A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Leiautes. Análise e Distribuição do Espaço Físico Fatores Ambientais: Ergonomia, Cores, Iluminação, Poluição Sonora, Aeração, Temperatura e Limpeza O.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Leiautes. Análise e Distribuição do Espaço Físico Fatores Ambientais: Ergonomia, Cores, Iluminação, Poluição Sonora, Aeração, Temperatura e Limpeza O."— Transcrição da apresentação:

1 Leiautes

2 Análise e Distribuição do Espaço Físico Fatores Ambientais: Ergonomia, Cores, Iluminação, Poluição Sonora, Aeração, Temperatura e Limpeza O meio ambiente é o local onde se processa a integração harmônica entre o homem e a natureza, é onde se vive e trabalha. Os fatores ambientais exercem fortes influências na performance do indivíduo, tanto em nível de produtividade quanto de qualidade, pois atua diretamente sobre o estado psíquico dele, alterando, de forma significativa, o seu comportamento.

3 Ergonomia “É a ciência que estuda a organização metódica do ambiente de trabalho com o objetivo de harmonizar as relações entre os homens e a máquina, de forma a atender às necessidades físicas e psicológicas humanas”

4 Cores As cores podem influenciar o comportamento dos trabalhadores, tanto psicologicamente como biologicamente. Com relação à temperatura: Quentes – devem ser utilizadas quando se deseja estimular o interesse, a atenção e a motivação para o trabalho. O amarelo, o verde-escuro, o vermelho e o laranja são consideradas como cores quentes. Frias – devem ser utilizadas em locais de clima quente, pois causam uma impressão de diminuição da temperatura. O cinza, o verde-claro e o azul são consideradas cores frias.

5 Cores Com relação à iluminação: As cores estão diretamente ligadas aos problemas de iluminação, em virtude de sua capacidade de reflexão e de absorção. Portanto, de conformidade com o trabalho que se pretende realizar, deve-se fornecer a quantidade de luminosidade requerida, utilizando as cores adequadas para tal.

6 Cores Com relação à iluminação:

7 Cores Com relação à utilização: Cores que devem ser evitadas no ambiente de trabalho: cinza - desperta o medo e a tristeza, diminui a capacidade de iniciativa dos indivíduos e produz a depressão; marrom - induz as pessoas a ficarem pensando em seus problemas pessoais, desviando dos propósitos do trabalho; violeta - leva à depressão, à tristeza e prejudica o inter- relacionamento pessoal; preta - gera o desenvolvimento de aspectos comportamentais negativos, tais como: desobediência aos superiores hierárquicos, ao descumprimento das normas da empresa, etc.

8 Cores Com relação à utilização: Cores que requerem um cuidado especial quando de sua aplicação: branca - deve ser utilizada em conjunto com outras cores, principalmente nos tetos, em virtude de sua característica de reflexão. Quando utilizá-la, preferir o branco-gelo ou outra tonalidade mais escura, pois o branco puro pode levar à monotonia; vermelha - dá vitalidade, alegria e dinamismo ao ambiente. Por outro lado, desperta a impulsividade e a intempestividade comportamental do indivíduo; amarela - também possui os dois lados; de um, incita à iniciativa e à ação, fomenta a energia, destaca locais que se deseja chamar a atenção. Por outro, provoca a aceleração do sistema nervoso, refletindo comportamento do indivíduo, irritando-o facilmente por qualquer motivo.

9 Cores Com relação à utilização: Cores mais recomendadas (sempre na tonalidade clara): verde - lembra a natureza, dá uma sensação de liberdade, faz com que as pessoas acreditem na possibilidade de dias melhores, induz à paciência e ao amor pelo trabalho; azul – reflete a paz, a tranqüilidade, fazendo com que as pessoas tenham maior compreensão com os seus pares no ambiente de trabalho, desperta a criatividade e estimula a pesquisa; bege - torna o ambiente agradável, fazendo gerar um clima amistoso entre as pessoas no desenvolvimento de atividades coletivas.

10 Iluminação Nos ambientes de trabalho, a iluminação está diretamente relacionada a fatores como a saúde, a segurança e a produtividade dos ativos intelectuais, resultando de sua adequada utilização aumento de qualidade e economia para as empresas.

11 Iluminação

12 Poluição Sonora Caracteriza-se pelo barulho excessivo e pelos níveis de ruído suportáveis ou não, presentes em nosso dia-a-dia.

13 Aeração e Temperatura Ambiental Aeração ou circulação de ar influi significativamente na temperatura do ambiente e, consequentemente, no desempenho do homem, cujo organismo requer uma perfeita disponibilidade de oxigênio por metro cúbico, de acordo com o trabalho que esteja realizando.

14 Aeração e Temperatura Ambiental Limpeza Interna Este fator não deve ser visto simplesmente como limpeza propriamente dito, mas sim como preservação da natureza, economia de energia, meio de controle que impõe restrições à poluição ambiental não só internamente no ambiente de trabalho, mas de uma forma mais abrangente, afetando, inclusive, a comunidade em geral.

15 Leiaute (Arranjo físico) Conceito : É a disposição que se encontra ou que se deseja colocar um escritório, uma linha de montagem, os móveis, equipamentos e material relativos a determinada área onde se desenvolve determinado trabalho.

16 Leiaute (Arranjo físico) Objetivos do estudo do leiaute  Reduzir os custos e aumentar a produtividade;  Racionalizar a utilização do espaço disponível;  Reduzir a movimentação de materiais, produtos e pessoas;  Racionalizar o fluxo de trabalho;  Minimizar o tempo de produção;  Propiciar aos trabalhadores melhores condições de trabalho;

17 Leiaute (Arranjo físico) Princípios  Espaço tridimensional: melhor aproveitamento do espaço disponível (vertical, horizontal e longitudinal)  Economia de movimento: encurtar distância entre fases de um processo, obtendo menor circulação de materiais, pessoas e documentos.  Flexibilidade: atender alterações ambientais requeridas pelos clientes

18 Leiaute (Arranjo físico) Princípios  Fluxo progressivo: fases de um processo lógicas e contínuas, sem paradas, voltas ou cruzamentos (considerando funcionários e equipamentos)  Integração: componentes do processo funcionando como uma unidade única e em sinergia  Satisfação e segurança do trabalho: conforto, aparência e segurança (homens e equipamentos). Maior satisfação -> maior produtividade.

19 Leiaute (Arranjo físico) Cálculo da área Vários fatores devem ser observados: o tipo de atividade que será desenvolvida, o posicionamento hierárquico do ocupante do cargo, o nível de relacionamento e a categoria de cliente externo a ser atendido, as estratégias de marketing que se pretende atingir e, obviamente, o espaço disponível.

20 Leiaute (Arranjo físico) Cálculo da área (Espaço recomendado) Padrões de área para arranjo físico de escritórios Nível HierárquicoDiscriminaçãoÁrea em m 2 Presidente e diretores (alta administração) Salas Salas de reuniões Salas de assessores Salas de espera Gerentes (média administração) Salas ou salas de reuniões Salas de assessores Salas de auxiliares Salas de espera 20 a a 7 6 Chefes e demais funcionários Chefias Nível superior Demais funcionários 16 7 a 8 5

21 Leiaute (Arranjo físico) Cáculo da área (Distância) Padrões de distância para arranjo físico de escritórios Nível HierárquicoDistância entreMetros Presidente e diretores (alta administração) Mesa e armário Mesas (com passagem) Mesas e parede Armários 1,60 1,90 1,40 2,40 Gerentes (média administração) Mesa e armário Mesas (com passagem) Mesas e parede Armários 1,20 1,60 1,20 2,00 Chefes e demais funcionários Mesa e armário Mesas (com passagem) Mesas e parede Armários 1,00 1,40 1,00 1,80

22 Leiaute (Arranjo físico) Cálculo da área (Superfícies a serem consideradas) : Ex.: Mesa de uma secretária medindo 0,60 x 1,20 m SE = Superfície Estática (é a área do equipamento) SE = 0,60 x 1,20 = 0,72 m² SU = Superfície de Utilização = (SE. N) ∴ N = nº de lados do equipamento SU = 0,72 m² x 2 (lados) = 1,44 m² SC = Superfície de Circulação = (SE + SU). K ∴ K = coeficiente de circulação) SC = (0,72 m² + 1,44 m²). 1 (K) = 2,16 m² ST = Superfície Total = SE + SC + SU ST = 0,72 m² + 1,44 m² + 2,16 m² = 4,32 m²

23 Leiaute (Arranjo físico) Planta Baixa A planta baixa é a representação gráfica do corte horizontal de uma área, na qual usualmente emprega-se a escala de 1:50, ou seja, cada unidade medida, na planta, eqüivale a 50 unidades da medida real.

24 Leiaute (Arranjo físico) Planta Baixa (Simbologia)

25 Leiaute (Arranjo físico) Distribuição do espaço físico entre as unidades da empresa As unidades que possuem grande contato com os clientes externos devem ficar posicionadas em locais de fácil acesso e as unidades internas devem ser posicionadas uma próximas às outras de acordo com os processos que desenvolvem.

26 Leiaute (Arranjo físico) Distribuição do espaço físico

27 Leiaute (Arranjo físico) Estudo da disposição física do ambiente Um instrumento que vai auxiliar o analista nesta tarefa é o fluxolocalgrama, que é um gráfico que demonstra a seqüência das operações de um processo em um determinado ambiente de trabalho.

28 Leiaute (Arranjo físico) Estudo da disposição física do ambiente

29 Leiaute (Arranjo físico) Estudo da disposição física do ambiente

30 Levantamento da situação atual Planta baixa (escala preferível 1:50) Vias de acesso Análise das instalações do imóvel –Ar-condicionado, elevadores, saídas de emergência, geradores, áreas de circulação, instalações elétricas e lógicas, etc. Possibilidades de adaptações (reforma) –Flexibilidade do imóvel Limite de carga do imóvel Preço do m 2 (compra e locação)

31 Levantamento da situação atual Formato e amplitude das salas Medidas e quantidade de móveis e equipamentos –Preparar miniaturas de acordo com a escala da planta baixa Forma de uso das salas, móveis e equipamentos identificados –Identificação e análise das atividades dos funcionários –Estudo do fluxo de trabalho Movimentos dos funcionários no desempenho de suas tarefas Tempos de execução das várias operações Adequação das máquinas e equipamentos Aparência e ambiente proporcionado

32 Levantamento da situação atual Temperatura do ambiente –Entre 16º e 22º Celsius Umidade –Baixa umidade Ventilação Espaço Tipo e cores das pinturas Iluminação Ruído e poeira

33 Interligações Quadro de interligações preferenciais: Matriz triangular com cruzamento identificando as interligações por códigos: Tipo de ligaçãoCódigo Essencial2 Desejável1 Não importante0 IndesejávelX (OLIVEIRA, Djalma P. R )

34 Alternativas – Corredor Incentiva relações de grupo Ideal para trabalho em pequenas equipes Preço das divisórias Espaço perdido –Pelo menos 5% do espaço perdido com paredes Paredes e divisórias demarcam grupos –Formação involuntária de grupos –Interação em cada grupo é maior que entre grupos –É necessário cuidado na “criação” dos grupos

35 Alternativas – Espaço aberto Grandes áreas, grande concentração humana Geralmente ocupa todo um andar Separa espaço apenas para as chefias Privilegia a comunicação Tarefas que não exijam grande concentração Difícil controle disciplinar A chefia deve ficar de frente para os subordinados

36 Alternativas – Panorâmico Uso parcial de salas individuais –Envolvimento pessoal quando necessário Divisórias com meia altura –Mesas seguem mesmo padrão, diferença na tonalidade Supervisão discreta e mais facilitada Redução de ruído Observações: –Funcionários podem ser resistentes à mudança –Pode levar à formação de grupos –Existem variações

37 Recomendações finais Funções inter-relacionadas devem ficar próximas Aproximar as pessoas com contatos freqüentes Serviços centrais e equipamentos muito utilizados devem ficar próximos aos usuários O trabalho deve seguir um fluxo contínuo e para a frente, de preferência em linha reta –Mobiliário deve ficar em linha reta (ou em simetria) –Posições angulares devem ser restritas à supervisão Chefia em posição que facilite a supervisão Salas particulares somente quando justificadas –Chefias de alta hierarquia, tarefas com grande concentração ou natureza confidencial

38 Recomendações finais Separar as áreas com ruídos Os funcionários devem ficar numa mesma direção Áreas com contato de público devem ficar próximas à entrada –Balcões de atendimento ao público devem ter divisórias ou gavetas O trânsito até a chefia não deve perturbar o trabalho Espaço adequado às necessidades de trabalho e conforto Usar áreas grandes e contínuas quando possível –Melhor iluminação e supervisão (layout panorâmico) A iluminação deve atingir o posto de trabalho por trás, acima e ligeiramente à esquerda (se o funcionário for destro) –Quando possível, utilizar profissionais especializados

39 Recomendações finais Móveis e equipamentos com tamanho uniforme e mesma marca permitem: –Maior flexibilidade de remanejamento –Melhor aparência estética –Reduzir o custo de compra e manutenção Localização de equipamentos pesados –Observar a capacidade de carga Instalação de equipamentos de segurança –Combate a incêndio Evitar cobrir superfícies de trabalho (tampo de mesa) com material reflexivo

40 Exemplos de arranjo físico (ARAUJO, LUIS C. G )

41 Exemplos de arranjo físico (ARAUJO, LUIS C. G )

42 Exemplos de arranjo físico (ARAUJO, LUIS C. G )

43 Exemplos de arranjo físico (mesas) (ARAUJO, LUIS C. G )

44 Exemplos de arranjo físico (mesas) (ARAUJO, LUIS C. G )

45 Exemplos – Plantas baixas

46


Carregar ppt "Leiautes. Análise e Distribuição do Espaço Físico Fatores Ambientais: Ergonomia, Cores, Iluminação, Poluição Sonora, Aeração, Temperatura e Limpeza O."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google