A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SIAFISIAFI SIAFI INTRODUÇÃO E HISTÓRICO ANTECEDENTES ? ? ? ? ? 1986 1987 SIAFI.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SIAFISIAFI SIAFI INTRODUÇÃO E HISTÓRICO ANTECEDENTES ? ? ? ? ? 1986 1987 SIAFI."— Transcrição da apresentação:

1

2 SIAFISIAFI

3 SIAFI INTRODUÇÃO E HISTÓRICO ANTECEDENTES ? ? ? ? ? SIAFI

4 ANTECEDENTES Métodos rudimentares de trabalho Inexistência de informações Defasagem na escrituração contábil Inconsistência dos dados utilizados Multiplicidade de contas bancárias

5 IMPLANTAÇÃO IMPLANTADO EM 1987 Promover a modernização e a integração dos sistemas de programação financeira, de execução orçamentária e de contabilidade dos Órgãos e Entidades Públicas do Governo Federal.

6 IMPLANTAÇÃO IMPLANTADO EM 1987 EXPANSÃO GRADUAL DE SUA ABANGÊNCIA SIAFI PODER EXECUTIVO PODER JUDICIÁRIO ADMINISTRAÇÃO INDIRETA PODER LEGISLATIVO

7 EVOLUÇÃO. DEPÓSITO DIRETO NA CONTA ÚNICA. VALIDAÇÃO DO PAGAMENTO. RETENÇÃO DE IMPOSTO NA FONTE

8 . DEPÓSITO DIRETO NA CONTA ÚNICA O depósito direto na Conta Única teve como objetivo automatizar a apropriação e classificação de ingressos diretamente auferidos pelas Unidades Gestoras. Promoveu também a extinção das contas bancárias de arrecadação, não havendo mais a necessidade de conciliação dos saldos e da classi- ficação das receitas, o que passou a ser feito automaticamente pelo SIAFI.

9 . VALIDAÇÃO DO PAGAMENTO A validação do pagamento é feita por meio da confirmação do fornecedor perante o Fisco e da confirmação de sua conta bancá- ria junto ao Banco do Brasil. A validação do pagamento acontece com a verificação, on-line, do CGC ou CPF do credor junto a Secretaria da Receita Federal, de forma a constatar se o credor está devidamente cadastrado e com suas obrigações em dia perante a Receita Fede- ral. Assim, evita-se pagar para os chama- dos fantasmas. (cont.)

10 . VALIDAÇÃO DO PAGAMENTO (continuação) A validação junto ao Banco do Brasil ocorre no momento do registro do pagamen- to, por meio do CGC ou CPF do credor, quando, de forma também on-line, é verifi- cado se o titular da conta bancária informada no SIAFI é o mesmo titular da conta no Banco do Brasil. Esse mecanismo de controle evita o pagamento para laranjas.

11 . RETENÇÃO DE IMPOSTO NA FONTE A retenção de imposto na fonte ocorre quando é efetivado um pagamento sobre o qual a União tenha direito a efetuar este tipo de procedimento. O próprio adminis- trador público especifica na Ordem Bancária-OB o valor pago e o valor da re- tenção. Essa operação irá gerar um DARF que será encaminhado para a Receita Federal para processamento, ficando o recurso correspondente recolhido direta- mente do Tesouro Nacional. A operação é feita toda por meio do SIAFI, mediante utilização da Conta Única, não sendo necessária a utilização da rede bancária.

12 OBJETIVOS. PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS. OTIMIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA FINANCEIRA. SEGURANÇA E TEMPESTIVIDADE DAS INFORMAÇÕES INFORMAÇÕES. INTEGRAÇÃO COM OUTROS SISTEMAS. TRANSPARÊNCIA DOS GASTOS PÚBLICOS

13 VISÃO GLOBAL CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA. CENTRALIZADO EM BRASÍLIA. PADRONIZAÇÃO DOS MÉTODOS E ROTINAS DE TRABALHO. INTERLIGADO EM TODO O TERRITÓRIO NACIONAL. INVERSÃO DOS PROCESSOS DE TRABALHO. AUTOMAÇÃO DO REGISTRO CONTÁBIL. USO DAS CONTAS CONTÁBEIS COMO FONTE DE INFORMAÇÃO

14 ESTRUTURA DO SIAFI Sistema Subsistema Módulos Transações

15 ESTRUTURA DO SIAFI TRANSAÇÕES DE CONSULTA: Ex: CONUG, CONNE, CONORGAO, etc. TRANSAÇÕES DE ENTRADA DE DOCUMENTOS: Ex: ND = NOTA DE DOTAÇÃO NC = NOTA DE MOVIMENTAÇÃO DE CRÉDITO NC = NOTA DE MOVIMENTAÇÃO DE CRÉDITO NE = NOTA DE EMPENHO NE = NOTA DE EMPENHO EXEMPLOS: ATUDOMBAN = Atualiza Domicílio Bancário CONOB = Consulta Ordem Bancária OB = Ordem Bancária

16 SAÍDAS DO SISTEMA Formas de Saída Formas de Saída TERMINAL/IMPRESSORA GERAÇÃO DE ARQUIVOS RELATÓRIOS CENTRO DE INFORMAÇÕES

17 SAÍDAS DO SISTEMA Estrutura das Consolidações Estrutura das Consolidações ÓRGÃO ÓRGÃO ÓRGÃO SUBÓRGÃO SUBÓRGÃO SUBÓRGÃO SUBÓRGÃO SUBÓRGÃO SUBÓRGÃO UNIÃO UGUG UG UG UG UG SUBÓRGÃO UGUG UGUGUGUG UG UGUG UGUG UG UGUGUG UGUG

18 SAÍDAS DO SISTEMA Modalidades de Consulta Modalidades de Consulta CONSULTA ANALÍTICA: CONSULTA ANALÍTICA: Informação atualizada Todos os documentos registrados até o momento estão computados CONSULTA SINTÉTICA: CONSULTA SINTÉTICA: Processamento noturno (SIAFI indisponível para usuário) Atualização até um dia útil anterior à data da consulta Grande volume de consolidações Consolidação e armazenamento de dados já totalizados

19 UNIVERSO DE USUÁRIOS SIAFI Integração Periódica de Saldos Off-line ECONOMIA MISTA

20 UNIVERSO DE USUÁRIOS SIAFI Conta Única do Tesouro Nacional USUÁRIOS CADASTRADOS

21 FORMAS DE ACESSO UG ON-LINE UG ON-LINE REDE SIAFI REDE SIAFI ON-LINEOFF-LINE UG OFF-LINE UG OFF-LINE POLO DE DIGITAÇÃO ON-LINE POLO DE DIGITAÇÃO ON-LINE

22 MODALIDADES DE USO MODALIDADE TOTAL MODALIDADE TOTAL Utilizam a Conta Única Estão sujeitos ao Tratamento Padrão Utilizam o Plano de Contas do Governo Federal MODALIDADE PARCIAL MODALIDADE PARCIAL Utilizam parte das funções do Sistema A execução dos recursos é feita pelo SIAFI Não substitui a contabilidade do órgão

23 SIAFI EM NÚMEROS INDICADORES EVOLUTIVOS 1987 (IMPLANTAÇÃO) 1998 (ATUALIDADE) Terminais/Micros Impressoras Redes Interligadas Órgãos Unidades Gestoras Executoras Usuários Cadastrados Documentos/Ano Usuários Simultâneos Transações Disponíveis

24 SEGURANÇA DISCIPLINAR O ACESSO DISCIPLINAR O ACESSO ASSEGURAR A INTEGRIDADE DO SISTEMA ASSEGURAR A INTEGRIDADE DO SISTEMA EVITAR DANOS E UTILIZAÇÕES INDEVIDAS EVITAR DANOS E UTILIZAÇÕES INDEVIDAS PRINCÍPIOS OU INSTRUMENTOS SENHA CONFORMIDADE DIÁRIA CONFORMIDADE CONTÁBIL CONFORMIDADE DE OPERADORES IDENTIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES DO USUÁRIO INTERGRIDADE E FIDEDIGNIDADE DOS DADOS INALTERABILIDADE DOS DOCUMENTOS

25 UTILIZANDO O SIAFI TELA INICIAL CÓDIGO _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ (CPF) SENHA _ _ _ _ _ _ (ALFANUMÉRICO) NOVA SENHA _ _ _ _ _ _ (MUDANÇA DA SENHA) SISTEMA _ _ _ _ _ _ _ (SIAFI+ANO) PRIMEIRA TELA MENSAGENS POR DATA E ASSUNTO ( X ) 09/03/99 O SISTEMA SIAFI ( ) 09/03/99 DISPONIBILIZAÇÃO DA TABELA DE EVENTOS ( ) 09/03/99 ALTERAÇÃO DO CADASTRO DA UG SIAFI

26 UTILIZANDO O SIAFI VOCÊ ESTÁ CONHECENDO O SISTEMA SIAFI. DESEJAMOS QUE ESTA EXPERIÊNCIA SEJA A MAIS PROVEITOSA POSSÍVEL. ATENCIOSAMENTE, EQUIPE SIAFI MENU DO SISTEMA ( ) ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA ( ) AUDITORIA - AUDITORIA ( ) CI - CENTRO DE INFORMAÇÃO ( ) CONFORM - CONFORMIDADE ( ) CONTABIL - CONTABIL ( ) CONVENIOS - CONVENIOS ( X ) DOCUMENTO - DOCUMENTOS DO SIAFI ASSINALE A OPÇÃO DESEJADA E TECLE

27 UTILIZANDO O SIAFI (continuação) ( X ) CONSULTA - CONSULTA DOCUMENTOS ( ) ENTRADADOS - ENTRADA DE DADOS ( ) IMPRESSAO - IMPRESSAO DE DOCUMENTOS ASSINALE A OPCAO DESEJADA E TECLE ( ) CONCODDEP - CONSULTA DEPOSITO BANCARIO ( X ) CONDARF - ARRECADACAO FINANCEIRA - DARF ( ) CONDOC - CONSULTA DOCUMENTOS ( ) CONAF - CONSULTA APROPRIACAO FIS/FIN COMANDO: >CONDARF

28 UTILIZANDO O SIAFI (continuação) TELA DA TRANSAÇÃO CONDARF ORGAO: _______ UG EMITENTE: _______ GESTAO DO EMITENTE: ________ NUMERO DO DOCUMENTO: 99DF_______ RECEITA: DATA INICIAL: _______ DATA FINAL: _______ RECOLHEDOR: _______ RECURSOS:OPÇÃO:

29 PLANO DE CONTAS Representado por um conjunto de títulos organizados e codificados com o propósito: Sistematizar e uniformizar o registro contábil dos atos e fatos de gestão, e permitir a qualquer momento com precisão e clareza a obtenção do dados relativos ao patrimônio. OBJETIVOS PRINCIPAIS: Realçar o estado patrimonial e suas variações Padronizar o nível de informações da administração direta e indireta Permitir a manutenção de um sistema integrado de informações orçamentárias, financeiras e patrimoniais.

30 RELAÇÃO DE CONTAS CONTA: É O TÍTULO REPRESENTATIVO DA COMPOSIÇÃO, VARIAÇÃO, ESTADO DO PATRIMÔNIO, BEM COMO, DE BENS DIREITOS E OBRIGAÇÕES E SITUAÇÕES NELE NÃO COMPREENDIDAS, MAS QUE DIRETA OU INDIRETAMENTE POSSAM VIR AFETÁ-LO, EXIGINDO POR ISSO, CONTROLE CONTÁBIL ESPECÍFICO.

31 AS CONTAS SÃO AGRUPADAS SEGUNDO SUAS FUNÇÕES, POSSIBILITANDO: Efetuar a escrituração (método das partidas dobradas) Efetuar a escrituração (método das partidas dobradas) Conhecer a situação dos responsáveis (arrecadem receitas, efetuem despesas e administrem bens pertencentes ou a uma gestão Conhecer a situação dos responsáveis (arrecadem receitas, efetuem despesas e administrem bens pertencentes ou a uma gestão Individualizar os devedores ou credores Individualizar os devedores ou credores Acompanhar ou controlar a execução orçamentária Acompanhar ou controlar a execução orçamentária Elaborar os balanços Elaborar os balanços

32 TABELA DE EVENTOS EVENTO EVENTO: É o instrumento utilizado pelo gestor para transformar os atos e fatos administrativos em registros contábeis automáticos. ESTRUTURA XX X XXX CLASSETIPO CÓDIGO SEQUENCIAL

33 CLASSE: PREVISÃO DA RECEITA DOTAÇÃO DA DESPESA MOVIMENTAÇÃO DE CRÉDITO EMPENHO DA DESPESA APROPRIAÇÕES, RETENÇÕES, LIQUIDAÇÕES E OUTROS OUTROS APROPRIAÇÕES DE DESPESA RETENÇÕES DE OBRIGAÇÕES LIQUIDAÇÕES DE OBRIGAÇÕES REGISTROS DIVERSOS APROPRIAÇÕES DE DIREITOS LIQUIDAÇÕES DE DIREITOS RESTOS A PAGAR LIQUIDAÇÃO DE RESTOS A PAGAR TRANSFERÊNCIAS FINANCEIRAS RECEITAS

34 TIPO: ( 0 ) EVENTO UTILIZADO PELO GESTOR (NORMAL) ( 1 ) EVENTO UTILIZADO PELO SISTEMA (MÁQUINA) ( 2 ) EVENTO COMPLEMENTAR DO EVENTO NORMAL ( 3 ) EVENTO COMPLEMENTAR DE EVENTO DE SISTEMA ( 5 ) ESTORNO DO EVENTO DO GESTOR ( 6 ) ESTORNO DO EVENTO DE SISTEMA (MÁQUINA) ( 7 ) ESTORNO DO EVENTO COMPLEMENTAR DO EVENTO NORMAL NORMAL

35 TABELA DE INDICADORES CONTÁBEIS Representam o elo de ligação entre a relação de contas e a tabela de eventos definindo os critérios de restrições legais, fiscais e normativas TABELA DE INDICADORES EVENTOCONTA

36 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA UTILIZAÇÃO DOS CRÉDITOS CONSIGNADOS NO OGU. EXECUÇÃO FINANCEIRA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS, VISANDO ATENDER A REALIZAÇÃO DOS PROJETOS E ATIVIDADES ATRIBUÍDOS À CADA UNIDADE.

37 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA CREDITORECURSO

38 CRÉDITO DOTAÇÃO OU ATUTORIZAÇÃO DE GASTO OU SUA DESCENTRALIZAÇÃO RECURSO DINHEIRO OU SALDO DE DISPONIBILIDADE FINANCEIRA

39 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA O PROCESSO ORÇAMENTÁRIO TEM SUA OBRIGATORIEDADE ESTABELECIDA NO ART. 165 DA CF. PLANO PLURIANUAL - PPA LEI DAS DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - LDO LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL - LOA

40 INÍCIO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO APROVADO - LOA Publicação da LOA SERPRO Informações Orçamentárias STNSIAFI SOF ND para UG 1 ND para UG 2 ND para UG 3 ND para UG 4

41 TÓPICOS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DETALHAMENTO DO CRÉDITO DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITOS ORÇAMENTÁRIOS CRÉDITOS ADICIONAIS ESTÁGIOS DA EXECUÇÃO DA DESPESA

42 DETALHAMENTO DO CRÉDITO 1 - DE FONTE DE RECURSOS 2 - DE NATUREZA DA DESPESA 3 - UNIDADE GESTORA RESPONSÁVEL 4 - DE PLANO INTERNO

43 DETALHAMENTO DE FONTE DE RECURSOS IDENTIFICADOR DE USO X GRUPO FONTE X FONTE XX DETALHE XXXXXX

44 DETALHAMENTO DA NATUREZA DA DESPESA CATEGORIA ECONÔMICA X GRUPO DA DESPESA X MODALIDADE DE APLICAÇÃO XX ELEMENTO DE DESPESA XX

45 DETALHAMENTO DE UNIDADE GESTORA RESPONSÁVEL FACILITA A APURAÇÃO DOS CUSTOS, GASTOS OU DESPESAS DETALHAMENTO DE PLANO INTERNO ACOMPANHAMENTO PORMENORIZADO DA AÇÃO PROGRAMADA NO OGU

46 CÉLULA ORÇAMENTÁRIA ESFERA UNIDADE ORÇAMENTÁRIA - UO PROGRAMA DE TRABALHO - PT FONTE DE RECURSOS - FR NATUREZA DA DESPESA - ND UNIDADE GESTORA RESPONSÁVEL - UGR PLANO INTERNO - PI

47 DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITOS ORÇAMENTÁRIOS MIN. A MIN. B Descentralização Externa NC UG 1 NC UG 2UG 3 Descentralização Interna

48 CRÉDITOS ADICIONAIS CRÉDITOS SUPLEMENTARES CRÉDITOS ESPECIAIS CRÉDITOS EXTRAORDINÁRIOS

49 ESTÁGIOS DA EXECUÇÃO DA DESPESA EMPENHO LIQUIDAÇÃO PAGAMENTO EXECUÇÃO FINANCEIRA

50 ELABORAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA COFIN/STNDisponibilidades Critérios de Prioridade PF OS PF UG ADM. DIRETA ÓRGÃO ADM. INDIRETA UG ADM. INDIRETA Verificação Registro da Proposta Registro da Proposta Aprovada

51 CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL - IMPLANTADA EM SET/88 - TEM POR AGENTE FINANCEIRO O BANCO DO BRASIL - A OPERACIONALIZAÇÃO DA CONTA ÚNICA É EFE- TUADA POR MEIO DE DOCUMENTOS REGISTRADOS NO SIAFI DOCUMENTOS UTILIZADOS ORDEM BANCÁRIA - OB DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE RECEITAS FEDERAIS - DARF GUIA DE RECOLHIMENTO DA PREVIDÊNCIA - GRPS

52 MOVIMENTAÇÃO DA CONTA ÚNICA INTRA-SIAFI STN Liberação Adm. Direta Federal Adm. Indireta Federal Liberação p/ pagamento Pagamento Autorização de saque BACEN Reserva Bancária BB Universo Externo de Credores Pagamento

53 PROCESSOS FUNDAMENTAIS DA CONTA ÚNICA SIAFI BB BACEN MOVIMENTAÇÃO DE RECURSOS DISPÊNDIO DE RECURSOS INGRESSO DE RECURSOS (Rede Bancária)

54 INGRESSO RECURSOS CONTRIBUINTE DARF 3 dias SRF Rede Bancária Banco Central Reservas bancárias CONTA ÚNICA 1 OU 2 DIAS SIAFI TESOURO NACIONAL Receita Bruta a Classificar = CONTA ÚNICA STN/COFIN Receita Classificada

55 MOVIMENTAÇÃO DE RECURSOS PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO FINANCEIRA LIBERAÇÃO DE RECURSOS STN Min. A OSPF Min. B OSPF Min. C OSPF COTA Entidade Supervisionada Repasse UG Sub-repasse UG Sub-repasse

56 DISPÊNDIO DE RECURSOS SIAFI on-line UGUG UGUG Relação de OB BBBB BENEFICIÁRIO BACENBACEN RESERVA BANCÁRIA PAGAMENTO EXTERNO

57 INTEGRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA SOF Min. AMin. BMin. C UG Entidade Supervisionada Desc. Externa Desc. Interna Desc. Interna Desc. Externa ORÇAMENTÁRIO Descentralização de Créditos STN Min. AMin. BMin. C UG Entidade Supervisionada Repasse Sub- Repasse Desc. Interna Repasse FINANCEIRO Movimentação de Recursos COTA

58 FLUXO DO BALANÇO GERAL DA UNIÃO OS RESULTADOS GERAIS DO EXERCÍCIO SÃO EVIDENCIADOS NAS SEGUINTES DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: BALANÇO ORÇAMENTÁRIO BALANÇO FINANCEIRO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÕES DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS

59 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO: Confronta as receitas e despesas previstas com as efetivamente realizadas. BALANÇO FINANCEIRO BALANÇO FINANCEIRO: Demonstra a receita e despesa orçamentárias, bem como os recebimentos e os pagamentos de natureza extra-orçamentária, conjugados com os saldos em espécie provenientes do exercício anterior e os que se transferem para o exercício seguinte.

60 BALANÇO PATRIMONIAL BALANÇO PATRIMONIAL: Seus componentes são os seguintes: a) ativo financeiro - compreendendo os créditos e valores realizáveis independen- temente da autorização orçamentária e dos valores numerários; b) ativo permanente - compreendendo os bens créditos e valores cuja a mobilização ou alie- nação dependa de autorização legislativa;

61 c) passivo financeiro - compreendendo os compromissos exigíveis cujo pagamento independa de autorização orçamentária; d) passivo permanente - compreendendo as dívidas fundadas e outras que dependam de autorização orçamentária; e) contas de compensação - registrando os bens, valores e obrigações que, mediata ou indiretamente, possam vir a afetar o patrimônio.

62 DEMONSTRAÇÕES DA VARIAÇÕES PATRIMONIAIS Evidenciam as alterações verificadas no patrimônio resultantes ou independentes da execução orçamentária, e indicam o resultado patrimonial do exercício

63 REPRESENTA A POSIÇÃO ESTÁTICA DO PATRIMÔNIO DOS ÓRGÃOS E ENTIDADES QUE COMPÔEM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONSTITUINDO-SE ASSIM NA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA ELABORADA CONFORME ART. 84, INCISO XXIV DA CF ART. 101, DA LEI Nº 4.320, DE 17/03/64. BALANÇO GERAL DA UNIÃO - BGU

64 OUTRAS FUNÇÕES PROGORCAM CADASTRO DE CONVÊNIOS COMUNICA

65 PROGORCAM SUBSISTEMA DE PROGRAMAÇÃO ORÇAMENTÁRIA - ONDE SE DEVE GASTAR? - QUAL A FINALIDADE DA DESPESA? - COMO TOMAR AS DECISÕES? - COMO MEDIR O DESEMPENHO? PODE SER RESUMIDO EM 2 FASES: 1 - PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2 - PROGRAMAÇÃO ORÇAMENTÁRIA

66 PROGORCAM VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO - IDENTIFICAÇÃO DE CENTRO DE CUSTOS - ACOMPANHAMENTO FÍSICO/FINANCEIRO DOS PROGRAMAS - IDENTIFICAÇÃO DOS INDICADORES DE DESEMPENHO

67 CADASTRO DE CONVÊNIO UNIÃO ESTADO MUNICÍPIO ONG ENTIDADE PRIVADA ESCOLA HOSPITAL +

68 CONVÊNIOS DE RECEITA - DETALHAMENTO DA FONTE DE RECURSOS - ACOMPANHAMENTO DAS FASES DE EXECUÇÃO - SUBSTITUI A CONTA BANCÁRIA EXCLUSIVA

69 CONVÊNIOS DE DESPESA UNIÃO INSTITUIÇÃO CONVENENTE HOSPITAL +

70 COMUNICA SUBSISTEMA QUE PERMITE O ENVIO DE MENSAGENS VIA TERMINAL, ENTRE UG´s ON-LINE CADASTRADAS NO SIAFI.

71 SIAFI99 - ADMINISTRA - COMUNICA - INCMSG (INCLUI MENSAGEM) DATA: DD/MM/AA HORA: HH:MM:SS USUARIO: XXXXXXXXXX INFORME O DESTINATÁRIO DA MENSAGEM: __ (1 - UG 2 - GRUPO 3 - ORGÃO) INFORME CODIGO DAS UG´s: _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ OU TODAS _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ INICIO DA APRESENTACAO DA MENSAGEM: DD MÊS ANO ASSUNTO: _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ INFORME O NUMERO DA MENSAGEM PRA COPIA DO TEXTO: _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ COMUNICA

72 AMBIENTE SIAFI SIAFI SIAFI GERENCIAL SIAFI EDUCACIONAL STNet PROCESSO BT EXTRATOR DE DADOS

73 SIAFI GERENCIAL BUSCA AGILIZAR A OBTENÇÃO DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DOS DADOS DO SIAFI. É FEITA TRADICIONALMENTE DAS SEGUINTES MANEIRAS: CONSULTAS ESTRUTURAIS UG GESTÃO CONTA CONTÁBIL CONTA CORRENTE

74 SIAFI GERENCIAL EXTRATOR DE DADOS CONHECIMENTO DO LAY OUT DOS ARQUIVOS DEFINIÇÃO DOS CRITÉRIOS MANIPULAÇÃO EM SISTEMAS DO USUÁRIO

75 SIAFI GERENCIAL APURAÇÃO ESPECIAL SELEÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DA INFORMAÇÃO MOROSIDADE DO ATENDIMENTO

76 SIAFI EDUCACIONAL FOI CRIADO PARA FAMILIARIZAR O USUÁRIO COM TODAS AS ETAPAS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA, FINANCEIRA E CONTÁBIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL E ESTABELECE UMA NOVA RELAÇÃO ENTRE ALUNO, CONHECIMENTO E ESCOLA. STNCRC Instituição de Ensino COOPERAÇÃO TÉCNICA

77 STNet ESTE PRODUTO É REPRESENTADO PELO SITE DA STN NA INTERNET, EM CUJO CONTEXTO ESTÃO INSERIDAS VÁRIAS PÁGINAS SOBRE O SIAFI, TAIS COMO: - HISTÓRIA - CONCEITOS - PRINCIPAIS FUNÇÕES - EVOLUÇÃO LÓGICA - AMBIENTE OPERACIONAL - PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS SIAFI

78 STNet O ENDEREÇO DO SITE DA STN É:

79 PROCESSO BT É A TRANSFERÊNCIA DE DOCUMENTOS, NA MODALIDADE BATCH, PARA INCORPORAÇÃO AO SIAFI. GERALMENTE, É USADO NAS SEGUINTES CIRCUNSTÂNCIAS:

80 PROCESSO BT QUANDO USUÁRIOS DO SIAFI POSSUEM SEUS PRÓPRIOS SISTEMAS DE CONTROLE E NECESSITAM TRANSFERIR ARQUIVOS GERADOS POR ESSES SISTEMAS, VISANDO INCORPORÁ-LOS AO SIAFI. SISTEMA DE CONTROLE DO USUÁRIO QUANDO O VOLUME DE ENTRADA DE DOCUMENTOS É MUITO GRANDE, VISANDO A OPERACIONALIZAÇÃO MAIS RÁPIDA, EVITANDO, DESSE MODO, A SOBRECARGA DO SISTEMA ON- LINE.

81 EXTRATOR DE DADOS É UMA FERRAMENTA QUE DEMOCRATIZA O ACESSO À INFORMAÇÃO E DESCENTRALIZA O TRABALHO DE PESQUISA E GERAÇÃO DE RELATÓRIOS ESPECÍFICOS.

82 EXTRATOR DE DADOS PERMITE AO USUÁRIO CONSULTAR DIRETAMENTE A BASE DE DADOS DO SISTEMA. A PARTIR DAÍ ELE PODE: SELECIONAR DADOS EXTRAIR OS DADOS SELECIONADOS TRANSPORTAR OS DADOS PARA UM DETERMINADO MEIO FÍSICO (MICROCOMPUTADOR, DISQUETE ETC) PROCESSAR OS DADOS EXTRAÍDOS UTILIZANDO APLICATIVOS DE LARGO USO OU DESENVOLVIDOS PELA PRÓPRIA UNIDADE

83 F I M


Carregar ppt "SIAFISIAFI SIAFI INTRODUÇÃO E HISTÓRICO ANTECEDENTES ? ? ? ? ? 1986 1987 SIAFI."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google