A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA NO LAPREN Jocelyne da Cunha Bocchese.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA NO LAPREN Jocelyne da Cunha Bocchese."— Transcrição da apresentação:

1 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA NO LAPREN Jocelyne da Cunha Bocchese Valéria Pinheiro Raymundo

2 Laboratório de Aprendizagem - LAPREN Contexto: O LAPREN surgiu da necessidade de minimizar as desigualdades de aprendizagem e garantir o acesso dos estudantes ao ensino superior, oferecendo-lhes condições para viabilizar a conclusão dos cursos escolhidos e possibilitar o ingresso no mundo do trabalho.

3 Laboratório de Aprendizagem - LAPREN Proposta: No laboratório, o aluno tem oportunidade de ampliar sua aprendizagem por meio de materiais didáticos – objetos de aprendizagem – disponíveis em meio digital, com o acompanhamento de bolsistas e de professores da graduação, especialmente nas áreas de Língua Portuguesa e de Matemática.

4 Laboratório de Aprendizagem - LAPREN Objetivos: Auxiliar o aluno na superação de dificuldades de aprendizagem, principalmente nas áreas de Língua Portuguesa e de Matemática Capacitar os licenciandos para a futura prática docente Promover a realização de pesquisas relacionadas à produção de materiais didáticos

5 Objetos de aprendizagem São materiais educacionais disponíveis em meio digital que permitem a interação do aluno com conteúdos específicos. Cada objeto é acompanhado de exercícios autoexplicativos, com diferentes graus de dificuldade, para que o aluno possa monitorar seu aprendizado.

6 Objetos de aprendizagem de Língua Portuguesa São elaborados a partir de necessidades específicas identificadas nas produções de alunos. Contemplam habilidades de compreensão de textos e de análise linguística. São organizados de modo a promover a reflexão orientada e sistemática sobre aspectos gramaticais, textuais e discursivos.

7 Etapas para a organização do conteúdo dos objetos de aprendizagem do LAPREN Motivação: apresentação de uma situação comunicativa em que o uso da estrutura a ser estudada se faça necessário, seja significativo e constitua um problema. Estudo orientado: construção do conceito ou da regra a partir da observação de situações de uso, por meio de perguntas condutoras e de explicações apresentadas em linguagem clara e concisa. Estudo prático: exercícios – no mínimo dois, em ordem crescente de dificuldade – antecedidos de uma instrução clara, com as respostas e as explicações correspondentes. Fechamento: fixação da regra e reflexão sobre a convenção estudada.

8 Etapas e níveis de consciência Motivação Atenção Estudo orientadoPercepção Estudo prático Observação Fechamento Compreensão

9 Objetos de aprendizagem de língua portuguesa de Compreensão Leitora Compreensão leitora: desenvolvimento do tema Progressão do eixo temático Referenciação Campos semânticos https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /160 Compreensão leitora: relações textuais Conjunção Elipse Superordenados Substituição Repetição https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /192 Compreensão leitora: coerência textual Coerência e realidade Coerência interna https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /183

10 Objetos de aprendizagem de língua portuguesa de Análise Linguística Fala e escrita: como empregar essas duas modalidades corretamente Estudo orientado Prática 1 Prática 2 Prática 3 Prática 4 Prática 5 Fala e escrita: como empregar essas modalidades adequadamente? Crase Afinal o que é crase? Quando há preposição? O artigo também está presente? Acento grave antes de pronomes? Em que outros casos o acento grave é usado? O que você já sabe? https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /205 Homófonas Os porquês Uso do há, a e à Mau X mal https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /170

11 Objetos de aprendizagem de língua portuguesa de Análise Linguística Escrever na universidade Pontuação em citações Títulos, subtítulos e sumário Paráfrase Resumo https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /195 Tecendo textos Módulo 1 Módulo 2 Módulo 3 Módulo 4 Módulo 5 https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /152 https://webapp4.pucrs.br/dspace/ha ndle/ /152 Processos sintáticos Coordenação Frases na gangorra Subordinação O uso do pronome relativo “que” https://webapp4.pucrs.br/dspace/han dle/ /216

12 Etapas para desenvolvimento de objetos de aprendizagem Elaboração pelos professores do storyboard do objeto de aprendizagem Programação usando a linguagem Flash Revisão do objeto pelos professores Ajustes na programação quando necessários Cadastramento do objeto no sistema LAPREN e no repositório Dspace Validação do objeto pelos bolsistas Liberação do objeto para os usuários

13 Objetos de aprendizagem de língua portuguesa 27 objetos acessos (até 28/8/2012)

14

15

16 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul INDÍCIOS DA FALA EM REDAÇÕES DE VESTIBULAR: subsídios para o desenvolvimento de objeto de aprendizagem no LAPREN sobre o emprego do “que” em orações relativas Jocelyne da Cunha Bocchese Valéria Pinheiro Raymundo

17 A fala na escrita O emprego do “que” em orações relativas nas redações de vestibular Proposta de um objeto de aprendizagem para o LAPREN

18 A fala na escrita Característica do português brasileiro: generalização do “que” Duas estratégias principais: oração relativa cortadora e oração relativa copiadora Exemplos: Falei com o político que confio. (cortadora) Falei com o político que confio nele. (copiadora) Castilho, 2002 e 2010

19 O emprego do “que” em relativas nas redações de vestibular Amostra: 50 redações de baixo rendimento Identificação de 29 ocorrências do mau uso do “que”: 13 cortadoras 02 copiadoras 14 outros casos

20 Ocorrência de oração relativa cortadora ( 17) O aprendizado é um dos assuntos que nem todos nós damos a importância e a atenção que devíamos... Versão possível: O aprendizado é um dos assuntos a que nem todos nós damos a importância e a atenção que devíamos...

21 Ocorrência de oração relativa copiadora ( 05) Portanto temos muitos heróis de verdade, cujos esses [heróis] estão ocultos a nossa sociedade. Versão possível: Portanto, temos muitos heróis de verdade, que estão ocultos em nossa sociedade.

22 Ocorrência de outros casos (04b) Os feitos que se destacam, são feitos em que comovem emocionalmente as pessoas... Versão possível: Os feitos que se destacam são feitos que comovem emocionalmente as pessoas...

23 Ocorrência de outros casos (04c )...a sociedade mundial deve se espelhar nessas personalidades em que não são elas apenas que existem e notam que tem um mundo inteiro à sua volta. Versão possível:... pois não são elas apenas... (10a) O policial é uma pessoa de muita coragem, na qual detém conhecimento teórico e prático para o desempenho de sua profissão. Versão possível:...que detém conhecimento...

24 Ocorrência de outros casos (13b)O medo nos fecha muitas portas, que gradativamente percebemos que as dificuldades e temores... Versão possível:...e gradativamente percebemos... (13c) E í nossa história por onde podemos ensinar para os outros.... Versão possível:...que podemos ensinar...

25 * Apud Pécora (1999) Hipóteses sobre a ocorrência de outros casos Estratégia de preenchimento (Lemos*):mobilização de artifícios formais para atender às exigências de uma tarefa que ultrapassam os meios efetivos à disposição do usuário, o qual se esforça para corresponder à imagem erudita que faz da escrita. Despronominalização do “que”(ausência de antecedente), que passa a funcionar apenas como conectivo, com valor semântico-discursivo alterado (explicação, adição, finalidade...).

26 A fala na escrita O processo escolar de aprendizagem muitas vezes promove equivocadamente “uma ruptura entre a escrita e o uso efetivo que o aluno faz da linguagem”, confundido o aprendiz no que diz respeito às condições específicas da produção escrita em relação àquelas da oralidade. Pécora (1999, p.51)

27 O uso do pronome relativo “que” Introdução: Por que falar do “que”? Etapa 1: Que palavra o pronome retoma? Etapa 2: Que orações o pronome relaciona? Etapa 3: Quando o pronome deve vir antecedido de preposição? Chamar a atenção para as diferenças no uso do pronome em situações informais e formais. Explorar o valor anafórico do pronome “que”, com a identificação do antecedente em textos. Explorar o valor coesivo do pronome “que” como nexo subordinativo. Analisar as estruturas em que o emprego da preposição antes do “que” se faz necessário em situações formais de comunicação.

28 Link com outros objetos de aprendizagem do LAPREN Slide 1

29 Referências CASTILHO, Ataliba Teixeira de. A língua falada no ensino de português. São Paulo: Contexto, ________. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, PÉCORA, Alcir. Problemas de redação. São Paulo: Martins Fontes, WILEY, D. Connecting learning objects to instructional design theory: a definition, a metaphor and a taxonomy. In: The instructional use of learning objects – On-line Version Disponível em: http//reusability.org/read/. Acessado em 02/09/2004.


Carregar ppt "Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA NO LAPREN Jocelyne da Cunha Bocchese."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google