A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Obesidade Monitor: Marcelo S. Gomes. Introdução Tendência do momento; Tendência do momento; De origem genética e influenciada por fatores ambientais;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Obesidade Monitor: Marcelo S. Gomes. Introdução Tendência do momento; Tendência do momento; De origem genética e influenciada por fatores ambientais;"— Transcrição da apresentação:

1 Obesidade Monitor: Marcelo S. Gomes

2 Introdução Tendência do momento; Tendência do momento; De origem genética e influenciada por fatores ambientais; De origem genética e influenciada por fatores ambientais; Entre outras causas estão problemas e/ou transtornos de comportamento e nutricionais; Entre outras causas estão problemas e/ou transtornos de comportamento e nutricionais; Relacionada a inúmeras doenças crônicas; Relacionada a inúmeras doenças crônicas; Caráter estético; Caráter estético; Diferenciadamente relacionada ao sexo. Diferenciadamente relacionada ao sexo.

3 Definição Doença crônica, caracterizada pelo acúmulo de gordura, dispendiosa, de alto risco, reincidente e que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, inclusive crianças; Doença crônica, caracterizada pelo acúmulo de gordura, dispendiosa, de alto risco, reincidente e que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, inclusive crianças; De caráter genético multifatorial, está associada a outras doenças e à diminuição da qualidade de vida, que requer tratamento médico; De caráter genético multifatorial, está associada a outras doenças e à diminuição da qualidade de vida, que requer tratamento médico; Uma pessoa é considerada obesa quando seu peso for no mínimo 20% maior do que o considerado ideal para sua altura; Uma pessoa é considerada obesa quando seu peso for no mínimo 20% maior do que o considerado ideal para sua altura; A medida utilizada internacionalmente é o índice de massa corporal, pela sua praticidade e é calculado dividindo o peso do indivíduo pelo quadrado da sua altura, ou seja, Kg/m². A medida utilizada internacionalmente é o índice de massa corporal, pela sua praticidade e é calculado dividindo o peso do indivíduo pelo quadrado da sua altura, ou seja, Kg/m².

4 Aspectos clínicos Maior tendência a morte súbita; Maior tendência a morte súbita; Alterações do ciclo menstrual e infertilidade em mulheres; Alterações do ciclo menstrual e infertilidade em mulheres; Alterações do aparelho cardiovascular; Alterações do aparelho cardiovascular; Alterações do metabolismo glicídico; Alterações do metabolismo glicídico; Alterações no aparelho respiratório; Alterações no aparelho respiratório; Alterações do sistema musculoesquelético; Alterações do sistema musculoesquelético; Alterações no sistema reprodutor feminino; Alterações no sistema reprodutor feminino; Câncer X Obesidade. Câncer X Obesidade.

5 Aspectos clínicos Alterações do ciclo menstrual e infertilidade em mulheres: Alterações do ciclo menstrual e infertilidade em mulheres: Sangramento disfuncional uterino; Sangramento disfuncional uterino; Amenorréia (alteração do eixo hipotálamo-hipofisário); Amenorréia (alteração do eixo hipotálamo-hipofisário); Aumento da produção de andrógenos pelos ovários; Aumento da produção de andrógenos pelos ovários; Relação com síndrome dos ovários policísticos. Relação com síndrome dos ovários policísticos.

6 Aspectos clínicos Alterações do ap. cardiovascular: Alterações do ap. cardiovascular: A obesidade está diretamente relacionada com mortalidade por causas vasculares; A obesidade está diretamente relacionada com mortalidade por causas vasculares; HAS; HAS; Aumento dos níveis de triglicerídeos; Aumento dos níveis de triglicerídeos; Diminuição dos níveis de HDL; Diminuição dos níveis de HDL; Diminuição da atividade fibrinolítica; Diminuição da atividade fibrinolítica; Desenvolvimento de isquemia coronariana em pacientes com distribuição andróide de gordura. Desenvolvimento de isquemia coronariana em pacientes com distribuição andróide de gordura.

7 Aspectos clínicos Alterações do metabolismo glicídico: Alterações do metabolismo glicídico: Fator de risco para desenvolvimento de DM2 (não insulinodependente); Fator de risco para desenvolvimento de DM2 (não insulinodependente); Síndrome da resistência insulínica Níveis elevados de insulina Falência da secreção de insulina DM tipo 2

8 Aspectos clínicos Alterações no ap. respiratório: Alterações no ap. respiratório: Alterações no padrão respiratório pelo aumento da deposição de gordura nas paredes abdominal e torácica; Alterações no padrão respiratório pelo aumento da deposição de gordura nas paredes abdominal e torácica; Trabalho excessivo da musculatura diafragmática; Trabalho excessivo da musculatura diafragmática; Apnéia do sono. Apnéia do sono.

9 Aspectos clínicos Alterações do sist. musculoesquelético: Alterações do sist. musculoesquelético: Relação com gota e osteoartrose de joelhos. Relação com gota e osteoartrose de joelhos.

10 Aspectos clínicos Câncer X obesidade: Câncer X obesidade: Segundo estudo realizado pela American Cancer Society, que acompanhou 750 mil indivíduos por 12 anos, observou-se que homens obesos possuíam risco aumentado para câncer colorretal e de próstata, e mulheres obesas, câncer de endométrio, vesícula, colo de útero e mama. Segundo estudo realizado pela American Cancer Society, que acompanhou 750 mil indivíduos por 12 anos, observou-se que homens obesos possuíam risco aumentado para câncer colorretal e de próstata, e mulheres obesas, câncer de endométrio, vesícula, colo de útero e mama.

11 Epidemiologia Obesidade no mundo: Obesidade no mundo: Epidemia mundial que cresce vertiginosamente; Epidemia mundial que cresce vertiginosamente; EUA: A prevalência da obesidade dobrou nos últimos 20 anos, apresentando 30% (61% dos adultos) da sua população com sobrepeso, sendo 15% destes obesos, e outros 3%, obesos de alto risco; EUA: A prevalência da obesidade dobrou nos últimos 20 anos, apresentando 30% (61% dos adultos) da sua população com sobrepeso, sendo 15% destes obesos, e outros 3%, obesos de alto risco; Europa: apesar de ter índices mais baixos, apresenta a mesma tendência. Europa: apesar de ter índices mais baixos, apresenta a mesma tendência.

12 Epidemiologia Obesidade no Brasil: Obesidade no Brasil: Assim como nos países desenvolvidos, o Brasil vem apresentando um aumento na prevalência do excesso de peso; Assim como nos países desenvolvidos, o Brasil vem apresentando um aumento na prevalência do excesso de peso; Cerca de 27 milhões de indivíduos maiores de 18 anos (32%) apresentam algum grau de excesso de peso (IMC >= 25,0), sendo que desses, 8% são obesos (IMC >30,0). Cerca de 27 milhões de indivíduos maiores de 18 anos (32%) apresentam algum grau de excesso de peso (IMC >= 25,0), sendo que desses, 8% são obesos (IMC >30,0).

13 Classificação Quanto ao número e dimensão de céls. adiposas: Quanto ao número e dimensão de céls. adiposas: - hipercelular (número) - hipertrófica (dimensão) Quanto à distribuição do tecido adiposo: Quanto à distribuição do tecido adiposo: - índice W/H (waist-hip ratio): relação cintura-quadril

14 Classificação Quanto ao número de células adiposas ou obesidade hipercelular: Quanto ao número de células adiposas ou obesidade hipercelular: Aumento do número total de células adiposas; Aumento do número total de células adiposas; Se desenvolve mais na infância e adolescência, pois é nesse período em que o número de células adiposas cresce mais rapidamente. Se desenvolve mais na infância e adolescência, pois é nesse período em que o número de células adiposas cresce mais rapidamente.

15 Classificação Quanto às dimensões da cél. adiposa ou obesidade hipertrófica: Quanto às dimensões da cél. adiposa ou obesidade hipertrófica: Aumento do tamanho da cél. adiposa pelo acúmulo de lipídeos; Aumento do tamanho da cél. adiposa pelo acúmulo de lipídeos; Geralmente inicia na idade adulta e na gestação; Geralmente inicia na idade adulta e na gestação; Mais relacionada com distribuição andróide de gordura. Mais relacionada com distribuição andróide de gordura.

16 Classificação Quanto à distribuição do tecido adiposo: Quanto à distribuição do tecido adiposo: O índice cintura quadril, W/H ou waist-hip ratio tem importância por apresentar forte correlação com isquemia coronariana, diabete melito, HAS e dislipidemias. O índice cintura quadril, W/H ou waist-hip ratio tem importância por apresentar forte correlação com isquemia coronariana, diabete melito, HAS e dislipidemias.

17 Distribuição da gordura no corpo No indivíduo com peso normal, a maior parte do tecido adiposo está localizado sob a pele, atuando como protetor contra a perda de calor, o que é chamada de gordura subcutânea. No indivíduo com peso normal, a maior parte do tecido adiposo está localizado sob a pele, atuando como protetor contra a perda de calor, o que é chamada de gordura subcutânea.

18 Distribuição da gordura no corpo Os indivíduos com sobrepeso ou obesos, além da gordura subcutânea, carregam tecido adiposo na região abdominal, chamado de tecido adiposo visceral. Este representa uma importante reserva de energia, mas contribui para muitas das doenças associadas à obesidade. Os indivíduos com sobrepeso ou obesos, além da gordura subcutânea, carregam tecido adiposo na região abdominal, chamado de tecido adiposo visceral. Este representa uma importante reserva de energia, mas contribui para muitas das doenças associadas à obesidade.

19 Distribuição da gordura no corpo Pode ser dividida em 2 tipos: Pode ser dividida em 2 tipos: Andróide: o tecido adiposo acumula-se predominantemente na região abdominal, com um predomínio da gordura visceral e diz-se que a pessoa apresenta obesidade do tipo andróide ou do tipo "maçã". Andróide: o tecido adiposo acumula-se predominantemente na região abdominal, com um predomínio da gordura visceral e diz-se que a pessoa apresenta obesidade do tipo andróide ou do tipo "maçã". Pessoas com este perfil têm mais facilidade de desenvolver outras doenças, como problemas cardiovasculares, DM2 e HAS.

20 Distribuição da gordura no corpo Ginóide: se o acúmulo de gordura ocorre na região dos quadris e coxas, a obesidade é classificada como ginóide ou tipo "pêra". Ginóide: se o acúmulo de gordura ocorre na região dos quadris e coxas, a obesidade é classificada como ginóide ou tipo "pêra".

21 Fatores relativos ao sexo O armazenamento da gordura corpórea está relacionada ao sexo. O armazenamento da gordura corpórea está relacionada ao sexo.

22 Fatores relativos ao sexo Nas mulheres: Nas mulheres: Sua maior tendência à obesidade está, provavelmente, relacionada com a capacidade de ter filhos; Sua maior tendência à obesidade está, provavelmente, relacionada com a capacidade de ter filhos; Após a puberdade as mulheres abrem seu apetite para gorduras (muito mais que os homens); Após a puberdade as mulheres abrem seu apetite para gorduras (muito mais que os homens); Calorias em excesso ingeridas pelas mulheres têm muito mais chance de serem utilizadas para o aumento da gordura corpórea. Calorias em excesso ingeridas pelas mulheres têm muito mais chance de serem utilizadas para o aumento da gordura corpórea.

23 Fatores relativos ao sexo Nos homens: Nos homens: O excesso de calorias têm mais chance de serem canalizadas para a produção de proteínas. O excesso de calorias têm mais chance de serem canalizadas para a produção de proteínas.

24 Características genéticas da obesidade Herança complexa; Herança complexa; Herança multifatorial (descontínua): modelo de limiar e exemplos; Herança multifatorial (descontínua): modelo de limiar e exemplos; Heterogeneidade fenotípica; Heterogeneidade fenotípica; Diferentes processos biológicos possivelmente envolvidos; Diferentes processos biológicos possivelmente envolvidos; Grande número de genes (genes de suscetibilidade) envolvidos; Grande número de genes (genes de suscetibilidade) envolvidos; Grande número de fatores ambientais envolvidos. Grande número de fatores ambientais envolvidos.

25 Grelina: Grelina: Secretada pelo estômago; Secretada pelo estômago; Hormônio envolvido no mecanismo regulador do apetite; Hormônio envolvido no mecanismo regulador do apetite; Controle do peso, regulando a ingesta alimentar e o consumo de energia; Controle do peso, regulando a ingesta alimentar e o consumo de energia; Provável etiologia da obesidade; Provável etiologia da obesidade; Igualmente distribuída no organismo de indivíduos normais e obesos durante o dia; Igualmente distribuída no organismo de indivíduos normais e obesos durante o dia; Diminuída em obesos durante a noite. Diminuída em obesos durante a noite. Bases fisiopatológicas da obesidade

26 Leptina: Leptina: Hormônio produzido pelas células adiposas; Hormônio produzido pelas células adiposas; Está aumentada em obesos; Está aumentada em obesos; Produz sensação de saciedade (e como pode estar aumentada em obesos?), é porque também está relacionada com queima de calorias (aMSH), podendo neste ponto ocorrer alguma falha; Produz sensação de saciedade (e como pode estar aumentada em obesos?), é porque também está relacionada com queima de calorias (aMSH), podendo neste ponto ocorrer alguma falha; Envolvida na etiologia da obesidade. Envolvida na etiologia da obesidade.

27 Bases fisiopatológicas da obesidade Adiponectina: Adiponectina: Hormônio produzido pelas células adiposas; Hormônio produzido pelas células adiposas; Ajuda a regular o metabolismo energético; Ajuda a regular o metabolismo energético; Está diminuída em obesos; Está diminuída em obesos; Envolvida na etiologia da obesidade. Envolvida na etiologia da obesidade.

28 Fatores genéticos Existem aproximadamente 58 genes relacionados a obesidade; Existem aproximadamente 58 genes relacionados a obesidade; Todos os cromossomos, exceto o Y, estão relacionados com a obesidade; Todos os cromossomos, exceto o Y, estão relacionados com a obesidade; As alterações genéticas podem modificar: As alterações genéticas podem modificar: Controle da ingesta; Controle da ingesta; Controle do gasto energético; Controle do gasto energético; Controle do armazenamento energético. Controle do armazenamento energético.

29 Fatores genéticos As alterações podem estar relacionadas a uma síndrome ou alteração da expressividade de um gene: As alterações podem estar relacionadas a uma síndrome ou alteração da expressividade de um gene: Prader-Willi like; Prader-Willi like; Dissomia uniparental materna (cromossomo 14); Dissomia uniparental materna (cromossomo 14); Expressividade reduzida de um cromossomo paterno; Expressividade reduzida de um cromossomo paterno; Duplicação em Xq23q25. Duplicação em Xq23q25.

30 Fatores genéticos As alterações podem ocorrer em um único gene, como por exemplo: As alterações podem ocorrer em um único gene, como por exemplo: No MC4R (receptor de melanocortina); No MC4R (receptor de melanocortina); No N62S e N274S, que é de caráter familiar, e ocorre em homo e heterozigose respectivamente; No N62S e N274S, que é de caráter familiar, e ocorre em homo e heterozigose respectivamente; Na grelina e na leptina. Na grelina e na leptina.

31 Fatores genéticos Alterações relacionadas a outros genes, como: Alterações relacionadas a outros genes, como: Receptor de leptina; Receptor de leptina; Apolipoproteínas (ditribuição de gordura corporal): ApoA2, ApoB e ApoE; Apolipoproteínas (ditribuição de gordura corporal): ApoA2, ApoB e ApoE; Receptor de estrogênio (distribuição de gordura corporal). Receptor de estrogênio (distribuição de gordura corporal).

32 Fatores ambientais Podem comprometer o controle de peso; Podem comprometer o controle de peso; Modernização e sedentarismo; Modernização e sedentarismo; Grande oferta de produtos saborosos, fáceis de fazer e acessíveis ao consumidor (produtos congelados, enlatados), e os fast-foods. Grande oferta de produtos saborosos, fáceis de fazer e acessíveis ao consumidor (produtos congelados, enlatados), e os fast-foods.

33 Tratamento Multidisciplinar; Multidisciplinar; Medicamentos: indicações, opções e riscos; Medicamentos: indicações, opções e riscos; Classificação e características dos fármacos; Classificação e características dos fármacos; Duração do tratamento; Duração do tratamento; Cirurgia bariátrica. Cirurgia bariátrica.

34 Tratamento O tratamento deve ser multidisciplinar, atuando em conjunto médicos e nutricionistas: O tratamento deve ser multidisciplinar, atuando em conjunto médicos e nutricionistas: Mudança nos hábitos alimentares; Mudança nos hábitos alimentares; Atividades físicas; Atividades físicas; Uso de medicamentos quando necessário (geralmente em indivíduos muito obesos) que nunca deve ser o único tratamento; Uso de medicamentos quando necessário (geralmente em indivíduos muito obesos) que nunca deve ser o único tratamento; Tratamento medicamentoso está indicado em pacientes com IMC>30,0 e atua de três maneiras: no SNC, no sistema gastrintestinal e metabolicamente. Tratamento medicamentoso está indicado em pacientes com IMC>30,0 e atua de três maneiras: no SNC, no sistema gastrintestinal e metabolicamente.

35 Obesidade na Infância A obesidade infantil é um problema sério, acarretando, ainda na infância, problemas de coluna, articulações, prejudicando a auto-estima e levando à rejeição social; A obesidade infantil é um problema sério, acarretando, ainda na infância, problemas de coluna, articulações, prejudicando a auto-estima e levando à rejeição social; Na fase adulta pode surgir diabetes e, segundo estudos realizados no mundo inteiro, a obesidade também está ligada a vários fatores de risco para doenças do coração como hipertensão arterial, colesterol e triglicerídeos elevados entre outros. Na fase adulta pode surgir diabetes e, segundo estudos realizados no mundo inteiro, a obesidade também está ligada a vários fatores de risco para doenças do coração como hipertensão arterial, colesterol e triglicerídeos elevados entre outros.

36 Obesidade na Infância Entre suas causas estão o sedentarismo e o novo estilo de vida que as crianças adquiriram, trocando as brincadeiras de rua pelo vídeo- game, televisão e internet; Entre suas causas estão o sedentarismo e o novo estilo de vida que as crianças adquiriram, trocando as brincadeiras de rua pelo vídeo- game, televisão e internet; Tratamento: fundamentalmente uma mudança nos hábitos, estimulando exercícios físicos e limitando a ingesta de fast-foods e outras guloseimas como bolachas recheadas e etc. Tratamento: fundamentalmente uma mudança nos hábitos, estimulando exercícios físicos e limitando a ingesta de fast-foods e outras guloseimas como bolachas recheadas e etc.

37 Obesidade Mórbida Pessoas com IMC > 40 são portadoras de obesidade mórbida; isso equivale a aproximadamente 45 Kg acima do peso ideal; Pessoas com IMC > 40 são portadoras de obesidade mórbida; isso equivale a aproximadamente 45 Kg acima do peso ideal; Causas: são as mesmas (genética, deficiência e/ou falha de leptina, adiponectina e grelina, hormonais, medicamentosas, hábitos e emocionais). Causas: são as mesmas (genética, deficiência e/ou falha de leptina, adiponectina e grelina, hormonais, medicamentosas, hábitos e emocionais).

38 Obesidade Mórbida Tratamento Tratamento A cirurgia bariátrica (nome utilizado para se definir a cirurgia para obesidade mórbida) é o único método cientificamente comprovado que promove uma acentuada e duradoura perda de peso, reduzindo as taxas de mortalidade e resolvendo, ou pelo menos minimizando, uma série de doenças associadas à obesidade grave. A cirurgia bariátrica (nome utilizado para se definir a cirurgia para obesidade mórbida) é o único método cientificamente comprovado que promove uma acentuada e duradoura perda de peso, reduzindo as taxas de mortalidade e resolvendo, ou pelo menos minimizando, uma série de doenças associadas à obesidade grave.

39 Obesidade Mórbida De um modo geral, a perda de peso pode ser obtida por dois caminhos: pela redução da capacidade de armazenamento do estômago e de sua velocidade de esvaziamento (cirurgias restritivas), ou pela exclusão de grandes segmentos de intestino delgado evitando que os nutrientes sejam absorvidos (cirurgias disabsortivas). De um modo geral, a perda de peso pode ser obtida por dois caminhos: pela redução da capacidade de armazenamento do estômago e de sua velocidade de esvaziamento (cirurgias restritivas), ou pela exclusão de grandes segmentos de intestino delgado evitando que os nutrientes sejam absorvidos (cirurgias disabsortivas).


Carregar ppt "Obesidade Monitor: Marcelo S. Gomes. Introdução Tendência do momento; Tendência do momento; De origem genética e influenciada por fatores ambientais;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google