Chizzotti, 2006; Vieira, 2004).

8 Técnica de tratamento de dados Fase de transformação de dados em informações úteis à pesquisa; Criação de escalas e unidades de análise que direccionam o trabalho de tratamento de dados. Escalas - suportam informações do tipo (sim, não; certo, errado; género – masculino, feminino, Idade/anos); Unidades de análise - exigem o uso do referencial teórico. Elas geram categorias de análise e registo; Categorias de registo – apresentam factos ou dados registados para a sua interpretação; Categorias de análise – emanam da teoria adoptada pelo pesquisador.

9 Dicas para publicar os artigos em revistas Escrever e publicar um artigo científico é uma tarefa difícil; A elaboração de qualquer pesquisa exige precisão, domínio sobre o assunto e identificação do referencial teórico; Às vezes ficam-se em dúvida sobre a maneira correcta de: Por onde começar? Como definir o tema da pesquisa? Qual linguagem utilizar no texto? 1. Ler o que foi publicado sobre o assunto;

10 Cont. 2. Pensar sobre objectivos que a pesquisa irá atingir; 3. Trazer uma novidade; 4. Manter a lógica no texto; 5. Identificar o tipo de revista que você gostaria de publicar (adequar-se aos critérios da revista); 6. Ser claro e evitar palavras que dificultam o entendimento; 7. Partilhar o conhecimento; 8. Acompanhar os resultados (impacto da pesquisa para sociedade); 9. Valorizar conhecimento construído localmente.

11 Exigências para publicar Fonte - Calibri Tamanho da letra - 10 Resumo – máximo 250 a 300 palavras 5 Palavras-chave separadas por virgulas O texto deve ter entre e caracteres, incluindo espaços e referências bibliográficas; Margem esquerda e direita: 2 cm; Margem superior e inferior: 2,5 cm; Título do texto: tamanho 16, a negrito e centrado; Nome dos autores: tamanho 10, a negrito, centrado; Afiliação e contactos: tamanho 8, centrado.

12 Cont. Títulos de secção: tamanho 14, a negrito; Título de segundo nível: tamanho 13, a negrito; Título de terceiro nível: tamanho 10, a negrito; As figuras devem ser alinhadas ao centro. As tabelas devem ser alinhadas à esquerda. Tamanho de letra: 9pts.

13 Canais para publicar Versão física ou electrónica Publicação pode ser individual, revisão de pares, colectâneas Nacionais – Revista científica da UEM Exemplo de Revistas científicas Internacionais: sciELO = revista.pucsp.br/curriculum - PUC-SP UFG USP Revista científica

14 EXPERIÊNCIA DA EQUIPE - UP Currículo local nas escolas moçambicanas: Estratégias Epistemológicas e Didáctico-Metodológicas da sua Implementação Proponentes: Guilherme Basílio, Jó Capece, César Cumbe Pesquisa Bibliográfica; Pesquisa do campo (entrevista aos professores, directores das escolas, alunos, pais encarregados de educação e líderes comunitários); Observação de aulas Locais – Escolas Primárias de Motaze, Calanga, Bela-Vista - Salamanga; Retorno ao campo para socialização da informação trabalhada

15 Questões 1)Como é que as comunidades produzem e legitimam os saberes locais? 2)Que saberes locais são relevantes para a vida das pessoas nas comunidades? 3)Que tipo de saberes locais a escola precisa de integrar para reduzir o distanciamento? 4)De que forma a escola “resgata” os saberes locais para realização da prática pedagógica? 5)Que novas metodologias a escola usa para organizar o saber local?

16 Objectivos da Pesquisa Geral Recolher e sistematizar os saberes locais das comunidades de Magude, Manhiça e Matutuíne. Específicos Analisar os processos de produção e legitimação dos saberes locais nas comunidades locais; Organizar os saberes locais para a sua integração no currículo nacional; Construir um manual do currículo local para as escolas e para a Universidade Pedagógica.

17 Metodologia Entrevista (professores, alunos, líderes comunitários, pais e encarregados de educação) Observação de aulas Teoria interpretativa (hermenêutica)

18 Figura 1: Alunos em sala de aula - Motaze - Magude

19 Figura 2. Massaleira

20 Transposição Didáctica Disciplina: Ciências Naturais Classe: 6ª e 7ª Unidade Temática: Plantas Conteúdos: importância das plantas nas comunidades e suas características; reprodução e conservação das plantas Disciplina: Biologia Classe: 11ª Unidade Temática: Reino das Plantas Conteúdos: “Classificação das Plantas”: “Plantas Vasculares – Divisão Traqueófita

21 Transposição didáctica Localização (Moçambique, Angola, Swazilândia –África Tropical) Funções Cascas de frutas secas – instrumentos musicais, objectos de adorno Folhas e raízes – medicina (cura algumas doenças) Frutas maduras – alimentação e rendimento económico Tronco – lenha, construção; Semente - reprodução

22 Figura 3: Salamanga Professor da “Escola Primária Completa de Salamanga”, em Bela-Vista: Matutuiene, explicando o conteúdo da sua aula

23 Figura 4: pesquisadores e o director da EP1 de Motaze

24 Figura 5: Alunos em aulas de ofícios – CL- Motaze

25 Figura 6: alunos em sala de aulas de ofícios - CL - Motaze

26 MUITO OBRIGADO


Carregar ppt "MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA V. SEMINÁRIO NACIONAL DE DIVULGAÇÃO DOS PROJECTOS FINANCIADOS PELO FNI Processo de construção de resultados para publicação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google