A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capital Social Origem do Conceito: Confiança - E. Hanifan (1916). Tocqueville- EUA - capacidade de criar associações voluntárias. 1964 - Almond e Verba.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capital Social Origem do Conceito: Confiança - E. Hanifan (1916). Tocqueville- EUA - capacidade de criar associações voluntárias. 1964 - Almond e Verba."— Transcrição da apresentação:

1 Capital Social Origem do Conceito: Confiança - E. Hanifan (1916). Tocqueville- EUA - capacidade de criar associações voluntárias Almond e Verba (atributos culturais para a manutenção da estabilidade política) Cultura Política: Poliarquia e estabilidade política não se confirma (anos 90). Putnan: estudos na Itália: desempenho. valores culturais e eficiência das instituições democráticas. Itália: Norte mais capital social: desenvolvida. Sul menos capital social.

2 4ª Perspectiva teórica: 1ª Perspectiva utilitarista – James Coleman: Dilema do prisioneiro Francis Fukuyama; escolha racional; escolha coletiva é teoricamente irracional. Relação binário entre duas pessoas; Maximização das preferências – conflito; Escolha racional: escravidão positiva melhor escravo do que morrer. Ex: Espártacos: Instituições x Democracia Maximização das preferências. Ação altruísta gera outra ação altruísta (ajuda o vizinho esperando que lhe ajude depois).

3 2ª Perspectiva etilista: Bourdieu (capital social) Trabalho Conceito Residual Capital Cultural Redes sociais de conexões; Hábitus: práticas tradicionais; Relações sociais do sujeito; Realações multivariadas.

4 3ª Característica analítica: Putnam resgate dos resíduos culturais para explicar o declínio da democracia nos EUA. Putnam = neo-tocquevilian 1ª critica: saudosismo de Tocqueville CONFIANÇA é importante para legitimar as instituições políticas. 2ª crítica: confiança é recíproca negativa; MÁFIA, Nazismo. 4ª neo-institucionalismo: Peter Evans Ex: no Ceará: agentes de saúde – promoção de práticas educativas; sinergia entre Estado e sociedade civil. Como se nega o capital social?/ Critica ao capital social/ mas como deve ser feito?/ Gabriel Salazar/ memória empírica/ América Latina. Gabriel Salazar experiência empírica do cidadão com a política/ quando o cidadão precisou das instituições políticas ele teve suas demandas, expectativas negadas. Empoderamento Fernando Bustamante Garreton

5 3ª Crítica Ideológica: Contradição interna: capital x exploração Capital investimento: num valor intangível eqüitativa para todos. =>Gabriel Salazar experiência empírica do cidadão com a política/ quando o cidadão precisou das instituições políticas ele teve suas demandas, expectativas negadas. Empoderamento Fernando Bustamante Garreton

6 Regresso a Tocqueville: a teoria do capital social como sintoma e desafio. Emílio Luque Como funciona a democracia? A resposta parece estar na obra de Putnam (1193) Making Democracy Work. Objetivo do Livro: Explorar empiricamente se o êxito de um governo democrático depende do grau em que seu entorno se aproxima do ideal de uma comunidade cívica. O autor pesquisou em 2001 na base de dados da Sociological Abstracts, com as palavras social capital e capital social e encontrou uma lista de 695 entradas distintas. Quatro grandes fazes do trabalho de Putnam: 1ª. Descrição dos efeitos que a descentralização de parte das funções do governo na Itália fazia em suas regiões. 2ª. Construção de um indicador composto para avaliar o rendimento institucional (o bem e o mau governo).

7 Ideal de comunidade cívica: Igualdade política; Solidariedade; confiança e tolerância; Compromisso cívico; Associações. Tocqueville (1831): Americanos de todas as idades, condições, e todas as disposições se hallam permanentemente formando associações...


Carregar ppt "Capital Social Origem do Conceito: Confiança - E. Hanifan (1916). Tocqueville- EUA - capacidade de criar associações voluntárias. 1964 - Almond e Verba."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google