A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Erros meus, má fortuna, amor ardente Luís Vaz de Camões Realizado por : - - - Realizado por : - Cheila Mata - Leila Telmo - Lúcia Vieira Luís Tivane.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Erros meus, má fortuna, amor ardente Luís Vaz de Camões Realizado por : - - - Realizado por : - Cheila Mata - Leila Telmo - Lúcia Vieira Luís Tivane."— Transcrição da apresentação:

1

2 Erros meus, má fortuna, amor ardente Luís Vaz de Camões Realizado por : Realizado por : - Cheila Mata - Leila Telmo - Lúcia Vieira Luís Tivane

3 Erros Meus, má fortuna, amor ardente em minha perdição se conjuraram os erros e a fortuna sobejaram, que para mim bastava amor somente. Tudo passei; mas tenho tão presente a grande dor das cousas que passaram, que já as frequências suas me ensinaram a desejos deixar de ser contente. Errei todo meu discurso dos anos; dei causa a que a Fortuna castigasse as minhas mal fundadas esperanças. De Amor não vi senão breves enganos. Oh! Quem tanto pudesse, fartasse este meu duro génio de vinganças!

4 Tema : O tema do soneto é o sofrimento do sujeito poético. Este diz que os seu maiores inimigos na vida foram os erros, a má sorte e o amor e refere que estes 3 elementos foram os culpados da sua vida de sofrimento.

5 O poeta faz uma retro perspetiva à sua vida e verifica que as causas da sua desgraça foram os erros que cometeu, a sua pouca sorte e o amor. Lamentava-se da sua vida desgraçada, que só o faz sofrer e sente-se revoltado pelo facto de ter uma vida tão infeliz mostrando, no fim, um desejo intenso de vingança

6 Sentimentos dominantes : Erros Meus, má fortuna, amor ardente em minha perdição se conjuraram os erros e a fortuna sobejaram, que para mim bastava amor somente. Tudo passei; mas tenho tão presente a grande dor das cousas que passaram, que já as frequências suas me ensinaram a desejos deixar de ser contente. Errei todo meu discurso dos anos; dei causa a que a Fortuna castigasse as minhas mal fundadas esperanças. De Amor não vi senão breves enganos. Oh! Quem tanto pudesse, fartasse este meu duro génio de vinganças! – – – – – – – Verso 1 – Amargura Verso 2 – Perseguição Verso 6 – Dor Verso 7/8 – Irritação Verso 9/10 – Culpa Verso 12 – Frustração Verso 13/14 – Desejo de vingança

7 Estrutura Interna : 1ª PARTE (12 primeiros versos) Na primeira parte do poema, o eu poético confessa que viveu uma vida de sofrimento, provocado pelos erros, pela má sorte e pelo amor e diz ainda que o amor apenas lhe deu “breves enganos”. 2ª PARTE (dois últimos versos) Na segunda parte do poema, ele recorre a uma interjeição (“oh!”) para mostrar a dor que lhe vai no coração e espera que o “génio” que o persegue se farte de o perseguir para ele poder viver em paz.

8 Estrutura Interna : recursos estilísticos Errosmá fortuna perdição dor magoadas iras já nunca ser contente a Fortuna castigasse enganos Oh! Erros Meus, má fortuna, amor ardente em minha perdição se conjuraram os erros e a fortuna sobejaram, que para mim bastava amor somente. Tudo passei; mas tenho tão presente a grande dor das cousas que passaram, que as magoadas iras me ensinaram a não querer já nunca ser contente Errei todo meu discurso dos anos; dei causa a que a Fortuna castigasse as minhas mal fundadas esperanças. De Amor não vi senão breves enganos. Oh! Quem tanto pudesse fartasse este meu duro génio de vinganças!  Conotações Negativas  Personificação  Enumeração/Incipit “1º Verso”  Interjeição  Anástrofe  Hipérbole  Hipérbato

9 Análise Formal Quadras Tercetos Este poema é um soneto porque é constituído por 4 estrofes : 2 quadras e 2 tercetos, com 14 versos

10 Análise Formal : tipos de rima ente aram aram ente ente aram aram ente anos asse anças anos asse anças Erros Meus, má fortuna, amor ardente em minha perdição se conjuraram os erros e a fortuna sobejaram, que para mim bastava amor somente. Tudo passei; mas tenho tão presente a grande dor das cousas que passaram, que as magoadas iras me ensinaram a não querer já nunca ser contente Errei todo meu discurso dos anos; dei causa a que a Fortuna castigasse as minhas mal fundadas esperanças. De Amor não vi senão breves enganos. Oh! Quem tanto pudesse fartasse este meu duro génio de vinganças! ABBAABBACDECDEABBAABBACDECDE interpolada emparelhada ABBA interpolada CDECDE A rima é interpolada e emparelhada nas quadras como se pode verificar no esquema rimático ABBA. Nos tercetos a rima é interpolada como podem ver no esquema rimático CDECDE.

11 Sílabas Métricas : Er/ros/ Meus, / má /for/tu/na, a/mor/ar/den/te em/ mi/nha/ per/di/ção/ se /con/ju/ra/ram os erros e a fortuna sobejaram, que para mim bastava amor somente.


Carregar ppt "Erros meus, má fortuna, amor ardente Luís Vaz de Camões Realizado por : - - - Realizado por : - Cheila Mata - Leila Telmo - Lúcia Vieira Luís Tivane."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google