A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Arbix Arbix 2007 Inovar para Sustentar o Crescimento Glauco Arbix Depto. de Sociologia USP Escola Nacional de Administração Pública – ENAP Brasília, 19.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Arbix Arbix 2007 Inovar para Sustentar o Crescimento Glauco Arbix Depto. de Sociologia USP Escola Nacional de Administração Pública – ENAP Brasília, 19."— Transcrição da apresentação:

1 Arbix Arbix 2007 Inovar para Sustentar o Crescimento Glauco Arbix Depto. de Sociologia USP Escola Nacional de Administração Pública – ENAP Brasília, 19 de abril de 2007 Café & Debate

2 Arbix Arbix 2007 China: volta ao patamar natural? DataPopulação/mundoParticipação/ produção %33% %<1% %7% %20% Custo do Trabalho de 3º mundo com infra-estrutura de 1º Longa trajetória de mudança da matriz de commodities para bens com maior intensidade tecnológica

3 Arbix Arbix 2007 China: baixo custo do trabalho Mais Infra-estrutura Baixo custo do capital Forte investimento estatal Pragmatismo no aprendizado das experiências de desenvolvimento na Ásia Subsídios Regulação frágil Herança de descentralização. O que permite a competição entre regiões e cidades em diferentes níveis de governo, mesmo nas áreas de monopólio natural. Combinação de grandes empresas estatais com dinâmicas empresas privadas

4 Arbix Arbix 2007 China: Investimento em P&D (desagregados) Pesq. BásicaAplicada Desenvolvimento %55%20% %35%45% %28%72% Crescimento acelerado do investimento em Desenvolvimento. Diversificação Dragonomics, 2007

5 Arbix Arbix 2007 Dinamismo da economia chinesa tem sua fonte numa atividade incessante de pequenas mudanças, na cópia, clonagem e reprodução de avanços alcançados em outros países. Não está nos setores de alta tecnologia. Ainda.

6 Arbix Arbix 2007 Apple iPod é símbolo atual da cultura e tecnologia americana, produzido por uma das empresas mais inovadoras do planeta. Pouca gente sabe, porém, que foi criado por várias mãos e cabeças. Em especial por uma rede de empresas localizadas no Vale do Silício, Taiwan, China, Israel.

7 Arbix Arbix 2007 Crescimento da Economia Brasileira Fonte: IBGE

8 Arbix Arbix 2007 Crescimento do PIB continua baixo Desempenho recente do PIB: 0,5% em ,9% em ,3% em ,9% em : taxa média de crescimento de mais de 4%, uma das mais altas do mundo a 2006: 0,3% ao ano. Mas a economia e as condições para o crescimento estão mudando.

9 Arbix Arbix 2007 IPCA (IBGE) % Fonte: IBGE Inflação controlada

10 Arbix Arbix 2007 Transações Correntes e Saldo Comercial - ac. 12m (US$ bi) Melhoria nas contas externas Fonte: Banco Central do Brasil

11 Arbix Arbix 2007 Balança Comercial Balança Comercial Fluxos acumulados em 12 meses – US$ bi Fonte: MDIC *2006 – valores acumulados em doze meses de novembro/05 a outubro/06.

12 Arbix Arbix 2007 Dívida Externa Bruta / Exportações de Bens e Serviços Melhoria nas contas externas Fonte: Banco Central do Brasil 2006* = Estoque da Dívida Externa Total em jun-06 / Saldo das Exportações acumulado em 12 meses até jun-06

13 Arbix Arbix 2007 Aumento da Reservas Internacionais Reservas Internacionais Líquidas 1, 2000 a 2006 (novembro) (US$ bilhões)

14 Arbix Arbix 2007 Custo do Crédito 1, Meta SELIC e TJLP, 2000 – 2006 (% a.a.) Redução da Taxa Selic e do Custo do Crédito

15 Arbix Arbix 2007 Redução da incerteza fiscal Fonte: Banco Central do Brasil

16 Arbix Arbix 2007 Fonte: Banco Central do Brasil Superávit Primário por esfera de Governo

17 Arbix Arbix 2007 Dívida Pública Líquida (% PIB) Inversão da trajetória da dívida pública Fonte: Banco Central do Brasil

18 Arbix Arbix 2007 Redução do Risco-País Fonte: J P Morgan

19 Arbix Arbix 2007 Aumento do Emprego Fonte: IBGE (regiões metropolitanas)

20 Arbix Arbix 2007 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego e IBGE Obs.: Valores em R$, a preços constantes. Aumento do Salário Mínimo Salário Mínimo Real, a preços de outubro/2006 (deflator INPC) out/94 fev/95 jun/95 out/95 fev/96 jun/96 out/96 fev/97 jun/97 out/97 fev/98 jun/98 out/98 fev/99 jun/99 out/99 fev/00 jun/00 out/00 fev/01 jun/01 out/01 fev/02 jun/02 out/02 fev/03 jun/03 out/03 fev/04 jun/04 out/04 fev/05 jun/05 out/05 fev/06 jun/06 out/

21 Arbix Arbix 2007 Aumento do Poder de Compra Percentual do Salário Mínimo Gasto para Comprar a Cesta Básica

22 Arbix Arbix 2007 Aumento da Massa Salarial Massa Salarial Real, 2003 a 2006 (outubro) (taxa real de crescimento; % em relação ao mesmo mês do ano anterior Massa Salarial Real, 2003 a 2006 (outubro) (taxa real de crescimento; % em relação ao mesmo mês do ano anterior )

23 Arbix Arbix 2007 Transferências de Renda Bolsa Família 31% 23% Fonte: Secretaria de Orçamento Federal/MP e MDS* Estimativa 56% N o de famílias atendidas (milhões) 8,76,53,6n.d. Valor transferido (R$ bilhões) (taxa de crescimento) 34% 11,2 (meta)

24 Arbix Arbix 2007 Valores aplicados no PRONAF (R$ bilhões) Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário * Inclui outros créditos à agricultura familiar Plano Safra 2006/2007

25 Arbix Arbix 2007 Mais de 13 anos com inflação baixa. Regime de metas consolidado. Juros declinantes Redução da vulnerabilidade externa. Queda do risco País Ajuste fiscal dos últimos 8 anos reverteu trajetória de crescimento da relação dívida/PIB Apesar de alta, desigualdade de renda diminuiu. Nível mais baixo dos últimos 30 anos A pobreza e a extrema pobreza atingiram os níveis mais baixos da história Oportunidades

26 Arbix Arbix 2007 A continuidade e a sustentabilidade desse processo no longo prazo dependem de um aumento do investimento e de um salto de qualidade na estrutura produtiva brasileira A continuidade e a sustentabilidade desse processo no longo prazo dependem de um aumento do investimento e de um salto de qualidade na estrutura produtiva brasileira Várias razões são apontadas para o baixo desempenho da economia. A questão de fundo é que, para acelerar e manter o ritmo de crescimento é preciso implementar políticas de longo prazo. Na área econômica e social.

27 Arbix Arbix 2007 Indústria diversificada e heterogênea Empresas que inovam e diferenciam produtos (A) Inovam para o mercado e são exportadoras 25% do faturamento (1,7% das empresas) 13% do emprego Gastam 3,6% do faturamento em P&D Empresas especializadas em produtos padronizados (B) Empresas com baixa produtividade (C) São exportadoras ou potenciais exportadoras 63% do faturamento (21% das empresas) 49% do emprego Gastam 0,99% do faturamento em P&D Não exportam 11,5% do faturamento (77% das empresas) 38% do emprego Gastam 0,39% do faturamento em P&D

28 Arbix Arbix 2007 Especialização brasileira Aço Têxteis, sapatos, papel, vidros, móveis Agribusiness Motores, autos, motores elétricos, eletrodomésticos Eletrônicos, aviões, químicos, fármacos

29 Arbix Arbix 2007 Exportações por intensidade tecnológica (US$ bi) Rec. Naturais e Trabalho Média Baixa AltaCommodities Fonte: IPEA 2005, 2006 De Negri et al Metodologia: Unctad

30 Arbix Arbix 2007 Pesquisa: Pesquisa: o que há de novo na indústria brasileira? Pesquisa: Pesquisa: o que há de novo na indústria brasileira?

31 Arbix Arbix 2007 Quais as características das empresas brasileiras que mais crescem? O IPEA acompanhou os indicadores econômicos de empresas industriais brasileiras no período de 7 anos ( Acima de 30 pessoas ocupadas). Classificação por crescimento em 4 grupos (quartis): 1.Inferior 2.Médio inferior 3.Médio superior 4.Superior Crescimento foi definido como a taxa de crescimento do faturamento da firma em relação ao seu setor industrial (CNAE 3 dígitos) no período 1997/2003 Características analisadas: escala, exportação, inovação, investimento e mão de obra

32 Arbix Arbix 2007 Elevação do padrão produtivo na indústria Empresas inovadoras tem 16% a mais de chances de exportar. Firmas que inovam e diferenciam produtos exportam 116% a mais do que as não-inovadoras. Inovadoras recebem preço- prêmio de no mínimo 30% nas exportações. Inovadoras têm maior rentabilidade. O aumento no gastos em P&D / faturamento aumenta o coeficiente de exportação das firmas brasileiras. Inovação e Exportações Inovação e Emprego Empresas inovadoras geram postos de trabalho de melhor qualidade. Empresas inovadoras pagam salário 23% superiores à média da indústria. Escolaridade é maior nas que inovam. Tempo de permanência no emprego é maior. Entre 2000 e 2004 o emprego nessas firmas cresceu 29% contra 19% de crescimento do emprego industrial.

33 Arbix Arbix 2007 Inovar é bom para quem trabalha Remune- ração (R$/mês) Escolari dade (anos) Tempo de emprego (meses) Prêmio Salarial* (%) Inovam e diferenciam produto ,1354,0923 Especializadas em produtos padronizados 7497,6443,9011 Não diferenciam e têm produtividade menor 4316,8935,410 IPEA, 2005

34 Arbix Arbix 2007 Cresce quem tem escala de produção e é mais produtiva IPEA, 2005

35 Arbix Arbix 2007 Cresce quem exporta e inova IPEA, 2005

36 Arbix Arbix 2007 Cresce quem emprega mão-de-obra mais qualificada IPEA, 2005

37 Arbix Arbix 2007 Cresce quem investe em inovação IPEA, 2005

38 Arbix Arbix 2007 Investimento em inovação IPEA, 2005

39 Arbix Arbix 2007 Empresas brasileiras ainda inovam pouco em relação aos padrões internacionais Fonte: PINTEC2000 e 2003 Entre 2000 e 2003 houve redução dos investimentos em P&D de 0,75% para 0,6% do faturamento total das firmas. Na Alemanha este percentual é de 2,7% e na França é de 2,5% Em 2000 cerca de empresas realizaram gastos com P&D. Em 2003, esse número caiu para Apenas 2,8% das empresas industriais brasileiras fizeram alguma inovação de produto para o mercado em 2003, em comparação com 4,2% em 2000 Das empresas pesquisadas apenas 177 inovaram para o mercado internacional (0,6 %)

40 Arbix Arbix 2007 Mas o esforço para inovar é maior nas empresas nacionais Empresas nacionais investem 80,8% a mais em P&D como proporção do faturamento do que as filiais das estrangeiras no Brasil. Transnacionais apresentam menos gastos internos e mais aquisições externas. 79% das Transnacionais são especializadas em produtos padronizados.

41 Arbix Arbix 2007 Brasil, Argentina e México Fonte: PINTEC2000 e 2003 Os 3 países continuam exportando fortemente commodities. No Brasil, as firmas de elite são responsáveis por uma boa parcela do emprego, das vendas e da manufatura, diferentemente do México e da Argentina. As firmas mexicanas tipo B são muito mais produtivas que as de tipo A. Nos 3 países o investimento em inovação é baixo. O Brasil e Argentina tem mais pessoas nas empresas trabalhando em P&D. No México, a relação dos gastos em P&D / vendas é a menor dos 3 países (sem as Maquilas). Nos 3 países, a inovação está ligada à compra de máquinas. No México, esse indicador é o maior. No Brasil, o gasto em P&D interno às empresas e muito maior.

42 Arbix Arbix 2007 Conclusão da comparação Fonte: PINTEC2000 e 2003 Ainda que o Brasil seja reconhecido por sua competitividade em produtos standards e pelo agronegócio, há um número relevante de empresas que participam do mercado mundial via produtos com alto e médio conteúdo tecnológico. Diferentemente da Argentina e do México, há uma singularidade no caso brasileiro, que nao confirma as previsões mais tradicionais para o lugar a ser ocupado por países em desenvolvimento (especializados em produtos intensivos em trabalho e recursos naturais). O novo ambiente competitivo permitiu o desenvolvimento de um pequeno – ainda que importante – grupo de empresas brasileiras. Sinais de uma nova onda de empreendedorismo

43 Arbix Arbix 2007 Alternativa: Alternativa: inovar ou inovar Alternativa: Alternativa: inovar ou inovar

44 Arbix Arbix 2007 Diretrizes de Política Industrial Fortalecer e ampliar a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior – PITCE. Melhorar o ambiente de investimento e geração de inovação, tanto para o mercado interno quanto para o externo. Facilitar o surgimento de pequenas empresas inovadoras. Priorizar as atividade de P&D que têm maior impacto econômico e potencial comercial. Estimular a interação empresa universidades e centros de pesquisa. Concentrar a PITCE num grande programa de longo prazo voltado para o financiamento da inovação. Meta: aumentar o esforço inovativo do nível atual (0,6%) para 1,5% / faturamento das empresas. Integrar as políticas de inovação e tecnologia com o PAC.

45 Arbix Arbix 2007 Os países devem manter a todo custo o dinamismo de seu sistema produtivo... As políticas públicas devem estar voltadas para garantir esse dinamismo. Ou seja, orientadas para a diversificação da produção e a entrada em novas áreas de produtos tradables. Sem isso, o crescimento fenece. O milagre asiático foi baseado num esforço contínuo de diversificação tecnológica. As forças de mercado não são suficientes para garantir esse dinamismo. Por isso, dificilmente haverá crescimento sustentado sem uma política industrial centrada na inovação, diferenciação de produtos, capacitação e tecnologia. Desse prisma, a implementação de um programa de Política Industrial não deve ser passageira nem contingente. É necessidade permanente para um País que precisa aumentar o número de empresas tipo A e a sua participação no comércio internacional.

46 Arbix Arbix e aumentar coesão interna da sociedade Estado de direito. Império da lei Instituições democráticas Sistemas de participação social Redes de proteção social orientadas para a eliminação da pobreza e diminuição das desigualdades Fazer o mercado de trabalho trabalhar para todos Expandir o sistema educacional e investir na qualidade da educação

47 Arbix Arbix 2007 Observatório da Inovação e Competitividade para o Desenvolvimento Projeto da ABDI, IEA e IPEA Analisar, monitorar, mensurar e avaliar processos de competitividade e inovação no Brasil. Desenvolver pesquisas, novas metodologias e métricas específicas. Apoiar a elaboração, acompanhamento e execução de políticas de inovação. Divulgar avanços e resultados dos estudos. Construir rede de pesquisadores e instituições preocupadas com inovação

48 Arbix Arbix 2007 CrescimentoEmpregoEducação Redução da pobreza e desigualdade Redução da pobreza e desigualdadeDemocracia Estabilidade Social Democracia. Coesão social e redução da desigualdade. Fortalecer Rede de Proteção Social. Estabilidade Econômica Aumentar o investimento para estimular o crescimento e a criação de empregos. Desenvolver potencial de inovação e de tecnologia das empresas para requalificar o sistema produtivo e gerar emprego e renda. Redução dos custos de investimento. Montagem de um sistema de crédito barato e de longo prazo. Incentivo à inovação tecnológica. Políticas para o emprego e a pequena empresa. Continuidade das reformas Tributária, Previdenciária, Trabalhista, Política e do Judiciário. Melhorar ambiente de negócios, com regras estáveis e marcos regulatórios claros.

49 Arbix Arbix 2007 Obrigado


Carregar ppt "Arbix Arbix 2007 Inovar para Sustentar o Crescimento Glauco Arbix Depto. de Sociologia USP Escola Nacional de Administração Pública – ENAP Brasília, 19."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google