A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MISSIOLOGIA A Igreja E A Missão 1ª Parte QUARTA AULA Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB1 TEOLOGIA SISTEMÁTICA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MISSIOLOGIA A Igreja E A Missão 1ª Parte QUARTA AULA Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB1 TEOLOGIA SISTEMÁTICA."— Transcrição da apresentação:

1 MISSIOLOGIA A Igreja E A Missão 1ª Parte QUARTA AULA Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB1 TEOLOGIA SISTEMÁTICA IV

2 Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB2 O SIGNIFICADO DE MISSÕES "Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra." - Atos 1:8 Jerusalém Judéia e Samaria Este texto de Atos 1:8 trata de missões urbanas ( Jerusalém ), missões nacionais (Judéia e Samaria) e missões estrangeiras ou transculturais ( até aos confins da terra ).

3 INTRODUÇÃO Um outro aspecto da vida eclesiástica tem a ver com o processo de urbanização do mundo, uma realidade desafiadora que exige pronta e contínua resposta da igreja como agente do Reino de Deus na Terra sobre a obra de missões. O fluxo migratório constante dos países pobres para os países mais desenvolvidos e do interior para os grandes centros, em busca de melhores oportunidades, aliado a outros fatores da vida pós- moderna, indica com segurança que nos próximos anos a maior parte da população do planeta estará vivendo nas grandes cidades, transformadas em metrópoles e megalópoles. Um outro aspecto da vida eclesiástica tem a ver com o processo de urbanização do mundo, uma realidade desafiadora que exige pronta e contínua resposta da igreja como agente do Reino de Deus na Terra sobre a obra de missões. O fluxo migratório constante dos países pobres para os países mais desenvolvidos e do interior para os grandes centros, em busca de melhores oportunidades, aliado a outros fatores da vida pós- moderna, indica com segurança que nos próximos anos a maior parte da população do planeta estará vivendo nas grandes cidades, transformadas em metrópoles e megalópoles. 3

4 A Estratégia Urbana De Paulo Paulo procurava os grandes centros para depois irradiar-se para regiões adjacentes. Selêucia Chipre.5 Salamina Pafos PergePanfília PergeAntioquia da Pisídia “At 13:4 E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.5 E, chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus; e tinham também a João como cooperador. 6 E, havendo atravessado a ilha até Pafos, acharam um certo judeu, mágico, falso profeta, chamado Barjesus, 13 E, partindo de Pafos, Paulo e os que estavam com ele chegaram a Perge, da Panfília. Mas João, apartando-se deles, voltou para Jerusalém. 14 E eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia da Pisídia e, entrando na sinagoga, num dia de sábado, assentaram- se.” Paulo procurava os grandes centros para depois irradiar-se para regiões adjacentes. Selêucia Chipre.5 Salamina Pafos PergePanfília PergeAntioquia da Pisídia “At 13:4 E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.5 E, chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus; e tinham também a João como cooperador. 6 E, havendo atravessado a ilha até Pafos, acharam um certo judeu, mágico, falso profeta, chamado Barjesus, 13 E, partindo de Pafos, Paulo e os que estavam com ele chegaram a Perge, da Panfília. Mas João, apartando-se deles, voltou para Jerusalém. 14 E eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia da Pisídia e, entrando na sinagoga, num dia de sábado, assentaram- se.” Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB4

5 Procurava Os Grandes Centros 5 Primeira Viagem Missionária de Paulo

6 A Estratégia Urbana De Paulo Obediente ao plano de universalizar o evangelho, o apostolo usou a mesma estratégia quando transpôs os limites da Ásia e alcançou as fronteiras europeias através da Macedônia, atual norte da Grécia. Trôade Samotrácia NeápolisFilipos Macedônia At 16:11 E, navegando de Trôade, fomos correndo em caminho direito para a Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis; 12 e dali, para Filipos, que é a primeira cidade desta parte da Macedônia e é uma colônia; e estivemos alguns dias nesta cidade. Obediente ao plano de universalizar o evangelho, o apostolo usou a mesma estratégia quando transpôs os limites da Ásia e alcançou as fronteiras europeias através da Macedônia, atual norte da Grécia. Trôade Samotrácia NeápolisFilipos Macedônia At 16:11 E, navegando de Trôade, fomos correndo em caminho direito para a Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis; 12 e dali, para Filipos, que é a primeira cidade desta parte da Macedônia e é uma colônia; e estivemos alguns dias nesta cidade. 6

7 A Estratégia Urbana De Paulo Filipos Tessalônica BeréiaAtenas centro dos grandes conhecimentos filosóficosCorinto Acaiasul da Grécia Filipos foi a primeira cidade aonde chegou. Dali, partiu imediatamente para Tessalônica, a capital da província (At 17.1), para depois, passando por Beréia, alcançar Atenas (At 17.15), centro dos grandes conhecimentos filosóficos, de onde seguiu até Corinto, capital da Acaia, atual sul da Grécia. Em todos estes casos, os grandes centros, como Tessalônica, Acaia e Corinto, foram os locais estratégicos onde o evangelho começou a ser anunciado. Filipos Tessalônica BeréiaAtenas centro dos grandes conhecimentos filosóficosCorinto Acaiasul da Grécia Filipos foi a primeira cidade aonde chegou. Dali, partiu imediatamente para Tessalônica, a capital da província (At 17.1), para depois, passando por Beréia, alcançar Atenas (At 17.15), centro dos grandes conhecimentos filosóficos, de onde seguiu até Corinto, capital da Acaia, atual sul da Grécia. Em todos estes casos, os grandes centros, como Tessalônica, Acaia e Corinto, foram os locais estratégicos onde o evangelho começou a ser anunciado. 7

8 Irradiando a Partir Dos Grandes Centros 8

9 O Desafio Moderno Da Urbanização O inchamento das grandes cidades, como é o caso do Rio de Janeiro, São Paulo, Cidade do México, Tóquio e outras do mesmo porte, geram desafios que devem ser encarados com tenacidade. – A diversificação cultural – A diversificação cultural; – A Falta de oportunidades sociais – A Falta de oportunidades sociais; (a distância entre o pobre e o rico) – O Materialismo – O Materialismo, (aliena o rico e o pobre) – As novas tendências sociais – As novas tendências sociais; Divórcio, conceito de família; aborto; fornicação. – O avanço das seitas – O avanço das seitas; – A crescente solidão humana – A crescente solidão humana. O inchamento das grandes cidades, como é o caso do Rio de Janeiro, São Paulo, Cidade do México, Tóquio e outras do mesmo porte, geram desafios que devem ser encarados com tenacidade. – A diversificação cultural – A diversificação cultural; – A Falta de oportunidades sociais – A Falta de oportunidades sociais; (a distância entre o pobre e o rico) – O Materialismo – O Materialismo, (aliena o rico e o pobre) – As novas tendências sociais – As novas tendências sociais; Divórcio, conceito de família; aborto; fornicação. – O avanço das seitas – O avanço das seitas; – A crescente solidão humana – A crescente solidão humana. 9

10 As Estratégias Da Igreja Para o Mundo Urbano A igreja consciente de suas responsabilidades e capacitada pelo poder do Espírito Santo há de estar pronta para ser obediente à visão de Deus e transpor todas as barreiras para ser relevante com a mensagem do Evangelho. Como Paulo a igreja não pode fugir ao chamado divino: – At 26:19 Pelo que, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial. Por outro lado somente a igreja que dispor de visão multiministerial, terá condições de estar presente em todas as circunstâncias que demandam sua ação na vida urbana. 10

11 Visão Multiministerial diversidade “(visão que envolve todos os membros)” Visão multiministerial significa diversidade de ministérios atuantes na igreja local para alcançar todos os segmentos sociais, “(visão que envolve todos os membros)” Das crianças aos mais idosos, todos precisam estar mobilizados em todas as frentes, para se alcançar: – Menores Carentes, Dependentes Químicos, Prostitutas, Terceira idade, Empresários, Profissionais liberais, etc. – a fim de que se cumpra através da igreja o ministério da reconciliação (II Co 5.18 “...o ministério da reconciliação”) missões transculturais Assim como Paulo buscou um lugar para a oração antes de enfrentar a batalha, a igreja só terá êxito em sua missiologia urbana batalhando em oração para conquistar as cidades para Cristo. Esta é, também, uma igreja preparada para o desafio das missões transculturais. 11

12 A Igreja E As Missões Transculturais Apocalipse Apocalipse (juízos que serão executados sobre o mundo no final dos tempos.) Apocalipse Apocalipse É também o testemunho de que o plano de Deus através dos séculos, que incluiu o projeto chamado igreja, terá seu cumprimento final mediante a proclamação do evangelho por ela até os confins da Terra. Missões transculturais Não há como pensar a existência da igreja sem que a missão da evangelização mundial esteja agregada Missões transculturais, portanto, não é uma teoria, mas um sério compromisso bíblico do povo de Deus com a sua obra. Não há como pensar a existência da igreja sem que a missão da evangelização mundial esteja agregada, pois aqui esta a razão para que ela tenha sido projetada na mente de Deus e tornada realidade entre os homens. Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB12

13 Visão Que Revela A Universalização Do Evangelho ide eu estou convosco todos os dias Mt 28:19 “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!” “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” Mc 16:15 “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” ide eu estou convosco todos os dias Mt 28:19 “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!” “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” Mc 16:15 “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB13

14 Esta Fundamentada no Sangue Do Cordeiro Essa universalidade se fundamenta na morte do Cordeiro (Jo 1.29; cf. Is 53.7) É o único considerado digno desatar É o único considerado digno e, portanto, perfeitamente legitimado para desatar os selos do livro e executar os juízos sobre a Terra. Por que tem ele autoridade para fazê-lo? Por que tem ele autoridade para fazê-lo? Por causa da justiça de Deus revelada em sua morte para redimir o pecador, antes de julgá-lo. negligência das igrejas, os povos não ouçam a voz de Deus Assim sendo, não é justo que, pela negligência das igrejas, os povos não ouçam a voz de Deus e sejam apanhados pelo seu juízo. O Cordeiro cumpriu a sua parte e venceu (Ap 5.5). Essa universalidade se fundamenta na morte do Cordeiro (Jo 1.29; cf. Is 53.7) É o único considerado digno desatar É o único considerado digno e, portanto, perfeitamente legitimado para desatar os selos do livro e executar os juízos sobre a Terra. Por que tem ele autoridade para fazê-lo? Por que tem ele autoridade para fazê-lo? Por causa da justiça de Deus revelada em sua morte para redimir o pecador, antes de julgá-lo. negligência das igrejas, os povos não ouçam a voz de Deus Assim sendo, não é justo que, pela negligência das igrejas, os povos não ouçam a voz de Deus e sejam apanhados pelo seu juízo. O Cordeiro cumpriu a sua parte e venceu (Ap 5.5). 14

15 Igreja A Visão Do Papel Transcultural Da Igreja A Bíblia é enfática neste assunto: – At 1:8 “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” – Ap 5:9 “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;” 15

16 11.2.a – O Significado De “Povos” ’nação ethnos Para tornar ainda mais séria e responsabilidade, o termo ‘’nação’’, que aparece em Apocalipse 5.9 e também em Mat 28.19, vem do grego “ethnos”, cujo sentido é diferente da ideia geopolítica de países como são atualmente constituídos. Aqui significa povos na sua essência étnica, envolvendo cultura, dialeto, tradições, modus vivendi, visão de mundo e outras particularidade. doze mil povos Sob esse ponto de vista, há pelos menos doze mil povos espalhados no mundo, e todos, sem exceção, estão incluídos no plano da redenção. Não basta olhar os países, que somam hoje aproximadamente 240, mas cada ‘’tribo, e língua, e raça, e nação’’. Esta é a forma pela qual Deus vê o mundo. ’nação ethnos Para tornar ainda mais séria e responsabilidade, o termo ‘’nação’’, que aparece em Apocalipse 5.9 e também em Mat 28.19, vem do grego “ethnos”, cujo sentido é diferente da ideia geopolítica de países como são atualmente constituídos. Aqui significa povos na sua essência étnica, envolvendo cultura, dialeto, tradições, modus vivendi, visão de mundo e outras particularidade. doze mil povos Sob esse ponto de vista, há pelos menos doze mil povos espalhados no mundo, e todos, sem exceção, estão incluídos no plano da redenção. Não basta olhar os países, que somam hoje aproximadamente 240, mas cada ‘’tribo, e língua, e raça, e nação’’. Esta é a forma pela qual Deus vê o mundo. 16

17 O Significado De “Transculturação” A transculturação, neste caso, significa encontrar em cada cultura os instrumentos adequados para proclamar de forma clara, aceitável e consciente a mensagem do evangelho. Há na Bíblia elementos da cultura judaica que não foram transplantados para o Cristianismo (At 15:28,29). nação” país” O preparo do missionário, de igual modo, implica em ele saber que não lhe cabe transplantar na “nação” onde exercerá o seu ministério elementos da cultura de seu “país” de origem que só ali fazem sentido. A transculturação, neste caso, significa encontrar em cada cultura os instrumentos adequados para proclamar de forma clara, aceitável e consciente a mensagem do evangelho. Há na Bíblia elementos da cultura judaica que não foram transplantados para o Cristianismo (At 15:28,29). nação” país” O preparo do missionário, de igual modo, implica em ele saber que não lhe cabe transplantar na “nação” onde exercerá o seu ministério elementos da cultura de seu “país” de origem que só ali fazem sentido. 17

18 18 1 CORINTHIANS 13 Eu poderia ser o mestre dos idiomas deste mundo e do outro, mas se eu não viver minha vida pelas pessoas, então eu seria como um sino que faz barulho mas fica só nisso. Mesmo que eu tivesse a capacidade de trazer ao conhecimento das pessoas os mistérios de Deus, e ainda que minha fé fosse a maior possível, de maneira que eu pudesse transportar montanhas só com uma ordem, se eu não der minha vida pelas pessoas, então eu não valeria nada. Mesmo que eu fosse o Bill Gates e saísse distribuindo todo meu dinheiro aos pobres, ou se eu oferecesse meu próprio corpo pra ser queimado, se eu não estiver disposto a viver pelas pessoas, então tudo isso seria inútil. Este amor que é dar de si mesmo sofre o que for necessário. Ele sempre luta pelo bem. Não é movido por sentimentos de inveja, não é insensato e não conta vantagem na frente dos outros. Este amor que é dar de si mesmo sempre busca o que é decente, não busca seus próprios interesses, não se irrita, não pensa o mal a respeito dos outros, não concorda com a injustiça, mas luta pela verdade. Tudo está disposto a sofrer, crê em todas as promessas, espera o tempo que for necessário, suportando todas as dificuldades. Este amor nunca falha. Mas os poderes e dons que supervalorizamos passarão. Porque hoje nós conhecemos algumas coisas, mas pra várias outras precisamos profetizar (ou seja, trazer pela fé as verdades de Deus à realidade). Mas quando chegar o que é perfeito, aí tudo que é meia-boca vai ser destruído.

19 19 JOÃO 3 Numa noite, na espreita, um entendido de teologia (Nicodemos) que era conhecido na parada como o “cara” do conhecimento de Antigo Testamento foi fazer uma visita pra Jesus. Ele disse: “Aí Nazareno, tô manjando a sua, segundo os meu entendimento o Senhor foi enviado pelo Pai para ensinar a galera e o que prova são os seus milagres”. Jesus pôs as mãos no ombro do maluco e disse: “Véi, olha só, na boa. Você té que tentou, mas na boa, na boa mesmo, não tem como dizer quem eu sou por diploma. Tem que experimentar. Não é só no blábláblá de teologia... é experiência véi... e bagulho é muito maluco... você tem que tipo começar do zero, nascer de novo, tá entendendo ou quer que eu desenhe?” Aí respondeu Nicodemos: “Ah, nem vem ô de Nazaré, pega leve, como é que é esse lance de nascer de novo, zerar o processo? Tá maluco? O que colocaram na sua taça de vinho? Orégano? Para né?!!” Jesus abaixando a cabeça e olhando nos olhos do maluco disse: “ah, vou ter que desenhar né?! Não caiu a ficha ainda né não Nico? E você ainda vem aí pagando de dotô em teologia... o que tenho para dizer, presta atenção, porque vou dizer uma vez só... se você não crer, créu! Sacou? Não é teologia que vai te salvar doido, é a fé. Tem que crê. Tá ligado? A parada é sobre natural! “. E continuou a bater a real para o Nicodemos: “O que vai acontecer com você é de dentro para fora, é muito maluco, muito doido, rapaaaaaaiz, cê não tem ideia do quanto essa parada é siniiiiiiistra... o Espírito Santo, meu chapa, anda por aí sem dizer para onde vai e nem de onde vem. É livre não tá amarrado numa teologia fechadinha que você aprendeu, saca?!”.

20 A Igreja E O Denominacionalismo Qual o verdadeiro lugar das denominações no processo histórico da igreja? Como compreender o seu papel à luz das Escrituras? Mais do que em qualquer outra época, é necessário desenvolver uma visão clara a respeito, tendo em vista duas razões, entre outras: 1.O surgimento continuando e crescente de novos ramos denominacionais. 2.A necessidade de os crentes, principalmente os novos na fé, saberem como comportar-se nesse contexto nem sempre preciso de tantas ramificações evangélicas 2.A necessidade de os crentes, principalmente os novos na fé, saberem como comportar-se nesse contexto nem sempre preciso de tantas ramificações evangélicas. caráter secundário Todavia, reconhecer o caráter secundário das denominações é fator determinante para que não se enfraqueça, jamais, a doutrina bíblica da igreja como corpo de Cristo. Qual o verdadeiro lugar das denominações no processo histórico da igreja? Como compreender o seu papel à luz das Escrituras? Mais do que em qualquer outra época, é necessário desenvolver uma visão clara a respeito, tendo em vista duas razões, entre outras: 1.O surgimento continuando e crescente de novos ramos denominacionais. 2.A necessidade de os crentes, principalmente os novos na fé, saberem como comportar-se nesse contexto nem sempre preciso de tantas ramificações evangélicas 2.A necessidade de os crentes, principalmente os novos na fé, saberem como comportar-se nesse contexto nem sempre preciso de tantas ramificações evangélicas. caráter secundário Todavia, reconhecer o caráter secundário das denominações é fator determinante para que não se enfraqueça, jamais, a doutrina bíblica da igreja como corpo de Cristo. 20

21 A Doutrina Da Igreja No Novo Testamento O NT em seu ensino acerca da estrutura da igreja encerra basicamente duas verdades. – Seu caráter universal: Ef 2:19 “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e da família de Deus;” igreja – Seu caráter local: At 15:4 “Quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles.” Ao se referir á igreja local, o livro de Atos, padrão da igreja do NT, usa em quase todas as referências o designativo “igreja” para identificá-la (At 9.31; 11.22; 12.1; 12.5). 21

22 Razões Para A Existência Das Denominações A primeira razão é de fundo histórico. A primeira razão é de fundo histórico. Na idade média quando a igreja havia de todo se desviado de seus propósitos, começaram a surgir indivíduos e movimentos em seu meio pregando o retorno ao modelo primitivo. A outra razão é de natureza doutrinária A outra razão é de natureza doutrinária; enquanto uma pratica ensinos extremados de um lado, outras há que excedem de outro. Junte-se a isto a falta de amor, o orgulho, e o egocentrismo. 22

23 Razões Para A Existência Das Denominações CNPJ Há que se considerar também a necessidade legal, que determina o registro no CNPJ e nome próprio, gerando assim a obrigatoriedade de uma razão social que a identifique diante da sociedade. torna o homem indesculpável Por último, o denominacionalismo pode ser compreendido como parte da vontade permissiva de Deus. A diversidade de igrejas, que tem como fundamento a doutrina apostólica, torna o homem indesculpável, ao usar como justificativa para não aceitar a fé a possibilidade de não ter encontrado um lugar onde possa sentir-se bem. sem prejuízo dos fundamentos da fé No atual universo em que há não só diferentes modelos administrativos, mas também formas distintas de liturgias, sem prejuízo dos fundamentos da fé, essa desculpa jamais terá sentido. 23

24 Como Lidar Com A Existência Das Denominações unidade fraterna 1.Buscar a unidade fraterna e o aperfeiçoamento espiritual dos santos e dever de todos. 2.A unidade é orgânica, espiritualmente falando, mas não precisa ser necessariamente organizacional. 3.Não se pode, em nome da unidade, abrir mão dos princípios absolutos e inegociáveis da Palavra de Deus. Se os fundamentos são outros, não há também comunhão (I Co 3.11; cf. Gl 1.8). 4.E necessário, ainda, que se busque um relacionamento de respeito mútuo. Não usar termos jocosos ridicularizando irmãos que pertençam a outras denominações. 5.Outra boa maneira de mostrar ao mundo a unidade da igreja na diversidade denominacional, sem abrir mão da identidade, e participar de projetos comuns ao povo de Deus. 24

25 A Igreja E O Trabalho Feminino Não obstante os avanços, esse tema ainda gera polêmica em determinadas áreas do movimento evangélico, E compreensível – mas não aceitável – que os condicionamentos culturais da sociedade tenham favorecido posturas discriminatórias contra a participação da mulher nas atividades eclesiásticas. Desde a primeira hora da igreja, entretanto, mesmo durante o ministério terreno de Cristo, as mulheres estiveram presentes com a sua relevante contribuição para a vida comunitária do povo de Deus. Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB25

26 O Resgate Da Mulher No Cristianismo Na verdade, uma das grandes conquistas do cristianismo foi resgatar a posição da mulher e elevá-la a sua verdadeira condição diante de Deus. Vê-se tal propósito, por exemplo, na própria linhagem de Cristo (Mt 1.3,5,6,16). Mateus da destaque a cinco mulheres – Tamar, Raabe, Rute, Bate-Seba e Maria –, das quais apenas sobre Rute e Maria não pesava nenhum deslize moral. Esses registros encerram algumas razoes: – Deus não oculta as transgressões dos personagens bíblicos; – Elas se arrependeram de suas falhas e mudaram de atitude; – O aparecimento de seus nomes na genealogia de Cristo, como exceção a regra, em nada diminui o Salvador; antes, exalta a sua encarnação como nosso compassivo e gracioso Redentor e dignifica a mulher como parte da linhagem que suscitou o Redentor da decaída raça humana. 26

27 O Resgate Da Mulher No Cristianismo Esse enfoque enaltecedor do papel da mulher é visto, também, no ministério de Jesus. Além dos doze discípulos, aparecem diversas mulheres que o seguem por onde quer que ele passe (Lc 8.1-3). Algumas são citadas ate pelo nome – Maria Madalena, Joana e Suzana – não só acompanham, mas contribuem. Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB27

28 A Posição Da Mulher Na Igreja Primitiva No pentecostes ela estão juntas, com os discípulos (At 1.14). Subentende-se que elas viram a ascensão do Senhor, participaram da assembleia que escolheu o sucessor de Judas e estavam presentes no dia em que o Espírito desceu sobre a igreja. Se foi assim desde o principio, por que negar-lhes, hoje, oportunidade de serem usadas pelo Senhor no papel que lhes couber dentro do Reino de Deus e segundo a vontade soberana dele? Não se trata, aqui, de substituir o homem em sua função dentro da estrutura social, familiar religiosa, e sim permitir que a mulher preste a sua efetiva contribuição, como individuo, na obra de Deus. 28

29 A Posição Da Mulher Na Igreja Primitiva As mulheres se destacam, também, na igreja primitiva, pelo seu envolvimento no serviço de assistência social. – A primeira a ser mencionada é Dorcas (At ); – A segunda esta na Epistola aos Romanos. Trata-se de Febe. Ela é recomendada por Paulo para que seja recebida com a mesma hospitalidade com a qual honrava os servos de Deus (Rm 16.1,2); No grego, o termo empregados para servir é diakonon, que esta em sal forma masculina e sem artigo definido; isso indica a possibilidade e ela ter exercido um trabalho compatível ao dos diáconos. As mulheres se destacam, também, na igreja primitiva, pelo seu envolvimento no serviço de assistência social. – A primeira a ser mencionada é Dorcas (At ); – A segunda esta na Epistola aos Romanos. Trata-se de Febe. Ela é recomendada por Paulo para que seja recebida com a mesma hospitalidade com a qual honrava os servos de Deus (Rm 16.1,2); No grego, o termo empregados para servir é diakonon, que esta em sal forma masculina e sem artigo definido; isso indica a possibilidade e ela ter exercido um trabalho compatível ao dos diáconos. 29

30 A Posição Da Mulher Na Igreja Primitiva Em Romanos 16, quando Paulo menciona uma série de outras mulheres cooperadoras do seu ministério, inicialmente aparece o casal Priscila e Áquila, em cuja casa também se reunia uma igreja (vv. 3.5). Mencionam-se ainda, de forma especifica, Maria, Trifena, Trifosa, Pérside, a mãe de Rufo, Julia, a irmã de Nereu e, por fim, Olimpas. O que as cooperadoras de Paulo faziam o texto não esclareceu, mas é um detalhe de menor importância. O que conta é o reconhecimento pelo trabalho que elas faziam. 30

31 A Importância Do Trabalho Feminino Na Igreja mulheres santas Paulo reivindica o direito, em I Coríntios 9.5, de ter a companhia de mulheres santas em seu ministério apostólico. Em Filipenses 4.2,3, esta implícito que duas de suas cooperadoras, Evódia e Síntique, precisavam ajustar a sua sintonia no seu relacionamento interpessoal. Os que apelam para I Coríntios – ‘’as mulheres estejam caladas nas igrejas’’ – fazem uma exegese errada e isolada do texto, que contraria a atitude do apóstolo em reconhecer a dedicação feminina, bem como conflita com o que ele mesmo havia dito, na própria carta em apreço, afirmado que elas podem orar e profetizar (11.5). Segundo Donald Stamps, na Bíblia de Estudo Pentecostal, o versículo citado deve ser interpretado a luz do seguinte, o 35; ou seja, “a proibição das mulheres interromperem o culto com perguntas que podiam ser feitas em casa”. 31

32 A Importância Do Trabalho Feminino Na Igreja Além das razoes bíblicas já apresentadas, há outras que reforçam a tese em favor do trabalho feminino na igreja. – Foge à lógica pensar que um segmento tão grande, maior do que o dos homens, não tenha nenhuma contribuição a prestar na obra de Deus. – As mulheres tem maior sensibilidade para atuar em áreas nas quais o sexo masculino pouco produz. – Nem sempre os homens se mostram dispostos a agir. Nessas horas, elas se revelam mais corajosa e se constituem em fonte de estimulo na igreja. – Elas são membros do Corpo de Cristo e desfrutam dos mesmos deveres e privilégios de todos os demais membros. – Sem nenhum subterfúgio, quando os homens não querem mesmo fazer, são elas a quem Deus usará para levar adiante o seu propósito. 32

33 13. 3.b –A Importância Do Trabalho Feminino Na Igreja Quando o regime comunista se instalou na China, muitos missionários e pastores foram torturados e mortos. Suas esposas que não se acovardaram, mas deram continuidade ao trabalho de seus maridos. Conduziam a igreja chinesa em vitória pelos caminhos subterrâneos. O cristianismo resgatou a mulher e a elevou a sua verdadeira condição diante de Deus. Na igreja primitiva, elas ocuparam o seu espaço como cooperadoras e tiveram o seu trabalho reconhecido. Cabe a igreja de hoje compreender que a dedicação feminina na obra do Senhor não é menos importante do que o trabalho empreendido pelos homens. Ambos tem o seu espaço no Corpo, segundo a vontade soberana de Deus. Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB33

34 ÍNDICE DA AULA Próxima aula estudaremos: Próxima aula estudaremos: – XIV – A Igreja E A Secularização – XV – A Igreja E O Poder Político – XVI – A Igreja E A Colheita – XVII – A Igreja E O Seu Destino Final Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB34

35 1)2)3)4)5)6) CCCCCC Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB35 Não se esqueçam! Semana que vem, tem prova. Paguem suas mensalidades


Carregar ppt "MISSIOLOGIA A Igreja E A Missão 1ª Parte QUARTA AULA Departamento de Teologia da Assembleia de Deus de Caçapava-SP - Curso Básico CETADEB1 TEOLOGIA SISTEMÁTICA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google