A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Texto, textualidade e textualização Helena Maria Ferreira Marco Antonio Villarta-Neder Raquel Márcia Fontes Martins Mauricéia Silva de Paula Vieira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Texto, textualidade e textualização Helena Maria Ferreira Marco Antonio Villarta-Neder Raquel Márcia Fontes Martins Mauricéia Silva de Paula Vieira."— Transcrição da apresentação:

1 Texto, textualidade e textualização Helena Maria Ferreira Marco Antonio Villarta-Neder Raquel Márcia Fontes Martins Mauricéia Silva de Paula Vieira

2 Conceito de texto Qualquer produção linguística, falada ou escrita, de qualquer tamanho, que possa fazer sentido numa situação de comunicação humana, isto é, numa situação de interlocução Nenhum texto tem sentido em si mesmo, por si mesmo. Todo texto pode fazer sentido, numa determinada situação, para determinados interlocutores.

3 CONDIÇÃO texto seja considerado texto é necessário que possua uma relação sociocomunicativa, semântica e formal: → o pragmático: seu funcionamento enquanto atuação informacional e comunicativa; → o semântico-conceitual, de que depende sua coerência; → o formal, que diz respeito à sua coesão.

4

5 Textos

6

7

8

9 A filha de 10 anos, chega em casa e diz a todos: - Eu não sou virgem. Sou uma vaca. O pai, fica nervoso e fala: - A culpa é da Kátia, sua irmã mais velha, que fica se amassando com o seu namorado. A mãe, fala: - A culpa é de seu pai, que é muito sem vergonha. Nós não somos bobas! Em meio à discussão, a mãe pergunta à filha: - Como isso aconteceu? A garota diz com a voz trêmula: - A professora me tirou do papel de ser a virgem no presépio e me colocou como a vaquinha.

10 Textualidade/textualização Conjunto de características que fazem com que um texto seja um texto, e não apenas sequência de frases ou palavras. => princípio geral que faz parte do conhecimento textual dos falantes e que os leva a aplicar a todas as produções linguísticas que falam, escrevem, ouvem ou leem um conjunto de fatores capazes de textualizar essas produções => componente do saber linguístico das pessoas.

11 Fatores de textualidade Coerência Coesão Intencionalidade Aceitabilidade Situacionalidade Informatividade Intertextualidade

12 Coerência Aquilo que faz com que um texto pareça lógico, consistente, aceitável, com sentido. Relaciona-se com as ideias do texto, conceitos e relações entre eles (tópicos, comentários, formas de organização e articulação) Relaciona-se com a partilha de conhecimentos linguísticos, textuais e pragmáticos, visões de mundo, valores, etc.

13 Poste com goiaba Um louco estava em cima de um poste, quando um homem passou e perguntou: - O que você está fazendo aí em cima? O louco respondeu: - Comendo goiabas! O homem perguntou: - Como você vai achar goiabas em um poste? O louco retrucou: - Eu trouxe a goiaba no bolso!

14 intencionalidade capacidade do produtor do texto, produzi-lo de maneira coesa, coerente, capaz de alcançar os objetivos propostos, em uma determinada situação de comunicação apropriação para a realização das intenções do locutor diante do alocutário.

15 Intencionalidade

16

17 relação estrita com o que se tem chamado de argumentatividade. Não há textos neutros => há sempre alguma intenção ou objetivo da parte de quem produz um texto, e que este não é jamais uma “cópia” do mundo real, pois o mundo é recriado no texto através da mediação de nossas crenças, convicções, perspectivas e propósitos.

18 Aceitabilidade Avaliação a adequação por parte dos interlocutores. Ex: “O verdadeiro amigo não comenta sobre o próprio sucesso quando o outro está deprimido. Para distraí-lo, conta-lhe sobre seu prestígio profissional, conquistas amorosas e capacidade de sair-se bem das situações. Isso, com certeza, vai melhorar o estado de espírito do infeliz”.

19 “O quarto espelha as características de seu dono: um esportista, que adorava a vida ao ar livre e não tinha o menor gosto pelas atividades intelectuais. Por toda a parte, havia sinais disso: raquetes de tênis, prancha de surf, equipamento de alpinismo, skate, um tabuleiro de xadrez com as peças arrumadas sobre uma mesinha, as obras completas de Shakespeare”.

20 quando duas pessoas interagem por meio da linguagem, elas se esforçam por fazer-se compreender e procuram calcular o sentido do texto do(s) interlocutor(es), partindo das pistas que ele contém e ativando seu conhecimento de mundo, da situação, etc. Assim, mesmo que um texto não se apresente, à primeira vista, como perfeitamente coerente, o receptor vai tentar estabelecer a sua coerência, dando-lhe a interpretação que lhe pareça cabível.

21 situacionalidade É a adequação do texto a uma situação comunicativa, ao contexto. situação orienta o sentido do discurso, tanto na sua produção como na sua interpretação.

22 Situação comunicativa interfere na produção do texto => texto não é um simples reflexo do mundo real. Sujeito => serve de mediador, com suas crenças e ideias, recriando a situação. um mesmo objeto pode ser descrito por duas pessoas distintamente, pois elas o encaram de modo diverso.

23 situacionalidade a situacionalidade é vista da situação para o texto e do texto para a situação. a situação comunicativa interfere tanto na produção quanto na recepção do texto pelo leitor, devido à necessidade de adequação do mesmo a determinado momento, pois na construção de um texto, é necessário verificar o que é adequado àquela situação específica. do texto para a situação => não existe um texto puramente escrito, o texto não expõe fielmente o retrato da realidade, mas sim, é retratado pelos olhos do produtor a partir de suas perspectiva e intenções. Já o leitor também analisa e interpreta o texto a partir de sua ótica e de acordo com o seu conhecimento de mundo.

24

25

26 Informatividade É o grau de previsibilidade das informações contidas no texto. informações previsíveis => baixo grau de informatividade informações não previsíveis => grau maior de informatividade. maior for o grau de informatividade => maior esforço do leitor Informatividade => menor ou maior facilidade de leitura junção das informações => equilíbrio (retomada das lembranças e acesso a novas informações) => crítica

27 “No México, acredite, os comerciais dirigidos a crianças precisam trazer alguma mensagem educativa. Os anunciantes podem mostrar os pimpolhos se entupindo de sucrilhos ou de chocolate, desde que no pé da tela corra um letreiro com os dizeres ‘Coma legumes e verduras’ ou ‘Escove os dentes três vezes ao dia’.”

28 intertextualidade relação extra-textual do texto uma relação que ocorre no cotexto, no corpo do próprio texto em questão Relacionada ao conhecimento de mundo fatores que tornam a interpretação de um texto dependente da interpretação de outros. Cada texto constrói-se, não isoladamente, mas em relação a outro já dito, do qual abstrai alguns aspectos para dar-lhes outra feição. O contexto de um texto também pode ser outros textos com os quais se relaciona.

29

30

31

32 Coesão Coesão não é condição necessária nem suficiente para que um texto seja um texto. MAS: uso de elementos coesivos assegura a legibilidade, explicitando os tipos de relações entre os segmentos do texto. Inter-relacionamento entre os elementos linguísticos do texto. É co-construída pelos interlocutores

33 Mecanismos É a manifestação linguística da coerência. Provém da forma como as relações lógico-semânticas do texto são expressas na superfície textual. SUBSITUIÇÃO POR SINÔNIMOS: A) HIPERÔNIMO: "Os corvos ficaram à espreita. As aves aguardaram o momento de se lançarem sobre os animais mortos." B) HIPÔNIMO: Gosto muito de doce. Cocada, então, eu adoro." ELIPSE: Maria trabalhou e não recebeu. PROGRESSÃO DO FLUXO INFORMACIONAL:  GRADAÇÃO: Primeiro vi a moto, depois o ônibus e, por fim, o homem caído.  RELAÇÃO DA INFORMAÇÃO DADA/NOVA: artigo definido: Era uma vez, um rei que tinha uma filha. Um dia, preocupado com a menina, o rei decidiu convocar os seus súditos e...

34  CAMPO SEMÂNTICO: O casamento da filha do prefeito foi lindo. A igreja estava toda decorada. A noiva trajava um vestido cheio de brilhos e rendas e pedrarias. Os padrinhos estavam sorridentes e muito elegantes, as damas pareciam princesas... Substituição por pronomes: Ernani trabalhava em São Paulo. Hoje, ele está desempregado.

35 Organizadores textuais ou articuladores Conjunções; locuções conjuntivas; advérbios; locuções adverbiais e expressões que expressam inter-relação entre informações textuais ( por exemplo, em resumo, concluindo, por um lado/por outro lado, ainda, também, em outras palavras, ou seja, mas, embora, porque, desse modo, conforme, além disso, para que, se, por essa razão etc). Tempos, modos e aspectos verbais: Ex: passado - acontecimentos narrados como anteriores ao ato de enunciação.

36 O vizinho Essa pessoa que adora ouvir música alta à noite, mas reclama de qualquer barulhinho. Esse sujeito que só usa martelo e furadeira quando você precisa dormir. Esse amigo que conversa com você tentando ver o que tem dentro da sua casa. Esse cavalheiro que se mantém bem-informado lendo o seu jornal e empresta a sua vaga na garagem para as visitas dele. Esse ser humano que, além de tudo, vive espalhando por aí que tem um péssimo vizinho: você. Já tem muita gente tentando tirar o sabor de sua vida. Por isso, só tiramos as calorias. Calorias de menos – Brahma Light – gostosa demais


Carregar ppt "Texto, textualidade e textualização Helena Maria Ferreira Marco Antonio Villarta-Neder Raquel Márcia Fontes Martins Mauricéia Silva de Paula Vieira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google