A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Turma 901 – Aula 22/08/14 PATRÍSTICA "A fé em busca de argumentos racionais a partir de uma matriz platônica" Desde que surgiu o cristianismo, tornou-se.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Turma 901 – Aula 22/08/14 PATRÍSTICA "A fé em busca de argumentos racionais a partir de uma matriz platônica" Desde que surgiu o cristianismo, tornou-se."— Transcrição da apresentação:

1 Turma 901 – Aula 22/08/14 PATRÍSTICA "A fé em busca de argumentos racionais a partir de uma matriz platônica" Desde que surgiu o cristianismo, tornou-se necessário explicar seus ensinamentos às autoridades romanas e ao povo em geral. Mesmo com o estabelecimento e a consolidação da doutrina cristã, a Igreja católica sabia que esses preceitos não podiam simplesmente ser impostos pela força. Eles tinham de ser apresentados de maneira convincente, mediante um trabalho de conquista espiritual. Foi assim que os primeiros Padres da Igreja se empenharam na elaboração de inúmeros textos sobre a fé e a revelação cristãs. O conjunto desses textos ficou conhecido como patrística por terem sido escritos principalmente pelos grandes Padres da Igreja. Uma das principais correntes da filosofia patrística, inspirada na filosofia greco-romana, tentou munir a fé de argumentos racionais. Esse projeto de conciliação entre o cristianismo e o pensamento pagão teve como principal expoente o Padre Agostinho. "Compreender para crer, crer para compreender". (Santo Agostinho)

2 Turma 901 – Aula 22/08/14 ESCOLÁSTICA "Os caminhos de inspiração aristotélica levam até Deus". No século IX, Carlos Magno resolveu organizar o ensino por todo o seu império e fundar escolas ligadas às instituições católicas. A cultura greco-romana, guardada nos mosteiros até então, voltou a ser divulgada, passando a ter uma influência mais marcante nas reflexões da época. Era a renascença carolíngia.

3 Turma 901 – Aula 22/08/14 Guerreiro audacioso, Carlos Magno dedicou-se, durante toda a vida, muito à espada do que ao cultivo do espírito, permanecendo analfabeto praticamente até a idade adulta. Entretanto, na qualidade de administrador, preocupou-se em promover o desenvolvimento cultural do Império Franco, talvez para dar legitimidade à pretendida recriação do Império Romano Ocidental. Assessorado por intelectuais, como o monge Alcuíno, o bibliotecário Leidrade e os historiadores Paulo Diácomo e Eginardo, Carlos Magno abriu escolas e mosteiros, estimulou a tradução e a cópia de manuscritos antigos e protegeu artistas. Assim, o período de seu governo foi marcado por significativa atividade cultural, que abrangeu os setores das letras, das artes e da educação. Trata-se da chamada renascença carolíngia, que contribuiu para a preservação e a transmissão de valores da cultura da Antiguidade Clássica.

4 Turma 901 – Aula 22/08/14

5 Tendo a educação romana como modelo, começaram a ser ensinadas as seguintes matérias: gramática, retórica e dialética (o trivium ) e geometria, aritmética, astronomia e música (o quadrivium ). Todas elas estavam, no entanto, submetidas à teologia. A fundação dessas escolas e das primeiras universidades do século XI fez surgir uma produção filosófico-teológica denominada escolástica (de escola).

6 Turma 901 – Aula 22/08/14 A partir do século XIII, o Aristotelismo penetrou de forma profunda no pensamento escolástico, marcando-o definitivamente. Isso se deveu à descoberta de muitas obras de Aristóteles, descobertas até então, e à tradução para o latim de algumas delas, diretamente do grego. A busca da harmonização entre a fé cristã e a razão manteve-se, no entanto, como problema básico de especulação filosófica. Nesse sentido, o período escolástico pode ser dividido em três fases:

7 Turma 901 – Aula 22/08/14 Primeira fase - (do século IX ao fim do século XII): caracterizada pela confiança na perfeita harmonia entre fé e razão.

8 Turma 901 – Aula 22/08/14 Segunda fase - (do século XIII ao princípio do século XIV): caracterizada pela elaboração de grandes sistemas filosóficos, merecendo destaques nas obras de Tomás de Aquino. Nesta fase, considera-se que a harmonização entre fé e razão pôde ser parcialmente obtida. Terceira fase - (do século XIV até o século XVI): decadência da escolástica, caracterizada pela afirmação das diferenças fundamentais entre fé e razão

9 Turma 901 – Aula 22/08/14 Tarefa de Casa: Pesquisar e registrar no caderno a biografia (vida e obras literárias) de Santo Agostinho Pesquisar e registrar no caderno a biografia (vida e obras literárias) de São Tomás de Aquino

10

11 Turma 901 – Aula Setembro A Filosofia Árabe Tal como os filósofos cristãos, também os árabes, tentaram conciliar o conteúdo da revelação com a filosofia. Pretendiam perpassar a obscuridade da fé com a luz da razão natural. O pensamento rígido do Corão e dos tradicionalistas chocou muitas vezes com a cosmovisão platónica e aristotélica, sobretudo nas concepções da criação e da ação divina sobre o mundo. LINK: https://www.youtube.com/watch?v=ocs veagHeV0https://www.youtube.com/watch?v=ocs veagHeV0 LINK: https://www.youtube.com/watch?v=rhf W7nOptfwhttps://www.youtube.com/watch?v=rhf W7nOptfw

12 Os árabes tiveram contacto com a filosofia grega através dos territórios conquistados onde predominava a cultura helenica e assim conheceram obras gregas no campo da medicina, matemática e filosofia. Através da traduções feitas pelos judeus de Espanha dos comentadores de Aristóteles (Averróis), os europeus puderam conhecer a maior parte do corpus aristotelicum, que era desconhecido até então.

13 O que mais se conhecia de Aristóteles era somente a lógica, depois, através dos comentadores árabes, juntou- se a metafísica (É um campo da Filosofia que se preocupa com a essência das coisas tipo: o que é real, o que é natural, e o que é sobrenatural. Ocupa- se também da relação do homem com a sua própria existência e a sua relação com o Tempo, Espaço, Causalidade e Possibilidade), a física, a ética e a psicologia.

14 Os maiores filósofos árabes conhecedores de Aristóteles e que influíram profundamente sobre o Ocidente latino-cristão, foram Avicena ( 980 d.C ) e Averróis ( 1126 – 1198 ).

15 1) Os Califas Islâmicos governavam um vasto território. Eles sabiam que o poder político e conhecimento científico andavam de mãos dadas. No Séc. VIII d.C. o Califa Abdul Malik criou uma reforma para facilitar a aquisição do conhecimento, inclusive incentivando um idioma uniforme. Que idioma foi esse? Que livro serviu de inspiração para que esse idioma fosse implantado em todo território?

16 2) Explique segundo o vídeo, o que foi o “MOVIMENTO DE TRADUÇÃO” 3) Ainda segundo o vídeo, diz a história, que o Califa Al-Mamun estava tão obcecado em busca do conhecimento que enviou seu mensageiros de Bagdá para terras distantes, só para pegar livros que ele não tinha, para incluí-los no movimento de tradução. De que forma o Califa Al-Mamun recompensava os mensageiros que conseguiam esses livros?

17 4) “Para muitos da elite dominante do império Islâmico, o próprio conhecimento tinha objetivo de autobenefício”. Expliqu e segundo o vídeo:


Carregar ppt "Turma 901 – Aula 22/08/14 PATRÍSTICA "A fé em busca de argumentos racionais a partir de uma matriz platônica" Desde que surgiu o cristianismo, tornou-se."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google