A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Repetições na propaganda Profa. Marilene Garcia. “Sabe aquela história do gás que acaba, do humor que acaba, da paciência que acaba? Também acabou”.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Repetições na propaganda Profa. Marilene Garcia. “Sabe aquela história do gás que acaba, do humor que acaba, da paciência que acaba? Também acabou”."— Transcrição da apresentação:

1 Repetições na propaganda Profa. Marilene Garcia

2 “Sabe aquela história do gás que acaba, do humor que acaba, da paciência que acaba? Também acabou”.

3 Nessa propaganda: gás, humor e paciência, quando acabam, têm efeitos (ou conseqüências) diversos. Já o item lexical ‘acabou’ também remete para outro significado: o de que a companhia de gás vai resolver o problema das donas de casa, incomodadas com a ocorrência

4 Um é pouco, dois é pouco, três é pouco”,

5 Na propaganda do BIS, o item lexical ‘pouco’, reiterado, permite que se obtenha o efeito de ‘querer mais’.

6 “Tinha uma pedra no meio do caminho. No meio do caminho tinha uma pedra”.

7 O poema de Drummond, ao reiterar a existência da pedra, aumenta-se a sensação dos problemas enfrentados, das dificuldades. Nesse poema, observa-se a recorrência de estruturas que produzem um paralelismo sintático: utilizam-se as mesmas estruturas sintáticas, modificando-se apenas os itens lexicais.

8 Assim... “Segundo KOCH (1997), a recorrência de termos (reiteração de um mesmo item lexical) produz o que se chama de coesão seqüencial parafrástica.” Nessa repetição, um novo sentido é impresso à palavra repetida. Não é, portanto, uma repetição pura e simples, mas adquire um novo significado, pois vai contribuindo para intensificar os diferentes efeitos.

9 Classificação da repetição Johnston classifica os estudos sobre a repetição em quatro grandes grupos: a) a repetição como mecanismo coesivo; b) a repetição como recurso retórico; c) a repetição como produtora de efeitos semânticos d) a importância da repetição na aquisição da linguagem, na socialização lingüística e no ensino de línguas.

10 Tipos de repetição

11 Repetição FONOLÓGICA Monofonemática a) Sibilância (consoante /s/ aleatoriamente): asfaltos vastos. b) Aliteração (consoante inicial ou não): o rato roeu a roupa. c) Assonância (vogal em sílaba tônica): casa de prata.

12 Plurifonemática Amplificação (juntos e depois separados): prata partida. Redução (separados e depois juntos): diários dramáticos. Quiasmo (duas consoantes em X): retém teu rancor. (r - t / t – r) Acróstico (várias consoantes invertidas): d – r – s / s – r - d. Com quatro patinhas, o rabo curtinho, Orelhas compridas, peludo – é verdade – E sempre a mexer o nariz quando come, Louco por cenouras e alfaces, louquinho, Há tanto no campo como na cidade. O nome não digo. qual é o seu nome? (Leonel Neves – Bichos de trazer pra casa)

13 Repetição morfológica Homeoteleuto (final de palavras próximas): capitão Salomão. Rima (final de palavras simetricamente dispostas). Parequema (fim e início de palavras contíguas): roupa parda

14 Monolexical entre orações: Anáfora - repetição no início de cada oração. – Nem tudo que ronca é porco, – Nem tudo que berra é bode, – Nem tudo que reluz é ouro, – Nem tudo falar se pode. Epístrofe - repetição no fim de cada oração. Mesodiplose - repetição no meio de cada oração. Anadiplose - repetição da lexia final de uma oração no início da oração seguinte. Epanadiplose - repetição da lexia inicial de uma oração no fim da oração seguinte. – Ambos poetas, grandes poetas ambos." – "Vozes veladas, veludosas vozes, – Volúpias dos violões, vozes veladas." – (Cruz e Sousa)

15 Repetição estrutural Paralelismo: repetição de estruturas oracionais preenchidas com itens lexicais diferentes. Exemplos de paralelismo no texto de propaganda: 1) Não existe outra pessoa igual a você. Não existe outro espaço igual a esse. Muito menos outra oportunidade igual a essa. 2) Eu tenho pressa. Eu tenho dúvidas. Eu tenho medo. Eu tenho câncer. Nós podemos ajudá-lo.

16 Repetição semântica Sinonímia (repetição do mesmo sentido com palavras formalmente diferentes). Paráfrase (repetição do mesmo sentido com textos formalmente diferentes). Pleonasmo (repetição da significação de vocábulos ou termos oracionais com propósito retórico).

17 Conclusão No texto publicitário escrito, a repetição deixa de ser um vício de linguagem e assume a função de estabelecer coesão e produzir efeitos semânticos. Assim, no texto publicitário, a repetição não serve para retomar o que já foi dito, mas para acrescentar novas idéias que levem o leitor adquirir um determinado produto.


Carregar ppt "Repetições na propaganda Profa. Marilene Garcia. “Sabe aquela história do gás que acaba, do humor que acaba, da paciência que acaba? Também acabou”."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google