A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Potencial econômico das unidades de conservação na Amazônia brasileira como redutoras de emissões de carbono por desmatamento Julia Queiroz Carlos Eduardo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Potencial econômico das unidades de conservação na Amazônia brasileira como redutoras de emissões de carbono por desmatamento Julia Queiroz Carlos Eduardo."— Transcrição da apresentação:

1 Potencial econômico das unidades de conservação na Amazônia brasileira como redutoras de emissões de carbono por desmatamento Julia Queiroz Carlos Eduardo Young VIII Encontro da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica Cuiabá Agosto de 2009

2 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Contextualização e Justificativa Crescente debate acerca da conservação do meio ambiente e desenvolvimento sustentável O problema: o desmatamento como maior fonte de emissão de GEE do páis Bioma Amazônia  48,1% do território brasileiro Precárias condições de gestão pública UCs  conserva a biodiversidade e impede a queima de matas nativas

3 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Objetivos Geral: buscar uma alternativa de conservação baseado em PSAs, mais especificamente em REDD Específico: estimar o preço do carbono que seria suficiente para compensar o custo de oportunidade da conservação Verificar as relações entre custo de oportunidade e prioridade de ação e importância biológica

4 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Metodologia Revisão bibliográfica sobre Economia do Meio Ambiente, com ênfase em PSAs e estimativas de preço do carbono Preço da terra como uma proxy do custo de oportunidade (dados do ANUALPEC 2006) Cruzamento dos dados das áreas a serem conservadas (MMA 2007) com o ANUALPEC Identificar os níveis de preço da tonelada de carbono que tornariam rentável a preservação da floresta

5 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Hipótese É possível evitar o desmatamento na fronteira agrícola de forma barata e efetiva através de PSAs

6 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Custo de Oportunidade 46 regiões ( km²) para a criação de UC – PI Preço da terra: mata, pastagem e terra agrícola COport.P = 0,2 x AT (ha) x PP + 0,8 x AT (ha) x PMA COport.TA = 0,2 x AT (ha) x PTA + 0,8 x AT (ha) x PMA CE = 0,2 x AT (ha) x 110 (tC/ha) VCE = CE x PC  (1< PC< 30)

7 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Viabilidade da conservação: % do custo de oportunidade da conservação paga pelo carbono evitado (a diferentes preços) VCE. COport = VCE / COport.P VCE. COport = VCE / COport.TA

8 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Curva de Oferta de Carbono – Pastagem

9 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Curva de Oferta de Carbono – Terra Agrícola

10 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 A um preço maior que RS 5,00/tCO2, já é viável conservar quase metade da área em estudo Baixo preço do carbono evitado Benefício social da conservação supera o benefício financeiro do desmatamento Não foi inserido custo de manutenção na estimativa da curva Hipóteses extremamente conservadoras

11 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Custo de Oportunidade e Áreas Prioritárias para a Conservação Áreas Prioritárias para a Conservação, Uso Sustentável e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira: Atualização (2007) Prioridade e Importância Biológica: Alta (A) Muito Alta (MA) Extremamente Alta (EA) Cruzamento com o custo de oportunidade

12 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Prioridade de Ação

13 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Baixo custo para áreas de prioridade “A” Custo mais baixo para áreas “EA” que “MA” Prioridade: áreas de fronteira agrícola, próximas de estradas e margem de rios

14 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Importância Biológica

15 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Baixo custo para áreas de prioridade “A” Importância biológica também em áreas de fronteira agrícola, estradas e rios Análise subjetiva da importância  critérios são influenciados por pressão do desmatamento Alocação de recursos por critérios exclusivamente de custo criaria um viés Relação muito mais complexa

16 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Mapa de Áreas Prioritárias do Bioma Amazônia

17 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Conclusão É possível evitar o desmatamento na fronteira agrícola de forma barata e efetiva através de PSAs Baixo custo de oportunidade da conservação das UC – PI da Amazônia  incentivo a criação de UC de Uso Sustentável Importantes resultados para comparação de custos e foco das futuras ações de conservação

18 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Necessidade de aumento de gastos federais com preservação ambiental e maior empenho na implementação de mecanismos de REDD Mecanismo depende fortemente de um sistema eficiente de fiscalização e monitoramento Necessidade de aprimoramento metodológico e da coleta de dados primários Resultados são robustos o suficiente para mostrar que ações de redução do desmatamento são a opção mais barata para evitar emissões de gases de efeito estufa

19 VIII Encontro da ECOECO – Cuiabá – Agosto de 2009 Obrigada! GEMA – Grupo de Economia do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável IE – UFRJ


Carregar ppt "Potencial econômico das unidades de conservação na Amazônia brasileira como redutoras de emissões de carbono por desmatamento Julia Queiroz Carlos Eduardo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google