A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Como criar um laboratório para ensino de eletrônica com acesso remoto

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Como criar um laboratório para ensino de eletrônica com acesso remoto"— Transcrição da apresentação:

1 Como criar um laboratório para ensino de eletrônica com acesso remoto
Um tutorial sobre a Plataforma Open Lab e um convite para se juntar ao Grupo VISIR Um laboratório convencional de eletrônica pode ser disponibilizado para acesso remoto através da Plataforma VISIR Open Lab. Esta plataforma permite estender o acesso ao laboratório a alunos dentro e fora do campus durante 24h/dia, 7 dias/semana sem qualquer risco para o aluno ou para os equipamentos do laboratório. A plataforma VISIR Open Lab é uma Aplicação cliente/servidor que permite que estudantes executem experimentos de eletrônica reais usando apenas um web browser. O controle/monitoramento do equipamento físico, ligado ao servidor, é efetuado através de painéis frontais virtuais e de uma matriz de contatos (protoboard) também virtual, ambos visualizados através do computador do cliente. O servidor consiste em uma bancada de trabalho online que proporciona acesso de múltiplos usuários simultaneamente através do compartilhamento do tempo de acesso aos recursos, dando a impressão aos usuários de eles que estão trabalhando com um laboratório real. Essa bancada de trabalho online complementa um laboratório real equipado com osciloscópios, geradores de função, multímetros digitais, fontes de tensão DC e matrizes de contatos protoboard. Além do Instituto Tecnológico de Blekinge na Suécia, onde a plataforma foi desenvolvida, outras duas universidades, a Universidade de Deusto na Espanha e a Universidade de Ciências Aplicadas de Viena já implementaram cópias da plataforma e a estão utilizando em seus cursos regulares. Outras universidades estão também prontas para iniciar sua participação no projeto. Embora a bancada de trabalho online esteja sendo utilizada por universidades, ela é também ideal para escolas e cursos profissionalizantes devido à flexibilidade que permite professores inserirem facilmente seus próprios exercícios e tarefas. Uma conexão discada via modem e um navegador web com Flash player são suficientes para o estudante realizar os experimentos (http://www.adobe.com/products/flashplayer/). O software necessário para instalar a plataforma foi publicado há aproximadamente um ano sob licença GNU GLP. Além de um PC convencional, o hardware necessário para aderir ao Grupo VISIR e implementar uma bancada de trabalho online é um chassis PXI com instrumentos da empresa National Instruments e uma matriz de comutação. Os componentes que serão usados pelos alunos nas experiências são fornecidos pelos professores e colocados na matriz. Convidam-se desde já a participar todas as universidades, institutos e demais instituições de ensino interessadas em disponibilizar os seus laboratórios locais para serem remotamente acessados, visando a instrução de engenheiros com uma sólida e bem documentada experiência em laboratório, sem um aumento significativo do custo de formação por aluno. O tutorial é dividido nas seguintes quatro partes: • uma perspectiva geral da plataforma e das suas capacidades / desempenho do ponto de vista do professor e dos alunos • administração de cursos em laboratório • como disponibilizar componentes para usuários remotos e como prevenir danos ao equipamento do laboratório • uma sessão prática, onde os participantes são convidados a executar experiências, usando os seus próprios laptops, que necessitam apenas de acesso à rede wireless e Flash instalado. :30 ICBL 2008

2 Esboço do Tutorial 09:00 – 10:30 Apresentação da Plataforma VISIR Open Lab Administração de um curso em Laboratório 10:30 – 11:00 Intervalo 11:00 – 13:00 Disponibilizando componentes à usuários remotos Evitando danos aos equipamentos experimentais Sessão prática A última parte será uma sessão prática, onde um laboratório online será trazido até a sala do tutorial para que os participantes possam testá-lo via WLAN usando seus próprios laptops. :30 ICBL 2008

3 Esboço da Apresentação sobre a Plataforma VISIR Open Lab
Esboço da Apresentação sobre a Plataforma VISIR Open Lab Introdução e experiência do projeto VISIR Demonstração de um Laboratório VISIR Objetivos e metas do projeto VISIR Visão geral da plataforma Open Lab Como participar do projeto VISIR Conclusões e desenvolvimentos futuros Esboço da primeira parte do tutorial. :30 ICBL 2008

4 Laboratório Convencional de Eletrônica para Estudantes na BTH
Laboratório Convencional de Eletrônica para Estudantes na BTH Mesa do instrutor Aberto somente por 4 horas durante as sessões supervisionadas 8 bancadas de trabalho idênticas 2 estudantes compartilham uma bancada O quê é um laboratório local? É um laboratório acomodado em um prédio de uma universidade. O laboratório mostrado neste slide é usado por estudantes universitários para experimentos de eletrônica na BTH. O laboratório encontra-se aberto para as sessões supervisionadas durante 4 horas apenas. O instrutor supervisiona 16 estudantes durante uma sessão. Ocasionalmente o número de estudantes é superior a 16. Todas as bancadas de trabalho têm os mesmos equipamentos, o que significa que todos os estudantes podem realizar os mesmos experimentos simultaneamente. :30 ICBL 2008

5 Bancada de trabalho em um laboratório de eletrônica convencional
Bancada de trabalho em um laboratório de eletrônica convencional Osciloscópio Fonte de tensão Matriz de contatos (proto board) desmontável Gerador de função A bancada de trabalho contém um osciloscópio, um multímetro digital, um gerador de função, uma fonte de tensão e uma matriz de contatos (protoboard). A matriz de contatos pode ser desmontada da base que a suporta. Os cabos provenientes dos instrumentos conectam-se aos soquetes da base que por sua vez conectam-se à cabos de modo que o acesso aos nodos do circuito na matriz de contatos seja facilitado. Antes do início de cada sessão, o instrutor distribui um conjunto de componentes eletrônicos a serem usados durante o experimento. Multímetro Digital Conjunto de componentes para o estudante :30 ICBL 2008

6 O passado do Projeto VISIR
O passado do Projeto VISIR Em 1999 iniciou-se um projeto para desenvolver um laboratório remoto com o objetivo de oferecer um complemento aos laboratórios convencionais e prover livre acesso à caros equipamentos experimentais Atualmente, laboratórios em eletrônica, segurança, radio e processamento de sinais estão disponíveis online e são utilizados em cursos regulares para estudantes, que podem estar presentes no campus ou a distância. No final de 2006 foi iniciado o projeto VISIR e desde entao este tem sido difundido em varias universidades. Quando eu retornei ao mundo acadêmico em 1994, eu percebi que a redução do orçamento forçou instituições a diminuirem consideravelmente o número de experiementos físicos se comparados com quando eu era um estudante, 30 anos atrás. Em alguns cursos, experimentos foram substituídos por simulações. Entretanto, trabalho em laboratório é indispensável para que se possam perceber as diferenças entre modelos matemáticos de fenômenos naturais e a natureza por ela mesma. Pode-se dizer que trabalho em laboratórios é uma conversa direta com a natureza e experiementos são a linguagem da natureza. Em 1999 eu iniciei nosso projeto de um laboratório remoto para fornecer mais experimentos físicos aos nossos estudantes. A intenção era prover livre acesso ao laboratório através da Internet e oferecer uma educação ainda melhor do que há trinta anos. Hoje, laboratórios em eletrônica, segurança, radio e processamento de sinais estão online na BTH e são utilizados em cursos regulares por estudantes presentes no campus da universidade ou à distância. No final de 2006 foi iniciado o projeto VISIR e desde entao este tem sido difundido em varias universidades. A Universidade de Deusto (Espanha) e Universidade de Ciências Aplicadas de Viena (FH Campus Wien) juntaram-se ao consórcio e hoje têm suas próprias plataformas VISIR. :30 ICBL 2008

7 Porque tornar laboratórios de eletrônica remotamente acessíveis?
Porque tornar laboratórios de eletrônica remotamente acessíveis? Laboratórios de ensino de eletrônica contêm os mesmos equipamentos na maioria das universidades – um padrão Existe um grande número desses laboratórios ao redor do mundo Podem ser facilmente disponibilizados para acesso remoto preservando-se ainda o contexto dos experimentos Laboratórios para experimentos eletrônicos contêm os mesmos instrumentos na maioria das universidades, mesmo se o modelo ou marca forem diferentes. Esses laboratórios não sao usados apenas por graduandos em eletrônica ou afins, mas também, por exemplo, em disciplinas como engenharia de máquinas elétricas e cursos vocacionais. Por essa razão existem muitos estudantes que precisam treino prático através de experimentos. Podem ser facilmente disponibilizados para acesso remoto preservando-se o contexto dos experimentos como será mostrado nos próximos slides. :30 ICBL 2008

8 O Laboratório de Eletrônica VISIR
O Laboratório de Eletrônica VISIR Servidor Web PC Cliente Demonstrações Amp op Resistência PC Cliente Neste slide observa-se novamente a bancada de trabalho. A maior parte dos instrumentos eletrônicos podem ser controlados remotamente, com exceção da matriz de contatos (protoboard). Esta deve ser substituída por outro dispositivo de maneira que a conexão de diferentes circuitos seja possível. Este dispositivo é uma matriz de comutação equipada com relés eletromecânicos, soquetes para componentes e conectores para instrumentos. A bancada de trabalho pode agora ser controlada remotamente através da Internet. O software cliente é baixado de um servidor web e mostra fotos dos painéis dos instrumentos e da matriz de contatos para a interface com o usuário. As demonstrações são Camtasia Video clips. O primeiro vídeo inicia-se com um circuito amp op inversor de tensão pré configurado para poupar tempo durante a apresentação. Apenas duas conexões estão faltando no circuito. Ambas as conexões são adicionadas e os instrumentos são configurados. Uma vez que tudo está pronto, o botão “Perform Experiment” é pressionado e as cofigurações são enviadas ao servidor. A bancada de trabalho conectada ao servidor cria o circuito especificado, faz o set up dos instrumentos, ativa o circuito e realiza as medições necessárias. Ao final os resultados são enviados de volta para o cliente e são mostrados ao usuário através do painel virtual do osciloscópio. :30 ICBL 2008

9 A bancada de trabalho emula o laboratório por meio de compartilhamento de tempo
Cada usuário conecta os componentes do circuito e configura os instrumentos localmente em seu próprio computador Quando pronto, o botão “Perform Experiments” é pressionado e as configurações do circuito e instrumentos são enviadas para a bancada de trabalho O experimento atual (configuração do circuito, set up dos instrumentos e medidas) é executado na bancada de trabalho durante um tempo igual ou inferior a 0,1 s. Em eletrônica é possível realizar o mesmo experimento em diferentes escalas de tempo escolhendo-se apropriadamente os valores dos componentes que controlam as contantes de tempo do sistema. Essa característica é usada no Laboratório VISIR para permitir o acesso de múltiplos usuários através de compartilhamento do tempo de acesso. Desta maneira, um único Laboratório VISIR pode substituir um laboratório inteiro com várias bancadas de trabalho. A duração máxima de um experimento i.e. criação de um circuito e realização de medidas é atualmente estabelecido em 0,1 segundos para que se possa ter um razoável tempo de resposta até mesmo com grande número de usuários. Os experimentos são configurados localmente no computador do usuário. Apenas pressionando-se o botão “Perform Experiment” uma mensagem é enviada ao servidor contendo a descrição do circuito e as configurações dos instrumentos. Se a bancada online está disponível, o experimento é executado em uma orden pré definida e os resultados ou uma mensagem de erro é retornada ao cliente. Caso contrário o pedido é colocado em uma fila para ser posteriormente processado. :30 ICBL 2008

10 O Laboratório VISIR Fornece equipamentos de laboratórios reais suplementando laboratórios convencionais pode ser utilizado 24h/dia, 7dias/semana, individulamente ou em grupos por estudantes matriculados, exceto durante as sessões supervidionadas contém suporte para materiais didáticos já existentes oferece uma interface e contexto familiares para ambos estudantes e professores a interface web inclui suporte multilingue Quando sessões práticas estao sendo ensinadas no laboratério convencional, o laboratório remoto é fechado para experimentos. Atualmente a interface web suporta duas línguas, Inglês e Sueco. :30 ICBL 2008

11 A distribuição de software VISIR
Um repositório público de sub versões contento todos os módulos de software está disponível (http://svn.openlabs.bth.se/trac/) Membros do grupo VISIR terão acesso e direito de escrita em certos ramos do repositório. Escrita no tronco do repositório é limitada e exige revisão do código O Trac software project management system (http://trac.edgewall.org) é usado para gerenciamento do repositório.

12 Benefícios Estudantes Universidades e outras instituições
Benefícios Estudantes podem usar o laboratório individulamente ou em grupos, por exemplo para se prepararem para as sessões experimentais quando desejado Universidades e outras instituições podem produzir engenheiros com maior experiência prática sem um aumento significativo do custo por estudante podem oferecer sessões de laboratório à distância Colaborações em laboratórios podem levar a colaborações em novos materiais didáticos Atualmente, estudantes querem mais fácil acesso à recursos didáticos e maior liberdade para organizar seu próprio aprendizado, o que é também um dos principais objetivos do Processo Bologna. Estudantes podem preparar sessões supervisionadas de laboratório e realizar experimentos em casa sabendo que o equipamento no laboratório tradicional se parece e se comporta da mesma maneira. Eles podem também repetir os experimentos novamente! Isso agrada em especial estudantes inexperientes ou menos confidentes que necessitam mais tempo para realizar suas atividades de laboratório. Um estudante que deseja, por exemplo, configurar um oscilloscópio, pode praticar antes na privacidade de sua própria casa. :30 ICBL 2008

13 Benefícios cont. As sessões convencionais de laboratório podem ser mais eficientes porque Os estudantes podem aprender sozinhos os pontos mais triviais como o set up do trigger do osciloscópio, por exemplo As sessões de laboratório podem ser dedicadas à assuntos mais complicados, como problemas de compatibilidade eletromagnética (EMC). Atualmente, estudantes querem mais fácil acesso à recursos didáticos e maior liberdade para organizar seu próprio aprendizado, o que é também um dos principais objetivos do Processo Bologna. Estudantes podem preparar sessões supervisionadas de laboratório e realizar experimentos em casa sabendo que o equipamento no laboratório tradicional se parece e se comporta da mesma maneira. Eles podem também repetir os experimentos novamente! Isso agrada em especial estudantes inexperientes ou menos confidentes que necessitam mais tempo para realizar suas atividades de laboratório. Um estudante que deseja, por exemplo, configurar um oscilloscópio, pode praticar antes na privacidade de sua própria casa. :30 ICBL 2008

14 Objetivos do projeto VISIR
Objetivos do projeto VISIR Formar um grupo e criar parcerias com universidades assim como com outras organizações O grupo atuará ativamente nos futuros desenvolvimentos da plataforma Uma rede de laboratórios distribuídos será criada, na qual as bancadas de trabalho serão preparadas por membros do grupo O objetivo do projeto VISIR é formar um grupo de universidades e organizações parceiras, um Consórcio VISIR, criando/modificando módulos de software para laboratórios online utilizando technologias sob uma licença de código aberto e instalando bancadas de trabalho online. A BTH irá atuar como um hub para o desenvolvimento e manutenção de um servidor do qual a mais atual versão do software poderá ser baixada. :30 ICBL 2008

15 As metas do projeto VISIR
As metas do projeto VISIR Acesso livre aos equipamentos experimentais para os estudantes sem um aumento significativo dos custos por estudante para a universidade Acesso para o público quando não utilizado para educação regular A meta geral do projeto VISIR é o aumento do acesso à equipamentos experimentais em diferentes áreas para os estudantes sem aumento significativo de custos por estudante para as universidades. Os meios para isso são laboratórios online criados por universidades que cooperam entre si, apoiados pelos fabricantes de instrumentos. A principal meta da pesquisa realizada na BTH é a constante e onipresente disponibilização de recursos acessíveis 24h/dia, 7 dias/semana para qualquer um, como uma maneira de inspirar e encorajar crianças, jovens e outros a estudarem engenharia e tornarem-se bons profissionais ou serem usados ainda como recursos para educação continuada. :30 ICBL 2008

16 A Plataforma VISIR Open Lab
A Plataforma VISIR Open Lab Os laboratórios são compostos por quatro partes distintas – O Cliente, a Interface Web, o banco de dados e o equipamento do laboratório. O servidor de equipamentos guarda os instrumentos do laboratório de eletrônica. A Interface Web gerencia recursos e mantém registros dos usuários e tempos de conexão ao sistema. O equipamento de laboratório é mais do que apenas a bancada de trabalho. Inclui também um laboratório de processamento de sinais. :30 ICBL 2008

17 Administração de um curso em laboratório
Administração de um curso em laboratório Diferentes papéis como administrador, professor e estudante são definidos, cada qual com diferentes direitos de acesso Reserva de tempo para as sessões, assim como para os próprios experimentos do estudante são disponibilizados Uma interface web é utilizada para introduzir cursos, sessões de laboratório e gerenciar contas pessoais :30 ICBL 2008 17

18 Bancada de trabalho online
Bancada de trabalho online Esta é a bancada de trabalho online. Onde estão os instrumentos mostrados na tela do cliente? Eles são substituídos por placas PXI. PXI é um padrão para instrumentação. O mais importante é que a performance das placas seja igual ou superior do que a performance dos instrumentos mostrados no desktop do usuário. O PC controla a bancada de trabalho online. A matriz de comutação é a pilha de placas em cima do chassis PXI. Os componentes a serem utilizados nos circuitos de teste são instalados em soquetes na matriz localizados perto das bordas de algumas das placas. O chassis PXI é o NI PXI Os instrumentos são (da esquerda para a direita) um gerador de função NI PXI-5402, um osciloscópio de dois canais NI PXI-5112, uma fonte de tensão contínua NI PXI-4110 com uma fonte auxiliar APS-4100 e um multímetro digital NI PXI Esses equipamentos são fabricados pela National Instruments. Instrumentos remotamente controláveis são equipamentos padrão, da mesma maneira que placas equipadas com relés eletromecânicos. Essas placas foram utilizadas nas primeiras versões da matriz de comutação. Entretanto, para serem compatíveis com uma matriz protoboard em termos de largura de banda, os relés e os componentes do circuito devem ficar o mais próximo possível. :30 ICBL 2008

19 Instrumentos distribuídos
Instrumentos distribuídos Driver compatível com padrões IVI XML, TCP/IP, port 2324 Servidor de equipamentos Computador do cliente É possível utilizar um painel virtual representando o modelo de um instrumento para controlar um outro instrumento real diferente com tanto que a performance do instrumento real seja igual ou superior à performance do instrumento representado. Cada um dos painéis virtuais dos intrumentos controla uma placa PXI e recebe de volta os resultados das medidas efetuadas. A Fundação IVI, é um grupo de empresas voltadas para o usuário final e comercializadoras de intrumentos trabalhando juntos para definir interfaces de programação padrões para instrumentos. Os padrões IVI definem uma arquitetura de driver aberta, um conjunto de classes de instrumentos e componentes de software compartilhados. A fim de facilitar a portabilidade, a fundação criou especificações de classses IVI que definem capacidades de base da classe e as capacidades extendidas da classe. Os drivers dos instrumentos na caixa PXI são compatíveis com o padrão IVI. :30 ICBL 2008

20 Funcionalidades dos Instrumentos definidas pela IVI Foundation
Funcionalidades dos Instrumentos definidas pela IVI Foundation Capacidades base da Classe comum entre a maioria dos instrumentos disponíveis na classe Capacidades extendidas da Classe grupo de funções , atributos e valores de atributos que representam características mais específicas de uma classe de instrumentos E/S de instrumentos é uma área para a qual já existem muitos padrões estabelecidos. A mair parte dos produtos comerciais seguem os padrões VISA (Vistual Instrument System Architecture) ou IVI (Interchangable Virtual Instruments). A fundação IVI estabelece especificações para classes de instrumentos. Existem atualmente oito classes definidas como fonte de tensão contínua, Multímetro digital, Gerador de Função, Osciloscópio, Medidor de potência, Gerador de RF, Analisador de espectro e Chaves. Dentro de cada classe, os grupos das capacidades de base e extendidas são definidos. Capacidades base são as funções dos instrumentos que são comuns entre a maioria dos instrumentos disponíveis na classe. Para um osciloscópio, por exemplo, isso significa trigger de borda (edge triggering). Outros métodos de acionamento de trigger são definidos como capacidades extendidas. :30 ICBL 2008

21 Drivers dos Instrumentos
Drivers dos Instrumentos VISIR recomenda o uso de IVI drivers O padrão VISA é também aceito, entretanto as funções dos instrumentos devem ser àquelas definidas pelo padrão IVI Não é exclusivamente necessário o uso de drivers IVI, entretanto, para facilitar a portabilidade entre os diferentes nodos da grade, VISIR recomenta o uso de funções e atributos definidos pela fundação IVI para descreverem as capacidades do hardware de laboratório. Desta maneira facilita-se o uso de uma abordagem padrão. :30 ICBL 2008

22 Uma coleção de Instrumentos Virtuais
Uma coleção de Instrumentos Virtuais Uma coleção de instrumentos virtuais é necessária pois outras universidades usam outros modelos de equipamentos em seus laboratórios ou desejam, por exemplo, um painel frontal com estilo do LabVIEW Estudantes poderiam selecionar os modelos de instrumentos aos quais estão mais habituados ou querem se familiarizar Para preservar o contexto de um laboratório convencional os painéis dos instrumentos devem ser iguais ou o mais parecido possível com os equipamentos reais. Nos laboratórios da BTH existem instruments da fabricante Agilient Technologies e os painéis virtuais são fotos dos painéis reais. Outras universidades e outras instituições de ensino têm outros instrumentos em seus laboratórios. Por isso, universidades que utilizam modelos diferentes de equipamentos devem adicionar novos painéis virtuais com o auxílio de um template que será fornecido. :30 ICBL 2008

23 Problemas inerentes ao uso de matrizes de comutação em geral
A complexidade aumenta rapidamente com o número de componentes. O sinal pode passar por vários relês Circuitos perigosos para o equipamento podem ser criados O número de circuitos possíveis de serem montados em uma matriz de contatos protoboard é limitado primeiramente pelo númeor de componentes fornecidos. Esse número é grande, até mesmo com um número modesto de compomentes. Seguindo-se este raciocínio, uma matriz de comutação deveria ser muito grande para fornecer várias combinações possíveis de circuitos. Entretanto, uma sessão de laboratório em um curso universitário não se trata de livres experimentos nos quais quaisquer combinações de circuitos devem ser suportadas. Por favor veja o próximo slide. Para serem compatíveis com a matriz de contatos protoboard, apenas relés eletromecânicos devem ser usados. :30 ICBL 2008

24 A matriz de comutação suporta sessões de laboratório onde
A matriz de comutação suporta sessões de laboratório onde estudantes com pouca experiência praticam conexão de componentes e experimentos em circuitos simples descritos em um manual de instrução do laboratório estudantes avançados testam circuitos complexos pré montados e utilizam a matriz para para mover as pontas de prova entre os nodos do circuito Em exercícios de laboratórios espera-se que estudantes conectem apenas circuitos simples que são descritos em manuais do laboratório. Alguns outros circuitos possíveis de serem montados com componentes fornecidos pelo instrutor podem ser perigosos e não devem ser criados. A tentativa de realizar tais circuitos deve gerar uma mensagem de erro no sistema. Desta maneira, a flexibilidade de uma matriz protoboard nao é necessária. Em cursos mais avançados estudantes realizam experimentos com circuitos maiores e mais complexos. Esses estudantes querem que o circuito seja pré montado e pronto para ser testado. A combinação da matriz de comutação e da matriz de contatod protoboard é muito útil. O circuito pré montado a ser testado pode ser montado em uma protoboard convencional. Este deve ser posicionado ao lado da matriz de comutação. Em ambos os casos, os pontos do circuito a serem medidos devem ser conectados à matriz de comutação pelo instrutor. Esse circuito sob teste pode, por exemplo, ser representado no conjunto de componentes virtuais por uma caixa preta como um CI de 14 pinos, onde os pinos são os pontos de teste ou pontos a serem conectados à fontes ou gerador de função. Os números dos pinos deve ser encontrado no desenho do circuito pré montado. Se a fonte da bancada de trabalho for utilizada para alimentar o circuito pré montado, o instrutor pode supervisionar suas tensões. Combinações de ambos os casos também é possível. :30 ICBL 2008

25 A matriz de comutação é uma pilha com diferentes placas
A matriz de comutação é uma pilha com diferentes placas A matriz de comutação é uma pilha de placas. Os relés são arranjados em um padrão 3D juntamente com os conectores dos instrumentos e soquetes dos componentes. O número de componentes online pode ser aumentado adicionando-se outras placas à matriz. As dimensões das placas são PC/104, que é um padrão bem conhecido para sistemas embarcados, Entretanto, a posição e o tamanho do barramento que atravessa as placas são diferentes deste padrão. :30 ICBL 2008

26 Performance da matriz de comutação
Performance da matriz de comutação O gerador de função NI PXI-5402 gera uma onda quadrada de 1 MHz. O osciloscópio NI PXI-5112 mostra Os dados A matriz de comutação foi projetada para baixas frequências. O layout das trilhas das placas, a conexão na placa de componentes e o número de placas na pilha limitam a largura de banda da matriz. O resultado do teste de largura de banda da matriz de comutação na bancada de trabalho na BTH equipada com 8 placas é mostrado nesse slide. O gerador de função, NI PXI-5402 é conectado ao osciloscópio NI PXI-5112 usando essa matriz. Uma onda quadrada com frequência de 1 MHz é mostrada no osciloscópio. A figura do slide é uma cópia da tela de um PC cliente. O traçado ainda mostra uma onda quadrada. Teste de largura de banda em uma matriz com 8 placas :30 ICBL 2008

27 Como participar do grupo VISIR e contribuir com o projeto
Como participar do grupo VISIR e contribuir com o projeto Fazer o download do software e das instruções disponíveis em Adquirir os hardwares PXI da National Instruments Uma nova versão da matriz de comutação será disponibilizada em breve para aquisição :30 ICBL 2008

28 Competências necessárias para implementar uma plataforma VISIR
Competências necessárias para implementar uma plataforma VISIR Experiência em eletrônica analógica, PXI, e LabVIEW Experiência em TI (Web, PHP, MySQL, XML, C++, FLASH etc.) :30 ICBL 2008

29 Futuros desenvolvimentos para a plataforma VISIR
Futuros desenvolvimentos para a plataforma VISIR Inclusão de front panels adicionais representando modelos de instrumentos usados pela comunidade VISIR Introdução de exercícios de laboratórios existentes em outras universdades Desenvolvimento de uma interface entre a plataforma VISIR e um ambiente de aprendizagem como Moodle Adicionar novas ferramentas que suportem comunicação entre usuários do laboratório Uma grade de laboratórios VISIR baseada em web services :30 ICBL 2008


Carregar ppt "Como criar um laboratório para ensino de eletrônica com acesso remoto"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google