A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Paul Tripp no Grand Canyon Todo verão a sua família fazia alguma viajem e em um verão o Pai dele resolveu ir para o Grand Canyon. Todo verão a sua família.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Paul Tripp no Grand Canyon Todo verão a sua família fazia alguma viajem e em um verão o Pai dele resolveu ir para o Grand Canyon. Todo verão a sua família."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Paul Tripp no Grand Canyon Todo verão a sua família fazia alguma viajem e em um verão o Pai dele resolveu ir para o Grand Canyon. Todo verão a sua família fazia alguma viajem e em um verão o Pai dele resolveu ir para o Grand Canyon. Seu pai era muito metódico e sempre queria ver a família feliz, por isso seus filhos quando perguntados se estavam se divertindo, sabiam que tinham que responder SIM. Seu pai era muito metódico e sempre queria ver a família feliz, por isso seus filhos quando perguntados se estavam se divertindo, sabiam que tinham que responder SIM. Quando chegaram lá foi uma verdadeira loucura. Quando chegaram lá foi uma verdadeira loucura.

4 Grand Canyon A Pai de Paul estava muito empolgado, emoção esta não compartilhada por sua mãe. A Pai de Paul estava muito empolgado, emoção esta não compartilhada por sua mãe. Quando chegaram, seu pai se recusou a ver do lugar cercado, queria ver de mais perto. Pegou uma trilha e parou a beira do precipício. Quando chegaram, seu pai se recusou a ver do lugar cercado, queria ver de mais perto. Pegou uma trilha e parou a beira do precipício. Seus filhos correram para beira, fingiam empurrar o outro, sentaram na borda com os pés a 2 mil metros de altura. Jogaram pedras. Sem pensar que alguém podia estar fazendo uma trilha lá embaixo. Seus filhos correram para beira, fingiam empurrar o outro, sentaram na borda com os pés a 2 mil metros de altura. Jogaram pedras. Sem pensar que alguém podia estar fazendo uma trilha lá embaixo.

5 Grand Canyon Sua mãe por vez, nem saía do carro, tinha um medo terrível de altura, colocou um pé para fora e bateu para ver se o chão era firme, ela imaginava que a borda iria cair e coisas do tipo. Sua mãe por vez, nem saía do carro, tinha um medo terrível de altura, colocou um pé para fora e bateu para ver se o chão era firme, ela imaginava que a borda iria cair e coisas do tipo. O Pai ficava entre ter certeza que os meninos não cairiam e acalmar a sua esposa, correndo de um lado para outro. Acabando nem vendo o Grand Canyon. Ele estava muito ocupado correndo de lá para cá, assegurando que todos estavam bem e se divertindo segundo o seu plano. O Pai ficava entre ter certeza que os meninos não cairiam e acalmar a sua esposa, correndo de um lado para outro. Acabando nem vendo o Grand Canyon. Ele estava muito ocupado correndo de lá para cá, assegurando que todos estavam bem e se divertindo segundo o seu plano.

6 Basicamente 3 tipos de pessoas nessa história Alguém com medo de enfrentar o desconhecido. Alguém com medo de enfrentar o desconhecido. Alguém tentando controlar tudo, garantindo o bem estar de todos e tendo seus planos concretizados. Alguém tentando controlar tudo, garantindo o bem estar de todos e tendo seus planos concretizados. E dois rapazes aproveitando tudo, sem pensar nas consequências. E dois rapazes aproveitando tudo, sem pensar nas consequências.

7 Mas a pergunta é: Por que cada um agiu assim? Por que cada um teve uma experiência tão diferente da mesma coisa? Por que cada um teve uma experiência tão diferente da mesma coisa? Por que cada um agiu de maneira tão diferente do outro? Por que cada um agiu de maneira tão diferente do outro? A resposta está: no que estava dentro do coração de cada um. A resposta está: no que estava dentro do coração de cada um.

8 Coração Tudo o que o pai fez, foi controlado por um desejo de que sua família se divertisse. Tudo o que o pai fez, foi controlado por um desejo de que sua família se divertisse. Sua mãe estava com medo, e tudo que ela fez e falou foi controlado por esse medo. Sua mãe estava com medo, e tudo que ela fez e falou foi controlado por esse medo. Os rapazes tinham no coração a vontade de se divertir e suas atitudes foram moldadas por essa vontade. Os rapazes tinham no coração a vontade de se divertir e suas atitudes foram moldadas por essa vontade. Seus corações guiaram seu comportamento. Seus corações guiaram seu comportamento. As pessoas fazem o que fazem porque seu coração é inclinado para aquilo. As pessoas fazem o que fazem porque seu coração é inclinado para aquilo.

9 A Bíblia e o coração A Bíblia usa a palavra coração para definir o interior da pessoa. A Bíblia usa a palavra coração para definir o interior da pessoa. O sinônimo mais usado na Bíblia para interior é coração. O sinônimo mais usado na Bíblia para interior é coração. O coração é o você verdadeiro. O coração é o você verdadeiro. A essência de quem você é. A essência de quem você é.

10

11 Lucas Cristo usou coisas físicas comuns para explicar as verdades desconhecidas. Cristo usou coisas físicas comuns para explicar as verdades desconhecidas. Aqui ele compara a nossa maneira de fazer as coisas com uma árvore. Aqui ele compara a nossa maneira de fazer as coisas com uma árvore. Se plantar uma semente de maçã e ela virar uma árvore, não espere que ela dê pêssegos. Se plantar uma semente de maçã e ela virar uma árvore, não espere que ela dê pêssegos. Macieiras produzem maçãs. Macieiras produzem maçãs. Há uma relação orgânica entre as raízes e o fruto. Há uma relação orgânica entre as raízes e o fruto. Cristo está dizendo que o mesmo é verdadeiro para pessoas. Cristo está dizendo que o mesmo é verdadeiro para pessoas.

12 O nosso problema? Muitas vezes não nos importamos com o que plantamos dentro do nosso coração, mesmo que seja ruim. Muitas vezes não nos importamos com o que plantamos dentro do nosso coração, mesmo que seja ruim. Nos importamos quando, por descuido, exteriorizamos isso. Nos importamos quando, por descuido, exteriorizamos isso. Sentimos vergonha do pecado quando ele vem à tona, mas muitas vezes gostamos de tentar “dar um jeito” nos nossos frutos. Sentimos vergonha do pecado quando ele vem à tona, mas muitas vezes gostamos de tentar “dar um jeito” nos nossos frutos.

13 O real problema Se o meu coração é a fonte do problema do meu pecado, então a mudança permanente deve acontecer na totalidade do meu coração. Se o meu coração é a fonte do problema do meu pecado, então a mudança permanente deve acontecer na totalidade do meu coração. Não temos que nos preocupar primeiramente com mudanças de comportamento ou circunstâncias. Não temos que nos preocupar primeiramente com mudanças de comportamento ou circunstâncias. Cristo sempre quer mudanças radicais. Cristo sempre quer mudanças radicais. Para isso acontecer precisamos de mudanças radicais no coração. Para isso acontecer precisamos de mudanças radicais no coração. Mateus Mateus

14 Grampeando frutos Na nossa vida precisamos mais do que grampear frutos. Na nossa vida precisamos mais do que grampear frutos. Muitas vezes fazemos isso depois de confrontados. Muitas vezes fazemos isso depois de confrontados. – Nossa ele parece um marido diferente, mais amável. – Ela parou de manipular. – Ele está amadurecendo. – Ela mudou o jeito de se vestir. – Ele está lendo mais a Bíblia. – Ela está fazendo mais devocional.

15 Grampeando frutos De longe parece que mudamos. De longe parece que mudamos. Mas as mudanças duram alguns meses, se tanto. Mas as mudanças duram alguns meses, se tanto. Por quê? Porque a mudança não alcançou o coração. Na verdade, grampeou-se os frutos. Por quê? Porque a mudança não alcançou o coração. Na verdade, grampeou-se os frutos. Grampear frutos é sem sentido, mas muito comum. Grampear frutos é sem sentido, mas muito comum. A maioria dos autores, não falam de mudança de coração, mas de grampear frutos. A maioria dos autores, não falam de mudança de coração, mas de grampear frutos.

16 Nossos pecados Nossos pecados estão enraizados no nosso coração. E, normalmente, são frutos de comportamento idólatra. Nossos pecados estão enraizados no nosso coração. E, normalmente, são frutos de comportamento idólatra. Idolatria é essencialmente plantar sementes ruins no nosso coração. Idolatria é essencialmente plantar sementes ruins no nosso coração. Imagine que você deseja dar bons frutos. Imagine que você deseja dar bons frutos. Mas o seu coração está buscando nutrientes de um solo ruim ou conectado a uma vertente contaminada. Seus frutos jamais serão bons. Mas o seu coração está buscando nutrientes de um solo ruim ou conectado a uma vertente contaminada. Seus frutos jamais serão bons.

17 Visão obscurecida Ou então imagine que alguém colocou a mão no rosto e esteja olhando entre os próprios dedos. Ou então imagine que alguém colocou a mão no rosto e esteja olhando entre os próprios dedos. Ela não poderá observar com clareza o mundo ao seu redor. Ela não poderá observar com clareza o mundo ao seu redor. De maneira parecida, um ídolo no coração cria um obstáculo diante do rosto. De maneira parecida, um ídolo no coração cria um obstáculo diante do rosto. Até que o ídolo seja removido, ele distorcerá e obscurecerá todas as outras coisas na vida. Até que o ídolo seja removido, ele distorcerá e obscurecerá todas as outras coisas na vida. Podemos chamar isso de influência inevitável. Seja o que for que governe o coração, uma influência inevitável acontecerá sobre a vida dessa pessoa. Podemos chamar isso de influência inevitável. Seja o que for que governe o coração, uma influência inevitável acontecerá sobre a vida dessa pessoa.

18 O que controla seu coração? Nossos corações são sempre governados por alguém ou alguma coisa. Nossos corações são sempre governados por alguém ou alguma coisa. A pergunta quando você peca é: O que está governando de modo prático o meu coração? A pergunta quando você peca é: O que está governando de modo prático o meu coração? Seja o que for que governe meu coração controlará minhas reações às pessoas e situações. Seja o que for que governe meu coração controlará minhas reações às pessoas e situações. A questão mais profunda do conflito humano não é questão de dor e sofrimento, mas a questão da adoração. Porque o que adorarmos certamente é o que governa nossos corações. A questão mais profunda do conflito humano não é questão de dor e sofrimento, mas a questão da adoração. Porque o que adorarmos certamente é o que governa nossos corações.

19 Seres adoradores Somos seres adoradores por essência. Somos seres adoradores por essência. Quando Israel atravessou o mar vermelho e fez o bezerro de ouro era uma demonstração clara de como o ser humano age. Quando Israel atravessou o mar vermelho e fez o bezerro de ouro era uma demonstração clara de como o ser humano age. Ele sempre quer adorar algo. Ele sempre quer adorar algo. Ele sempre é governado por algo que o conduz a adoração. Ele sempre é governado por algo que o conduz a adoração. A pergunta para perceber o que governa o seu coração é, então, o que você adora? A pergunta para perceber o que governa o seu coração é, então, o que você adora?

20 O que governa você? Se você vive para sua família, sua família governa você. Se você vive para sua família, sua família governa você. Se você vive para seu emprego, seu emprego governa você. Se você vive para seu emprego, seu emprego governa você. Se você vive para poder se divertir, o prazer governa você. Se você vive para poder se divertir, o prazer governa você. O que é legítimo ao homem: o poder de desejar, com facilidade se torna algo que governa o nosso coração. O que é legítimo ao homem: o poder de desejar, com facilidade se torna algo que governa o nosso coração.

21 Agora como adorar o Mestre do Universo? Adoração é dar o melhor a alguém. Adoração é dar o melhor a alguém. É reverenciar. É reverenciar. É usar de seu amor máximo por alguma coisa ou alguém. É usar de seu amor máximo por alguma coisa ou alguém. É servir a essa pessoa. É servir a essa pessoa. É respeitar. É respeitar. É oferecer o nosso coração. É oferecer o nosso coração. Mas como o mestre do Universo poderia se agradar com algo que possamos oferecer? Mas como o mestre do Universo poderia se agradar com algo que possamos oferecer? Por que nós podemos oferecer a Ele arte de geladeira. Por que nós podemos oferecer a Ele arte de geladeira.

22

23

24

25

26 Deus é nosso pai Como pai o que ele deseja é arte de geladeira. Como pai o que ele deseja é arte de geladeira. Não é perfeito, mas é o melhor que a criança pode oferecer. Não é perfeito, mas é o melhor que a criança pode oferecer. Ela investe tempo. Ela investe tempo. Ela faz com amor. Ela faz com amor. Ela faz o seu melhor. Ela faz o seu melhor. Ela prepara com carinho. Ela prepara com carinho. Ela faz isso por que no seu coração está uma verdade básica: “Agradar meu pai é mais importante que agradar as outras coisas ou pessoas” Ela faz isso por que no seu coração está uma verdade básica: “Agradar meu pai é mais importante que agradar as outras coisas ou pessoas”

27 Seres adoradores adorando ao Pai Se desejamos agradar o Pai, precisamos: Se desejamos agradar o Pai, precisamos: – Lutar contra nossos ídolos; – Não grampear frutos; – Limpar os cantos mais secretos do nosso coração; – Ajudar outros a adorarem ao Pai de coração; – Estar sempre reconsagrando nosso coração ao Pai. Ele bate a porta “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.” (Ap. 3.20) Ele bate a porta “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.” (Ap. 3.20) Ele não quebra a porta, a escolha é nossa. Com quem vamos jantar essa noite? Ele não quebra a porta, a escolha é nossa. Com quem vamos jantar essa noite?


Carregar ppt "Paul Tripp no Grand Canyon Todo verão a sua família fazia alguma viajem e em um verão o Pai dele resolveu ir para o Grand Canyon. Todo verão a sua família."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google