A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Armazenagem Amortecimento das incertezas quanto à entrada de insumos e saída de produtos acabados. AlmoxarifadoProcesso produtivoDepósito Matérias-primas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Armazenagem Amortecimento das incertezas quanto à entrada de insumos e saída de produtos acabados. AlmoxarifadoProcesso produtivoDepósito Matérias-primas."— Transcrição da apresentação:

1 Armazenagem Amortecimento das incertezas quanto à entrada de insumos e saída de produtos acabados. AlmoxarifadoProcesso produtivoDepósito Matérias-primas Materiais em processamento Materiais semi-acabados Materiais acabados Produtos Acabados

2

3

4

5 Fluxo dos materiais no almoxarifado Fornecedores externos Compras Inspeção de qualidade no recebimento do material AlmoxarifadoRMs Seções produtivas

6 Finalidades da Requisição de Materiais Autorizar a saída de material do almoxarifado Proceder ao respectivo lançamento de saída de material na FE Calcular o custo de produção REQUISIÇÃO DE MATERIALN◦ Ordem n◦ …………………………… Quantidade: ………………………. Dada de entrega ……/……../…….. Data de emissão ……/……../…….. Material retirado por: Data da retirada:Quantidade retirada: Custo unitário da RM: Lançado na FE por: Data da devolução:Quantidade devolvida: Custo total Observações

7

8

9

10 Depósito Seções produtivas Controle de qualidade Depósito Vendas Pedidos dos clientes Distribuição física

11

12 Almoxarifado e Depósito “Dizem que o conceito de almoxarifado está ultrapassado. Para muitos especialistas, o tamanho do almoxarifado representa fisicamente o tamanho da incompetência da empresa. O almoxarifado nada agrega de valor aos produtos da empresa. Na maioria das empresas modernas, o almoxarifado foi simplesmente eliminado. Contudo, existem negócios em que o almoxarifado é imprescindível, como nas grandes redes varejistas, grupos supermercadistas e setores altamente competitivos. Não há como evitá-los. Mesmo as empresas virtuais – como Submarino e lojas virtuais – encontram defeitos na hora de entregar produtos vendidos aos clientes e tropeçam em problemas logísticos, principalmente em depósitos de Pas” CHIAVENATO, 2005, pg 119

13 Busca do equilíbrio Consumo Estoque

14 3 tipos de sistemas de produção SISTEMA DE PRODUÇÃO PLANO DE PRODUÇÃO ARRANJO FÍSICO (MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E PESSOAS) PREVISIBILIDADE DA PRODUÇÃO PRODUÇÃO SOB ENCOMENDA Cada produto exige um plano de produção específico Arranjados ao redor do produto Pouca PRODUÇÃO EM LOTES Cada lote exige um plano de produção específico Arranjados sequencialmente Razoável PRODUÇÃO CONTÍNUA O plano é feito para um período de tempo annual Arranjados definitivamente Total Quadro 2.1 – Principais características dos sistemas de produção Fonte – Adaptado de CHIAVENATO, 2005, pg 24

15 Ciclo de suprimentos Necessidades de produção se tornam ordens de compra Comprador seleciona fornecedores dentro de requisitos de preço, entrega e qualidade A ordem de compra é enviada ao fornecedor com todas as informações necessárias O fornecedor processa o pedido e remete o material A entrega é realizada de acordo com o negociado O transporte geralmente é do próprio fornecedor O carregamento é recebido Realiza-se a inspeção da qualidade O material é estocado

16 Arranjo Físico (Layout) Objetivos: “Integrar máquinas, pessoas e materiais para possibilitar uma produção eficiente. Reduzir transportes e movimentos de materiais. Permitir um fluxo regular de materiais e produtos ao longo do processo produtivo, evitando gargalos de produção. Proporcionar utilização eficiente do espaço ocupado. Facilitar e melhorar as condições de trabalho. Permitir flexibilidade, a fim de atender possíveis mudanças” CHIAVENATO, 2005, pg. 120

17 Tipos de Layout Layout de Processo Layout funcional Volume de produção baixo Produção em lotes Máquinas e pessoas dispostas por especialidade Layout de Produto Layout linear Produção contínua Equipamentos e materiais dispostos de acordo com a sequência de operações Produto padronizado que não se modifica Layout Estacionário Layout de posição Produto de grande porte sem movimentação Pessoas e materiais se deslocam Ciclo de fabricação longo

18 Layout de Almoxarifado e Depósito Itens de estoque Produtos “A”, grande peso e volume e mercadorias de maior saída armazenados próximo à saída Corredor Facilitar o acesso aos materiais e mercadorias Quanto mais corredores, melhor o acesso e menor o espaço de armazenamento Largura de acordo com equipamentos de manuseio e movimentação Trânsito de ida e volta Localização de acordo com portas de acesso, elevadores e arrumação dos materiais Espaço entre prateleiras e parede – 60cm

19

20

21

22

23

24 Layout de Almoxarifado e Depósito Portas de Acesso Permitir a passagem dos equipamentos de manuseio e movimentação Expedição deve se localizar de maneira que facilite manuseio, carga e descarga Acostamento de acordo com a quantidade diária de embarques Empilhamentos ou Prateleiras Altura máxima de acordo com o peso dos materiais e das limitações dos equipamentos Distância de 1m entre topo da pilha de materiais e luminárias/teto Piso resistente devido ao peso dos materiais e trânsito de equipamentos

25

26

27

28 Alterações de Layout Modificação do produto Lançamento do produto Variação na demanda Obsolescência das instalações Ambiente de trabalho inadequado Índice de acidentes elevado Mudança na localização e do mercado consumidor Redução nos custos

29 Tipos de estocagem Diferença entre média de consumo e recebimento de material Nível dependente da quantidade comprada, recebida e prazo de entrega Quando exposta ao tempo pode ser centralizada ou descentralizada Estocagem de MP Materiais em processamento ou em vias, semi-acabados,a acabados ou componentes Centralizada ou descentralizada Estocagem Intermediária Centralizada Estocagem de PA

30 Técnicas de armazenagem De acordo com a dimensão e característica dos materiais Espaço disponível para estocagem Quantidade de itens Velocidade de atendimento Tipo de embalagem

31 Armazenagem – Equipamentos e métodos Carga unitáriaCaixas ou gavetasPrateleirasRaquesEmpilhamentoContêiner flexível

32 Carga unitária Embalagem em módulo Conjunto de cargas em um recipiente Paletização Sua formação é realizada através de pallets Estrado de madeira padronizado Número de entradas 2 – apenas um equipamento de manuseio 4 – cruzamento de equipamentos de manuseio Número de faces 1 – material leve, não requer reforço, não requer estocagem 2 – unidade reforçada, duas vidas úteis Proporciona economia de tempo e esforço, menor mão- de-obra e área de armazenagem

33

34

35

36 Paletização Os seguintes tipos de embalagens não são indicados para paletização: Embalagem em forma de cubo - dificulta a arrumação sobre o pallet bem como seu empilhamento com segurança. Embalagens muito fracas que não permitam o empilhamento. Embalagens muito pesadas - alguns volumes devem ser deslocados manualmente. Embalagens demasiadamente cheias - suas superfícies laterais ficarão abauladas, dificultando o empilhamento. Volumes com formas não usuais - cônicos, cilíndricos, hexagonais etc. -, são difíceis de ser paletizados e desperdiçam espaço. Embalagens mal identificadas - um volume poderá ser paletizado duas ou três vezes, dependendo do tipo de operação. Identificá-los em suas várias faces poupa tempo. Embalagens ou contenedores que possam ser movimentados mecanicamente, sem paliet: Refrigeradores e máquinas de lavar são bons exemplos disso. Para movimentar e transportar cargas unitárias torna-se necessário, às vezes, fixá-las sobre o pallet. Para isso, os métodos mais comuns são: aplicação de fitas metálicas ou de náilon-, cola, fitas adesivas e cordas. A escolha de determinado tipo de reforço dependerá de fatores como: distância a que será transportado o pallet; tipo a ser utilizado; método de manuseio e embarque

37 Caixas ou gavetas Materiais de pequenas dimensões Materiais em processamento, semi-acabados ou acabados Podem ser metálicas, de madeira ou plástico Variedade de tamanhos A empresa pode construir ou comprar

38

39

40

41

42 Prateleiras Materiais de tamanho diverso Apoio de gavetas e caixas Madeira ou metal Vários tamanhos e dimensões Os materiais devem ser identificados e visíveis É o meio mais simples e econômico Peças pequenas e leves

43

44

45

46

47 Raques Do inglês rack Peças longas e estreitas Madeira ou aço

48

49

50 Empilhamento Aproveitamento de espaço vertical Caixas ou pallets empilhados Reduz a necessidade de prateleiras

51

52

53

54

55

56

57 Contêiner flexível Saco de tecido resistente e borracha vulcanizada e revestimento interno Estocagem e movimentação de líquidos e sólidos a granel Movimentado por empilhadeira ou guincho

58

59

60

61 Fechamento por grampos – utilizados na montagem e no fechamento de embalagens de madeira, fibra, papelão e até papel. Fechamentos por fitas metálicas (ou cintas metálicas) - são empregadas para reforçar embalagens de madeira ou de papelão. Fechamento por fitas adesivas – classificam-se segundo o material no qual são fabricadas, e tipo de adesivo empregado. Conforme o adesivo, podem ser: Fitas gomadas – utilizam um adesivo ativo por água ou solvente. Fitas sensíveis à pressão – usam um adesivo que se fixa através de pressão, não requerendo umedecimento, calor ou solvente para ativação. Fitas ativadas por calor – empregam calor e pressão para provocar a aderência. Fechamento por costura – é o método mais seguro para fechar sacos de papel e de tecido. A colagem ou grampeação não asseguram a esse tipo de embalagem a hermeticidade requerida. Fechamento de embalagens

62 Prateleira porta-pallets


Carregar ppt "Armazenagem Amortecimento das incertezas quanto à entrada de insumos e saída de produtos acabados. AlmoxarifadoProcesso produtivoDepósito Matérias-primas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google