A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Micropipetas: Funcionamento, Uso Correto e Manutenção

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Micropipetas: Funcionamento, Uso Correto e Manutenção"— Transcrição da apresentação:

1 Micropipetas: Funcionamento, Uso Correto e Manutenção
Flávia Aleixo Vasconcellos Regina Maria Castelli

2 MICROPIPETAS E EQUIPAMENTOS VOLUMÉTRICOS
Uso: pipetagem de pequenos volumes (microlitros). Elas devem apresentar boa acurácia e precisão. Nos laboratórios, geralmente são designadas pela letra P seguida pelo volume máximo que podem pipetar. Ex: P1000, P200, P20.

3 O volume mínimo recomendado para cada micropipeta é de 10% da sua capacidade
Acurácia é a diferença entre o que foi realmente pipetado e o que foi requisitado Precisão é a repetibilidade. Ambas as características são representadas em % (quanto menor melhor).

4 Os manuais das micropipetas apresentam uma tabela com valores de acurácia e precisão aceitáveis para diferentes micropipetas e volumes aferidos. Se os valores (%) estiverem fora do intervalo aceitável, recomenda-se calibrar a micropipeta.

5 (quanto ao funcionamento)
Tipos de Micropipetas (quanto ao funcionamento) DESLOCAMENTO POSITIVO Pipetas de êmbolo com ponta em PTFE que proporcionam deslocamento positivo de amostras num tubo capilar de precisão. Ótima acurácia e precisão em pipetagem de líquidos de alta densidade, viscosos, espumantes ou voláteis. São recomendadas para pipetagem de líquidos “tóxicos” (radioativos, bases e ácidos fortes...). O líquido é deslocado pelo êmbolo.

6 Recomendadas para amostras aquosas. O líquido é deslocado pelo ar.
DESLOCAMENTO DE AR Recomendadas para amostras aquosas. O líquido é deslocado pelo ar. NÃO RECOMENDÁVEL PARA LÍQUIDOS “TÓXICOS” Micropipeta monocanal Micropipeta multicanal

7 USO CORRETO DA MICROPIPETA
Manter a micropipeta na posição vertical durante a pipetagem; Trocar a ponteira antes de aspirar líquido, amostra ou reagente diferente; Pressione e solte o botão de modo lento e constante; Encaixar a ponteira com movimento de rotação; Inserir o mínimo possível a ponteira no líquido a ser pipetado; Finalize o ajuste de volume sempre no sentido horário;

8 Enquanto aspirar, mantenha a ponteira a uma profundidade constante abaixo da superfície do líquido;
Quando em repouso deixar a micropipeta ajustada no volume máximo; NUNCA pipete líquidos onde T > 70°C ou T < 4 °C; NUNCA vire a pipeta de cabeça para baixo; NUNCA deite a pipeta enquanto houver líquido na ponteira; NUNCA utilize graxa ou silicone no pistão ou selos; NUNCA tente ajustar o volume acima da especificação;

9 MANUTENÇÃO Limpeza externa Remover o ejetor de ponteiras; Limpar o ejetor de ponteiras com um pano embebido em solução de detergente; Limpar a parte externa da pipeta; Passar um pano embebido com água destilada para enxaguar o ejetor de ponteiras e no corpo da pipeta; Recolocar.

10 Deixar o corpo da pipeta em um local seco;
Limpeza interna Desmontar a pipeta; Deixar o corpo da pipeta em um local seco; Limpar as peças da parte inferior utilizando um banho de ultrasson por 20 min; Enxaguar as peças com bastante água corrente, o último enxagüe com água destilada; Deixar secar em temperatura ambiente; Montar a pipeta para um novo uso.

11 CALIBRAÇÃO Consultar o manual. Pesar água destilada em balança de precisão (1 mL água destilada = 1 g; 1 L água destilada = 1 mg). O ambiente, balança, água e micropipeta devem estar entre 20 e 25C.

12 FIXANDO !!!!

13 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA
DA MICROPIPETA A) Botão com código de cores B) Corpo da pipeta ou handle C) Porca de conexão D) Ponteira E) Ejetor de ponteiras F) Botão de ejeção H) Porta-cone T) Tambor de ajuste do volume V) Volúmetro

14 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DA TÉCNICA DE PIPETAGEM
POSIÇÃO DE REPOUSO 1° ESTÁGIO 2° ESTÁGIO

15 Muito Obrigada!


Carregar ppt "Micropipetas: Funcionamento, Uso Correto e Manutenção"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google