A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EFEITOS DA MICROINJEÇÃO DE BUSPIRONA NO NÚCLEO BASOLATERAL DA AMIGDALA SOBRE A CATATONIA INDUZIDA PELO HALOPERIDOL Monteiro, D.; Landeira-Fernandez, J.;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EFEITOS DA MICROINJEÇÃO DE BUSPIRONA NO NÚCLEO BASOLATERAL DA AMIGDALA SOBRE A CATATONIA INDUZIDA PELO HALOPERIDOL Monteiro, D.; Landeira-Fernandez, J.;"— Transcrição da apresentação:

1 EFEITOS DA MICROINJEÇÃO DE BUSPIRONA NO NÚCLEO BASOLATERAL DA AMIGDALA SOBRE A CATATONIA INDUZIDA PELO HALOPERIDOL Monteiro, D.; Landeira-Fernandez, J.; Maisonnette, S. Laboratório de Neurociências e Comportamento, PUC-Rio Laboratório de Psicologia Comparada, Universidade Estácio de Sá A catatonia é uma alteração psicomotora que pode ser observada em determinadas patologias como o Parkinson. A injeção intraperitonial de Haloperidol também produz catatonia, sendo utilizada como modelo animal para "screening" de drogas antipsicóticas e antiparksonianas (Hoffman e Donovan,1995). Alguns estudos têm apontado a amígdala (AM) - estrutura envolvida na modulação das emoções, como o portal sensório-motor de diversos distúrbios mentais (Swerdlow e Geyer,1993). Estudos revelam que agonistas de receptores 5-HT 1a combinados com antagonistas de receptores D 2 (haloperidol) produzem uma melhora dos sintomas psicóticos (Taverne e cols.,1998). Sendo assim, diante das evidências citadas acima, o objetivo desta pesquisa foi verificar a ação da buspirona, um agonista 5-HT 1a, diretamente na amígdala em animais com catatonia induzida por Haloperidol i.p. Os resultados demonstram que a microinjeção de Buspirona no BLA da Amígdala bloqueia a expressão da resposta de catatonia promovida pela administração de Haloperidol, i.p. Sendo que o número de cruzamentos não é alterado, indicando um efeito seletivo. Ainda podemos verificar que a microinjeção de buspirona na amígdala, sem a combinação de outra substância, promove níveis de catatonia estatisticamente similares ao grupo que recebeu administração de haloperidol e salina no BLA, sugerindo que o bloqueio da expressão da catatonia seria devido a um antagonismo competitivo entre as duas drogas administradas ao nível da amígdala. Animais: Foram utilizados 40 machos Wistar, pesando entre g criados no Biotério do Dep. de Psicologia da PUC-Rio. Os animais foram agrupados em caixas contendo seis animais cada. Após a cirurgia os animais foram alojados isoladamente com água e comida ad libitum. Cirurgia: Animais foram anestesiados com thionembutal (45 mg/kg, ip.), fixados no estereotáxico e 0.5 ml de lidocaína (20mg/ml) foram administrados localmente. Em cada animal foram implantadas duas cânulas bilateralmente (26ga Plastic One inc., USA) direcionadas para a AM. As coordenadas utilizadas foram: (AP) = -2.3 mm; (ML) = ±5.3mm; e (DV)= 8.0mm, tendo bregma como referência. Procedimento: Deu-se início ao experimento uma semana após a cirurgia. A distribuição dos grupos foi de acordo com as drogas administradas. Aparato: O campo aberto constitui-se em uma caixa de madeira escura (60 x 60 x 60 cm) cujo assoalho foi dividido em nove quadrados. O catatômetro constitui-se em uma barra horizontal de madeira apoiada sobre dois blocos de madeira de a 7cm de distância do chão. Medidas operacionais: Cruzamento: O número de cruzamento foi medido através quantidade de vezes que o animal atravessava as linhas divisórias do assoalho com as quatro patas. Catatonia: tempo (em segundos) em que o animal de permanecia com as duas patas dianteiras no catatômetro. O animal era colocado nessa posição por três vezes e o tempo em que o animal permanecia nesta posição foi somado INTRODUÇÃO MATERIAL e MÉTODO Primeiramente os animais recebiam uma injeção : intraperitonial de Haloperidol (1.0mg/1ml) diluído em salina ou apenas salina. Após 50 minutos foi feita a microinjeção de buspirona (0.4mg) ou salina bilateralmente na AM. Imediatamente após este procedimento, o animal era colocado no campo aberto e o número de cruzamentos e catatonia foram mensurados. A sessão experimental foi dividida em blocos de 10 minutos, sendo que ao início de cada bloco media-se a catatonia. Procedimento histológico: Os cérebros dos animais foram removidos e três dias depois eram congelados e fatiados progressivamente em lâminas de 50-mm. A partir da histologia, os animais que apresentaram ambas as cânulas no complexo basolateral da Am foram incluídos nos grupos experimentais. PROCEDIMENTO Os resultados demonstram que a microinjeção de Buspirona no BLA da Amígdala bloqueia a expressão da resposta de catatonia promovida pela administração de Haloperidol, i.p. Sendo que o número de cruzamentos não é alterado, indicando um efeito seletivo. Ainda podemos verificar que a microinjeção de buspirona na amígdala, sem a combinação de outra substância, promove níveis de catatonia estatisticamente similares ao grupo que recebeu administração de haloperidol e salina no BLA, sugerindo que o bloqueio da expressão da catatonia seria devido a um antagonismo competitivo entre as duas drogas administradas ao nível da amígdala. CONCLUSÃO RESULTADOS Fig. 2. Os resultados da catatonia com a a co-administração de buspirona (intra IC) e haloperidol i.p.. Os resultados estão expressados em médias e (*F <0.05), com o teste ANOVA. Fig. 1. Os resultados do comportamento de cruzamento no campo aberto com a co-administração de buspirona (intra IC) e haloperidol i.p.. Os resultados estão expressados em médias e (*F <0.05), com o teste ANOVA.


Carregar ppt "EFEITOS DA MICROINJEÇÃO DE BUSPIRONA NO NÚCLEO BASOLATERAL DA AMIGDALA SOBRE A CATATONIA INDUZIDA PELO HALOPERIDOL Monteiro, D.; Landeira-Fernandez, J.;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google