A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Coordenadoria de Acervo Especial. Missão A Coordenadoria de Acervo Especial (CAE), do Centro de Referência e Difusão da Fundação Biblioteca Nacional,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Coordenadoria de Acervo Especial. Missão A Coordenadoria de Acervo Especial (CAE), do Centro de Referência e Difusão da Fundação Biblioteca Nacional,"— Transcrição da apresentação:

1 Coordenadoria de Acervo Especial

2 Missão A Coordenadoria de Acervo Especial (CAE), do Centro de Referência e Difusão da Fundação Biblioteca Nacional, tem como competências: opinar sobre a aquisição de acervos que correspondam à linha de acervo especial da Biblioteca Nacional; coordenar e supervisionar as atividades de atendimento ao usuário e manutenção do acervo bibliográfico e documental de referência especial; planejar e supervisionar as atividades de processamento técnico do acervo especial (livros raros, manuscritos, gravuras, desenhos, fotografias, impressos efêmeros, mapas, partituras e registros de arquivo sonoro); orientar e supervisionar a produção de textos, exposições, cursos e palestras que sirvam de suporte às atividades de pesquisa e divulgação; planejar atividades de cooperação técnica interinstitucional com vistas à divulgação do acervo especial e acompanhar as atividades desenvolvidas pelo Plano Nacional de Recuperação de Acervo Raro.

3 Organograma CAE Planor ManuscritosMúsicaIconografiaLivros RarosCartografia Rosângela von Helde Maria Dulce de Faria Léia Pereira da Cruz Ana Virgínia PinheiroVera Faillace Ana Virgínia Pinheiro

4 Atendimento ao usuário As áreas de acervos especiais funcionam para atendimento ao público de segunda a sexta-feira, de 10 às 16 h. Estão encarregados do atendimento profissionais do quadro efetivo e terceirizados, que se responsabilizam pela movimentação do acervo consultado Em 2007, as áreas de acervos especiais atenderam cerca de pesquisadores, que consultaram itens do acervo

5 Acervo consultado

6 Processamento Técnico As áreas subordinadas às Coordenadorias de Acervo Especial, além de atenderem ao usuário local, também processam o acervo sob sua guarda. Assim, todo o processamento técnico de manuscritos, livros raros, periódicos raros, iconografia, cartografia e música é realizado pela equipe técnica da CAE. O processamento técnico inclui o tratamento técnico e a automação do acervo.

7 Documentos especiais e fascículos de periódicos processados em 2007

8 Processamento Técnico Projetos especiais executados em parceria com entidades públicas e privadas: Coleção José Olympio: Coleção José Olympio: doada à BN, reúne documentação relativa às atividades fim e meio da empresa, como documentos administrativos da editora e suas filiais; recortes de jornais sobre a editora; correspondência sobre o envio e devolução de originais; capas, fotolitos, provas de livros, biografia de autores, bibliografias, fotos de lançamento de livros, sessões de autógrafos; fotografias utilizadas nas publicações; desenhos e reproduções de ilustrações utilizadas nas publicações.

9 Processamento Técnico Alguns projetos de tratamento técnico do acervo especial: Profoto Preservação e Conservação do Acervo Fotográfico - Profoto Consolidação das bases de obras raras Relevância e eficácia dos catálogos de obras raras Organização e descrição do acervo manuscrito, onde se produziu instrumentos de pesquisa para os seguintes fundos/coleções: Alexandre Rodrigues Ferreira, Di Cavalcanti, Ernesto Sena, Mario Barreto, Literatura, Tobias Monteiro, Gustavo Corção, Manuscritos Avulsos, Melo Franco, Figueira de Melo, Flávio Rangel, Galvão. Inventário: Inventário: o somatório de itens inventariados até outubro de 2008 é de Em 2007 inventariamos itens.

10 Inventário Após a greve de 2005, que paralisou as instituições do Ministério da Cultura por três meses, verificou-se a ausência de numerosas peças do acervo. Estes acontecimentos trouxeram à baila a questão da segurança, não só em termos de vigilância, mas também quanto às condições de controle e conhecimento do acervo. Por determinação dos órgãos de fiscalização e controle e por iniciativa dos próprios técnicos, que ansiavam por controlar melhor o acervo sob sua guarda, foi iniciado, no âmbito da CAE, o inventário dos acervos de iconografia e de música. Em 2007, com o patrocínio da Petrobrás, negociado pela Secretaria- Executiva do MinC, o processo de inventário se estendeu aos demais acervos.

11 Automação A automação do acervo consiste na alimentação de bases de dados específicas para cada tipologia documental: manuscritos, material visual, mapas, obras raras, periódicos raros, discos, partituras, monografias e periódicos.

12 Planor O Plano Nacional de Recuperação de Obras Raras – PLANOR - foi criado em 1983, pela portaria nº19 da Secretaria da Cultura do então Ministério da Educação e Cultura. Até 1990 esteve subordinado ao Departamento de Processos Técnicos, depois foi transferido para o Departamento de Referência e Difusão sob a subordinação da Divisão de Obras Raras. A partir de 2004, com a nova estrutura organizacional da FBN, o PLANOR passou a ter gerência própria, estando subordinado à Coordenadoria de Acervo Especial – CAE – do Centro de Referência e Difusão. Com a realização de concurso público e o incentivo da direção da Biblioteca Nacional, o PLANOR conta hoje com um quadro de pessoal que possibilita o desenvolvimento de sua missão estatuária

13 Planor Atividades desenvolvidas a partir de 2006: Lançamento do Boletim Informativo do PLANOR em formato digital e de página específica no portal da Biblioteca Nacional. Reestruturação do Catálogo Coletivo do Patrimônio Bibliográfico Nacional. Reestruturação do Catálogo Novum Regestrum, de ABINIA, coordenado pela BN da Espanha, onde o PLANOR contribui com informações bibliográficas do acervo raro da BN Brasil Estudos para implementação do Catálogo Coletivo Instrumenta Musicae, coordenado pela Biblioteca Nacional da Espanha e patrocinado pela ABINIA (Associação de Bibliotecas Nacionais Ibero-americanas)

14 Planor Eventos realizados: Palestra sobre Política de Segurança – 20/04/2006. Mesa redonda sobre Salvaguarda de Acervos Raros - 14 jun VII Encontro Nacional do Acervo Raro – 21 e 22 nov

15 Divulgação e Eventos CAE A CAE, além das atividades de atendimento ao público e de guarda, manutenção e processamento do acervo, organiza mostras internas de documentos e participa de exposições internas e externas integradas pelo acervo da Biblioteca Nacional. Mostras realizadas na sala de Manuscritos A Cidade e o Príncipe - a Corte chega ao Rio de Janeiro – janeiro/08 ; 200 Anos da Carta de Abertura dos Portos – março/08 ; D. João e Bonaparte - junho/08; O Botânico Freire Alemão - agosto/08; Uma Bula do Séc. XVII - outubro/08. Mostras realizadas na sala de Obras Raras Argel, Argélia: o lugar da lua e da estrela – jul. a dez Ao pio leitor... o pecado: Os sete pecados capitais – 18 dez a 24 de junho de Obras Raras e Homoerotismo: tesouros bibliográficos sobre o prazer entre iguais. De 07 de julho a 22 de agosto de 2008.

16 Divulgação e Eventos Exposições externas integradas pelo acervo da Biblioteca Nacional: Laços do Olhar (Instituto Tomie Ohtake – São Paulo) : 20 de maio a 10 de agosto de 2008; A Arte nos Mapas: uma viagem pelos quatro cantos do mundo. (Casa Fiat de Cultura – Nova Lima, MG) : de 20 de agosto a 5 de outubro de 2008; O Gabinete de Curiosidade de Domenico Vandelli (Museu do Meio Ambiente no Jardim Botânico - Rio de Janeiro) : de 12 de junho a 6 de outubro de 2008; LUSA – A Matriz Portuguesa (Centro Cultural do Banco do Brasil – Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo) : de setembro de 2007 a 7 de setembro de 2008

17 Outras ações Documental A CAE realiza suas atividades voltada para a melhoria dos serviços de atendimento ao público, fazendo parte da Comissão de Reprodução Documental, onde foram atualizadas as normas e os procedimentos para a reprodução do acervo da FBN. Planeja e desenvolve atividades de cooperação técnica com instituições nacionais e internacionais com vistas à divulgação do acervo especial, estabelece o intercâmbio de informações para a área de preservação documental e o desenvolvimento de projetos conjuntos com as Bibliotecas Nacionais Ibero-americanas. Em julho de 2008 organizou a reunião do Conselho de Diretores da ABINIA (Associação de Bibliotecas Nacionais Ibero-americanas) sediada na FBN. Participou através da representação da DIMAS (Divisão de Música e Arquivo Sonoro) em outubro deste ano, do curso de catalogação de partituras para implementação do Catálogo Coletivo Instrumenta Musicae, coordenado pela Biblioteca Nacional da Espanha e organizado pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) em San José, Costa Rica.

18 Outras ações Apresentação e aprovação de novos projetos Apresentação, discussão e aprovação da programação orçamentária para Ainda em 2008 a Coordenadoria de Acervo Especial representará a Fundação Biblioteca Nacional na XIX Assembléia Geral de ABINIA e atividades conexas, que se realizará em Caracas/Venezuela, onde realizaremos as seguintes atividades:

19 Outras ações Projetos aprovados para o Brasil em 2008: Versão em português do Portal ABINIA (Associação de Bibliotecas Nacionais Ibero-americanas) Projeto de Capacitação de profissionais ibero-americanos na BN Brasil Programa de treinamento na BN do Brasil, financiado pela ABINIA, e realizado durante quinze dias úteis, pela Coordenadoria de Preservação. Os dois profissionais contemplados este ano vieram da Bolívia e Equador. Este projeto é viabilizado pelo CPT/ Coordenadoria de Preservação. Criação da sala de conservação da Divisão de Música e Arquivo Sonoro.

20 Coordenadora de Acervo Especial Rose Mary Amorim Coordenadora de Acervo Especial End Tel End.: Av. Rio Branco, 219 / 2º andar Tel. :


Carregar ppt "Coordenadoria de Acervo Especial. Missão A Coordenadoria de Acervo Especial (CAE), do Centro de Referência e Difusão da Fundação Biblioteca Nacional,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google