A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Políticas Públicas en Alcohol Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Universidade Federal de São Paulo Setembro 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Políticas Públicas en Alcohol Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Universidade Federal de São Paulo Setembro 2005."— Transcrição da apresentação:

1 Políticas Públicas en Alcohol Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Universidade Federal de São Paulo Setembro 2005

2 Burden of disease attributable to addictive substances related risks: ALCOHOL (% DALYs in each subregion) % 1-1.9% 2-3.9% 4-7.9% <0.5% % Proportion of DALYs attributable to selected risk factor

3 U.S. Economic Costs of ATOD Use, 1995 Total Costs = $415 Billion Sources: Harwood, Fountain, & Livermore, NIDA & NIAAA, 1998 Rice (unpublished) Institute for Health and Aging, UCSF, 1995

4 Every Ounce of Alcohol Sold in the United States Generates $2.25 in Public Sector Costs Alcohol – Related Violence$1.00 Drinking Driving Problems.85 Other Costs.40 $2.25 Alcohol ProblemCost per Ounce Total Societal Costs, including Public Sector Costs: $6.00/ounce Source: Ted Miller, Ph.D. PIRE

5 Societal Costs – Alcohol Sales Source: Ted Miller, Ph.D. PIRE Sales Unit Public Sector Costs Total Societal Costs Beer – Six Pack $7.30 $19.45 Wine – Fifth Bottle $7.50 $20.00 Spirits – Fifth Bottle $23.00 $61.45

6 Livro ALCOHOL: no ordinary commodity (research and public policy) Organização Mundial da Saúde 2003

7 Impact of enforcement on alcohol-related traffic fatalities Percentage traffic fatalities related to alcohol ( )

8 Ratings of policy-relevant stategies and interventions – DRINKING-DRIVING StrategyEffective- ness Breadth of research support Cross-cultural testing Cost to implement Target group Sobriety check points+++++ ModerateGP Random breath test++++++ModerateGP Lowered BAC level+++ ++LowGP License Suspension++ ModerateHR Low BAC for young++++++LowHR Designated drivers and ride services 0++ModerateHR

9 PESQUISA BEBER E DIRIGIR NO MUNICÍPIO DE DIADEMA SÉRGIO M. DUAILIBI PROF.DR.RONALDO LARANJEIRA

10 BEBER E DIRIGIR Objetivo Geral: Realizar levantamento de dados referente ao comportamento de beber e dirigir em condutores de veículos automotores em vias públicas de tráfego automobilístico na cidade de Diadema -SP.

11 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 3.1-Testar metodologia de controle e fiscalização do beber e dirigir in loco. 3.2-Testar a aplicabilidade e aceitabilidade dos bafômetros (passivos e ativos) como instrumento na coleta de dados de pesquisa. 3.3-Contribuir com a configuração de desenhos para pesquisas futuras, que visem algum interesse científico nesta área. 3.4-Levantar dados básicos para orientação de intervenções situadas no campo do beber e dirigir, as quais possam ser efetuadas para redução dos problemas relacionados ao consumo do álcool, no município de Diadema e outras localidades.

12 METODOLOGIA 4.1- O levantamento será realizado em check-points estabelecidos em vias de tráfego considerados mais intensos ou estratégicos em horários pré estabelecidos (20h-2h). Cada check-point contará com a participação de um líder, guarda civil Municipal e dois entrevistadores O método de escolha do veículo foi aleatória Os motoristas foram parados pelos guardas civis municipais, devidamente equipados. Uma vez escolhido veículo, este era desviado para o check- point, devendo ser observadas todas as medidas de segurança para com os condutores e passageiros dos veículos pesquisados ou em tráfego, bem como os membros da equipe de pesquisa.

13 RESULTADOS Foram abordados 198 veículos dos quais 20 (10,1%) recusaram-se a participar da pesquisa. Dos 178 submetidos ao bafômetro passivo, tivemos 130 testes negativos e 48 testes positivos (26,97% de positividade). Destes 48 testes positivos, 32 (17,98% do total da amostra de 178) estavam em limites superiores aos permitidos para a legislação brasileira para dirigir (acima de 0,06 g / l de álcool no sangue), quando aferíamos com o bafômetro passivo.

14 RESULTADOS Quando o resultado do bafômetro passivo era confirmado pelo bafômetro ativo, os níveis encontrados eram superiores a 0,02g /l aos obtidos com o passivo. Como não havia obrigatoriedade em responder ao questionário, nem para utilizar-se dos bafômetros, podermos especular se os resultados não seriam maiores se todos os motoristas tivessem sido pesquisados.

15 EFEITOS BEBER E DIRIGIR As reações do organismo de acordo com a quantidade de álcool ingerida * : Níveis sanguíneos Reações esperadas (álcool / litro de sangue) # 0,01 a 0,03 ml/l – Comprometimento da noção de distância e velocidade # 0,03 a 0,05 ml/l _ Motorista torna-se desatento e com o campo visual restrito. # 0,06 a 0,08 ml/l _ Perda da noção de risco,dos reflexos e intolerância a mudanças de luminosidade. # 0,08 a 0,15 ml/l _ Desconcentração e dificuldade na coordenação de movimentos. # 0,15 a 0,20 ml/l _ Visão dupla (diplopia) e leve letargia # 0,20 a 0,50 ml/l _ Embriaguez acentuada. Amplificação dos sintomas anteriores. As reações variam de acordo com todas as variáveis que influam sobre a quantidade de álcool absorvida, tais como quantidade de alimentos ingeridos com a bebida, particularmente doces, medicamentos,etc. Há também variações individuais decorrentes da tolerância ao álcool.

16

17

18

19

20

21

22


Carregar ppt "Políticas Públicas en Alcohol Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Universidade Federal de São Paulo Setembro 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google