A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Um sonho tornado realidade Era um vez, na Bulgária, um rapaz pobre, sem maldade no coração. Certo dia a vida pregou-lhe uma partida e o que para ele era.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Um sonho tornado realidade Era um vez, na Bulgária, um rapaz pobre, sem maldade no coração. Certo dia a vida pregou-lhe uma partida e o que para ele era."— Transcrição da apresentação:

1 Um sonho tornado realidade Era um vez, na Bulgária, um rapaz pobre, sem maldade no coração. Certo dia a vida pregou-lhe uma partida e o que para ele era perfeito passou a ser um vazio, pois a sua mãe tinha morrido no dia do seu aniversario. Esse dia foi o mais horrível da sua vida! Para ele, a vida não tinha sentido, pois a pessoa que ele adorava tinha partido: deixou de ir à escola, de brincar com os amigos e de falar com as pessoas todas. Estava sempre fechado no seu quarto onde ninguém o via, só no dia do seu aniversario, pois ia à campa da sua mãe. Cada dia que passava ele crescia pensando sempre que a sua vida era horrível e que não havia solução. Mas um dia lembrou-se que o sonho da sua mãe era que ele mostrasse a todas as pessoas que, com esforço, todos conseguiam o que queriam e o seu sonho era ser o melhor jogador de futebol. E ele assim fez. Todos os dias pesquisava sobre Portugal, pois era onde o melhor jogador de futebol, Cristiano Ronaldo, ia jogar e ele queria ir ver o jogo e conhecer o jogador, pois nunca o tinha visto, só na televisão. O que o estava a preocupar era o dinheiro, porque não tinha o suficiente para ir a Portugal. Então, resolveu pesquisar, para arranjar emprego.

2 Quando fez 20 anos, foi à campa da sua mãe. Pelo caminho, passou por um café onde estavam a afixar um papel que dizia que precisavam de um empregado. Ele não perdeu a oportunidade e entrou no café. Quando lá entrou, deparou-se com uma multidão de gente que via um jogo de futebol que se estava a realizar em Portugal e decidiu ficar um pouco lá sentado a ver o jogo para ver as manobras dos melhores jogadores. De repente, o dono do café foi à mesa onde ele estava sentado e disse-lhe: - Olá! Há muito tempo que não te via por aqui. - Olá! Pois, desde que a minha mãe morreu, não tenho saído muito de casa. - Eu compreendo!! – respondeu o homem com uma lágrima no olho. - Olha, já agora, eu vi que estavas a afixar um papel na porta a dizer que precisavas de empregado. Será que eu posso trabalhar aqui? - Não digas mais nada, estás contratado! Se quiseres, começas amanhã! - Claro que sim, obrigado! – respondeu o rapaz muito contente. - Não tens de agradecer, eu sei que tu precisas de uma distração. - Amanhã aqui estarei cedo para começar, mas agora tenho de ir. Até amanhã. - Até amanhã.

3 O rapaz saiu do café contentíssimo e foi rapidamente à campa da sua mãe. Quando lá chegou, ajoelhou-se e disse: - Olá Mãe! Hoje faz mais um ano que partiste e eu faço 20 anos. Gostava muito que estivesses aqui ao pé de mim para festejarmos os dois juntos. Deixando em falar de coisas tristes: hoje arranjei trabalho e começo amanhã! Assim ganho dinheiro para ir a Portugal e vou realizar o meu sonho e o teu, mãe! Desculpa, mas tenho de ir, pois amanhã começo bem cedo no trabalho. Adeus e um beijo. Quando acabou de falar, levantou-se e foi direto para casa onde se fechou no seu quarto, para se preparar para um dia longo e cansativo. No dia seguinte, quando o seu despertador tocou, ele levantou-se entusiasmado, vestiu-se tomou o pequeno-almoço rápido com medo de se atrasar e foi para o trabalho. Assim que lá chegou, entrou e foi ter com o seu chefe que lhe disse: - Bom dia, rapaz. Preparado para começar a trabalhar? - Bom dia, senhor. Estou sempre preparado para tudo! - Então vamos ao trabalho! O homem explicou-lhe tudo o que tinha de saber, no fim, começou a servir às mesas, até que algo lhe chamou a atenção: era uma linda jovem alta, de cabelos negros e olhos azuis. Os olhos do rapaz brilhavam como estrelas à noite no céu limpo. Ele ficou radiante com tanta beleza, e ele pensou “porque é que eu estive sempre fechado no meu quarto, perdendo toda a beleza do exterior!?”. Dirigiu-se à mesa da bela jovem e disse: - Bom dia, bela jovem! - Bom dia! - respondeu ela com a cara corada de tanta vergonha.

4 - O que é que vai desejar? - Pode ser um sumo de morango. - É para já ! Quando chegou ao balcão, o chefe perguntou-lhe: - O que aquela bela jovem deseja? - Aquela belíssima jovem deseja um sumo de morango! - Então eu vou lá dentro fazer. - Não, deixe estar que eu faço. - disse o rapaz a olhar para a jovem. O rapaz fez o sumo de morango, enfeitou o copo com as coisas mais românticas que tinha à mão, foi ter à mesa da jovem e disse: - Aqui tem o sumo de morango da cor do amor e do coração. - Obrigada! - Não tem de agradecer, só faço o meu trabalho. Posso fazer-lhe uma pergunta? - Claro, mas primeiro não me trates por você. - Está bem, como é que te chamas? - Eu chamo-me Diana. - O nome mais lindo que há no mundo… – disse o rapaz com os olhos a brilhar. - E tu, como te chamas?

5 - Eu chamo-me Diogo. - Prazer em conhecer-te! – disse a Diana com ar de apaixonada. - O prazer é todo meu! O Diogo não sabia o que fazer. Então, decidiu fazer-lhe outra pergunta: - Diana, queres ir jantar fora comigo hoje à noite? - Diogo não é por mal mas eu à noite trabalho. – respondeu a Diana com um ar desanimado. - Não faz mal, fica para a próxima…, mas, já agora, onde trabalhas? - Eu trabalho num bar ao fundo da rua. Olha, Diogo, gostava muito de ficar aqui a falar contigo, mas tenho de ir trabalhar. Desculpa, Diogo. - Não tens de pedir desculpas, trabalho é trabalho, não te preocupes. - Obrigada. Agora tenho de ir. Adeus, até à próxima. - De nada! Adeus e até à próxima. Quando a Diana saiu do café, o Diogo foi ter com o chefe e disse: - Aquela rapariga tem alguma coisa que me atrai… Não sei o que é, mas vou descobrir! - Eu sei que vais, mas se for amor não a deixes fugir! Acredita, já me aconteceu isso quando tinha a tua idade. -Obrigado pelo conselho.

6 - De nada, rapaz! Quando o trabalho do rapaz acabou, ele resolveu ir esperar a Diana à porta do seu trabalho. Esperou, esperou, até que ela saiu pela porta, mas nem deu conta que o Diogo estava lá. Ele foi atrás dela e puxou-lhe o braço. Eles olharam nos olhos um e do outro e ele disse: - Olá de novo, Diana! - Olá Diogo. Desculpa mas não te vi. - Não faz mal, eu estava um pouco escondido. - Por que que vieste ter comigo? – perguntou com os olhos fixos nele. - Vim perguntar-te se queres ir amanhã ao cinema comigo. - Não sei, Diogo, mal nos conhecemos e… Diogo nem deixou a Diana acabar a frase e disse: - Esta ida ao cinema é para nos conhecermos melhor… Por favor, Diana, aceita ir ao cinema comigo! - disse ele a sorrir para ela. - Está bem, amanhã às nove da noite dá? - Perfeito, está combinado, aqui às nove da noite! - Está bem, aqui estarei. Agora tenho de ir, já é tarde. Até amanhã, Diogo. - Até amanhã. Diogo foi para casa sempre a pensar na Diana. Ele não sabia o que sentia por ela mas, ia descobrir. No dia seguinte, Diogo acordou com o seu despertador a

7 tocar, levantou-se entusiasmado e contente, porque ia ao cinema com a Diana. Foi para o trabalho e quando encontrou o chefe a abrir o café, disse-lhe: - Bom dia, chefe. Está tudo bem? - Bom dia, rapaz. Sim está e contigo? - Não podia estar melhor! - Então porquê? - Eu e a Diana vamos hoje à noite ao cinema estou contentíssimo! - Vê-se pela tua cara, rapaz. Então hoje vou-te deixar sair mais cedo para te ires arranjar! - Obrigado, chefe! - De nada, rapaz. Agora vamos ao trabalho. - É para já. Diogo começou a trabalhar e, de repente, a Diana entrou no café. Ele olhou para ela e deixou cair os copos de plástico que tinha na mão. Ela vai ter com ele, baixou-se abaixa – se para ajudar a apanhar os copos e disse: - É o que faz estar a pensar noutras coisas sem ser no trabalho que estamos a fazer, não é, Diogo? - Por acaso é, estava a pensar em ti! – respondeu a sorrir. - Então acho melhor não vir cá mais vezes! – disse ela corada. - Desculpa, mas não podes deixar de vir cá se não era pior. - Está bem! Olha podes trazer-me um sumo de morango?

8 - Claro que sim, Diana. A Diana foi-se sentar e o Diogo foi fazer o seu sumo de morango. Ele começou a pensar que ela gostava muito de morangos e que, se calhar, era o seu fruto preferido. No fim de fazer o sumo pedido pela Diana, levou-lho à mesa dela e disse: - Aqui tens o teu sumo preferido! - Obrigada! - De nada. Diogo virou as costas para ir ter com o chefe e a Diana perguntou: - Diogo, espera, ainda é para ir ao cinema logo à noite? - Não, estava a pensar que podíamos ir jantar fora em vez de ir ao cinema. Pode ser? - Claro! Combinado. - Até logo. Tenho de ir trabalhar! - Até logo. Estava a fazer-se noite e Diogo foi para casa, preparou-se e foi ter ao bar onde a Diana trabalhava, e lá estava ela linda como uma flor que brilha com a luz do luar. Ele aproximou-se dela e exclamou: - Que linda que estás!! - Obrigada! - Vamos jantar, Diana? - Vamos lá. Quando chegaram ao restaurante começaram a conversar:

9 - Nunca tinha vindo a este restaurante! - disse a Diana. - Mas gostas? – perguntou o Diogo preocupado. - Claro que gosto! Mudando de assunto, qual é o teu sonho? - O meu sonho é ser o melhor jogador de futebol e ir a Portugal! - Diogo, eu não acredito! O meu sonho também é ir a Portugal. È por isso que estou a trabalhar, para arranjar dinheiro para a viagem. - Eu também! Tenho uma ideia: que tal irmos os dois juntos a Portugal? Assim realizamos os nossos sonhos juntos… - Que boa ideia! Adoro! - Então vamos. Assim que ganharmos dinheiro suficiente, vamos fazer a nossa viagem! - disse o Diogo todo contente. - Estou ansiosa que isso aconteça! E mais uma coisa eu tenho contactos de pessoas famosas do futebol em Portugal, se quiseres eu posso ajudar-te! - Fazes isso por mim? - Claro, Diogo, faço isso e muito mais se for preciso. - Obrigado! - Não tens de agradecer. No final do jantar, o Diogo levou a Diana a casa e, quando estavam à porta de casa dela, eles olharam olhos nos olhos e Diogo percebeu que era amor. Então, sem querer, beijou a Diana. Ela nem queria acreditar e perguntou:

10 - O que foi isto, Diogo? - Desculpa, foi um impulso. – disse ele com cara de preocupado, porque não sabia porque é que tinha feito aquilo. - Se gostas de mim, diz-me; não faças isto outra vez! - disse ela a chorar enquanto ia para dentro de casa. - Espera, Diana! Ela nem quis ouvir o que Diogo tinha para lhe dizer e fechou- lhe a porta na cara. Ele nem queria acreditar que tinha feito aquilo e que ela tinha ficado chateada com ele. Os dois fecharam-se nos seus quartos e pensaram no beijo. A Diana pensava que tinha sido bom, porque ela gostava dele; o Diogo pensava que, por um lado, tinha sido bom e, por outro, tinha sido mau, porque ela tinha ficado chateada. No dia seguinte, o Diogo levantou-se e foi para o trabalho. Assim que lá chegou, o chefe foi ter com ele e perguntou: - Como correu a saída com a Diana? - Correu muito mal, chefe. - disse ele com cara de desanimado. - Senta-te e conta-me tudo. O Diogo sentou-se e começou a contar tudo o que se tinha passado ao chefe e, no fim, este disse: - Se ela gosta de ti não ficou chateada, simplesmente ficou contente. Tenta descobrir se ela gosta de ti. Se ela realmente gostar de ti, não fica chateada. - Vou tentar. Obrigado, chefe. - De nada, rapaz. Olha, hoje fechas o café?

11 - Obrigado, rapaz. - Não tem de agradecer. No final do trabalho, o Diogo saiu do café e fechou a porta. De repente, ouviu uma voz que chamava pelo seu nome: - Diogo, espera, espera! Diogo olhou para trás e viu a Diana a correr e a chamar pelo seu nome. Ela chegou ao pé dele e disse: - Diogo, eu quero pedir-te desculpas pela minha atitude ontem. Fui uma parva ao ter fugido e ter fechado a porta na tua cara. Só ontem, com aquele beijo, percebi o que sinto por ti, e é amor verdadeiro! - Eu também só ontem é que me apercebi que te amo! - Eu fui uma parva e uma…. O Diogo nem sequer deixou a Diana acabar o que queria dizer, tapando-lhe a boca com um dedo, e disse: - Tu não foste nem és aquilo que estás a dizer e a pensar, tu és uma pessoa espectacular! - Obrigada, Diogo. - Queres namorar comigo? A Diana, por momentos, pensou que fosse uma brincadeira, mas viu pela cara do Diogo que não era brincadeira e respondeu: - Aceito, porque te amo. - disse ela com um sorriso na cara e a olhar para o Diogo com os olhos a brilharem de tanto amor. Diogo abraçou a Diana de tão contente que estava e disse: - Claro que sim, fique descansado.

12 - Eu amo-te, Diana! - Eu também te amo, Diogo! Os dias foram passando. Diogo e Diana sempre esperando pelo dia mais feliz de suas vidas, o dia em que iam realizar os seus sonhos. Certo dia, o Diogo foi contar o dinheiro que tinha ganho e apercebeu-se que já tinha dinheiro para a viagem, estadia e para muito mais e foi logo a casa da Diana contar-lhe que já tinha dinheiro para a viagem dos seus sonhos. Quando lá chegou, bateu à porta, apareceu a Diana que lhe disse: - Olá, amor, tudo bem? - Olá, amor! Sim, estou bem. Eu já tenho dinheiro suficiente para a viagem e muito mais! - Quem bom, amor! - E tu, já tens o suficiente? - Ainda não contei, mas vou contar agora. Espera que eu já venho. - Está bem. Enquanto a Diana foi contar o dinheiro, Diogo ficou sentado num sofá, até que ela desceu as escadas a correr a gritar que já tinha dinheiro e que podiam fazer a viagem. Os dois ficaram muito contentes e começaram logo a fazer as malas. No dia seguinte, o Diogo chegou ao trabalho muito contente e contou tudo ao chefe, que lhe disse: - Estou muito contente contigo, rapaz! Espero que realizes o teu sonho e o da tua mãe. - Obrigado, chefe, mas estou um pouco preocupado consigo!

13 - Porquê, rapaz? -Porque, quando eu for embora, o chefe vai ficar sem ninguém para o ajudar… - Não te preocupes! Eu vou arranjar alguém. O que não falta aí é pessoas à procura de trabalho. - Pois, isso é verdade… Assim fico mais descansado. - Então, já sabes quando vais? - Vou amanhã, às sete da manhã. - Então hoje podes ir para casa, preparar as coisas para amanhã. - Obrigado, chefe! Mas antes tenho de me despedir de si. O chefe tem sido como um pai para mim e isso vai ficar sempre aqui no meu coração. - Tu também foste como um filho para mim! Dá cá um abraço! Agora vai preparar as tuas coisas. - Obrigado, até para a próxima! - De nada, até á próxima! No dia da viagem, o Diogo pegou nas suas malas e foi ter a casa da Diana. Quando lá chegou, ela já estava à porta de sua casa à espera do Diogo. Assim que chegou o táxi, entraram e foram para o aeroporto de Bulgária e aí seguiram viagem para Portugal. Quando lá chegaram, foram para um hotel. De seguida, foram ter com um amigo da Diana que ia mostrar-lhes o campo de futebol. Assim que lá chegaram, o Diogo foi para o meio do campo, gritou bem alto o nome da mãe e começou a dar toques com a bola, até que um dos jogadores do Benfica viu os toques

14 do Diogo e foi ter com ele: - Olá, eu sou o Gaitán, um dos jogadores de futebol do Benfica. - Eu sei, eu não perco um jogo vosso por nada deste mundo! Ah, desculpa, eu sou o Diogo. - Prazer, eu estava ali em cima e vi os teus passes, e nunca vi nada disso por aqui em Portugal. Onde é que aprendeste esses passes ? - Eu aprendi sozinho! - Espectacular! Olha, amanhã podes aparecer aqui? - Claro que sim, mas para quê? - Quero te apresentar ao meu treinador. - Que fixe, eu não acredito! - Acredita que é verdade. Amanhã aparece aqui. - Está bem, combinado. - O que achas do campo? - Eu nunca estive em nenhum campo de futebol e a sensação é muito boa! Tenho a certeza que é aqui que eu quero viver o resto da minha vida, marcando golos a ouvir as vozes das pessoas a gritarem por mim! - Que bom, eu também tive essa sensação quando entrei pela primeira vez num campo! - É uma sensação incrível! Eles continuaram a ver o campo, até que se fez tarde e foram todos para casa. No dia seguinte, o Diogo acordou cedo

15 para não se atrasar, chamou a Diana para se levantar e foram os dois ter ao campo. Quando lá chegaram, o Diogo e a Diana foram ter com o Gaitán. Ao pé dele estava o Jesus, o treinador do Benfica, que lhe disse: - Olá! Tu é que és o famoso rapaz chamado Diogo? - Olá! Sim, sou eu, e o senhor é o treinador do Benfica o, Sr. Jesus! - Sim, sou. Ouvi falar que sabes uns toques incríveis, não mos queres mostrar? - Claro, senhor. O Diogo mostrou os toques e passes que sabia e, no final, o treinador disse: - Incrível esses toque e esses passes! Nunca vi nada disso! - Obrigado! - Será que queres entrar como experiência para a equipa do Benfica? - Claro que sim! - Então começas amanhã! - Está bem! - disse o Diogo todo contente. No dia seguinte, o Diogo e a Diana foram ter ao campo como combinado quando de repente, viram todos os jogadores do Benfica a treinar. O treinador foi ter com ele e perguntou-lhe: - Bom dia! Preparado para um dia de treino? - Bom dia! Claro senhor! O treinador foi apresentar o Diogo aos jogadores, e começou a treinar o Diogo. No final do treino, o treinador disse: - Estou impressionado com a tua força! - Obrigado! - Aceitas entrar para a equipa do Benfica? Diogo nem queria acreditar e olhou para a Diana. Ela abanou a cabeça para dizer que sim e ele aceitou. O Diogo ficou tão contente que até abraçou o treinador.

16 Os dias foram passando, Diogo estava cada vez mais forte e a data do jogo ia-se aproximando. E esse dia chegou. O Benfica ia jogar contra o Porto e o Diogo estava muito nervoso, mas tinha sempre a Diana ao seu lado para o que ele precisasse e ele assim estava um pouco melhor. A hora chegou. O jogo começou com o Diogo no banco. Na primeira parte, o jogo estava 0-1, o Benfica estava a perder, até que o treinador resolveu meter o Diogo em campo. Quando o Diogo entrou em campo, ouviu-se uma voz a dizer: - Temos um novo jogador na equipa do Benfica que se chama Diogo. Vamos ver como se sai no jogo! O jogo começou. Quando o Diogo conseguiu marcar um golo, ouviu as vozes todas a gritar por ele. O Diogo não sabia, mas o Cristiano Ronaldo estava naquele momento a ver o jogo e a ver os seu golos! O jogo acabou e o Benfica ganhou graças ao Diogo que marcou três golos. No dia seguinte, Diogo acordou a Diana e foram os dois para a sala ver um filme para ele descansar. De repente, alguém bateu à porta e o Diogo foi abrir. Assim que viu o Cristiano Ronaldo, os seus olhos brilharam e ele ficou sem palavras. O Ronaldo disse: - Olá, eu sou o Cristiano Ronaldo e tu deves ser o famoso Diogo. - Olá! Sim, sou eu… – respondeu o Diogo a sorrir. - Eu queria falar contigo, será que posso? - Claro que sim, entre e esteja à vontade! Os três estiveram a conversar sobre a vida do Diogo e sobre o futebol e, no fim, o Cristiano Ronaldo foi se embora. Diogo nem

17 queria acreditar que o sonho dele se tinha realizado, tinha conhecido o Cristiano Ronaldo pessoalmente, só faltava tornar- -se num dos melhores jogadores de futebol, mas isso estava prestes a acontecer. No dia seguinte, Diogo e Diana saiam de casa, quando, de repente, uma multidão de jornalistas se aproximou do Diogo. Os jornalistas queriam saber tudo sobre ele, onde tinha aprendido todas as aquelas coisas, quando tinha começado e o que pretendia fazer no futuro. No meio de tantas perguntas, começou a responder ao que todos queriam saber: - Olá, eu chamo-me Diogo, vim de uma pequena aldeia da Bulgária, cresci e morei lá durante vinte e três anos. A minha mãe morreu quando eu tinha dezoito anos; desde então, a minha vida não tinha sentido, mas um dia lembrei-me que a minha mãe tinha um sonho, que era que eu mostrasse a todas as pessoas que, com esforço, todos conseguiam o que queriam e assim o fiz. aqui estou para mostrar a todas as pessoas que eu, com esforço, consegui realizar o sonho da minha mãe e o meu. Mas antes de isto tudo, tive de arranjar emprego para ganhar dinheiro e tive de treinar muito em casa. Sim aprendi isto tudo sozinho! Quero dizer a todas as pessoas que, se quiserem, com esforço conseguem alcançar os seus objetivos. - E qual era o seu sonho? - perguntou um jornalista curioso. - O meu sonho era ser um dos melhores jogadores de futebol e consegui! Obrigado a todos os que me ajudaram! No final foi para casa feliz pois tinha realizado os três desejos: o dele, o da sua mãe e o da sua namorada. Ele foi feliz jogando futebol e ensinando futebol às crianças e assim realizou todos os sonhos da sua vida. Fim

18 assim realizou todos os sonhos da sua vida. Fim Realizado por: Diana Fonseca Francisco Santos Miguel Jesus


Carregar ppt "Um sonho tornado realidade Era um vez, na Bulgária, um rapaz pobre, sem maldade no coração. Certo dia a vida pregou-lhe uma partida e o que para ele era."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google