A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sementes Florestais Introdução: A semente é um dos fatores básicos que afetam a produção florestal. Biologicamente, a semente é uma planta completa, porém.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sementes Florestais Introdução: A semente é um dos fatores básicos que afetam a produção florestal. Biologicamente, a semente é uma planta completa, porém."— Transcrição da apresentação:

1 Sementes Florestais Introdução: A semente é um dos fatores básicos que afetam a produção florestal. Biologicamente, a semente é uma planta completa, porém com dimensões e formato embrionário.

2 Sementes Florestais A semente florestal assume um papel mais importante da maioria da espécies agrícolas, por se tratar de uma cultura perene A produção será colhida dezenas de anos após a semeadura. De nada adiantarão gastos com outra técnicas silviculturais, se o produtor partir de uma semente de má qualidiade.

3 Sementes Florestais Fatores de devem ser levados em consideração: Qualidades físicas e fisiológicas Qualidade genética Características da madeira - produção de celulose -produção de madeira ou energia * Assim a produção de sementes está ligada ao uso final do produto florestal

4 Sementes Florestais Histórico: 1966 – o setor não estava preparado para acompanhar o desenvolvimento florestal brasileiro – uso indiscriminado de sementes florestais de baixa qualidade, Conseqüências – formação de povoamentos florestais inadequados e improdutivos. IBDF( Hoje IBAMA) Importação de sementes florestais.

5 Sementes Florestais Nesse período as entidades de pesquisa e as empresas florestais intensificaram suas atividades no sentido de produzir sementes de boa qualidade. Zimbábue e África do Sul – fornecedores de sementes de eucalipto para o Brasil. Austrália – país de origem sem programa de produção de sementes em escala comercial.

6 Sementes Florestais Sementes de Pinus – EUA, África do Sul e Guatemala IBDF( IBAMA) criou a comissão de controle de sementes florestais – disciplinar o uso de sementes nacionais e importadas e projetos incentivando a criar áreas nacionais de produção de sementes Foi extinto o incentivo ao uso de sementes importadas.

7 Sementes Florestais Atualmente a produção nacional de sementes eucalipto e pinus é suficiente para atender a demanda interna, embora haja a necessidade de importação de algumas espécies, principalmente para o atendimento de novas fronteiras de reflorestamento no país.

8 Sementes Florestais Fatores que afetam a produção de sementes de espécies florestais: 1 Aspectos gerais de produção de sementes: Os fatores que afetam a produção de sementes florestais tem sido bastantes estudados enfocando-se na maioria das vezes as espécies de clima temperado: Em função das diversidades climáticas de da variação das espécies.

9 Sementes Florestais 1.1 Maturidade da planta: Pode diferenciar entre espécies de mesmo gênero e entre indivíduos de mesma espécie Varia de acordo com o espaço que espécie ocupa na sucessão florestal. Pioneiras – florescem mais precocemente que as espécies de clímax. Árvores que recebem luz florescem primeiro que as sombreadas.

10 Sementes Florestais 1.2- Iniciação das gemas reprodutivas: A formação dos órgãos reprodutivos inicia- se quando o meristema vegetativo muda seu padrão de divisão para produzir uma gema reprodutiva. O período pode durar de poucos meses até mais de um ano, Pinus sylvestris 10 – 11 meses P. oocarpa 12 meses. Gimnospermas ciclo reprodutivo mais longo.

11 Sementes Florestais Fatores que afetam a iniciação das gemas. Abióticos – Temperatura - Luz - Umidade do solo - Nutrição mineral das plantas

12 Sementes Florestais Bióticos – Hormônios( fitormônios) Relação com a indução floral Giberilinas: Baixas concentrações: estimulam a formação de órgãos masculinos. Concentrações intermediárias: estimulam formação dos órgãos femininos. Altas concentrações: podem suprir a formação de flores

13 Sementes Florestais 1.3 Polinização e fertilização: Polinização – Transferência do grão de pólen. Fertilização – União dos gametas pólen e o óvulo. Afetados por: Bióticos e Abióticos

14 Sementes Florestais Fatores Bióticos: Florestas latifoliadas predomínio de flores hermafroditas com pequena representação de espécies monóicas e dióicas. Em regiões temperadas o predomínio é de espécies monóicas, com pequena vantagem de hermafroditas e dióicas. De modo geral os polinizadores das espécies hermafroditas são bióticos e os de espécies monóicas e dióicas são abióticos.

15 Sementes Florestais Fatores abióticos: Podem atuar diretamente como vetores de pólen, ou indiretamente, afetando seu transporte. A umidade relativa do ar, temperatura e a velocidade do vento influenciam o transporte de pólen.

16 Sementes Florestais 1.4 Variação genética para florescimento: A capacidade de florescer pode variar entre indivíduos de mesma espécie. 1.5 Periodicidade na produção de sementes: A periodicidade na produção de sementes de boa qualidade em espécies perene é bianual. Outras variações: 3 – 4 anos ou 2-3 anos.

17 Sementes Florestais Esta periodicidade pode ser provocada pelo esgotamento de nutrientes armazenados e perdas de folhagens que acompanha a produção de sementes. A grande produção de um ano acarreta em pequeno crescimento vegetativo no ano seguinte com baixa produção.

18 Sementes Florestais 1.6 Predação: Pode afetar a produção de sementes por danos causados diretamente ‘as folhas, frutos e sementes e indiretamente pela hebívora e partes vegetativas. Predadores: Insetos, aves animais e ataques de fungos.

19 Sementes Florestais Aspectos ecológicos na produção de sementes: Biologia Reprodutiva florescimento, polinização e frutificação são alguns dos aspectos relacionados com a produção de sementes.

20 Sementes Florestais Florescimento A floração pode variar na época de ocorrência, na sua duração e intensidade e no modo como se distribui entre os indivíduos da população Duas abordagens: (a) comunitária, que interpreta as relações entre as espécies de um a ou mais comunidades e a (b) específica que analisa o comportamento dos indivíduos de uma dada espécie através de amostragens.

21 Sementes Florestais Polinização A produção de sementes é um evento decorrente da polinização e os fatores ecológicos envolvidos nesta etapa da reprodução têm impacto direto sobre a qualidade e quantidade da semente obtida.

22 Sementes Florestais O agente polinizador é o vetor responsável pelo transporte do pólen. Assim, seu comportamento, hábitos e exigências serão determinantes de como se dará o fluxo gênico, via pólen, na população. A flor é a estrutura responsável pela reprodução vegetal; nela se encontram as anteras e o estigma, respectivamente as partes masculina e feminina.

23 Sementes Florestais A polinização pode ser simples ou abiótica, feita por fatores físicos, como vento ou água ou complexa ou biótica feita por insetos, aves e morcegos.

24 Sementes Florestais Frutificação: As espécies anemocóricas são aquelas dispersas pelo vento e produzem sementes nos períodos secos julho a dezembro. As zoocóricas são aquelas que são dispersas pelos animais e produzem sementes ao longo do ano.

25 Sementes Florestais Espécies pioneiras – produzem grandes quantidades de sementes, que germinam facilmente. Espécies clímax – produzem sementes de maneira irregular.

26 Sementes Florestais Maturação de sementes florestais: A semente atinge o máximo poder germinativo e vigor, sendo por isto denominado de ponto de maturidade fisiológica. O ponto de maturidade fisiológica pode variar em função da espécie e do local, havendo portanto a necessidade do estabelecimento de parâmetro que permitam a definição da época adequada de colheita, denominados de índices de maturação.

27 Sementes Florestais FATORES QUE AFETAM A MATURAÇÃO Fatores genéticos e ecológicos adiantam ou atrasam o processo de maturação das sementes. Diferenças na época de florescimento entre árvores, na mesma área, indicam controle genético, enquanto que as diferenças na quantidade de florescimento em anos consecutivos indicam efeitos ambientais.

28 Sementes Florestais A - ÉPOCA DE COLHEITA DE SEMENTES A definição da época adequada de colheita de sementes é muito importante, principalmente porque a partir do ponto de maturação fisiológica é iniciado o processo de determinação, cuja velocidade é influenciada pelas condições ambientais. A permanência da semente na árvore após a maturidade, corresponde a um armazenamento no campo, submetendo-a às variações diurnas, noturnas e estacionais, afetando sua qualidade.

29 Sementes Florestais A definição da época de colheita depende também da análise de vários fatores que determinam a viabilidade de sua execução prática e o seu planejamento. B -Tipo de fruto Deiscentes indeiscentes

30 Sementes Florestais C - Predação e dispersão A colheita no chão expõe a semente à predação, reduzindo a disponibilidade de sementes e afetando sua qualidade. Em sementes de Araucária angustifolia, tão logo estas atingem o solo, ocorre intenso ataque de roedores e insetos, devendo sua colheita ser realizada antes da dispersão.

31 Sementes Florestais Em outra espécies como a Copaifera langsdorffii ( Copaíba)o ataque de aves pode ocorrer ainda na árvore reduzindo a quantidade de sementes colhidas.

32 Sementes Florestais D - Longevidade natural das sementes Quando a colheita de sementes envolve espécies com sementes de curta longevidade natural, como a Araucária angustifolia a definição da época de colheita deve ser a mais precisa possível, para permitir a obtenção de sementes viáveis.

33 Sementes Florestais E - Extensão do período de frutificação Espécies como Pinus oocarpa e Eucalyptus grandis, possuem amplo período de maturação, durante o qual são encontrados na mesma árvore e época, cones em diferentes estágios de desenvolvimento.

34 Sementes Florestais Na definição da época ideal de colheita, devem ser estabelecidos parâmetros baseados nas características de cada espécie, que permitam determinar o momento em que o fruto ou a semente devam ser colhidos.

35 Sementes Florestais ÍNDICES DE MATURAÇÃO DE SEMENTES A determinação da época adequada de colheita de cada espécie pode ser facilitada com a adoção dos índices de maturação. Estes são parâmetros práticos que permitem inferir sobre o estágio de desenvolvimento do fruto e/ou semente.

36 Sementes Florestais Índices bioquímicos: As variações nos conteúdos de açucares, ácidos graxos, lipídeos e nitrogênio, bem como taxa de respiração. Indicadores que não podem ser observados a campo.

37 Sementes Florestais Índices de tamanho: Embora seja um índice bastante prático, o tamanho dos frutos ou cones não tem apresentado bons resultados para muitas espécies. Isto se deve ao fato desta característica ser extremamente prática, variando de indivíduo para indivíduo, de ano para ano e inclusive dentro da mesma árvore. No entanto, pode ser utilizado como indicativo de que a semente está próxima de seu ponto de maturação, principalmente para as espécies com frutos deiscentes.

38 Sementes Florestais Densidade aparente A densidade aparente ou gravidade específica é um índice mais utilizado para as espécies do gênero Pinus, principalmente aquelas em que a modificação da coloração dos cones não pode ser empregada como índice de maturação. A densidade dos cones é determinada pela relação entre o seu peso e volume, obtida com o uso de uma balança analítica adaptada para funcionar como hidrostática. Em condições de campo, conhecendo-se o valor da densidade correspondente ao cone maduro, estes são submetidos ao teste de flutuação, os que estiverem maduros flutuam.

39 Sementes Florestais Teor de umidade: O teor de umidade das sementes decresce a medida que ela se desenvolve. Na maturação a umidade varia com a espécie e as condições climáticas, reduzindo até entrar em equilíbrio com o meio ambiente.

40 Sementes Florestais Peso de matéria seca: Devido ao acúmulo de proteínas, lipídeos e carboidratos nas sementes há um grande aumento de peso de matéria seca próximo a maturidade.

41 Sementes Florestais Associação de índices: Permite uma melhor determinação da época de colheita.

42 Sementes Florestais Colheita de sementes de árvores florestais Árvores Matrizes: Depende da finalidade a que se destina a semente a ser colhida: -Produção de madeira: características do fuste -Proteção: capacidade de recobrimento da copa

43 Sementes Florestais Características das matrizes: 1 - Bom crescimento - devem apresentar um crescimento uniforme e boa produtividade. (Entende-se por produtividade: o crescimento do tronco, produção de folhas, produção de frutos e produção de sementes.) 2 - Porte - refere-se à altura e ao diâmetro da árvore. A árvore matriz deve apresentar grande porte e pertencer à classe das árvores dominantes, ou seja, as maiores árvores da floresta, claro, seguindo a sua espécie.( Quando a coleta de sementes for efetuada no sub-bosque da floresta, escolhe- se os melhores exemplares da espécie em questão.)

44 Sementes Florestais 3 - Forma do tronco - devem possuir um tronco sem defeitos aparentes que possam representar danos futuros as seus descendentes. São desconsideradas as árvores com tronco tortuoso, bifurcado e/ou danificado. (Normalmente as espécies de frutíferas nativas apresentam formas variadas, devendo-se coletar sementes sempre dos melhores exemplares.) 4 - Forma da copa - refere-se à copa bem formada, bem distribuída e proporcional à altura da árvore, com boa exposição ao sol para favorecer a produção de sementes.

45 Sementes Florestais 5 - Vigor - está relacionado com a resistência natural a pragas e doenças, ou seja, ser uma árvore sadia, bem desenvolvida e apresentar resistência também aos agentes naturais como vento, geadas, e alta umidade quando ocorrer excesso de chuvas. 6 - Produção de sementes - este aspecto é referendado pelo tamanho da copa e pela exposição à luz, responsáveis pelo grande florescimento que poderá torná-la grande produtora de sementes. 7 - Livre de doença e pragas - as árvores matrizes devem estar com boa sanidade, livres de doenças, como fungos, e de parasitas, como a erva-de -passarinho.

46 Sementes Florestais Métodos de produção de sementes: a – Área de coleta de sementes b – Área de produção de sementes ( mínimo 3 há) c – Pomar de sementes instaladas para a produção de sementes

47 Sementes Florestais Coleta de sementes de espécies florestais: Traça-se um plano de coleta mensal baseando-se no conhecimento da época de maturação, no tipo de dispersão das sementes, nas condições climáticas, na condições físicas do terreno, bem como análise das características das árvores matrizes.

48 Sementes Florestais A maneira de coletar as sementes depende da forma e altura das árvores, e das características dos frutos, pois cada espécie de árvore possui frutos diferentes, uns delicados e outros mais resistentes. Após toda essa análise as sementes são coletadas

49 Sementes Florestais Métodos de colheitas: Colheita no chão Colheita em árvores abatidas Colheitas em árvores em pé

50 Sementes Florestais Secagem, extração e beneficiamento de sementes florestais: Secagem: A operação de secagem das sementes se dá, em duas fases: A primeira a transferência de água da superfície das sementes para o ar que as circunda: A segunda, o movimento da água do interior para a superfície da semente.

51 Sementes Florestais Fatores que afetam a secagem: - Umidade - Temperatura Métodos de secagem: Natural É aquela em que os frutos ou sementes são secados pela ação do vento e da energia do sol.

52 Sementes Florestais Secagem natural de sementes sobre peneiras em local ventilado

53 Sementes Florestais O emprego de laminado plástico ou lona com cordoalha também pode ser adotado na secagem natural das Sementes. O método é interessante, pois, ao ser aberto, permite o arejamento e a disposição dos frutos ou sementes ao ambiente. Na eventualidade do aparecimento de uma chuva ou no final da tarde, o sistema pode ser fechado, amarrado e deixado para a abertura e continuação do processo após a chuva ou no dia seguinte.

54 Sementes Florestais Dispositivo plástico ou lona com cordoalha empregado na secagem natural.

55 Sementes Florestais Secagem artificial A secagem artificial é aquela em que a movimentação do ar de secagem se faz por meio de equipamentos. Consiste em submeter o produto à ação de uma corrente de ar quente e seco que atravessa a massa de sementes.

56 Sementes Florestais Beneficiamento Após a coleta de sementes, é realizado o beneficiamento que é a limpeza e retirada de partes da planta que são desnecessário para a germinação dessa semente. O beneficiamento pode ser: Manual Mecânico

57 Sementes Florestais Armazenamento: Significa guardar sementes obtidas numa determinada ocasião, procurando manter a sua máxima qualidade fisiológica, física e sanitária, para uso futuro. O armazenamento possibilita a conservação das sementes e não a melhoria de suas qualidades.

58 Sementes Florestais Fatores que afetam o armazenamento: a) teor de umidade das sementes: - Umidade da semente superior a 45-60% pode ocorrer germinação; - Umidade entre 18-20% - a respiração da semente e a presença de microrganismos provocam aquecimento causando deterioração da semente.

59 Sementes Florestais Com a umidade de 13-16% - as sementes adquirem maior resistência aos danos mecânicos; Com umidade de 8-9% - diminui o ataque de insetos e microrganismos no armazenamento. * Nem todas as espécies florestais suportam tal redução no seu teor de umidade.

60 Sementes Florestais b) embalagens: -Porosas -Semi-porosas (semi permeáveis) -Impermeáveis c) Secagem – reduzir a umidade a níveis adequados de armazenagem d) Qualidade inicial da semente

61 Sementes Florestais Embalagens A embalagem é fundamental no armazenamento das sementes, não só para manter separados os diferentes lotes de sementes, como também para proteger as sementes contra insetos e animais, facilitar o manejo e aproveitar melhor o espaço no armazenamento.

62 Sementes Florestais A escolha da embalagem dependerá de: da natureza da semente; do método de armazenamento e do tempo em que a semente ficará armazenada.

63 Sementes Florestais Em relação à permeabilidade à água, pode-se separar as embalagens em três tipos: 1. Permeáveis - são aquelas que permitem a troca de umidade e não protegem as sementes contra os insetos, como os sacos de pano, sacos plásticos perfurados e sacos de papel. Esse tipo de embalagem só é recomendado para acondicionamento das sementes por curtos períodos de tempo ou para sementes ortodoxas muito úmidas.

64 Sementes Florestais 2. Semi permeáveis – são aquelas que embora restrinjam a passagem de água, permitem a troca de vapor d’água, como os sacos plásticos de 100 a 250 micras.

65 Sementes Florestais 3. Impermeáveis - são as embalagens que não permitem a troca de vapores de água. São herméticas e, nesse grupo, estão os sacos ou envelopes trifoliados de polietileno/ alumínio/polietileno seláveis a calor, latas de alumínio, recipientes de alumínio com tampa rosqueável e anel de borracha para vedação, recipientes de vidro com anel de borracha para vedação da tampa.

66 Sementes Florestais Latas comuns não são recomendadas porque ao serem colocadas em ambiente com elevada umidade relativa do ar tendem a enferrujar. Aspecto importante a ser destacado é a etiqueta de identificação, que deve vir fora e dentro da embalagem. Nela devem ser registradas todas as informações importantes sobre o seu conteúdo, como o número da embalagem, espécie, data de entrada, data de coleta, se as sementes estão tratadas com algum produto químico etc.


Carregar ppt "Sementes Florestais Introdução: A semente é um dos fatores básicos que afetam a produção florestal. Biologicamente, a semente é uma planta completa, porém."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google