A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Centenarios nordestino-brasileiros: Jorge (eternamente) Amado & Luiz Gonzaga, o rei do baião.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Centenarios nordestino-brasileiros: Jorge (eternamente) Amado & Luiz Gonzaga, o rei do baião."— Transcrição da apresentação:

1 Centenarios nordestino-brasileiros: Jorge (eternamente) Amado & Luiz Gonzaga, o rei do baião

2 As mulheres fortes de Jorge Amado Tieta, a pastora de cabras Tieta Luiz Caldas Vem meu amor, vem com calor No meu corpo se enroscar Vem minha flor, vem sem pudor Em seus braços me matar...(2x) Tiêta não foi feita Da costela de Adão É mulher diabo

3 Minha própria tentação Tiêta é a serpente Que encantava o paraíso Ela veio ao mundo Prá virar nosso juízo... Tiêta! Tiêta! Pelos olhos de Tiêta Me deixei guiar Tiêta! Tiêta! No ventre de Tiêta Encontrei o meu lugar Tiêta! Tiêta! Nos seios de Tiêta

4 Construí meu ninho Na bôca de Tiêta Morrir como um passarinho... Vem meu amor, vem com calor No meu corpo se enroscar Vem minha flor, vem sem pudor Em seus braços me matar...(2x) Tiêta do Agreste Lua cheia de tesão É lua, estrela, nuvem Carregada de paixão Tiêta é fogo ardente Queimando o coração

5 Seu amor mata a gente Mais que o solo do sertão... Vem meu amor, vem com calor No meu corpo se enroscar Vem minha flor, vem sem pudor Em seus braços me matar... Tiêta do Agreste Lua cheia de tesão É lua, estrela, nuvem Carregada de paixão Tiêta é fogo ardente Queimando o coração Seu amor mata a gente

6 Mais que o solo do sertão... Gabriela “Quando vim pra esse mundo Eu não atinava em nada Hoje eu sou Gabriela Gabriel iê, meus camaradas... Eu nasci assim, eu cresci assim, E sou mesmo assim, vou ser sempre assim Gabriela, sempre Gabriela Quem me batizou, quem me nomeou Pouco me importou e assim que eu sou,

7 Gabriela, sempre Gabriela Quando vim pra esse mundo Eu não atinava em nada Hoje eu sou Gabriela Gabriel iê, meus camaradas... Eu nasci assim, eu cresci assim, E sou mesmo assim, vou ser sempre assim Gabriela, sempre Gabriela Eu sou sempre igual, não desejo o mal Amo o natural, etc e tal Gabriela, sempre Gabriela

8 Eu nasci assim, eu cresci assim, E sou mesmo assim, vou ser sempre assim Gabriela, sempre Gabriela Quem me batizou, quem me nomeou Pouco me importou e assim que eu sou, Gabriela, sempre Gabriela Eu sou sempre igual, não desejo o mal Amo o natural, etc e tal Gabriela, sempre Gabriela

9  O conflito entre gerações ainda existe? Gabriela : Gerusa e o Coronel Dorotéia Tieta : a moral sexual em jogo  Luiz Gonzaga e Januário Respeita Januário Luíz Gonzaga

10 Quando eu voltei lá no sertão Eu quis mangar de Januário Com meu fole prateado Só de baixo, cento e vinte, botão preto bem juntinho Como nêgo empareado Mas antes de fazer bonito de passagem por Granito Foram logo me dizendo: "De Itaboca à Rancharia, de Salgueiro à Bodocó, Januário é o maior!" E foi aí que me falou meio zangado o véi Jacó:

11 Luíz respeita Januário Luíz respeita Januário Luíz, tu pode ser famoso, mas teu pai é mais tinhoso E com ele ninguém vai, Luíz Respeita os oito baixo do teu pai! Respeita os oito baixo do teu pai! Eita com seiscentos milhões, mas já se viu! Dispois que esse fi de Januário vortô do sul Tem sido um arvorosso da peste lá pra banda do Novo Exu Todo mundo vai ver o diabo do nego

12 Eu também fui, mas não gostei O nego tá muito mudificado Nem parece aquele mulequim que saiu daqui em 1930 Era malero, bochudo, cabeça-de-papagaio, zambeta, feeei pa peste! Qual o quê! O nêgo agora tá gordo que parece um major! É uma casemira lascada! Um dinheiro danado! Enricou! Tá rico! Pelos cálculos que eu fiz, ele deve possuir pra mais de 10 contos de réis!

13 Safonona grande danada 120 baixos! Eu também fui, mas não gostei O nego tá muito mudificado Nem parece aquele mulequim que saiu daqui em 1930 Era malero, bochudo, cabeça-de-papagaio, zambeta, feeei pa peste! Qual o quê! O nêgo agora tá gordo que parece um major! É uma casemira lascada! Um dinheiro danado! Enricou! Tá rico! Pelos cálculos que eu fiz,

14 ele deve possuir pra mais de 10 contos de réis! Safonona grande danada 120 baixos! É muito baixo! Eu nem sei pra que tanto baixo! Porque arreparando bem ele só toca em 2. Januário não! O fole de Januário tem 8 baixos, mas ele toca em todos 8 Sabe de uma coisa? Luiz tá com muito cartaz! É um cartaz da peste! Mas ele precisa respeitar os 8 baixos do pai dele E é por isso que eu canto assim!

15 "Luí" respeita Januário "Luí" respeita Januário "Luí", tu pode ser famoso, mas teu pai é mais tinhoso Nem com ele ninguém vai, "Luí" Respeita os oito baixo do teu pai! Respeita os oito baixo do teu pai! Respeita os oito baixo do teu pai!  Luiz Gonzaga e Gonzaguinha

16  Desigualdade Social Os novos fluxos migratórios O último pau-de-arara Lamento Sertanejo Os novos fluxos migratórios O nordeste da seca: Asa Branca Luíz Gonzaga

17 Quando "oiei" a terra ardendo Qual a fogueira de São João Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de "prantação" Por farta d'água perdi meu gado Morreu de sede meu alazão Por farta d'água perdi meu gado Morreu de sede meu alazão

18 Inté mesmo a asa branca Bateu asas do sertão "Intonce" eu disse, adeus Rosinha Guarda contigo meu coração "Intonce" eu disse, adeus Rosinha Guarda contigo meu coração Hoje longe, muitas légua Numa triste solidão Espero a chuva cair de novo Pra mim vortar pro meu sertão Espero a chuva cair de novo Pra mim vortar pro meu sertão

19 Eu te asseguro não chore não, viu Que eu vortarei, viu Meu coração

20 VIVA O NORDESTE LUIZ GONZAGA E JORGE AMADO

21

22 A linguagem nordestina Diversidade cultural Influencia africana e europeia A linguagem em Jorge Amado e Luiz gonzaga

23 Cotas e movimentos sociais

24 Mobilização Social e Movimentos Nordestinos

25 Caatinga Profª. Elaine Euzébio de Lima

26 Características Gerais Nome deriva do tupi e significa “mata branca” Único bioma exclusivamente brasileiro Ocupa cerca de 10% do território nacional ( km2) Associado à imagem de seca e pobreza

27 Engloba os estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e parte de Minas Gerais

28 É o mais fragilizado bioma brasileiro Uso insustentável Pouca pesquisa científica

29 Divisão Agreste – faixa de transição entre interior seco e Mata Atlântica Sertão – característico da vegetação mais rústica

30 Flora Mandacaru

31 Aroeira Juazeiro

32 xique-xique Amburana

33 Fauna Calango verde Mais de 47 espécies de lagartos Calanguinho

34 Cascavel Mais de 45 espécies de serpentes Carcará Algumas aves são moradoras típicas do nordeste

35 pomba asa-branca gralha-canção

36 ararinha azul Ararinha azul foi vista na natureza em 2000 e é considerada extinta pelo IBAMA arara-azul-de-Lear

37 sapo cururu Jia

38 Gato selvagem Onça pintada

39 veado catingueiro

40 Seca no Nordeste Principais causas são naturais Baixo índice pluviométrico Baixa umidade Solo seco Temperaturas elevadas

41 Seca, fome e miséria: um problema social Pouco desenvolvimento agricultura e pecuária Apesar disso o nordeste encontra-se antropizado Seca provoca falta de recursos econômicos

42

43 Alto índice de desemprego Êxodo rural ainda praticado

44 Ações para diminuir impacto da seca Construção de açudes, cisternas e barragens Incentivo público à agricultura adaptada às características da região Implantação de sistema de desenvolvimento sustentável

45 Transposição do Rio São Francisco Objetivo: construção de dois canais para levar água do rio para regiões semi-áridas

46 Seca de 2012 A pior dos últimos 30 anos Somente na Bahia, cerca de 230 municípios foram atingidos

47 Novo Código Florestal Código Florestal – 1965 Redução das faixas mínimas de preservação Culturas em morros Redução das áreas de reserva

48

49

50


Carregar ppt "Centenarios nordestino-brasileiros: Jorge (eternamente) Amado & Luiz Gonzaga, o rei do baião."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google