A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FARMACOTÉCNICA GERAL - Plano de Ensino - Profa. Dra. Patrícia da Fonseca Leite.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FARMACOTÉCNICA GERAL - Plano de Ensino - Profa. Dra. Patrícia da Fonseca Leite."— Transcrição da apresentação:

1 FARMACOTÉCNICA GERAL - Plano de Ensino - Profa. Dra. Patrícia da Fonseca Leite

2 PLANO DE ENSINO - EMENTA Estudaremos os aspectos de elaboração, dispensação, técnicas de preparação de formas farmacêuticas e a administração correta de medicamentos, com abordagens sobre (conteúdo programático): - Importância e história do medicamento; - Conceituação e terminologia empregadas em Farmacotécnica; - Vias de administração de medicamentos.

3 - Boas práticas de manipulação em Farmácia (BPMF). - Cálculos em Farmacotécnica. - Estabilidade e Conservação de Medicamentos. - Principais reações de degradação de medicamentos / Formas para evitar. - Sistemas de tratamento da água.

4 - Formas farmacêuticas líquidas - SOLUÇÕES -Soluções otológicas, nasais e oftálmicas – Cálculo de isotonicidade. - Formas farmacêuticas líquidas - Sistemas dispersos: SUSPENSÕES.

5 CONTEÚDO TEÓRICO- PRÁTICO -Apresentação dos materiais utilizados em Farmacotécnica e boas práticas de manipulação. -Procedimentos em laboratórios de manipulação. - Estabilidade de soluções de vitamina C (‘branco’, com agentes oxidantes, com agentes antioxidantes) frente à elevação da temperatura. - Preparo de Solução antisséptica e enxaguatório bucal. - Preparo de solução isotônica. - Preparo de xarope simples e xarope de iodeto de potássio. -Preparo de suspensão antiácida e de calamina.

6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA 1 – ALLEN Jr., L.V., POPOVICH, N.G., ANSEL, H.C. Formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 8.ed. Porto Alegre: Artmed, p (ISBN ). 2 - ANSEL, H.C., PRINCE, S.S. Manual de cálculos farmacêuticos. Porto Alegre: Artmed, p. (ISBN: ). 3 - AULTON, M.E. Delineamento de formas farmacêuticas. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, p. (ISBN: x). 4 – THOMPSON, J.E. A prática farmacêutica na manipulação de medicamentos. Porto Alegre: Artmed, p

7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 1 - ANSEL, H.C., POPOVICH, N.G., ALLEN, L.V. Farmacotécnica. Formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. São Paulo: Premier, CHARPENTIER, B., HAMON-LORLÉAC’H, F., HARLAY, A., HUARD, A., RIDOUX, L. Conceitos básicos para a prática farmacêutica. São Paulo: Organização Andrei Editora Ltda, p. 3. FARMACOPÉIAS (Brasileira, Americana, Britânica, Européia). Última edição. 4. MARTINDALE, W.H. The extra pharmacopeia. London: Royal pharmaceutical Society (última edição).

8 Outras referências recomendadas: 1 - DEF – Dicionário de especialidades farmacêuticas. São Paulo: Editora de Publicações Científicas, última edição. 2. The Merck Index. Whitehouse Station, NJ: Merck & CO., INC. (última edição.) 3. PRISTA, L.N., ALVES, A.C., MORGADO, R. Técnica farmacêutica e farmácia galênica. 4.ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbekian, V.1, 2 e REMINGTON farmácia. 17 ed. Buenos Aires: Medica Panamericana, REMINGTON’S pharmaceutical sciences. Easton: Mack Publishing Company, (última edição). 6. Revistas técnicas da área. 7. Site:

9 ESTRATÉGIA DE TRABALHO - Aulas expositivas, - Aulas práticas - e exercícios. AVALIAÇÕES -Provas teórico-práticas bimestrais

10 NORMAS GERAIS - AULAS PRÁTICAS: USO DE JALECOS, CABELOS PRESOS, PÉ COBERTO (SAPATOS FECHADOS – TÊNIS), CALÇAS COMPRIDAS, ÓCULOS DE SEGURANÇA. - AULAS TEÓRICAS: USO DE CALCULADORA (TRAZER TODAS AS AULAS) NÃO USAR CELULAR!!!!

11 Aspectos técnicos da produção de medicamentos - Medicamento fármaco, também chamado de princípio ativo ou base medicamentosa e que é a substância ativa que produz o efeito terapêutico desejado; + aditivos ou excipientes, que são substâncias adicionadas ao fármaco para alterar e complementar suas propriedades, tais como as organolépticas, e as formas de administração, o estado físico- químico e a velocidade de absorção.

12 Mistura Fármacos + Aditivos ou excipientes Formulação Farmacêutica EF 1 fármaco = várias EF´s ≠ formas e apresentações - As especialidades farmacêuticas podem ser comercializadas sob várias formas: pós, comprimidos, drágeas, cápsulas, líquidos orais, líquidos injetáveis, cremes, pomadas, adesivos.

13 Ex. Especialidades farmacêuticas com o mesmo fármaco: -Diclofenaco de potássio - supositório - drágeas - cápsulas gelatinosas - injetável - spray - pomada - creme Para definir a forma farmacêutica depende do que se espera do medicamento. Espera-se que este medicamento atinja os objetivos: eficaz, estável (física e química) e segurança.

14 - Uma embalagem mal escolhida pode acarretar em má estabilidade para o medicamento; um bom envazamento contribui para garantir a qualidade, segurança e eficácia do medicamento. - Os fármacos devem ser bem escolhidos (estrutura química, polimórfica de alguns fármacos podem ter efeitos terapêuticos e algumas estruturas não ter) - Os excipientes caracterizam as formas farmacêuticas que por sua vez modulam a ação terapêutica.

15 = tratamento localizado Emulsão(creme) x Pomada > permeabilidade epidérmica < permeabilidade epidérmica * tratamento de doenças entre epiderme e hipoderme > viscosidade < espalmabilidade < viscosidade > espalmabilidade Liberação lentaLiberação + rápida * tratamento de doenças na epiderme

16 Exercício. -Uma prescrição prevê a manipulação de 40 cápsulas gelatinosas contendo: 0,8g de fármaco, 4g de celulose microcristalina, 0,36g de PEG 4000 e 0,008g de explotab. No preenchimento das cápsulas o pó foi sufuciente para preparar 37 cápsulas com 0,1292g cada uma. Considerando que a técnica adotada foi correta, uma vez que o profissional havia sido aluno da UNIP, qual a porcentagem de erro da balança utilizada? % erro = valor teórico – valor real x 100 valor teórico


Carregar ppt "FARMACOTÉCNICA GERAL - Plano de Ensino - Profa. Dra. Patrícia da Fonseca Leite."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google