A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

100 Anos imigração japonesa

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "100 Anos imigração japonesa"— Transcrição da apresentação:

1 100 Anos imigração japonesa
JN 16jun08 JN 17jun08 J10 17jun08 NJ 18jun08

2 UFMS = 30 20 - A partir de seus conhecimentos sobre o tema “migrações” e observando o esquema representativo dos movimentos migratórios que ocorreram nas décadas de 80 e 90, assinale a(s) afirmação(ões) correta(s). a) México => América do Norte b) Hong Kong => Reino Unido c) Magreb => Europa Ocidental d) Países de Terceiro Mundo => Países do Primeiro Mundo e) Leste Europeu => Europa Ocidental (01) O fluxo migratório do Leste Europeu em direção à Europa Ocidental é caracterizado pela saída de grandes empresários capitalistas à procura de mercado consumidor formado a partir da União Européia. (02) Condições de trabalho e salários tem atraído pesquisadores para trabalhar nos países do Primeiro Mundo. Tal fluxo ficou conhecido como “migração de cérebros”, incluído no item d. (04) O item a representa a migração de trabalhadores mexicanos para os Estados Unidos em busca de oportunidades de trabalho e melhores salários. (08) Com o retorno de Hong Kong para o domínio chinês, grande parte da população inglesa voltou ao seu país de origem, com receio de mudanças político-econômicas sob influência do governo chinês. (16) Os fluxos migratórios de países como Marrocos, Argélia e Tunísia para a França são representativos da ligação histórica desses países do norte da África com a Europa.

3 (UNOPAR-e) Dos imigrantes que vieram para o Brasil, a maior contribuição populacional populacional foi dada pelos: a) italianos e alemães b)japoneses e espanhóis c)portugueses e japoneses d)alemães e espanhóis e)portugueses e italianos

4 (UFPA-c) A reduzida entrada de imigrantes no primeiro período da história do Brasil pode ser melhor explicada: a)pela suspensão de financiamentos para o imigrante em 1830 e a exigência de que 25% deles se destinassem à agricultura b)devido à estabilidade política da Europa, que estimulava a fixação do homem ao solo europeu, pois este não iria se aventurar em novas terras c)devido à abundância de mão-de-obra escrava no período d)pela tropicalidade do país e)pelo estabelecimento de cotas de imigração em 2%, segundo a nacionalidade, a partir de 1910

5 UFSCAR-b Sobre a imigração alemã (1850 – 1870) não é certo afirmarmos: a)Praticaram a policultura, introduziram no país os minifúndios, ou pequenas propriedades b)Integrou-se facilmente na comunidade brasileira, especialmente nos estados sulinos de Santa Catarina e Rio Grande do Sul c)Influenciaram a alimentação, as construções e costumes, notadamente em Santa Catarina d)São Leopoldo (RS), Novo Hamburgo (RS), Itajaí (SC), Brusque (SC), Joinville (SC), Colatina (ES) e Santo Amaro (SP) são localidades em que se fixaram um grande número de alemães e)Radicou-se principalmente em Santa Catarina, no Vale do Itajaí e no Rio Grande do Sul, no Vale do Jacuí e Vale dos Sinos

6 (UNIUBE-c) Na história da imigração para o Brasil, no século XX, há de se destacar a Lei de Cotas, de Por  essa lei, só poderiam ingressar, anualmente, até 2% do total de imigrantes de uma mesma nacionalidade já estabelecidos no país nos 50 anos anteriores. Com isso, o Governo Federal visava a diminuir a importância  política da mão-de-obra operária de origem: a)portuguesa b)coreana c)italiana d)sírio-libanesa e)japonesa

7 (Fuvest-b) Escolha as alternativas corretas e que justificam a diminuição acentuada na imigração do Brasil a partir da década de (0) A crise da Bolsa de Valores de Nova York e a conseqüente crise econômica do Brasil. (1) As medidas constitucionais de 1934 e 1937 regulamentando e restringindo a imigração. (2) A cota dos 2%, medida segundo a qual a partir de 1934 só poderia entrar no Brasil 2% do total de imigrantes de cada nacionalidade entrados nos últimos 50 anos. (3) Dificuldades impostas pelos países de emigração para evitar a saída de indivíduos. (4) A Lei Eusébio de Queiroz, proibindo o tráfico de escravos. a)0-F;1-V; 2-F; 3-V; 4-F b)0-V;1-V; 2-V; 3-V; 4-V c)0-F;1-F; 2-F; 3-F; 4-F d)0-V;1-F; 2-V; 3-F; 4-V

8 Início século XX Só famílias agrícolas

9 Nacionalidade Total 883668 852110 503981 717223 80424 338726 247944 ,00 Italianos 510533 537784 196521 86320 70177 15312 59785 31263 ,00 Portugueses 170621 155542 384672 201252 233650 26268 123082 96811 ,00 Espanhóis 113116 102142 224672 94779 52405 4092 53357 38819 ,00 Outros 66524 42820 109222 51493 164586 29552 84851 47599 ,00 Japoneses - 11868 20398 110191 12 5447 28819 ,00 Alemães 22778 6698 33859 29339 61723 5188 12204 4633 ,00 Sírios e turcos 96 7124 45803 20400 93.823,00 Obs. O maior número de imigrantes no Brasil são os portugueses, que vieram em grande número desde o período da Independência do Brasil. 

10 Causas: imigração japonesa O Japão vivia, desde o final do século XIX, uma crise demográfica. O fim do feudalismo (trocas “in natura” para dinheiro e shogunato deu espaço para a mecanização da agricultura com a Era Meiji (1867 a 1912). A pobreza passou a assolar o campo e as cidades ficaram saturadas. No Brasil estava faltando mão-de-obra na zona rural por causa da proibição da migração italiana em 1902, por serem tratados como semi-escravos.

11 Primeiros: Em 1906 chegou ao Brasil um grupo liderado por Saburo Kumabe, situando-se em 1907 no interior do Rio de Janeiro (Conceição de Macabu e Macaé). A colônia, situada na Fazenda Santo Antônio, durou cinco anos, mas fracassou por razões diversas, como falta de investimentos, epidemias e saúvas.

12 Historicamente o Kasato Maru é considerado o primeiro navio a aportar no Brasil com imigrantes japoneses, em 18 de Junho de Chegou ao Porto de Santos trazendo 165 famílias, que vinham trabalhar nos cafezais do oeste paulista.

13 A maior parte dos imigrantes chegou no decênio 1920-1930
A maior parte dos imigrantes chegou no decênio Já não iam apenas trabalhar nas plantações de café, mas também desenvolveram o cultivo de morango, chá e arroz.

14 Imigração de solteiros
II Guerra Mundial Imigração de solteiros

15 isseis (primeira geração, nascidos no Japão) 12,51%;
Gerações É dividida em: isseis (primeira geração, nascidos no Japão) 12,51%; nisseis (filhos de japoneses) 30,85%; sanseis (netos de japoneses) 41,33%; yonseis (bisnetos de japoneses) constituem 12,95% nikkei (日系) é usado para denominar os japoneses e seus descendentes.

16 Dekassegui (出稼ぎ) Trabalhar fora. Tal emigração de brasileiros teve início no fim da década de Oficialmente, iniciou-se em junho de 1990, com a mudança na legislação de imigração japonesa, permitindo ao descendente de japonês (nikkei,日系) receber um visto de trabalho no país. Entretanto, o visto para descendentes de japoneses é concedido até a terceira geração (sansei), no caso da quarta geração (yonsei) quando filhos, faz-se necessário a companhia dos pais (3ª geração).

17 Atualmente, existem no Brasil 1,5 milhão de japoneses e descendentes
(maior população japonesa fora do Japão). 90% vivem nas cidades. 80% no Estado de São Paulo (+ capital). Outros focos importantes Paraná, Pará e Mato Grosso do Sul.

18 1,5 milhão de brasileiros residem fora do país, concentrados em maior número nos Estados Unidos, Paraguai e Japão.


Carregar ppt "100 Anos imigração japonesa"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google